Saúde Arquivo

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou hoje (20), em Brasília, a liberação para uso emergencial de dois medicamentos experimentais da farmacêutica suíça Roche contra a covid-19, desenvolvidos em parceria com a empresa de biotecnologia americana Regeneron. 

Os remédios, contendo casirivimabe e imdevimabe (REGN-COV-2), atuam em ligação com a coroa do vírus de forma a impedir sua entrada nas células ainda não infectadas para replicar o material genético, controlando a doença.

A medicação é indicada especialmente para pacientes que estão em idade avançada, obesos, que tenham doença cardiovascular, hipertensão, doença pulmonar crônica, aids, diabetes, doenças respiratórias, doença renal crônica e doença hepática, entre outras comorbidades e que apresentam alto risco de desenvolver progressão para um quadro grave da covid-19.

Segundo a Anvisa, o medicamento será de uso restrito a hospitais, para uso ambulatorial, ou seja, para pacientes que apresentam sintomas leves da doença, sendo administrado somente com prescrição médica. O medicamento não é recomendado para uso precoce ou preventivo. Também não será permitida a sua comercialização ou venda em farmácias.

O coquetel foi liberado para ser administrado em pacientes a partir de 12 anos, que pesem mais de 40 kg, que não necessitem de suplementação de oxigênio e não apresentem o quadro grave da doença. A aplicação é intravenosa e deve ser administrada logo após a confirmação, por meio de teste viral, até dez dias após o início dos sintomas.

Segundo o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Silva Santos, o coquetel usa dois anticorpos monoclonais que trabalham para neutralizar o vírus, fornecendo “anticorpos extras” para os pacientes.

“A ideia desse produto é que nesses pacientes se mimetize o que seria a resposta imune natural dos anticorpos produzidos em células e que essa produção extra-humana de anticorpos ajude a promover a ação imunológica”, disse.

“[Mas] esse produto não é recomendado para quem já está na situação grave da doença. Para aqueles que já estão internados se observa uma piora no desfecho clínico quando administrado em pacientes hospitalizados com covid-19 que necessitam de suplementação de oxigênio de alto fluxo ou ventilação mecânica”, acrescentou.

Redução de 70,4% na hospitalização

Santos apresentou dados das pesquisas dos medicamentos e disse que os resultados preliminares em pacientes ambulatoriais, desde o diagnóstico da doença até 29 dias após início do tratamento, mostraram uma redução de 70,4% na hospitalização ou morte relacionadas com a covid-19.

“O que a gente percebeu foi uma redução significativa e clinicamente relevante de 70,4% no número de pacientes hospitalizados ou morte por quaisquer causas quando comparado com o placebo”, disse. “Ele foi muito bem tolerado, tem um perfil de segurança aceitável.

O pedido para o uso dos medicamentos foi feito pela Roche em 1º de abril. A diretora da Anvisa e relatora do processo de liberação do medicamento, Meire Sousa Freitas, lembrou que ele já foi aprovado para uso emergencial pela Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, após apresentar bons resultados em pacientes com sintomas leves e moderados da covid-19.

A Anvisa aprovou um prazo de validade de 12 meses para os medicamentos, por se tratar de uso emergencial. A relatora lembrou que a agência também já liberou, em março, o uso do antiviral Remdesivir, produzido pela biofarmacêutica Gilead Sciences, para o tratamento da covid-19, e que a nova autorização vai ajudar a aliviar o sistema de saúde do país.

“A autorização emergencial desses anticorpos monoclonais oferece aos profissionais de saúde mais uma ferramenta no combate a essa pandemia”, disse.

Meire lembrou que a autorização é de uso emergencial, por se tratar de um medicamento ainda em desenvolvimento, e que o processo de aprovação do registro definitivo ainda precisa de mais pesquisas e investigação clínica.

Ela alertou ainda que não há pesquisas tratando da aplicação de vacinas contra a covid-19 em pacientes que foram submetidos ao novo medicamento e que a recomendação é de que o paciente deve aguardar um período de 90 dias após a administração do medicamento para tomar a vacina.

“Atualmente não há dados sobre a segurança e eficácia das vacinas autorizadas pela Anvisa em pessoas que receberam esses anticorpos monoclonais como parte do tratamento da covid-19. Portanto, antes de se vacinar o paciente deve ser avaliado pelo médico”, finalizou.

