Polícia Civil deflagra “Operação Loki” e agentes entraram na Morada da Fé, em Macaíba

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Macaíba no Ar (@macaibanoar)

 

Macaíba amanheceu nesta terça-feira (31), ouvindo o helicóptero da secretaria estadual de Segurança Pública sobrevoando diversos bairros da zona urbana. Na Morada da Fé, os agentes buscavam suspeitos de integrar grupos de roubos e residência na Grande Natal. Ao final da manhã, a Polícia Civil emitiu nota sobre a operação que também aconteceu em Ielmo Marinho.

Nota na íntegra

Polícia Civil deflagra “Operação Loki” e prende suspeitos de integrarem grupo que roubava casas usando uniforme da polícia na Grande Natal

Policiais civis da 29ª Delegacia de Polícia de Ielmo Marinho (29ª DP) deflagraram nas primeiras horas desta terça-feira (31) a “Operação Loki”, que teve como objetivo prender suspeitos de integrarem um grupo especializado em roubos a comércios e residências. Os investigados utilizavam uniformes similares ao da polícia e se apresentavam como policiais nas ocasiões dos crimes. A ação aconteceu nos municípios de Macaíba e Ielmo Marinho/RN e resultou na prisão de três pessoas, no cumprimento de oito mandados de busca e apreensão, e na lavratura de um TCO por receptação.

De acordo com as investigações, o grupo é suspeito de praticar um “arrastão” no dia 28/07/2023 no sítio Alegria, na Zona Rural de Ielmo Marinho/RN. Os assaltos aconteceram durante a madrugada e foram realizados por quatro homens fortemente armados, com coletes e encapuzados, os quais se vestiam como policiais. Quando as vítimas abriam a porta, os falsos policiais entravam na casa e sob a ameaça de arma de fogo levavam todos os objetos de valor, os quais eram colocados em um veículo roubado. No decorrer da ação criminosa, os suspeitos agrediam as vítimas com socos e pisões.

A partir de diligências, foram identificados alguns suspeitos que estavam sendo investigados por arrastões anteriores na cidade de Macaíba. Com isso, a 29ª DP representou pela prisão preventiva e mandados de busca e apreensão.

O nome da “Operação Loki” se deve em razão desse ser, segundo a mitologia nórdica, o Deus da Trapaça que pode assumir a forma que quiser, assim como fizeram os assaltantes. A ação deflagrada contou com o apoio de cerca de 50 policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), das Delegacias da Diretoria de Polícia Civil da Grande Natal (DPGRAN), da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), do Núcleo Operacional com Cães (NOC) e do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER).

Informações da Polícia Civil

Administrador