Polícia Civil do RN lança campanha de apoio e incentivo às vítimas de violência

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte lançou, nesta sexta-feira (15), a campanha “Você não está sozinha”, voltada às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. A ação é uma iniciativa das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAM’s) de Natal, Parnamirim, Mossoró e Caicó, e tem como objetivo conscientizar a sociedade a denunciar a violência contra a mulher, neste período de restrições impostas pela pandemia do novo Coronavírus, e mostrar às vítimas que existem canais que estão a sua disposição para denúncia e pedido de ajuda.

No Rio Grande do Norte, não foi constatado aumento significativo do número de registros nas delegacias, referentes à violência doméstica, durante o período de restrições para contenção do avanço do novo Coronavírus. No mês de janeiro de 2020, foram registrados no Estado 401 boletins de ocorrência; em fevereiro, foram 354 notificações. Já nos meses de março e abril, foram registrados 385 e 315 boletins de ocorrência, respectivamente.

No entanto, em 02 de abril, o Instituto Maria da Penha publicou uma nota alertando que, no que diz respeito à violência contra a mulher, já se tem notícia, seja no Brasil ou nos países mais atingidos pelo novo Coronavírus, de que há um aumento real dos casos registrados. No documento, foi ressaltado que, em muitos lugares, foi registrado um decréscimo do número de denúncias, mas isso não significa que os casos diminuíram. Pelo contrário, a presença constante do agressor agrava a situação de violência, pois o controle sobre a vítima é ainda maior.

Em razão disso, as policiais das DEAM´s, da Delegacia Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente (DCA), da Delegacia Especializada de Proteção ao Idoso (DEPI) e do Serviço de Atendimento à Mulher 24 horas, que também atendem meninas e mulheres, se uniram para transmitir uma mensagem de apoio e sororidade a todas as mulheres que estão enfrentando violência doméstica e familiar em seus lares. Nesse sentido, as policiais produziram um vídeo de dois minutos, no qual, de forma silenciosa e expondo cartazes, incentivam as mulheres e as informam dos números aos quais elas podem recorrer.

“Queremos mostrar um exemplo de sororidade. Nós, mulheres policiais, nos unimos para ajudar outras mulheres. Além do nosso dever de ofício, queremos passar a mensagem de que as vítimas não estão sozinhas. Nos demos as mãos, simbolicamente, e estamos transmitindo a todas as mulheres do Rio Grande do Norte que elas têm nosso apoio. E mais, queremos que as mulheres sejam incentivadas a ajudarem umas às outras”, explicou a delegada Ana Gadelha, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher da Zona Norte de Natal.

A delegada-geral, Ana Cláudia Saraiva, esclareceu que o objetivo da campanha não é “culpar” o isolamento social pelo aumento do número de violência no país. “O isolamento social é uma medida necessária e imprescindível no momento. A causa da violência contra a mulher continua sendo o machismo e a cultura patriarcal. Com as restrições impostas com a pandemia, o convívio aumentou, exacerbando situações já existentes”, declarou a delegada.

Para a delegada-geral, não está descartada uma subnotificação dos casos de violência doméstica no período de pandemia. “Não temos dados suficientes para afirmar uma subnotificação, mas entendemos que o momento exige proteção e um cuidado com essas mulheres que estão convivendo diariamente com seus agressores”, disse Ana Cláudia Saraiva.

Diante disso, e buscando ampliar o acesso da vítima aos serviços de atendimento à mulher prestados pela Polícia Civil, as hipóteses de registro na Delegacia Virtual existente no site da Polícia Civil (www.policiacivil.rn.gov.br) serão ampliadas para incluir ocorrências de violência doméstica. A previsão é de que o serviço seja implantado até o dia 22 de maio.

O vídeo da campanha está disponível nas redes sociais e canais oficiais da Polícia Civil: Instragram: @policiacivilrn; Facebook: policiacivildorn; Twitter: policiacivilRN; e no Youtube: PoliciaCivilRN.

Administrador