Agência Brasil

Em Macaíba, 6.965 pessoas foram vacinadas contra a covid-19, de acordo com dados do RN Mais Vacina divulgados nesta segunda-feira (19). Foram aplicadas 6.948 vacinas na primeira dose e 1.672 na segunda dose, totalizando 8.620 doses aplicadas.

Atualmente a faixa etária que está sendo vacinada é a partir de 65 anos e os profissionais de saúde.

Nesta quinta-feira (15), ocorreu mais uma capacitação oferecida pelo núcleo de educação permanente da UPA Macaíba.

A reativação deste núcleo de educação permanente, é um projeto da secretária de Projetos Especiais do município de Macaíba, Luciana Barbosa, que já vem sendo executado na Unidade de Pronto Atendimento.

A mesma nos passou que a reativação desse núcleo se deu em um trabalho conjunto da secretaria, com a coordenação de enfermagem e com os gestores da UPA.

“Nós entendemos que a capacitação continuada dos profissionais da saúde é o caminho certo para um melhor cuidado com os macaibenses” afirmou Luciana.

O treinamento foi sobre ventilação mecânica, administrado pelo profissional Peucelle Filho, coordenado pelo coordenador de enfermagem Adilson Almeida, tendo como público alvo todos os profissionais de enfermagem e fisioterapeutas.

A série de reformas em espaços públicos de Macaíba continua em passos firmes neste início de gestão do prefeito Emídio Júnior. Após a Central de Marcação de Exames, CRAS Fabrício Pedroza e CAPS-AD, agora é a vez do imóvel que abriga as duas principais unidades odontológicas – CEO (Centro de Especialidades Odontológicas) e PA (Pronto Atendimento Odontológico) da rede municipal.

Segundo Anderson Carvalho, gestor do CEO, a reforma conduzida pela Secretaria Municipal de Infraestrutura contempla aspectos como substituição da rede elétrica (luminárias e fiação), reparos estruturais, pintura interna e externa, manutenção hidráulica, dentre outros, no sentido de proporcionar mais conforto aos pacientes usuários dos serviços dessas unidades.

Visita do prefeito

Sempre atento ao dia a dia da Prefeitura e suas repartições, o prefeito Emídio Júnior esteve pessoalmente visitando a unidade na manhã da última terça-feira (13/04), conferindo o andamento dos serviços. Na ocasião, o prefeito esteve acompanhado pela secretária municipal de Saúde, Roberta Guilhermina.

Sobre o CEO

O CEO funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h. No local são realizados os atendimentos especializados nas áreas de periodontia (doenças das gengivas), endodontia (tratamento de canal), cirurgias orais menores, diagnóstico oral e biopsias, próteses dentárias, atendimento a pacientes com necessidades especiais, dentística especializada (restaurações complexas), além da realização de radiografias orais.

Os pacientes atendidos no CEO também devem ser encaminhados pelo Pronto Atendimento Odontológico. As atividades do local consistem em atendimentos básicos agendados diariamente, assim como as urgências odontológicas.

Sobre o PA
O PA está localizado funciona durante todos os dias da semana, incluindo domingos e feriados, no horário das 7h até às 19h. Os procedimentos oferecidos são os mais diversos, do ambulatório ao atendimento de urgência, quem procura o Pronto Atendimento vai poder contar com serviços de restauração, serviços básicos, extração, limpeza, hemorragias, fraturas, entre outros.

Vacinação drive thru na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), zona norte do Rio. A cidade do Rio de Janeiro retoma hoje (25) sua campanha de aplicação da primeira dose da vacina contra a covid-19 em idosos da população em geral.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Ministério da Saúde divulgou hoje (13) a lista dos estados com pessoas que estão em atraso para tomar a segunda dose de vacinas contra a covid-19. Hoje, o titular da pasta, Marcelo Queiroga, disse que há 1,5 milhão de brasileiros nessa situação, e alertou que essas pessoas precisam buscar os postos de vacinação.

O estado com mais pessoas em atraso é São Paulo (343.925), seguido da Bahia (148.877), Rio de Janeiro (143.015), Rio Grande do Sul (123.514), Minas Gerais (89.122) e Paraná (71.857).

