Arquivo diário: quinta-feira, junho 17, 2021

Presidente Jair Bolsonaro discursa após cerimônia de posse do Ministro de Estado da Cidadania, Joao Roma, e do Ministro de Estado Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onix Lorenzoni e sanção da Lei da Autonomia do Banco Central

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

No próximo dia 24, o presidente Jair Bolsonaro cumprirá agenda no Rio Grande do Norte. As cidades no qual o presidente irá ainda não foram divulgadas, mas serão onde o governo federal tem obras em andamento a exemplo da barragem de Oiticica.

Nesta quinta-feira (17/06), o prefeito Emídio Jr. anunciou o pagamento antecipado de 40% do 13º salário para os servidores, pensionistas e aposentados do município. Com esta medida, a gestão municipal de Macaíba é umas das primeiras no Estado do Rio Grande do Norte a iniciar a quitação desse provento ao funcionalismo.

Esta será a primeira vez neste século que uma gestão da Prefeitura Municipal de Macaíba irá quitar a parcela de 40% do 13º salário dos servidores municipais ativos e inativos no primeiro semestre. O pagamento está previsto para a próxima terça-feira (22/06), injetando um montante de aproximadamente R$ 2 milhões na economia local. Essa quitação parcial do 13º não altera o calendário habitual de pagamento da folha mensal, que permanece prevista para ser quitada nos três últimos dias úteis do mês.

A medida foi consolidada após a realização de uma enquete lançada pelo perfil no Instagram da Prefeitura de Macaíba para que os servidores municipais pudessem externar sua opinião em relação à antecipação desse percentual de 40% agora no mês de junho e a segunda parcela no mês de dezembro. De acordo com a consulta, 70% das pessoas optou por receber 40% do valor agora em junho e a outra parcela em dezembro.

“A decisão e a possibilidade de antecipação de 40% do 13º salário em nossa cidade é resultado de uma gestão democrática, séria, comprometida com as contas públicas, que zela o erário público e preza pelo respeito com o funcionalismo municipal, que nos ajuda todos os dias a governar”, destacou o prefeito.

“Isso também mostra que estamos no rumo certo ao ouvir o povo antes de tomarmos decisões importantes como esta. Em breve, vamos realizar novas enquetes nos perfis da Prefeitura nas redes sociais para que a população em geral nos envie suas sugestões para melhorar Macaíba, fazendo uma gestão cada vez mais participativa. Estamos enfrentando uma crise sanitária e econômica sem precedentes, mas com muito trabalho e dedicação, estamos mantendo o equilíbrio fiscal, o cronograma de obras que planejamos e o devido funcionamento dos serviços prestados pelo município à população.”, complementou Emídio Jr.

Helicóptero sobrevoa área onde foi ouvido tiros, em Cocalzinho de Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Um tiroteio foi registrado, na tarde desta quinta-feira (17), na região onde acontece as buscas por Lázaro Barbosa, suspeito de matar uma família em Ceilândia. Por volta das 17h10 começou uma intensa movimentação de policiais por terra e também de helicópteros da força-tarefa. Moradores de Cocalzinho de Goiás relataram ter ouvido mais de 50 disparos.

Um morador mandou uma mensagem para a noiva contando sobre ‘muito tiro’ na região.

A polícia informou à TV Anhanguera que a troca de tiros aconteceu no Residencial Itamar 3. Conforme a corporação, foi formado um cerco na região para tentar capturar o suspeito.

O secretário de segurança pública, Rodney Miranda, acompanha a operação e deixou a base de apoio assim que chegaram os relatos de tiroteio. Até as 18h30 não havia informação se o suspeito foi capturado.

Mais de 200 policiais estão no 9ª dia de buscas pelo suspeito. A SSP anunciou nesta manhã que homens da Força Nacional vão reforçar a operação.

G1 Goiás

São Paulo - Posto drive-thru para vacinação contra a COVID-19 montado no Memorial da América Latina.

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A Câmara dos Deputados concluiu, hoje (17), a votação do Projeto de Lei (PL) 1011/20, estabelecendo prioridade de grupos no plano de vacinação contra a covid-19. O texto-base, aprovado em março, estabelecia prioridade para 16 grupos, mas na votação desta quinta-feira (17) foram incluídos os bancários, as empregadas domésticas e os motoristas de aplicativos. A proposta segue agora para análise do Senado.

