Política Arquivo

Agência Brasil – O programa do candidato Fernando Haddad (PT), que teve sua versão atualizada neste segundo turno, têm um total de 62 páginas e dedica ao menos 18 para diversos temas relacionados à economia, incluindo a revisão de reformas aprovadas nos últimos anos e a mudança no modelo tributário do país.

A principal diretriz apresentada no programa é o que a candidatura chama de um “novo projeto nacional de desenvolvimento”. Para isso, Haddad defende, primeiramente, a revogação a Emenda Constitucional 95. Essa emenda determina que até 2036 as despesas federais não poderão crescer acima da inflação de 12 meses, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Outra proposta desse projeto de desenvolvimento é a revogação da reforma trabalhista, substituindo pelo Estatuto do Trabalho, produzido de forma negociada. A campanha diz que a “terceirização irrestrita” e a reforma trabalhista aprovadas pela atual governo impôs um “cardápio de contratos precários de trabalho”, desequilibrando as relações entre capital e trabalho, em favor dos empresários, e precarizando ainda mais o trabalho.

O novo estatuto do trabalho prevê “a reformulação e ampliação do sistema de formação ao longo da vida laboral dos trabalhadores, capaz de integrar no novo sistema de formação e aprendizagem das distintas linhas atualmente existentes. “Ao mesmo tempo, a sua operacionalização contará com a valorização de sindicatos e associações de trabalhadores e empresários na orientação da preparação para a qualificação profissional. Também fará parte a reorganização dos fundos sociais existentes para criar uma nova política de proteção durante a vida laboral dos trabalhadores”, diz o plano de governo.

A revogação das reformas depende de aprovação do Congresso Nacional.

Agência Brasil – O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), disse que, se eleito, as propostas de governo só serão encaminhadas ao Congresso Nacional, depois de conversas com senadores e deputados federais. De acordo com ele, pretende apresentar uma série de medidas que devem ser negociadas com os parlamentares.

“Não vamos apresentar nada sem conversar com os parlamentares. Para ter certeza que essas reformas serão aprovadas de forma racional pelo Parlamento.”

A afirmação foi dada durante entrevista exclusiva à TV Band e veiculada nas redes sociais do candidato neste domingo (21). Ele reiterou que não pretende participar de debates, como vem cobrando seu adversário Fernando Haddad (PT).

O candidato do PSL rebateu as acusações de envolvimento no esquema supostamente financiado por empresários para disseminar fake news anti-PT. Segundo ele, sua campanha é feita por simpatizantes e ele, pessoalmente, não tem amizade com empresários. “São milhões e milhões de pessoas que trabalham pela minha candidatura. São robôs do bem.”

Pacotão

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, fala à imprensa.

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, fala à imprensa. – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Segundo Bolsonaro, na relação do “pacotão de medidas” estão propostas que se referem à segurança jurídica para o campo. “Não pode o fazendeiro hoje ouvir uma notícia que a terra dele vai ser demarcada.” Ele disse que o setor produtivo precisa ter garantias quando houver demarcação de terras ou reintegração de posse de terras.

Também examina a possibilidade de tipificar como “terrorismo” eventuais ocupações do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). “Nós vivemos em paz e harmonia. Invasão de terra não pode continuar acontecendo no Brasil.”

O candidato reiterou os nomes que devem compor seu futuro ministério: o general Augusto Heleno para Defesa, o deputado federal Onix Lorenzoni (DEM-RS) para Casa Civil, o astronauta Marcos Pontes para Ciência e Tecnologia, e Paulo Guedes para Economia. Ele confirmou que pretende unir os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente.

Segurança

O candidato negou que pretenda atenuar punições para militares que matam em serviço. Mas confirmou que vai se empenhar para mudar a legislação atual, de acordo com as circunstâncias específicas. Ele disse que hoje há uma guerra devido à violência e que é impossível negar essa avaliação.

“Estamos em guerra, ninguém nega isso, e se estamos em guerra devemos nos comportar como soldados em combate. O militar entrando em operação, o lado do inimigo, aqueles que portam arma de guerra, caso venham a ser abatidos, o nosso soldado deve ser condecorado e não processado”, disse. “Não quero dar carta branca para as Forças Armadas nem de segurança de matar”

Bolsonaro confirmou que pretende buscar amparo jurídico para colocar as Forças Armadas no patrulhamento de rotina nas cidades. Segundo ele, a negociação deverá ser feita entre o Ministério da Defesa e o governador do estado onde está localizada a cidade que precisa de segurança federal.

