Política Arquivo

Natália Bonavides denuncia ataque de Bolsonaro aos trabalhadores; Fábio  Faria comemora

O ministro das Comunicações Fábio Faria, deputado federal licenciado, poderá deixar o PSD. O motivo são as declarações do presidente da sigla Gilberto Kassab que tem dito que o partido não pretende apoiar nem Bolsonaro e nem Lula.

Resta saber se o pai do ministro Fábio seguirá o caminho do filho, pois, Robinson Faria é o atual presidente estadual do PSD no estado.

Deputados de oposição na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte atuam nos bastidores para abrir CPI contra o governo Fátima. De acordo com a imprensa estadual, objetivo da ação seria investigar os gastos do governo ao longo da pandemia, incluindo a compra de respiradores através do Consórcio do Nordeste que nunca chegaram ao estado.

Entrevista de Lula bate audiência da live semanal de Bolsonaro no YouTube |  Poder360

Uma pesquisa do instituto Datafolha foi divulgada nesta quarta-feira (12) pelo jornal “Folha de S.Paulo” aponta que ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 41% das intenções de voto no primeiro turno, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com 23%, Sergio Moro (sem partido) com 7%, Ciro Gomes (PDT) com 6%, Luciano Huck (sem partido) com 4% e o governador de SP, Joao Doria, com 3%. O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e João Amoêdo (Novo) aparecem empatados com 2% das intenções de voto.

Somados, os adversários de Lula têm 47%, seis pontos percentuais a mais do que o ex-presidente.

Votos brancos e nulos são 9% e 4% se disseram indecisos.

O levantamento do Datafolha foi realizado entre os dias 11 e 12 de maio em 146 cidades e com 2.071 pessoas. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Intenções de voto no 1º turno:

  • Lula: 41%
  • Bolsonaro: 23%
  • Moro: 7%
  • Ciro: 6%

Fonte: G1 RN

Divulgação

Diferente dos últimos anos, Macaíba tem recebido a destinação de emendas de parlamentares de diversos partidos políticos, até mesmo daqueles que não tem ligação política com o atual prefeito. Isso vem acontecendo devido atuação do prefeito Emídio Júnior que não tem medido esforços para que o município receba o máximo de recursos para investir nas maiores necessidades da cidade.

Só nos últimos três meses a cidade recebeu oito deputados, todos eles anunciaram destinação de emendas, maioria dos recursos serão destinados para saúde, mas também haverá dinheiro para investimentos. O diálogo do prefeito Emídio não se resume somente aos deputados estaduais, Emídio está empenhado em trazer recursos de Brasília e destravar obras paralisadas da gestão anterior.

Vamos lembrar algumas das emendas anunciadas: Emendas para aquisição de quatro ambulâncias, emenda para infraestrutura do distrito industrial avançado no valor de R$ 1,5 milhão e também recursos para atenção de baixa, média e alta complexidade na área da saúde, além de outras destinações.

Há mais de 30 anos, o Polo Industrial do Município de Macaíba pleiteia o calçamento e a estruturação da região. A demanda histórica será finalmente atendida a partir da destinação de emenda parlamentar do deputado federal General Girão no valor de R$ 1,5 milhão. Desde o início do mandato do parlamentar, em 2019, já foram investidos pouco mais de R$ 3 milhões no município.

O deputado federal General Girão anunciou as emendas para o município durante reunião que contou com a presença de representantes da FIERN, empresários e a diretoria da Associação das Empresas dos Polos Industriais do Rio Grande do Norte (ASPIRN). Também participaram da reunião o vice-prefeito de Macaíba, Netinho França, o presidente da Câmara Municipal de Macaíba, Denilson Gadelha, e o presidente da ASPIRN, Neto Camelo.

Para o General Girão, é essencial apoiar quem produz no Estado. “Desde o início do nosso mandato, adotamos como missão oferecer suporte a quem está potiguarizando. Ou seja, destinar recursos para os que produzem e geram emprego e renda para o Estado. Agradeço a oportunidade de contribuir para mais um importante setor do RN”, enfatizou o deputado.