O texto original, do deputado Vicentinho Júnior (PL-TO) e outros, incluía nos grupos prioritários os caminhoneiros autônomos e profissionais do transporte de cargas e mercadorias, mas foi alterado pela relatora deputada Celina Leão (PP-DF) para abranger mais categorias.

O projeto aprovado tem como grupos prioritários para vacinação contra a covid-19 os profissionais de saúde; os idosos; as pessoas com deficiência e com doenças crônicas e as que tiveram embolia pulmonar; os povos indígenas; os caminhoneiros e demais motoristas de transporte rodoviário de cargas; os trabalhadores de transporte coletivo rodoviário e metroviário; os trabalhadores de transporte aquaviário de cargas e passageiros; os agentes de segurança pública e privada; os trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social e das entidades e organizações de assistência social, bem como dos conselheiros tutelares; os trabalhadores da educação do Ensino Básico; os coveiros e agentes funerários; os taxistas e os mototaxistas; os profissionais que trabalham em farmácias; os profissionais de limpeza pública e os oficiais de justiça.

Foto: Raphael Oliveira

O prefeito Emídio Jr tomou posse como presidente da Junta do Serviço Militar de Macaíba, na manhã desta quinta-feira (17), na sede do Posto de Recrutamento e Mobilização de Natal, na Ribeira. O Termo de Posse também foi assinado pelo 1º tenente e chefe do Posto, Aldomarius Granges e Dantas. O procedimento é realizado sempre após um novo administrador tomar posse na Prefeitura.

O Chefe do Executivo Municipal fez o juramento à bandeira e destacou a parceria com o Exército no município. ”Estamos aqui à disposição dos senhores. É o nosso dever enquanto cidadão e gestor da nossa querida Macaíba aprimorar os serviços do Exército Brasileiro”, declarou o prefeito. Macaíba é um dos poucos municípios do Rio Grande do Norte que é tributário, ou seja, os jovens que pretendem seguir na carreira militar e se alistam no serviço podem ser convocados.

 

 

Levantamento nacional realizado pelo Paraná Pesquisa confirma a liderança do presidente Jair Bolsonaro lidera em todos os cenários na disputa pela presidência da República, caso a eleição fosse realizada agora.

Bolsonaro é seguido de muito perto pelo ex-presidente Lula (PT), em situação de empate técnico, mas a principal novidade é o surgimento, com força, do nome de José Luiz Datena, apresentador de rádio e TV do Grupo Bandeirantes,, firmando-se em terceiro lugar. A pesquisa foi encomendada pelo PSL.

Este é o primeiro levantamento com lista “enxuta” de pré-candidatos, tendo sido excluídos os nomes do apresentador de TV Luciano Huck, do ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro e do fundador do partido Novo, João Amoêdo.

Diário do Poder

Foto: Arthur Barbalho/Lais/UFRN

Em entrevista ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, nesta quinta-feira(17), o professor Ricardo Valentim, que coordena o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), disse que o Rio Grande do Norte pode ser um dos primeiros estados a declarar fim da pandemia, ‘mas ainda não é hora de relaxar’.

Valentim assim disse:

“Pelo que estamos vendo de dados, o Rio Grande do Norte tem tudo para ser um dos primeiros estados do Brasil a declarar que está saindo dessa pandemia. Eu acredito que a gente vai ter um ano de 2022 muito promissor, mas precisamos fazer o dever de casa”.

A declaração do coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) ressalta que, apesar do otimismo, o estado ainda vive um momento crítico e que “ainda não é hora de relaxar” as medidas de prevenção.

Sobra a expectativa, Valentim pontua:

“Essa redução que a gente está observando no número de novos casos tem relação primeiro com a imunização. Nós temos mais de 800 mil pessoas que tomaram pelo menos uma dose e mais de 400 mil que tomaram as duas doses – e quanto mais a gente vai se imunizando, maior vai ser o impacto na rede assistencial. Deve entrar em conta também a população que foi contaminada e se recuperou da doença”, considera.