Os estados com menos doses em atraso são Amapá (5.741), Tocantins (6.033), Acre (6.191), Alagoas (7.625) e Roraima (8.555).

Segundo o ministro, mesmo quem perdeu o prazo previsto no cronograma de vacinação deve procurar uma unidade de saúde para regularizar a situação.

A grande maioria dos atrasos está em doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

No total, 1.514.340 doses do imunizante estão em atraso, sendo 287 da Oxford/AstraZeneca, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Covid-19: lista mostra estados com atrasos na 2ª dose de vacinas

 

O Brasil vai receber 842.400 doses da vacina da farmacêutica Pfizer/BioNTech contra a covid-19. A informação foi dada pelos coordenadores da Covax Facility ao Itamaraty. A previsão de entrega é para o mês de junho.

O Ministério da Saúde tem 42,5 milhões de doses de vacinas contratadas com a Covax Facility. A quantidade é suficiente para vacinar 10% da população brasileira. Até o momento, o Brasil já recebeu mais de 1 milhão de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford por meio dessa iniciativa. “Cabe ressaltar que essas 842.400 doses não fazem parte das 100 milhões já contratadas pelo Ministério da Saúde diretamente com a farmacêutica”, ressaltou o Itamaraty em nota à imprensa na noite de ontem.

A primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe Influenza começou nesta terça-feira (13) em Macaíba e tem como foco crianças a partir dos 6 meses de idade e com menos de 6 anos; gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); povos indígenas e profissionais de saúde. A vacinação deste grupo prioritário será nas terças e quintas nas unidades de saúde e no Posto da Maré, das 8h às 14h, até o dia de encerramento da campanha, em 10 de maio.

Os interessados devem comparecer com CPF e Cartão do SUS para receber a vacina. Caso a criança não tenha CPF, deverá ser apresentado o Registro de Nascimento. Trabalhadores de saúde que já tomaram a vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) deverão aguardar no mínimo 14 dias para tomar a dose contra a Gripe Influenza. O Dia D da Campanha contra a Gripe está previsto para o próximo dia 24 de abril.

De acordo com dados da secretaria estadual de Saúde, Macaíba registra 3.016 casos confirmados de covid-19, 1.618 casos suspeitos, 44 óbitos sob investigação e 119 óbitos confirmados ao longo da pandemia.

Macaíba realizará 1ª audiência pública sobre o novo Plano Diretor - Senadinho

A próxima segunda-feira (12/04) marca o início da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe 2021 em todas as partes do Brasil. Neste ano, a campanha será dividida em três etapas.

A primeira etapa da campanha abrange de 12/04 a 10/05 e tem como foco crianças a partir dos 6 meses de idade e com menos de 6 anos, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), povos indígenas e profissionais de saúde. A segunda etapa começa em 11/05 e se estende até 08/06, focada em vacinar idosos com 60 ou mais e professores.

Por fim, a terceira etapa, entre 09/06 e 09/07, com o objetivo de vacinar: pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transportes coletivos, trabalhadores portuários, profissionais das forças armadas, de segurança e de salvamento, funcionários do sistema prisional, pessoas cumprindo penas no sistema prisional e adolescentes sob medidas socioeducativas.

Em Macaíba, a vacinação acontecerá nas terças e quintas-feiras em todas as unidades de saúde. O interessado deverá comparecer com CPF e Cartão do SUS. Caso a criança não tenha CPF, deverá ser apresentado o Registro de Nascimento.

Profissionais/trabalhadores de saúde que já tomaram a vacina contra a COVID-19 deverão aguardar no mínimo 14 dias para tomar a dose contra a Gripe (Influenza).

Dia D

No sábado (24/04), ocorrerá o Dia D Nacional da Campanha, quando todos os postos de saúde, em áreas urbanas e rurais de todas as cidades, deverão estar abertos para aplicar as vacinas. É importante destacar que antes de procurar tomar a vacina, a pessoa deve procurar a devida orientação de um profissional da unidade de saúde mais próxima de sua residência.

Foto: Elisa Elsie

Em Macaíba, 5.794 pessoas foram vacinadas desde o início da campanha de vacinação, seja com a CoronaVac ou AstraZeneca. Ao todo foram aplicadas 5.781 doses na primeira fase e 1.001 na segunda fase, totalizando a aplicação de 6.782 doses.