UFRN e parceiros discutem implantação do Parque Tecnológico em Macaíba

Representantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) se reuniram na tarde desta sexta-feira, 19, com integrantes de instituições de ensino, gestores municipais e estaduais, além de representações da indústria e do mercado, para discutir o protocolo de intenções do Parque Científico e Tecnológico do Rio Grande do Norte. O encontro aconteceu na Sala dos Colegiados Superiores, localizada na Reitoria, onde foi tratado sobre serviços de engenharia, acordo de cooperação e modelo de governança.

O reitor da UFRN, José Daniel Diniz Melo, iniciou a reunião explicando que o objetivo do encontro era de apresentar como o projeto está atualmente, para encaminhar e decidir a participação dos órgãos presentes na ocasião. O gestor esclareceu ainda que o Instituto Santos Dumont (ISD) oficializou a devolução de um dos prédios do Campus do Cérebro de Macaíba, onde ficará localizado o Parque Tecnológico.

Em seguida, a assessora da UFRN, Ângela Paiva, pontuou sobre as principais oportunidades do Parque, citando o potencial tecnológico de inovação, a competência energética do estado, o amplo espaço físico para estrutura, a contribuição para o desenvolvimento humano, a ampliação das atividades econômicas, entre outros pontos positivos.

Estiveram presentes representações do Governo do Estado do RN; Prefeituras do Natal, de Macaíba e de Parnamirim; Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN); Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN); Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa); Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern); Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai); Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER); ISD; entre outras.

Parque
Previsto para ser instalado em uma infraestrutura da UFRN, em Macaíba, o Parque terá inicialmente vocação em energia, tecnologia da informação e reabilitação em saúde, com ofertas de espaços para as entidades apoiadoras, que incluirão uma incubadora multissetorial de empresas, uma aceleradora gerenciada pelo ISD, a Agência de Inovação (AGIR-UFRN) e um espaço do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS-UFRN). As cooperações em áreas complementares serão associadas ao Parque como células de inovação descentralizadas, de acordo com as vocações econômicas e tecnológicas.

Administrador