Diante do anúncio das destinações, o prefeito Emídio Jr. complementou com uma ação da Prefeitura de Macaíba para extensão do alcance das obras de infraestrutura. “É uma enorme satisfação receber esse aporte financeiro que, dentro em breve, será realizado e com certeza vai nos ajudar muito na pavimentação desta região. A partir disso, nós vamos buscar outros parceiros para complementar a obra e oferecer uma melhor estrutura ao Polo. Então aproveitamos esta oportunidade para agradecer ao General Girão por este benefício para Macaíba e também pelos outros R$ 250 mil que ele também anunciou para implementar a nossa Vila Olímpica”, pontua o prefeito.

O presidente da ASPIRN agradeceu o pleito atendido. “Ficamos muito agradecidos pelo bom senso do General Girão em olhar para o Polo Industrial de Macaíba, para a classe industrial do Rio Grande do Norte e, com isso, começa a atender agora um pleito antigo da melhoria de infraestrutura da área. Aproveito para chamar também toda a nossa bancada federal para ter esse mesmo olhar. É uma causa digna e justa que precisa ter atenção dos nossos representantes”, afirmou Neto Camelo.

Dentro das avaliações administrativas das três esferas do Poder Executivo para os natalenses, o instituto Consult fez um comparativo entre a aprovação e desaprovação do prefeito de Natal Álvaro Dias, da governadora do Estado Fátima Bezerra e do presidente da República Jair Bolsonaro. Nesse comparativo, a governadora foi quem teve a maior desaprovação (59,5%) e o prefeito a maior aprovação (65,5%).

Para a realização da pesquisa divulgada pelo Blog do BG, o instituto Consult entrevistou 800 eleitores das quatro regiões administrativas da capital potiguar entre os dias 22 e 28 de abril. Os resultados possuem uma margem de erro de 3% e um grau de confiabilidade de 95%, o que quer dizer que, se levada em consideração a margem de erro, a pesquisa tem 95% de retratar o cenário real.

Blog do BG

Ainda dentro da pesquisa eleitoral para as eleições do próximo ano, o instituto Consult quis saber da população em quem eles votariam para senador se o pleito fosse hoje. Nesse quesito quem lidera é o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves com 28,88% das intenções de voto. Ele é seguido pelo ex-senador Garibaldi Alves Filho com 10,63%. Vale lembrar que em 2022 os potiguares elegerão apenas um representante para o Senado Federal.

Ainda apareceram acima da margem de erro amostral da pesquisa: o ministro Fábio Faria (6,63%), o ex-senador José Agripino Maia (6,38%) e o ministro Rogério Marinho (5,75%).

O atual senador Jean Paul Prates, que assumiu a cadeira após a eleição da governadora Fátima Bezerra ficou abaixo da margem de erro juntamente com o deputado federal João Maia.

Para a realização da pesquisa divulgada pelo Blog do BG, o instituto Consult entrevistou 800 eleitores das quatro regiões administrativas da capital potiguar entre os dias 22 e 28 de abril. Os resultados possuem uma margem de erro de 3% e um grau de confiabilidade de 95%, o que quer dizer que, se levada em consideração a margem de erro, a pesquisa tem 95% de retratar o cenário real.

Blog do BG

Ainda dentro dos números da corrida eleitoral, o instituto Consult quis saber da população natalense a intenção de votos para presidente da República. Em um levantamento estimulado, ou seja, com o eleitor tendo acesso aos nomes dos principais pré-candidatos ao cargo, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva tem 36,75% contra 32,5% do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Quem ainda foi citado na pesquisa acima da margem de erro foi: Ciro Gomes, o ex-ministro e ex-governador do Ceará, com 6%; e Luciano Huck, empresário e apresentador de televisão, com 3,38%. Indecisos somaram apenas 5,13%. Total dos que afirmou não votar em qualquer dos candidatos correspondeu a 12,5%.

Para a realização da pesquisa divulgada pelo Blog do BG, o instituto Consult entrevistou 800 eleitores das quatro regiões administrativas da capital potiguar entre os dias 22 e 28 de abril. Os resultados possuem uma margem de erro de 3% e um grau de confiabilidade de 95%, o que quer dizer que, se levada em consideração a margem de erro, a pesquisa tem 95% de retratar o cenário real.