Assessoria Câmara Municipal de Macaíba

A Câmara Municipal de Macaíba, realizou uma sessão solene de ortoga o título de cidadão macaibense. O evento foi realizado na tarde de sexta-feira, 19/10, no CEPS Anita Garibaldi, sessão esta que foi presidida pelo vereador, Gerson Lima, que teve as presenças do Prefeito Fernando Cunha, vice-prefeito Auri Simplício e os vereadores, Antônio França, Netinho França, João de Damião e Igor Targino e as vereadoras, Rita de Cássia, Socorro Nogueira, Edma Maia, Dadaia Ribeiro e Ana Catarina.

Este título de cidadão foi uma proposição da vereadora Rita de Cássia, que homenageou pelos relevantes serviços prestados ao município, Ao Diretor Geral do ISD, (Instituto Santos Dumont), Sr.Reginaldo Antônio de Oliveira Freitas Júnior.

O médico e deputado estadual eleito Bernardo Amorim (Avante), passa a apoiar apoiar o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT) para governador.

Com 42.049 votos, Dr. Bernardo conquistou seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa e tem forte atuação política no Médio Oeste potiguar. A decisão foi anunciada nesta sexta-feira (19).

Foto: Francisco Costa

De acordo com o Portal Agora RN , o capitão da Polícia Militar Styvenson Valentin anunciou, em entrevista à Radio 95FM, que vai surpreender os pessimistas quando assumir o Senado da República a partir do próximo ano. Eleito com 745.827 votos, Styvenson disse que já voltou às suas atividades normais – a de capitão da Polícia Militar. Questionado sobre em quem vai votar para presidente e governador, ele manteve-se “neutro”, afirmando que seu voto é secreto.

Tido como arrogante para alguns, antipático para outros, Styvenson disse que a realidade não é bem assim, do contrário não teria sido eleito senador mais votado. Para ele, o que motivou sua eleição foi o desejo de mudança da população. Ele aproveitou a entrevista e agradeceu pela grande quantidade de votos e lembrou que durante a campanha – muitas vezes – teve as portas dos meios de comunicação fechados. “Tinha prefeito que não vinha me receber, mas eu não fui atrás deles. Estava fazendo minha campanha e a cidade não é do prefeito, é de quem mora nela”, disse o capitão senador.

Carta de Benes Leocádio

É com profundo respeito que me dirijo a vocês, eleitores e famílias que me deram o honroso voto de confiança e me fizeram deputado federal eleito.

Minhas convicções, sonhos e compromissos assumidos com o povo do Rio Grande do Norte estão intactos.

Fui eleito para legislar e representá-los na Câmara Federal, onde serei liderado de vocês e instrumento da vontade da maioria.

Peço que não façam julgamentos antecipados da nossa atuação nessa trincheira de luta para a qual me delegaram tão nobre missão.

Em Brasília, defenderemos propostas duras de combate à insegurança, entre elas a redução da maioridade penal. Algumas das nossas ideias estão alinhadas inclusive com o que pensa o futuro presidente da República, Jair Bolsonaro, em quem já declarei meu voto.

Lamento a exploração do nosso sofrimento associando a perda trágica do meu filho à qualquer decisão política tomada. É uma exposição acéfala, que reflete o triunfo da intolerância sobre o diálogo e a compreensão.

A decisão política do nosso grupo é estadual. E não vai interferir nos nossos propósitos de atuação no Congresso.

É importante ainda destacar que tanto o PT de Fátima Bezerra como o PDT de Carlos Eduardo posicionam-se nacionalmente contra a redução da maioridade penal. Olhando por este viés, como muitos estão analisando, seria Benes Leocádio forçado a cruzar os braços na eleição estadual?

Não! Eu sou homem de posições.

Quem me conhece sabe que faço política com correção, lealdade e respeito à decisão da maioria.

Sou parte de um grupo político que, democraticamente, decidiu apoiar Fátima para governadora do RN.

