Governadores discutem na França criação de rota de gás natural no Nordeste

O uso de energias limpas foi destaque na missão internacional do Consórcio Nordeste, que continua em Paris, nesta segunda-feira (18). Com interesse na criação de ‘blue corridors’, uma rota de transporte de gás natural entre os nove estados nordestinos, os governadores estiveram com representantes da Golar Power, joint venture entre a norueguesa Golar e o fundo norte-americano Stonepeak.

Denominado ‘Rota Azul’, o projeto de integração no Nordeste inclui a instalação de postos de combustíveis capazes de fornecer gás natural liquefeito (GNL) para veículos de carga. Em outros países, a exemplo da China, Espanha e Alemanha, os caminhões e ônibus movidos a gás natural já são realidade. Quando concretizado, o projeto representará uma nova realidade ao transporte de cargas e de passageiros para a região.

Na ocasião, o secretário de Gestão de Projetos, Fernando Mineiro, integrante da comitiva do Rio Grande do Norte, destacou a situação do turismo entre os nove estados e como a atividade tende a crescer internamente com as medidas implementadas pelo Consórcio. “A região perdeu a capacidade de articular a atividade do turismo de uma forma interna. O Consórcio busca responder essa demanda e enfrentar essa lacuna, que é bastante clara quando a gente estuda os movimentos e os fluxos do turismo na região”, explicou.

O vice-presidente da Golar no Brasil, Marcelo Sacramento, disse que o plano de trabalho da empresa prevê inúmeras oportunidades de investimentos. “A disponibilidade do gás para carros e caminhões nas rodovias do Nordeste irá gerar uma nova dinâmica no transporte da região. Novas empresas irão se instalar e as já existentes vão ganhar competitividade”, ponderou.

O gás natural é considerado combustível de transição da economia de carbono, em razão das vantagens econômicas, geopolíticas e ambientais. Quando condensado, ele pode ser transportado em carretas ou navios gaseiros, permitindo atender localidades que não possuem gasodutos. Um dos benefícios do uso de GNL é a redução da emissão de poluentes.

“Muito importante esse conjunto de investimentos estruturadores na região Nordeste, sobretudo por se tratar de um combustível menos poluente”, comentou o governador de Pernambuco, Paulo Câmara. O Nordeste possui uma extensa malha de gasodutos cobrindo o litoral e a maior malha de rodovias do Brasil, além de complexos portuários com infraestrutura para atender a demanda interna e externa.

Ainda em Paris, nesta segunda (18), os governadores se reuniram com a Voltalia, grupo francês que investe em energias renováveis em 20 países, incluindo o Brasil. No Nordeste, a empresa possui atividades no Rio Grande Norte há mais de dez anos, onde possui 25 parques de energia eólica. Os estados nordestinos se destacam pela presença expressiva de fontes renováveis de energia. A fonte eólica já é responsável por 29% da matriz elétrica da região, enquanto a solar responde por 3%.

“Estivemos reunidos com representantes da Voltalia e mais uma vez falamos sobre a ampliação dos investimentos da empresa na região e discutimos parcerias. Esse foi um desdobramento do encontro que houve em março em Natal, quando foi anunciado o projeto de expansão no município de Serra do Mel contemplando mais R$ 1,5 bilhão em investimentos no Estado”, afirmou a governadora do RN, Fátima Bezerra.

Atualmente, o grupo dispõe de 16 parques instalados no Estado e outros 9 em construção, totalizando 25 unidades. Um dos que está em andamento é o EOL Ventos Serra do Mel que tem previsão de iniciar suas operações em outubro deste ano, mas com conclusão das obras em 2020. São 1014 pessoas empregadas na obra, sendo 47% de mão de obra local promovendo geração de emprego e renda.

Administrador