Estudo de viabilidade do Parque Tecnológico será apresentado ao MCTIC

A assessora especial para o Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo (PAX), Ângela Maria Paiva Cruz, o diretor da Agência de Inovação (AGIR), Daniel Pontes, junto ao professor Jesus Leodaly Salazar Aramayo, apresentaram na manhã desta quarta-feira, 04, ao reitor da UFRN, José Daniel Diniz Melo, o Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE) do PAX.

Durante a explanação, o professor Jesus Salazar pontuou, dentre outros aspectos, situações relativas aos investimentos e custos. Ele explicou que a análise da proposta leva em consideração o amadurecimento gradual do Parque como ecossistema de inovação, e o plano estratégico trabalha com três fases de expansão. “Temos uma projeção, até certo ponto conservadora, de que em dez anos o PAX apresente uma autonomia no que tange a sua viabilidade de funcionamento condizente com variáveis do Banco Mundial, por exemplo”, colocou o docente do Departamento de Engenharia de Produção. O projeto para implantação do Parque prevê espaços customizados para empresas incubadas, aceleradoras e associadas, o que leva em consideração os tamanhos delas. Ao todo, o espaço de 50 hectares prevê a oferta de 118 lotes dispostos em 11 quadras.

A exposição feita na sala de reuniões da Reitoria será objeto de reunião no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) na tarde desta quinta-feira, 5, em Brasília, na qual estarão presentes Sônia Costa, coordenadora-geral de Tecnologias e Programas de Desenvolvimento Sustentável e Sociais, e Cristiane Gonçalves Côrrea, chefe da Assessoria Especial de Assuntos Institucionais. O reitor da UFRN ratificou que o momento será “a oportunidade de mostrar que o projeto é viável e tem premissas consistentes para a operacionalização”.

No mês de agosto, o espaço que abrigará o PAX recebeu a visita do ministro do MCTIC, Marcos Pontes, momento no qual ele citou o plano do Ministério de instalar centros de referência em tecnologia assistida. Na época, o ministro colocou que os centros são fruto de modelos como os de centros de inovação, parques tecnológicos e incubadoras, estruturados de forma que possam funcionar de acordo com a realidade de cada região, como é o caso do PAX.

Parque de Ciência e Tecnologia Augusto Severo (PAX)

Localizado na cidade de Macaíba/RN, o Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo (PAX) está inserido em um ambiente de inovação proveniente da parceria entre Instituições Científicas, Tecnológicas  e de Inovação (ICTs), Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Federação das Indústrias, Federação do Comércio, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e prefeituras da Região Metropolitana de Natal.

O PAX tem vocação inicial nas áreas de energias, reabilitação em saúde e tecnologia de informação com ampla oferta de espaços e serviços para as entidades apoiadoras e empresas. O Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo contará também, em seu ecossistema, com incubadora e aceleradora de empresas, oferta de serviços de propriedade intelectual através da Agência de Inovação da UFRN e de diversos laboratórios de  pesquisa e inovação das ICTs associadas.

Ambiente de empreendedorismo adequado e propício para a cooperação entre academia e setor produtivo no desenvolvimento de soluções inovadoras, o PAX será uma associação sem fins lucrativos, cujas receitas serão investidas no incremento e qualificação de sua estrutura e atividades.

Informações e Foto Portal da UFRN

Administrador