Sindicato dos Médicos do RN emite nota criticando a interferência política no uso de medicamentos para o Covid-19

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte, entidade de representação sindical dos médicos do Estado tem acompanhado a grave crise de saúde pública que atinge o Brasil e o mundo. Estão sendo feitos esforços científicos para se chegar ao tratamento definitivo e a uma vacina, entretanto estes estudos randomizados não são de resultado imediato e demandam tempo imprevisível, certamente o vírus não vai aguardar estes resultados, ele avança e mata.

Os resultados da pesquisa científica devem ser seguidos por todos, porém na situação em que estamos deve prevalecer o bom senso, a praticidade, a experiência clínica e a observação. Agregado a isto temos presenciado intensa interferência política partidária e ideológica por setores radicais. Apesar disto o trabalho médico tem se dado com muita competência e qualidade. Os medicamentos off label, prescritos pelos médicos (as), reconhecidos há décadas a sua utilidade, tem sido usado em vários protocolos para profilaxia e tratamento precoce. Alertamos a população que a qualquer sintoma que sentir deve procurar o médico (a).

O médico (a) deve seguir rigorosamente o que dispõe o Princípio VIII do Código de Ética Médica: “O médico não pode, em nenhuma circunstância ou sob nenhum pretexto, renunciar a sua liberdade profissional, nem permitir quaisquer restrições ou imposições que possam prejudicar a eficiência e a correção de seu trabalho”.

É direito do médico (a) frente ao paciente que lhe procura, ter total autonomia para prescrever a medicação adequada para o diagnóstico que fará, dando conhecimento ao paciente ou seu representante legal e com o seu consentimento. Entendemos que toda a medicação que o médico (a) prescrever deverá estar à disposição tanto no setor público (SUS), quanto no privado. O Sinmed RN, em concordância com as posições expressadas pela Associação Médica e Conselho Regional de Medicina do RN, incita a todos os envolvidos que deixem os médicos (as) e demais profissionais da saúde trabalharem para salvar vidas, cumprindo suas missões.

Administrador