Polícia Civil confirma que líder de facção é autor do assassinato do prefeito de São José do Campestre

Polícia Civil revela hoje autoria de assassinato de prefeito - Saulo Vale

Polícia Civil do Rio Grande do Norte anunciou a resolução do caso do homicídio do prefeito de São José do Campestre, Neném Borges, que foi morto a tiros em sua residência, no interior do estado, em 18 de abril. O delegado Wellington Guedes, da cidade de Campestre, esclareceu nesta terça-feira 26 um dos principais membros de uma organização criminosa foi identificado como o autor solitário do assassinato. No entanto, não foram fornecidas informações sobre a identidade ou imagem do acusado, que permanece em fuga até o momento.

Segundo o delegado, o indivíduo envolvido no assassinato de Neném Borges agiu “de maneira voluntária”. A Polícia Civil alega que a motivação para o crime está relacionada à postura do prefeito em relação às forças de segurança na cidade, onde Neném Borges teria supostamente encorajado a polícia a eliminar o suspeito, que é natural de São José de Campestre e foi alvo de uma operação. Foi nesse contexto que se desenvolveu a animosidade pessoal do criminoso em relação a Neném Borges.

O delegado afirmou que, para confirmar a autoria do crime, uma perícia minuciosa foi conduzida na cena do assassinato, porém, não houve descoberta de impressões digitais ou imagens reveladoras do rosto do criminoso. O delegado explicou que o indivíduo agiu de maneira fria e cruel, além de ter se protegido completamente, usando luvas cirúrgicas, o que dificultou ainda mais o progresso da investigação.

Segundo o delegado, o indivíduo envolvido no assassinato de Neném Borges agiu “de maneira voluntária”. A Polícia Civil alega que a motivação para o crime está relacionada à postura do prefeito em relação às forças de segurança na cidade, onde Neném Borges teria supostamente encorajado a polícia a eliminar o suspeito, que é natural de São José de Campestre e foi alvo de uma operação. Foi nesse contexto que se desenvolveu a animosidade pessoal do criminoso em relação a Neném Borges.

O delegado afirmou que, para confirmar a autoria do crime, uma perícia minuciosa foi conduzida na cena do assassinato, porém, não houve descoberta de impressões digitais ou imagens reveladoras do rosto do criminoso. O delegado explicou que o indivíduo agiu de maneira fria e cruel, além de ter se protegido completamente, usando luvas cirúrgicas, o que dificultou ainda mais o progresso da investigação.

Agora RN

Administrador