Política Arquivo

Para dialogar e interagir com o macaibense, nesta quarta-feira (15), o delegado Normando Feitosa lançou mais dois canais de comunicação. São duas contas de WhatsApp. Uma destinada aos macaibenses da zona urbana e outra à população da zona rural. São redes sociais para levar informações dos mais variados setores, principalmente assuntos relacionados à área de segurança pública, e também ouvir o feedback das pessoas sobre temas do seu bairro, de sua comunidade.

Por saber e compreender da geografia do município que tem duas grandes áreas distintas e com contexto peculiares, foram abertas as duas contas. “Pensamos em Macaíba como um todo compreendendo sua singularidade. É um município grande e dividido em duas imensas áreas: urbana e rural. Isso difere Macaíba de muitas outras municipalidades da Grande Natal. Então, muitos assuntos (demandas) da zona rural são bem diferentes da urbana. Por isso, a ideia de manter meios de comunicação específicos, ou seja, um para cada região”, disse uma fonte.

O delegado Normando Feitosa criou uma gama de admiradores em Macaíba devido o grande trabalho prestado à segurança pública da cidade. Centenas deles, tanto da zona urbana como rural, mantêm diariamente contato com o delegado. Então, esses canais também foram elaborados pensando nesse público que quer falar e ser informado sobre segurança pública, um tema tão necessário atualmente, destacou a fonte.

A ideia é informar e manter o diálogo com todos. Agricultor, produtor rural, o pequeno comerciante do bairro, o empresário do centro da cidade, o professor, o médico e enfermeiro que vez por outra são vítimas de assaltantes, enfim, com o cidadão de bem de Macaíba. Vale ressaltar que além disso, o delegado Normando também está presente no Instagram e Facebook.

Leo Cabral/ Divulgação

A ex-senadora Marina Silva voltou a criticar o presidente Bolsonaro sobre o vídeo que o mesmo compartilhadou através do whatsap, onde o conteúdo do vídeo convoca a população para protestar contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal.

No Facebook, a ex-senadora escreveu “A postura do Presidente é a mesma de quando foi deputado federal durante 28 anos: autoritária e sem nenhum cultivo para o exercício de funções públicas de cunho republicano.

Ver a apreensão de setores da sociedade, principalmente agentes do mercado, em relação a instalação de um cenário de incerteza sobre a melhoria da economia do país, em função da aposta constante do Presidente Bolsonaro e seus asseclas no esgarçamento das relações entre os poderes e no completo desapreço pela Constituição, é vergonhoso.

Uma coisa é o efeito do coronavírus, a outra é a aposta na tosquice política, que a toda hora tensiona o país rumo ao caos. Que o vírus não se torne a desculpa esfarrapada pelo insucesso econômico protagonizado pela política nonsense desse governo”

Reunião

Na última sexta-feira (21), informamos aqui um trecho de uma matéria onde afirmava que o grupo político que administra o Palácio Auta de Souza havia tido uma reunião tensa. A pauta da reunião ninguém sabia, porém era algo que iria desagradar alguns membros da base governista.

Rompimento

A reunião da semana passada discutiu a permanência ou não do vereador Netinho França na base governista. Diante da análise do cenário foi decidido pelo rompimento.

Exonerações

Nesta segunda-feira (24), o rompimento foi oficializado quando o Diário Oficial do município trouxe exonerações de pessoas ligadas ao vereador. Entre os exonerados consta Edvaldo Marinho, que ocupava o cargo de secretário de Desenvolvimento Econômico.

Falta de diálogo

Um dos motivos pelo rompimento foi a falta de diálogo entre o vereador e o governo. Segundo uma fonte do Palácio Auta de Souza, o edil vinha fazendo críticas a determinados assuntos na Câmara, porém não dialogava com o governo sobre esses assuntos.

Pronunciamento

Até este momento, o vereador Netinho França não se manifestou publicamente sobre o rompimento. Como o Legislativo encontra-se de recesso, talvez Netinho França espere  o fim do recesso para falar.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A situação do MDB da ex-prefeita Marília Dias não é nada boa, após o ex-vereador Aluízio Silvio pedi desfiliação da legenda, o próximo que pode fazer o mesmo é Edivaldo Emídio. Desde 2012, o partido presidido por Marília Dias vem perdendo diversas lideranças de seu quadro de filiados.

Em 2016, o partido disputou o Legislativo com apenas dois candidatos, um número muito abaixo para uma legenda que foi um dos partidos mais fortes de Macaíba.

 

 

O delegado Normando Feitosa continua filiado no Partido da República (PR), de acordo com o sistema do TSE. O PR é o partido pelo qual o vereador Emídio Júnior foi eleito. Como ambos têm o interesse de disputar o Palácio Auta de Souza, um deles vai ter que deixar a sigla.

No estado o PR é presidido pelo deputado João Maia, ao qual Emídio Júnior o apoiou. Diante da aproximação de ambos, dificilmente será o vereador que irá deixar o partido.

Segunda opção

Caso hoje saísse do PR, Normando Feitosa teria as portas abertas no PSC.

 

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

No início desta semana, o grupo político “Macaíba é nossa e sem medo de ser feliz” realizou sua primeira reunião. O grupo opositor é liderado pelo professor Hailton Mangabeira e conta com membros tanto da zona urbana quanto da zona rural da cidade. O grupo se organiza para disputar a próxima eleição municipal.

O grupo ainda não declarou por qual partido estará na disputa.

 

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up

Conhecida em Macaíba por ter atuado no grupo Anjos da Madrugada, Ceyça Lima nos relatou que seu trabalho voluntário continua, só que voltado para outra área. Questionada sobre a permanência no PRB, Ceyça afirmou que a sigla se encontra em transição devido a mudança na direção estadual.

Sobre o pleito de 2020, Ceyça disse que está aberta ao diálogo, pois ainda é cedo para definições.

 

Já circula nos bastidores da política macaibense que a bancada de oposição na Câmara está fragmentada. Visando a campanha de 2020, dois vereadores já demonstram que poderão seguir um caminho diferente do vereador Emídio Júnior quando o assunto é a disputa pela Prefeitura.

Quem era próximo de Emídio se distanciou e quem não era próximo, caso do edil Denilson, hoje  mantém uma parceria. A pergunta é, sendo considerado hoje o principal nome para disputar o Palácio Auta de Souza pela oposição, Emídio terá força política para contornar a fragmentação dentro da própria bancada?.

Nos últimos dias a ex-prefeita Marília tem intensificado sua agenda em Macaíba. Em uma das visitas, Marília se encontrou com o presidente da Câmara Gelson Lima, no bairro Alfredo Mesquita. Na ocasião, se conversou muito sobre política.

 

Através de sua página no facebook, a ex-senadora Marina Silva, porta -voz nacional da Rede Sustentabilidade, voltou a defender as dez medidas contra corrupção e o apoio à operação lava jato. Veja o que disse a ex-senadora.

A política, infelizmente, está tomada por pessoas que não buscam fazer o que é melhor e nem o que é legítimo para a coletividade, mas apenas aquilo que é melhor para se dar bem. Fazem o discurso ético de conveniência e relativizam valores em benefício próprio. É isso que tem prejudicado imensamente o país. Em 1988, quando fui eleita vereadora por Rio Branco, mesmo ano em que Chico Mendes foi assassinado, fui tomada de surpresa durante uma entrevista ao ser questionada pelo jornalista sobre o valor do meu salário na Câmara de Vereadores. Sendo novata, não tinha ideia do montante. Ao consultar o holerite, estranhei a lista volumosa de benefícios e perguntei ao próprio repórter se era aquilo mesmo ao entregar a ele uma cópia do documento para que ele pudesse verificar. As denúncias que surgiram daquela exposição foram mal recebidas pelos demais vereadores. Fui alvo de muitos ataques. Mas foi o início de uma campanha pública para devolução de verbas adicionais daquilo que considerava um abuso. Na época, fui acusada de ser demagoga, populista e oportunista, como alguns me acusam nesse momento ao defender as dez medidas de combate à corrupção e à impunidade ou quando defendo que réus não estejam na linha sucessória da Presidência da República. A todos digo que esta luta não é de agora, é parte da minha história. Como já falei muitas vezes, a política é serviço e isso não se trata apenas de um discurso. É um compromisso de vida.