Jovem encontrada morta é identificada e família aponta o autor do assassinato

ERY45745
Segundo o Jonral de Hoje, se as investigações confirmarem, trata-se de mais um homicídio por motivo passional. A jovem encontrada morta a tiros, na madrugada desta segunda-feira, em uma estrada carroçável na Comunidade Gramorezinho, próximo a BR 101 / Norte, em Extremoz, na Grande Natal, é da dona de casa Luana Vanessa de Andrade, 24 anos. A identificação só foi possível, após a realização de exame das digitais, no ITEP.
Segundo a tia da vítima, identificada como Márcia Andrade, o autor do crime teria sido o vizinho da sua sobrinha (não divulgaremos o nome até a confirmação da polícia), morador no conjunto Parque dos Coqueiros, na zona Norte de Natal. Já a motivação do assassinato, afirma Márcia, foi devido a uma crise de ciúme por parte da mulher do acusado, durante uma ‘brincadeira’ na rua, nesse domingo, onde todos bebiam e dançavam. “Apesar de ser gordinha, Luana adorava dançar e fazia aquelas poses bem sensuais. Isso deve ter despertado ciúme na mulher dele”, observou.
Ainda de acordo com a tia da vítima, o acusado e a mulher planejaram o crime. Hoje, eles estão sendo procurados pela polícia, mas ninguém sabe o paradeiro do casal. “Eles inventaram que iriam para uma festa e convidaram Luana para ir junto. Os vizinhos viram quando todos saíram no carro. Só que Luana não voltou. Ela foi jogada igual a bicho morto em um terreno. Queremos que eles paguem caro por isso”.
A polícia só localizou o corpo da vítima, depois que populares acionaram o 190. Agentes da Delegacia de Plantão da zona Norte fizeram os primeiros procedimentos, mas o caso será investigado pela Delegacia de Extremoz.
O titular da Delegacia de Homicídios de Natal, Fábio Rogério, explicou ao Portal JH que esse caso será investigado pela equipe do delegado Olegário, já que o local onde o corpo foi encontrado pertence à jurisdição de Extremoz.
Um dado interessante é que, em menos de 72 horas, é a segunda mulher que aparece morta em estrada carroçável, na Grande Natal, ambas com 24 anos e teriam sido assassinadas por vizinho.
Qualquer denúncia pode ser feita à polícia, através do disque 181 ou 190. Não é preciso se identificar. Sigilo absoluto.

Administrador