Arquivo diário: terça-feira, junho 8, 2021

 

Foto: Edeilson Morais

A Prefeitura de Macaíba começou a vacinação dos profissionais da educação do município, nesta terça-feira (8), no Centro Municipal de Ensino Infantil Eunice Eugênia, no conjunto Monte Líbano. Inicialmente estão sendo aplicadas 500 doses da vacina Oxford. O prefeito Emídio Jr acompanhou de perto o início da vacinação e conversou com os profissionais sobre o momento de muita importância para a cidade e a vida de cada um deles.

“Do porteiro ao ASG, os professores, todos serão vacinados. É com muita satisfação e alegria que podemos estar hoje presenciando essa vacinação e que, se Deus quiser, todos os profissionais de Educação serão imunizados. A partir do momento que chegarem as vacinas aqui, imediatamente, vamos correr para que todos sejam vacinados o quanto antes”, declarou o prefeito Emídio Jr.
O primeiro público da campanha é composto por trabalhadores das creches e pré-escolas. A vacinação para este grupo segue nesta quarta (9) e na próxima quinta (10). A documentação necessária para receber a vacina é composta por cartão de vacina, cópia do RG, CPF e comprovação de vínculo com a escola.

Assecom-PMM

Um levantamento feito pelo G1 aponta que até esta terça-feira (8) pelo menos 44 agentes de segurança pública do Rio Grande do Norte se recusaram a tomar vacinas contra a Covid-19.

Os números não incluem as forças de segurança federais e municipais (Políci Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Penal Federal e Guardas Municipais).

Entre os órgãos estaduais de segurança e administração penitenciária, apenas o Corpo de Bombeiros não teve nenhum caso de recusa à vacina, segundo o levantamento.

Já na Polícia Civil, pelo menos 22 servidores se recusaram a tomar a primeira dose do imunizante. Confira os números:

  • Polícia Civil: 22
  • Polícia Penal: 19
  • Itep: 2
  • Polícia Militar: 1
  • Bombeiros: 0

 

G1 também solicitou dados sobre a vacinação de agentes federais e municipais à Polícia Militar, responsável pela imunização desses grupos, mas não recebeu retorno até a publicação desta matéria. A Polícia Rodoviária Federal disse que nenhum membro da corporação se recusou a tomar a vacina.

De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública, mais de 4,1 mil agentes de segurança pública do estado foram vacinados até a última remessa de vacina recebida para este público. O número representa 38,31% dos efetivos totais da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep).

“Distribuídas de forma proporcional ao tamanho dos efetivos de cada instituição, os cinco lotes recebidos pelo estado resultaram na aplicação de 3.166 vacinas para a Polícia Militar, 501 para a Polícia Civil, 238 para o Corpo de Bombeiros e 201 para o ITEP”, informou a pasta.

Somadas as doses para as instituições federais e municipais que também atuam no Rio Grande do Norte, mais de 7 mil servidores de segurança receberam a vacina ao fim da remessa, segundo a Sesed.

A Polícia Penal é ligada à Secretaria de Administração Penitenciária. Segundo a pasta, foram vacinados através do Plano Nacional de Imunização (PNI) e das doses disponibilizadas pelos municípios, 706 policiais penais, o que representa 52% do efetivo. A pasta tem 1.358 servidores ativos.

G1 RN

Na tarde desta terça-feira (08), o prefeito Emídio Júnior viajou para Brasília para participar de reuniões com a bancada federal e buscar novos investimentos para Macaíba. Emídio Jr. foi juntamente com o secretário de Planejamento Sócrates Vieira.

Em menos de seis meses de gestão, Macaíba conta com a destinação de diversas emendas parlamentares, seja de deputados federais quanto de estaduais, fruto do diálogo do prefeito e parcerias que irão fazer a cidade avançar no desenvolvimento.