Blog do BG

A pesquisa do instituto Consult também trouxe números da corrida eleitoral do pleito do próximo ano. Em um cenário estimulado (eleitor tem acesso aos nomes dos pré-candidatos) com o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves na disputa, no lugar do prefeito Álvaro Dias, o ex-gestor aparece em primeiro com 26,75% das intenções de voto, seguido pela governadora Fátima Bezerra com 22,75%.

O senador Styvenson Valentim aparece em terceiro com 13,75%, seguido pelo ministro Rogério Marinho com 5,63%.

Para a realização da pesquisa divulgada pelo Blog do BG, o instituto Consult entrevistou 800 eleitores das quatro regiões administrativas da capital potiguar entre os dias 22 e 28 de abril. Os resultados possuem uma margem de erro de 3% e um grau de confiabilidade de 95%, o que quer dizer que, se levada em consideração a margem de erro, a pesquisa tem 95% de retratar o cenário real.

Blog do BG

Foto: Maxson Savelle

O prefeito Emídio Jr segue com a agenda de reuniões com empresários do Distrito Industrial de Macaíba (DIM) para discutir novas formas de investimentos para a cidade, geração de emprego, renda e melhorias na infraestrutura e na iluminação pública na região. Os encontros aconteceram na última terça-feira (4) e nesta quarta-feira (5), nas empresas Ster Bom e Primícias do Brasil, respectivamente.

Durante a reunião na empresa Primícias, Emídio e equipe discutiram com o empresário Sandro Jorge Maia a parceria entre o empresariado local e a Prefeitura, para o desenvolvimento de ações com as cooperativas produtivas locais e a oferta de serviços de assistência social para os trabalhadores do Distrito e melhorias para a região, com a construção de paradas de ônibus e principalmente melhorias na iluminação pública.

“Estamos buscando meios, alternativas de gerar empregos, de fortalecer a nossa indústria. Toda semana a gente busca”, declarou o prefeito. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico Auri Simplício e o assessor da pasta, Alan Daniel acompanharam o chefe do Executivo municipal nas visitas.

O prefeito segue com a série de reuniões com segmentos produtivos na busca pela criação de novos empregos. Na última semana, Emídio apresentou as potencialidades de Macaíba para investidores no encontro da Câmara Brasil-China e visitou a ZPE de Macaíba e outros terrenos da Prefeitura com potencial para a instalação de novas empresas.

Ascom Parnamirim

O prefeito de Parnamirim Rosano Taveira (Republicanos) concedeu entrevista nesta segunda-feira (03) à rádio Jovem Pan Natal e afirmou que não vota na governadora Fátima Bezerra (PT) para o Governo do RN em 2022. O chefe do Executivo parnamirinense sinalizou, porém, apoio a uma possível candidatura do ministro Rogério Marinho ao Senado Federal.

Taveira destacou o aporte financeiro que o Governo Federal deu ao Rio Grande do Norte para amenizar as perdas de arrecadação no ano passado e destacou o trabalho desenvolvido pelo ministério de Rogério Marinho.

“Em obras recebemos emenda de Rogério Marinho de R$ 21 milhões (…), Parnamirim está ganhando muita coisa. Estive com o ministro, se ele for candidato ao Senado, vou apoiar”, afirmou o prefeito.

Fonte: Portal Grande Ponto

Foi aprovado nessa terça feira(27/04), o projeto de resolução n° 003/2021, de autoria do vereador Jefferson Stanley, que cria a comissão permanente de combate e enfrentamento as drogas, com o ideal de acompanhar os processos legislativos e outras atividades no combate ao uso de drogas, bem como no apoio a políticas públicas, programas e ações governamentais e não governamentais. O objetivo é criar um plano de ação destinado a enfraquecer e amortecer o consumo de drogas no nosso município, a fim de impedir que crianças e adolescentes tenham contato com as drogas.

Essa é mais uma oportunidade para o envolvimento da sociedade organizada de Macaíba enfrentar a crescente violência na cidade.