Não poderia agir diferente neste momento.

Mas não sou o dono da verdade.

Inclusive, me dirijo especialmente a todos vocês que estão demonstrando insatisfação: Estou escutando e refletindo, com serenidade, todas as opiniões, críticas e até ataques sofridos.

Acima de tudo, eu respeito quem pensa diferente de mim.

Reitero o pedido para que não façam julgamentos antecipados.

Fiquem com Deus.

Um abraço e muito obrigado !

Benes Leocádio

Resultado de imagem para fatima recebe apoio de ezequiel ferreira

O deputado estadual Ezequiel Ferreira (PSDB), mais votado com 58.221 votos, anunciou apoio ao projeto governadora Fátima Bezerra (PT) e do vice-governador Antenor Roberto (PCdoB), nesta sexta-feira (19), no Hotel Arituba, em Natal, em ato político acompanhado por deputados federais, deputados estaduais, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e lideranças políticas.

Participaram do ato de apoio a candidatura de Fátima Bezerra os deputados estaduais, Galeno Torquato, Raimundo Fernandes, Marcia Maia e Dison Lisboa. O deputado federal mais votado, Benes Leocadio e os deputados Estaduais eleitos Eudiane Macedo e Ubaldo Fernandes, o prefeito de Santana do Matos, Edivaldo Jr, o prefeito de Goianinha, Berg Lisboa, o vice-prefeito de Macau, Rodrigo Aladim, o ex-prefeito de Assú, Ivan Júnior, o presidente da Câmara Municipal de Natal, Raniere Barbosa, o presidente da Câmara Municipal de Ceará Mirim, Ronaldo Venâncio, o vereador em Mossoró João Gentil, o vereadores Ítalo e Rhalessa de Parnamirim, o vereador de Extremoz, Eduardo Motta e dezenas de lideranças e correligionários partidários da capital e do interior do Estado.

“O Rio Grande do Norte precisa unir as bandeiras. E bandeiras de todas as cores. Chega o momento de união de forças, definição e decisão. É preciso empenho das lideranças deste Estado. O projeto é o Rio Grande do Norte unido para superar as dificuldades que necessitam de soluções urgentes”, anunciou Ezequiel Ferreira, enfatizando que chega para arregaçar as mangas e assegurar a vitória de Fátima governadora do Estado.

A candidata Fátima Bezerra se mostrou fortalecida com a chegada dos novos apoios. Disse que do fundo do coração reconhecia o ato de apoio de Ezequiel, do conjunto de deputados e lideranças que estavam se juntando ao projeto governamental como o mais importante fato político deste 2º turno.

“Ezequiel este ato de coragem nos estimula nesta reta final. Digo com toda sinceridade: Estes apoios somam para a busca de soluções para o Estado. Vamos governar em harmonia, serenidade e enfrentando os problemas. O RN quer paz, emprego, tranquilidade, gestão e governabilidade, sem pensamentos menores e contribuindo para a reversão de nossas dificuldades”, externou Fátima Bezerra ao valorizar e reconhecer que a chegada deste novo grupo de aliados representa a ampliação de alianças, a capacidade de fazer mais pelo povo do Rio Grande do Norte e o fortalecimento político na bancada federal e estadual.

Eleito no próximo dia 28 de outubro, Fátima Bezerra terá dois senadores: Zenaíde Maia (eleita no dia 7) e Jean-Paul Prates (que deixará a condição de suplente); já tinha três deputados federais: Fernando Mineiro, Natália Bonavides e Rafael Motta e, passou a contar a partir de hoje com Benes Leocádio do PTC, que ainda assegurou o apoio dos recém-eleitos deputados estaduais do partido: Eudiane Macedo e Ubaldo Fernandes.

“Fizemos a opção para juntos construirmos a vitória. Existem sentimentos que afloram, principalmente, numa campanha como esta. Primeiro o respeito a quem votou e mim, depois a lealdade à liderança de Ezequiel Ferreira que reconheceu em mim o potencial para ser deputado federal e defender a bandeira da municipalidade em Brasília. E, por fim, saber ouvir o clamor da minha região que me concedeu mais de 18 mil votos e fez a opção por Fátima Bezerra governadora do Rio Grande do Norte”, disse Benes Leocádio.