Sobre a agenda em Brasília, o prefeito disse  “Vamos voltar de lá com boas notícias para nossa cidade. Que Deus abençoe Macaíba! Estamos trabalhando para construir dias melhores para o nosso povo!”.

A deputada Flordelis, que teve a perda do mandato aprovada nesta terça (8) pela Comissão de Ética da Câmara — Foto: Reprodução/TV Globo

Foto: Reprodução/TV Globo

O Conselho de Ética da Câmara decidiu nesta terça-feira (8), por 16 votos a 1, cassar o mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ), acusada de ser mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

Os deputados aprovaram o relatório do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), apresentado na última semana.

O único deputado que votou a favor da Flordelis foi Márcio Labre (PSL-RJ).

O plenário da Casa ainda precisa dar a palavra final na decisão. Para que Flordelis perca o mandato são necessários 257 votos, isto é, a anuência da maioria absoluta dos deputados.

Ainda não há data para a votação e Flordelis poderá recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.

G1

A Governadora Fátima Bezerra confirmou através das redes sociais a prorrogação do decreto que valeria até amanhã. Com a publicação do Decreto na edição de quarta-feira (9) do Diário Oficial, as atuais medidas sanitárias prorrogadas até 23 de junho.

Seguirão valendo, por exemplo, o toque de recolher das 22h às 5h, a autorização de venda de bebidas alcóolicas em bares e restaurantes, funcionamento de templos religiosos com até 30% da capacidade, ou 50% se utilizadas áreas abertas mediante autorização prévia. As regras passarão a valer para todos os municípios, exceto aqueles que estão incluídos nos decretos regionais.

“O quadro epidemiológico atual do Rio Grande do Norte não nos permite pensar em maiores alterações nesse momento. Portanto, iremos prorrogar a vigência do decreto atual por mais 2 semanas, até o dia 23/06, para posterior avaliação”, escreveu a governadora em seu perfil no Twitter.

A decisão judicial que impede a redução na faixa etária da população de Natal que será imunizada contra a covid-19 não deverá ser revista em comum acordo entre a Prefeitura, Ministérios Públicos estadual, federal e do trabalho, e Defensoria Pública do Rio Grande do Norte. Após justificativa do Executivo sobre os motivos pelos quais Natal tem uma das vacinações mais atrasadas com relação à faixa etária do país, os órgãos reforçaram a necessidade de seguir as prioridades determinadas pelo Ministério da Saúde.

Em nota, os MPs e a Defensoria reforçaram que ficou acordado a continuidade da vacinação até o grupo 17 “Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade e População Privada de Liberdade”, seguindo os grupos prioritárias definidos no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação. Simultaneamente, ocorre a vacinação dos trabalhadores da educação dos ensinos básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes, EJA) e superior, que são os grupos 18 e 19 do PNO.

No acordo, segundo os MPs e a Defensoria, ficou definido que o início da vacinação por faixa etária ocorrerá somente após a conclusão dos grupos de 14 a 19, que são: pessoas com comorbidades e gestantes e puérperas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente, pessoas em situação de rua, funcionários do Sistema de Privação de Liberdade e população privada de liberdade; e trabalhadores da educação e trabalhadores da educação dos ensinos básico e superior.

Em decorrência da orientação, a Comissão Intergestores Bipartite/RN (Estado e Municípios), em reunião realizada em 31 de maio, deliberou que os Municípios deverão concluir os grupos prioritários do PNO já iniciados até o momento e, em paralelo, iniciar a vacinação do grupo prioritário dos trabalhadores da educação, bem como que poderão iniciar a vacinação decrescente por faixa etária das pessoas pertencentes aos demais grupos prioritários em paralelo aos grupos inseridos até agora no PNO. Contudo, Natal, no momento, está vacinando o 14º grupo prioritário (pessoas com comorbidades a partir de 18 anos, pessoas com deficiência permanente com BPC e gestantes e puérperas com comorbidades) e 15º grupo prioritário (pessoas com deficiência permanente acima de 18 anos sem BPC), além de ter iniciado paralelamente a vacinação do 18º grupo prioritário (trabalhadores da educação do ensino básico), “restando pendentes de início os grupos das pessoas em situação de rua (16º) e dos funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade (17º)”.