 

Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza reunião para instalação e eleição para os cargos de presidente e vice-presidente.   A Comissão Parlamentar de Inquérito vai investigar as ações do governo federal no enfrentamento da pandemia e a aplicação de recursos da União transferidos para estados, Distrito Federal e municípios para essa finalidade. A reunião acontece no formato semipresencial por decisão do presidente do Senado Federal.   À bancada, membro da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM).   Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

comissão parlamentar de inquérito (CPI) que vai investigar as ações do governo e o uso de verbas federais na pandemia de covid-19 elegeu seu presidente nesta terça-feira (27). Os trabalhos serão comandados pelo senador Omar Aziz (PSD-AM), que indicou Renan Calheiros (MDB-AL) para a relatoria. O vice-presidente eleito é Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Por oito votos a três, Omar Aziz derrotou Eduardo Girão (Podemos-CE), que foi autor do requerimento que estendeu o foco de atuação da CPI para abranger a aplicação de recursos repassados pela União a estados e municípios.

O primeiro encontro do colegiado durou quatro horas e quinze minutos e foi feito de forma semipresencial com parte dos parlamentares participando via internet. A eleição, no entanto, foi secreta, restrita aos que compareceram ao Senado.

O presidente recém-empossado marcou para a próxima quinta-feira (28), às 9h, um novo encontro para aprovação do plano de trabalho, quando também já poderão ser analisados e votados os primeiros requerimentos. Entre eles, estão pedidos para oitiva do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e dos outros três que o antecederam na pasta: Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello.

Omar Aziz já adiantou que Mandetta, ministro na época que a pandemia começou, deve ser o primeiro a ser ouvido, já na próxima terça-feira (4).

Compromisso

Ao assumir a presidência, o senador prometeu um trabalho técnico e lembrou que existe grande pressão para que os parlamentares tomem decisões equilibradas e coerentes.

— Não dá pra discutir questões políticas em cima de quase 400 mil mortos. Não me permito fazer isso, até porque acabo de perder um irmão. Não haverá prejulgamento de minha parte. Temos que sair daqui de cabeça erguida mostrando os caminhos que o Brasil precisa seguir — afirmou.

Relatoria

A primeira participação do relator Renan Calheiros foi com um discurso de 25 minutos, quando garantiu que a investigação será despolitizada. Segundo ele, CPI não é sigla de comissão parlamentar de inquisição, por isso “nenhum expediente tenebroso das catacumbas do Santo Ofício será utilizado”.

— A CPI, alojada em uma instituição secular e democrática, que é o Senado, tampouco será um cadafalso com sentenças prefixadas ou alvos selecionados. Não somos discípulos nem de Deltan Dalagnol, nem de Sergio Moro. Não arquitetaremos teses sem provas ou powerpoints contra quem quer que seja. Não desenharemos o alvo para depois disparar a flecha. Não reeditaremos a República do Galeão. Agiremos com imparcialidade, a partir de decisões coletivas, sem comichões monocráticos. Ninguém arguirá nenhum tipo de suspeição no futuro desse trabalho — disse.

Em alusão ao general Eduardo Pazuello, Renan Calheiros disse que o Ministério da Saúde foi entregue a um não especialista, evidenciando uma tragédia anunciada.

— O resultado fala por si só: no pior dia da covid, em apenas quatro horas, o número de brasileiros mortos foi igual ao de todos que tombaram nos campos de batalha da Segunda Guerra Mundial. O que teria acontecido se tivéssemos enviado um infectologista para comandar nossas tropas? Provavelmente um morticínio, porque guerras se enfrentam com especialistas, sejam bélicas ou guerras sanitárias. A diretriz é clara: militar nos quarteis e médicos na saúde! Quando se inverte, a morte é certa, e foi isso que lamentavelmente parece ter acontecido. Temos que explicar como, por que isso ocorreu — afirmou.

Debates

A reunião inaugural da CPI foi aberta pelo senador Otto Alencar (PSD-BA), por ser o mais idoso titular da comissão. Como já era esperado, parlamentares governistas abriram os trabalhos apresentando questionamentos, com questões de ordem antes de a eleição ser realizada.

Mesmo sem ser integrante do colegiado, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) pediu a palavra para defender o governo. Ele afirmou que o parlamentar que estiver na CPI e que “quiser subir nos caixões dos quase 400 mil mortos para fazer politica rasteira e barata” será identificado, julgado e avaliado pela população.