Ao final do evento o grupo de aliados passou a definir ações e estratégias de campanha para os últimos dias do segundo turno. Parafraseando o ex-governador Cortez Pereira (1971-1975), Ezequiel Ferreira disse: “Os que se encantam com a beleza da árvore, muitas vezes se perde com o contexto da floresta. É isto que este ato representa. Temos que pensar no todo. Pensar grande. Pensar no Rio Grande do Norte”, disse Ezequiel.

O deputado federal Rogério Marinho esteve reunido com o prefeito Fernando Cunha na última segunda-feira (15) para agradecer pelo apoio do gestor em prol de sua candidatura no 1º turno das eleições 2018. Em reconhecimento ao esforço do grupo liderado pelo gestor municipal, Rogério anunciou o envio de mais emendas para Macaíba. Marinho é o deputado federal que mais enviou recurso para o município macaibense nos últimos anos.

Verbas essas que foram utilizadas em benefício da população, principalmente nos campos da infraestrutura, saúde e educação.  Neste sentido, se destaca a emenda de R$ 1,3 milhões para a construção da creche do Campo das Mangueiras, R$ 460 mil para pavimentação, R$ 740 mil para o calçamento da comunidade do Pé do Galo que já está começando, R$ 500 para a construção de um ginásio em Bela Vista, R$ 100 para o pórtico da cidade além de recursos destinados à área da saúde.

A soma de tudo chega a mais de R$ 5 milhões enviados para o desenvolvimento macaibense. Muito importante para toda Macaíba se os deputados eleitos pegarem o exemplo de Rogério e também enviarem as emendas parlamentares, não ficando apenas no campo dos discursos baseados puramente nas palavras prontas e acabadas.

O prefeito Dr. Fernando Cunha prestigiou no início da manhã desta sexta-feira (19) uma sessão solene em homenagem aos 60 anos de criação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, realizada nas dependências da Escola Agrícola de Jundiaí – EAJ, campus de extensão da referida universidade, em Macaíba.

A solenidade contou com a presença de autoridades acadêmicas como a reitora da UFRN, Drª. Ângela Paiva, o diretor da EAJ, Júlio César de Andrade, e o diretor do Instituto Santos Dumont, Dr. Reginaldo Freitas.

Na ocasião, também foram inaugurados novos espaços na EAJ, como o prédio novo da Direção e as novas instalações físicas do Curso de Informática. Acompanhando o gestor municipal de Macaíba, estiveram vários vereadores, dentre os quais, o presidente da Câmara Municipal, Gelson Lima.

 

Agência Brasil – Pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada hoje (18), indica que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 59% das intenções de votos válidos, e que o candidato Fernando Haddad (PT) tem 41%. Os dados excluem os votos nulos, brancos e indecisos.

Na comparação com a pesquisa realizada no dia 10, os candidatos oscilaram um ponto percentual dentro da margem de erro que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O ex-capitão do Exército tinha 58% das intenções declaradas e o ex-prefeito de São Paulo tinha 42%.

Considerando os votos totais (válidos, nulos, brancos e indecisos), Bolsonaro tem 50% das preferências e Haddad, 35%.

A proporção de entrevistados que declaram voto em branco ou nulo é de 10%, dois pontos percentuais acima do verificado anteriormente. Cinco por cento declararam não saber, um porcento acima do observado no levantamento da semana passada.

O presidente da Câmara Municipal Gerson Lima (PSB) declarou apoio a candidata  Fátima Bezerra (PT). O apoio foi fechado nesta última segunda-feira (15). Além de Gerson, o prefeito Fernando Cunha (PSD) e mais 8 vereadores declararam apoio a candidata.

Em Macaíba, Fátima Bezerra passou contar com apoio de 13 vereadores, sendo 11 da base governista e dois da oposição.

 

 

O PSDB no Rio Grande do Norte está dividido quando o assunto é a disputa pelo governo. O deputado Gustavo Carvalho fechou com Carlos Eduardo (PDT), já o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira, irá anunciar seu apoio a Fátima Bezerra (PT).

O partido apoiou no primeiro turno o governador Robinson Faria (PSD), mas nem toda bancada foi para o palanque de Robinson, alguns deputados como Tomba e Larissa Rosado já estavam com Carlos Eduardo.