Ainda na entrevista, o professor apontou que a proporção de idosos internados com Covid-19 caiu de 75% no meio de 2020 e está abaixo de 30%. Junto com os trabalhadores da saúde, esse público foi o primeiro a ser imunizado no estado. A mesma tendência deverá se estender ao restante da população com o avanço da vacinação, que já vem apresentando resultados no público geral, de acordo com ele.

“Tivemos em maio mais de 30 mil novos casos, porém, o número de internações começa a cair no final do mês. Há uma redução do número de novos casos, transmissibilidade e adoecimento e também analisamos redução nos pedidos de internação. Por mais de 16 dias esses pedidos vêm reduzindo”, ponderou.

Depois do pico em abril e uma queda em maio, a última semana registrou alta nos casos e nos óbitos por covid-19 no Brasil. Os dados do Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), registraram, nessa quarta-feira (16), uma média móvel de sete dias para os óbitos pela doença de 2.025,43 pessoas. Desde 11 de maio, essa média estava abaixo de 2 mil.

O pico da segunda onda ocorreu entre 1º e 14 de abril, quando a média móvel registrou sete vezes números acima de 3 mil mortes. As maiores médias ocorreram nos dias 1º de abril, com 3.117,43 óbitos, e em 12 de abril: com 3.123,57. Uma queda acentuada foi verificada até o dia 6 de junho, quando a média móvel de óbitos ficou em 1.639 e desde então voltou a subir.

No ano passado, a média móvel de mortes por covid-19 ficou por volta de mil por dia entre 25 de maio e 25 de agosto. A redução ocorreu até novembro, quando, no dia 11, houve um mínimo de 323,86 óbitos na média móvel de sete dias.

Até o dia 9 de janeiro o aumento foi gradual, chegando ao patamar de mil mortes por dia até 21 de fevereiro, quando a curva passou por um aumento acentuado até o pico do início de abril.

No estado de São Paulo, a média móvel de óbitos ficou acima de 700 entre 3 e 21 de abril, com queda acentuada até 15 de maio, quando houve 478 mortes. Entre 4 e 10 de junho, a média ficou abaixo de 500 óbitos e ontem foram 563,57.

O Rio de Janeiro teve média acima de 200 mortes por dia entre 1º de abril de 25 de maio, chegou a um mínimo de 136,57 no dia 7 de junho e voltou a subir, atingindo 210,71 no dia 14. Ontem foram 197,43 óbitos na média móvel. No Distrito Federal, o pico de óbitos ocorreu no dia 4 de abril – 75,86 – e se mantém estável por volta de 20 mortes diárias desde o dia 22 de maio.

Casos

A curva de casos de covid-19 do monitoramento da Fiocruz aponta para uma média móvel acima de 60 mil por dia desde 6 de março, ficando acima de 70 mil entre 12 de março e 14 de abril, com poucos dias abaixo disso nesse período.

A queda nos registros ocorreu até o dia 25 de abril, com o mínimo de 56.816,57, passando por uma subida gradual até 26 de maio, nova queda até 9 de junho e, nos últimos dois dias, a média móvel voltou a passar de 70 mil casos, com 72.244,43 registrados ontem (16).

Na primeira onda da covid-19 no Brasil, o registro de casos ficou acima de 30 mil entre 20 de junho e 21 de setembro, com pico acima de 40 mil entre 24 de julho e 19 de agosto. A queda nos registros ocorreu até 6 de novembro com o mínimo de 16.727.

São Paulo registrou um pulo na curva, passando de 9.688,14 casos em 9 de junho para 18.217 ontem. No Rio de Janeiro, após o pico de 5.578,57 casos em 8 de maio, o estado teve queda até o dia 28 de maio e se mantém estável desde então entre 2.600 e 3.600 casos na média móvel de sete dias. O Distrito Federal mantém a média móvel por volta de 900 casos diários desde o dia 5 de maio.

O mapa da Fiocruz de tendência da doença no Brasil aponta crescimento de casos em Rondônia, Roraima, Amapá, Rio Grande do Norte, Goiás e São Paulo. Os demais estados estão com tendência de manutenção. Para óbitos, Paraná e Rondônia têm tendência de alta, os demais mantêm estáveis os níveis de óbitos.