Ele disse ainda que não há como o senador Renan Calheiros, pai do governador de Alagoas, Renan Filho, ter uma postura isenta como relator da comissão.

— Falo olhando nos seus olhos, senador Renan, mas eu achava que deveria ter um pouquinho mais de bom senso e abrir mão da relatoria […]  A partir do momento em que essa CPI escolher o presidente e o relator, haverá questionamentos judiciais sem dúvida alguma. Imagine se eu fosse indicado para ser relator? Todos que estão aqui hoje defendendo o senhor estariam nos criticando profundamente, pressionando o presidente da Casa, pressionando o presidente da CPI. Só que eu não preciso dar esse trabalho a ninguém, porque eu tenho bom senso — argumentou.

Segundo Flávio Bolsonaro, o partido Republicanos vai avaliar se continuará pertencendo ao bloco Unidos pelo Brasil, do qual faz parte o MDB. O parlamentar reclamou que sequer foi consultado sobre a indicação dos nomes que comporiam a CPI.

O líder do MDB, Eduardo Braga (MDB-AM), defendeu-se dizendo que o Republicanos sempre foi tratado com respeito e dignidade.

— Várias vezes o MDB cedeu vaga. Mas cessão de vagas não é uma decisão unilateral do líder. É colegiada, do partido e da bancada. No caso desta CPI, o MDB não cedeu porque seus membros não queriam ceder. Porque eles querem discutir o que importa: não negar aos brasileiros uma política que salve vidas — disse Braga, que parabenizou Flávio Bolsonaro por estar usando máscara.

Palanque

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse que um trabalho investigativo diligente requer foco técnico, ausência de viés político e atuação dentro dos limites constitucionais. Ele pediu também que sejam evitados excessos para que a comissão não seja tomada por radicalizações ideológicas ou se transforme em palanque político para a disputa eleitoral de 2022.

— O governo não teme as investigações e assume o compromisso de oferecer a sua contribuição, agindo com transparência e fornecendo todas as informações necessárias para a apuração dos fatos, sem perder de vista o interesse público, que deve nortear o roteiro de trabalho a ser seguido por esta CPI. Estou convencido de que o julgamento das ações de enfrentamento da maior crise sanitária da história revelará a lisura da conduta do governo, e, à luz dos fatos, ficará comprovado que nenhum ato doloso de omissão foi cometido no combate à pandemia — finalizou.

Desgaste

Após a eleição da presidência, o senador Eduardo Girão disse que teve a percepção de que o que se pretende na comissão é o desgaste de apenas um ente, a União, o que não seria justo nem saudável para o país.

— Espero estar errado e vou pedir desculpa publicamente, mas o encaminhamento que está sendo dado é para se pegar um para Cristo e deixar outros para lá. Isso não é cristão. Se vamos fazer a coisa com responsabilidade, vamos olhar para todos com muita verdade, serenidade. Esse apelo eu quero fazer para que a gente não faça parte de algo que não é saudável para a nação, que seria um desrespeito, uma covardia com o povo brasileiro — destacou.

Foco ampliado 

A CPI da Pandemia foi criada a partir do requerimento do senador Randolfe Rodrigues. O pedido propôs uma comissão de inquérito para investigar ações e omissões do governo federal no combate à covid-19, com foco especial no Amazonas, primeiro estado do país onde hospitais reportaram falta de oxigênio para pacientes.

Posteriormente, Eduardo Girão apresentou o pedido (RQS 1.372/2021) para que a comissão investigasse também o uso de verbas federais repassadas a estados e municípios para o enfrentamento da crise sanitária.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, juntou os dois requerimentos em uma única CPI, por considerar o segundo tema — as verbas repassadas aos entes federativos — conexo ao primeiro.

Fonte: Agência Senado

A pesquisa TS2 realizada para a TCM em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) apontou que se as eleições fossem hoje o ex-presidente Lula seria com folga o mais votado em Mossoró.

A pesquisa foi realizada nos dias 19, 20 e 21 de abril ouvindo 831 eleitores. A margem de erro é de 3,5% pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.