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Agência Brasil – O Ministério Público Eleitoral (MPE) vai apurar a suspeita de que empresas privadas estejam fazendo doações ilegais para a campanha do candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL). Pelo menos dois pedidos de investigação já foram protocolados hoje (18) na Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE). A expectativa é que outras representações sejam apresentadas diretamente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com reportagem publicada hoje (18) pelo jornal Folha de S.Paulo, empresas que apoiam Jair Bolsonaro estariam pagando pelo serviço de disparo de mensagens pelo WhataApp a fim de favorecer o candidato Jair Bolsonaro. Procurado para comentar a denúncia publicada pelo jornal, o vice-procurador eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros informou, por meio da assessoria do MPE, que não concederá entrevistas pois o órgão não pode antecipar qualquer posicionamento sobre casos em análise. A atuação dos pedidos de investigação apresentados ao órgão será feita no âmbito das demais representações que forem encaminhadas ao TSE.

A reportagem diz ter apurado que alguns contratos podem chegar a R$ 12 milhões. A prática, conforme lembra o jornal, é ilegal, pois, se confirmada, trata-se de doação de campanha vedada por lei e, evidentemente, não declarada à Justiça Eleitoral.

Ainda segundo o jornal, as empresas de marketing digital se valem da utilização de números no exterior para enviar centenas de milhões de mensagens, burlando as restrições que o WhatsApp impõe a usuários brasileiros. As atividades envolvem o uso de cadastros vendidos de forma irregular. A legislação eleitoral só permite o uso de listas elaboradas voluntariamente pelas próprias campanhas. O financiamento empresarial de campanha também é proibido.

Bolsonaro defendeu-se da acusação por meio de sua conta no Twitter. “O PT não está sendo prejudicado por fake news, mas pela verdade. Roubaram o dinheiro da população, foram presos, afrontaram a justiça, desrespeitaram as famílias e mergulharam o país na violência e no caos. Os brasileiros sentiram tudo isso na pele, não tem mais como enganá-los!”, escreveu o candidato, alegando que o PT “desconhece e não aceita apoio voluntário”.

Representações

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), em representação na Procuradoria-Geral Eleitoral, classifica o resultado da apuração do jornal como uma “grave denúncia” envolvendo a “ocorrência de ao menos três atos ilícitos de gravidade avassaladora, uma vez que podem viciar a vontade do eleitor e, assim, fraudar o resultado da eleição”.

O PDT também anunciou que ingressará ainda esta semana com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral contra a candidatura de Bolsonaro. A decisão foi tomada no início da tarde de hoje, durante reunião do presidente nacional do partido, Carlos Lupi, com a assessoria jurídica e outros integrantes da sigla. Lupi, que declarou “apoio crítico” a Haddad no segundo turno, definiu a suspeita de que um dos candidatos esteja sendo favorecido pela suposta compra de pacotes de divulgação em massa de notícias falsas como crime de abuso do poder econômico.

Mais cedo, o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, defendeu que, diante da gravidade das suspeitas, o correto seria que a candidatura de Bolsonaro fosse impugnada e que o candidato Ciro Gomes (PDT), que terminou o primeiro turno em terceiro lugar, disputasse com ele o cargo. Ciro obteve 12,47% dos votos válidos, terminando atrás de Haddad.

*Colaboraram André Richter e Paulo Victor Chagas

G1 RN – O Ibope divulgou nesta quarta-feira (17) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição para o governo do Rio Grande do Norte. O levantamento foi realizado entre o domingo (14) e terça-feira (16) e tem margem de erro de 3 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

  • Fátima Bezerra (PT): 54%
  • Carlos Eduardo (PDT): 46%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Votos totais

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:

  • Fátima Bezerra (PT): 48%
  • Carlos Eduardo (PDT): 42%
  • Em branco/nulo: 8%
  • Não sabe: 2%

Nos votos totais, Fátima e Carlos Eduardo estão empatados no limite da margem de erro.

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 812 pessoas em 40 cidades
  • Quando a pesquisa foi feita: 14 a 16 de outubro
  • Registro TSE: BR-08202/2018
  • Registro no TRE/RN: RN‐07695/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: Inter TV Costa Branca
  • O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.