Com informações da Tribuna do Norte

Fonte: Portal Grande Ponto

 

Foto: Divulgação/PMRN

O Rio Grande do Norte — mais os estados do Ceará, Pernambuco e Maranhão — foram selecionados para o repasse de recursos do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ao todo, foram desbloqueados R$ 103.027.454,00 para aplicação imediata em políticas públicas na área de segurança nos quatro estados.

Ao RN estão destinados R$ 26.360,953,00. O Ceará deve receber R$ 24.601,542,00; Pernambuco, R$ 32.854,915,00; e Maranhão, R$ 29.210,044,00.

Os valores são oriundos do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), e são referentes aos eixos de Enfrentamento à Criminalidade Violenta e Valorização dos Profissionais de Segurança Pública.

“Esses recursos são de fundamental importância para modernizar as corporações e capacitar os agentes”, destaca o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

O repasse do recurso é efetivado a partir de critérios que deverão ser cumpridos pelos estados e pelo Distrito Federal, como por exemplo, ter dados integrados ao Sinesp, plano de carreira de servidores, possuir Fundo e Conselho estaduais instituídos e em funcionamento, além de garantir que somente até 3% do efetivo atue fora de suas respectivas corporações.

Os desbloqueios aconteceram após análise e aprovação dos Planos de Aplicação entregues pelos entes federados.

Neste ano, o MJSP está trabalhando em conjunto com os secretários de Segurança Pública na atualização dos eixos de financiamento e critérios de rateio dos recursos do FNSP. Todas as ações fazem parte das estratégias de fortalecimento do Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

“Estamos diante, mais uma vez, de recursos de suma importância para que o Governo do Rio Grande do Norte, na gestão da professora Fátima Bezerra, continue a realizar investimentos e desenvolver ações que valorizam os profissionais das forças de segurança pública e que, certamente, vêm proporcionando resultados positivos no combate à criminalidade e redução da violência”, destacou o secretário da Segurança Pública e da Defesa Social do RN, coronel Francisco Araújo Silva.

A baixa procura pela vacina contra a influenza tem sido motivo de preocupação para os gestores da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Em sua terceira etapa de execução, apenas 20% das pessoas do público-alvo compareceram aos postos. As salas de vacinação em todo o Rio Grande do Norte estão aplicando a vacina desde o dia 12 de abril e seguirão até 09 de julho.

A Enfermeira Katiucia Roseli, que está coordenando a Campanha de Influenza, reforça que as doses continuam disponíveis para todos os que são dos grupos prioritários. “Toda a população que não se vacinou na primeira e na segunda fase pode procurar as unidades básicas de saúde para receber a dose”.

Ela explica que, assim como a vacinação contra a covid 19, a campanha para a influenza tem importante papel da saúde coletiva. “Pedimos para que a população se conscientize de que a influenza também gera internação, também causa o óbito e somente a vacina proporciona a segurança necessária”.

A meta é vacinar mais de 1,3 milhão de potiguares, entre crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde, idosos com 60 anos e mais e professores. Também pertencem ao público-alvo pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação e liberdade e população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Com a baixa procura pela população, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) alerta os potiguares a buscarem uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do seu município para tomarem o imunizante contra a gripe.

Intervalo entre vacinas

Como a campanha de vacinação contra influenza coincide com a realização da vacinação contra a Covid-19, é importante que seja priorizada a aplicação do imunizante contra a Covid.  Vale salientar que, as pessoas contempladas nos grupos prioritários para a vacinação contra influenza e ainda não foram vacinadas contra a Covid-19, ao buscarem uma UBS, deverão, preferencialmente, tomar a vacina contra a Covid e agendar a administração da vacina contra a influenza, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas.