Saúde Arquivo

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vai intensificar o combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya, Zika e que também tem sido recentemente apontado pelo Ministério da Saúde como agente suspeito pelo surto de microcefalia no país.

Esse combate terá o auxílio de soldados do Exército. Macaíba será um dos nove municípios potiguares a receber esse reforço. A previsão é que os soldados comecem a atuar em janeiro de 2016. Antes, eles passarão por um curso de capacitação ofertado pelo Governo do Estado. Cada agente de saúde e de endemias será acompanhado por dois soldados.

Em uma reunião realizada ontem (17), à tarde, entre a secretária municipal de Saúde, Silvana Cosme, e os supervisores de campo do setor de Vigilância Ambiental, com apoio da coordenação, foram traçadas novas metas para o combate ao mosquito. “Durante o ano todo, desenvolvemos inúmeras ações, inclusive, realizamos mutirões aos sábados. Com essa resposta do Estado de que iremos ter o apoio das Forças Armadas agora em janeiro, isso realmente vem para incrementar essas ações”, explicou a titular da SMS, Silvana Cosme.

Assecom

A Prefeitura de Natal entrega nesta sexta-feira, dia 18 de dezembro, o Hospital Municipal de Natal Dr. Newton Azevedo, primeira unidade hospitalar da capital potiguar. A solenidade de inauguração acontece a partir das 14h e contará com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Castro, prefeito de Natal, Carlos Eduardo, do secretário municipal de Saúde, Luiz Roberto Fonseca, além de autoridades e convidados. A expectativa é que a unidade realize uma média de 500 internações e 23 mil atendimentos mensais, entre clínica médica, pediatria e ortopedia.

O Hospital Municipal de Natal Dr. Newton Azevedo tem 80 leitos, sendo dez de Terapia Intensiva, cinco de psiquiatria, oito de pediatria clínica, 35 de clínica médica e 22 de clínica cirúrgica. A unidade hospitalar contará com atendimento em ortopedia clínica, pronto atendimento adulto e infantil 24 horas.

O HMN conta com um bloco cirúrgico, com três salas, que realizarão cirurgias eletivas nas áreas de cirurgia geral, ortopedia e urologia e concentrará os atendimentos que eram realizados no Pronto Atendimento Infantil Sandra Celeste e o Hospital dos Pescadores.

“Entregaremos um hospital com atendimento diferenciado, humanizado, com ambiência, equipado e completamente diferente do que é a realidade do SUS. Esse hospital será referência e muito importante para a cidade. O prefeito Carlos Eduardo está entregando um equipamento de excelência que paga uma dívida histórica que o município tem com os cidadãos natalenses. O prefeito entra para a história ao inaugurar o primeiro hospital municipal de Natal“, destaca o secretário.

A direção geral do Hospital ficará sob a responsabilidade da médica Cecília Karla Picinin, antiga coordenadora Geral do Samu Rio Grande do Norte. “Ela é uma profissional de alto nível com grande experiência”, reforçou o secretário citando que a médica já geriu o Walfredo Gurgel em outra oportunidade.

Na obra de readequação do Hospital Municipal de Natal – onde funcionava o antigo Hospital Médico Cirúrgico – foram investidos aproximadamente R$ 200 mil, cujo valor será abatido do contrato de aluguel do local.

O Hospital Municipal de Natal Dr. Newton Azevedo fica localizado na Rua Coronel Joaquim Manoel, 654 – Petrópolis.

Segundo a Tribuna do Norte, nove municípios deverão ser contemplados com o reforço: Natal, Parnamirim, Macaíba, Ceará-Mirim, Mossoró, Assu, Caicó, Pau dos Ferros e Santa Cruz. As cidades são consideradas prioritárias pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) por apresentarem alta infestação predial, déficit em agentes de endemias e por representarem 80% dos casos de dengue no Estado.

O auxílio das Forças Armadas poderá ser solicitado pelos municípios caso haja as condições necessárias para receber os militares. Isto porque cada cidade deverá oferecer como contrapartida os custos ligados a alimentação, transporte e alojamento dos militares.

Nas duas últimas semanas médicos que prestam serviços ao municipío de Macaíba, vem reclamando nas redes sociais dos atrasos em seus pagamentos. Um deles é o DR. Brasiliano, que hoje utilizou o facebook para informar que não viria trabalhar porque não tinha dinheiro para colocar combustível em seu veículo, pois o salário do mês de novembro ainda não havia sido pago. Um outro médico foi o Dr. Cássio, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que também utilizou as redes sociais para reclamar da falta de pagamento por parte da prefeitura de Macaíba.

O secretário de Assuntos de Governo, Lindoarte Lima, justificou a este blog que o pagamento atrasou pois o Governo Federal não havia feito o repasse de mais de R$ 300 mil reais e o Governo do Estado também não havia repassado R$170 mil reais, verba essa destinada ao custeio da UPA.

Não faz muito tempo que comentei sobre o atraso de pagamentos aos agentes de saúde que atuam na UPA de Macaíba, inclusive os médicos.

Mesmo que a prefeitura do município não tivesse nenhuma responsabilidade direta sobre a UPA, o gestor público-mor, isto é, o senhor Prefeito, deveria tomar iniciativas, ter uma atitude, em favor do bom funcionamento desta importante unidade de saúde. Já não basta a quantidade de equipamentos que estão parados, sem uso para o benefício da população que mais precisa? Já não basta o Hospital Regional de Macaíba, que poderia – e deveria – ser um hospital de referência, estar fechado há anos?

Todos sabem, ou deveriam saber, o quão complexo é um sistema de Saúde Pública. Se um dos elementos deixar de funcionar, pode provocar um grande desequilíbrio, levando ao caos. O que não está muito difícil na saúde pública brasileira.

Agora, imaginem a situação de Macaíba: já é mais que um caos.

E pior: o prefeito é médico!

Ou será que o médico é prefeito?

O governador Robinson Faria (PSD) ainda não cumpriu com a promessa que fez ao beneficiários do residencial Campinas onde afirmou que entregaria o Hospital Regional Alfredo Mesquita Filho com a maternidade funcionando até o final do ano. Falta menos de vinte dias para encerrar o ano de 2015 e o governo do estado não sinalizou ainda  que vai entregar à população  de Macaíba a maternidade e o setor cirúrgico. O governador esteve este mês participando de uma inauguração na cidade e em nenhum momento falou do hospital.

Em nota publicada há mais de três meses, a assessoria do governo afirmou que para ser entregue o hospital todo completo após a reforma, estava faltando chegar um gerador e fechar uma equipe médica, estamos terminando  a primeira quinzena de dezembro e o governo administrado por Robinson Faria não cumpriu com a promessa, lembrando que este hospital foi fechado em 2011, quando ele ainda era vice-governador de Rosalba Ciarlini.

A procura e os gastos com o setor de saúde no Brasil estão em um processo de crescimento, de acordo com o Sistema de Contas Nacionais, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgado nesta quinta-feira (10).

Entre 2010 e 2013, a despesa per capita, de famílias e instituições sem fins lucrativos, aumentou cerca de 25%, passando de R$ 868,25 a R$ 1.162,14.

Nesse período, a população do Brasil cresceu de 195.498 milhões para 201.033 milhões de habitantes. Mesmo com o crescimento populacional, as despesas do governo em saúde, no ano de 2013, foram de R$ 190 bilhões, valor similar ao de 2010.

Isso porque a quantia corresponde a 3,6% do PIB, mesma porcentagem de 2010. Grande parte desse total foi direcionada ao SUS (Sistema Único de Saúde).

R7

Devido à explosão de casos de microcefalia com suspeita de ligação com o zika vírus, o ministro da Sáude, Marcelo Castro, afirmou que o governo federal irá distribuir repelentes para as grávidas em todo o País. A declaração do ministro foi dada durante participação em evento do LIDE (Grupo de Líderes Empresariais) na tarde desta quarta-feria (9), em São Paulo. A procura por repelentes aumentou e, principalmente no Nordeste, muitas farmácias já não têm mais estoque do produto.

Segundo Castro, a decisão foi tomada na noite da última terça-feira (8), em reunião com a presidente, Dilma Rousseff. O ministro ainda explicou que vai pedir ajuda do Exército para a produção do repelente, já utilizado por militares.

— Já vou conversar com o Exército para aumentar a produção e pedir que isso seja feito o mais rápido possível. Anda não temos como dar um prazo para isso acontecer, mas queremos que seja o quanto antes.

Segundo o ministro, o Nordeste é a área prioritária das ações, mas todas as grávidas do País terão acesso aos repelentes.

Além disso, o ministro fez uma crítica Brasil, admitindo que os governos foram condescendentes com o mosquito transmissor.

— Houve certa contemporização ao longo dos anos com mosquito da dengue e não podemos contemporizar com o mosquito, pois ele mata.

O vírus é transmitido pelo Aedes aegypti, mosquito que também transmite a dengue e a chikungunya, e o ministério recomenda atenção total à prevenção e combate. A recomendação é eliminar os focos do mosquito em água parada e se proteger com roupas compridas como calças e blusas longas, principalmente para as grávidas.

— Repelentes, telas, calças compridas e sapatos fechados, especialmente no caso de mulheres grávidas são recomendados. Não é pra ninguém entrar em pânico, mas tem que tomar o máximo de cuidado. É uma epidemia microcefalia gravíssima.

Em todo o País houve aumento alarmante da dengue (176% em relação à 2014) e já foi comprovada a relação entre o zika e a microcefalia em bebês, epidemia que cresce a cada dia no Brasil. Até dezembro, foram registrados 1.761 casos de microcefalia e ainda não se sabe quantos destes estão ligados ao vírus zika.

O secretário estadual de saúde, David Uip, afirmou que todos precisam dar mais atenção à epidemia de zika e a ligação com a microcefalia.

— Temos uma emergência nacional. Isso não acontecia desde 2017, e por isso todos os estados precisam dar maior atenção ao caso. Para cuidar de uma epidemia, a opções são vacina e remédio, mas neste momento não temos nenhuma das opções. Então a melhor maniera de combater essas doenças é matar o mosquito. Pedimos o apoio da população para lutar contra o transmissor.

Uip ainda disse que os governos estão se associando ás universidades, “que têm a missão de ajudar a responder às duvidas sobre contaminação”.

Vacina contra a dengue

O Ministro ainda comentou sobre a vacina contra a dengue. Segundo ele, é preciso simplificar os procedimentos na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para desburocratizar e agilizar a análise de novos medicamentos.

—  Temos dois pedidos na Anvisa, um do laboratório Sanofi e outro do Butantã, mas é preciso que a comprovação da efetividade da vacina seja analisada. A informação que a gente tem é que a cobertura seria em torno de 80% a diferença básica é que a do Butantã seria apenas uma aplicação e a da Sanofi, três. A vantagem do Sanofi é que a tecnologia já está pronta. A do Butantã ainda está em fase de análise.

R7

Prometida há mais de sete anos pela atual administração, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Esperança, em Parnamirim, enfim, foi inaugurada. A solenidade de inauguração foi realizada na manhã de hoje (4) e contou com a presença de diversas autoridades. Entre elas, o governador Robinson Faria (PSD), senador Garibaldi Alves Filho (PMDB), deputado estadual Carlos Augusto Maia (PTdoB) e o presidente da Câmara de Parnamirim, Ricardo Gurgel (PSB).

Representantes do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde-RN) seguraram uma faixa onde estava escrito: “Vigilância sanitária em greve. Maurício, a saúde não pode pagar pela crise”. De acordo com informações do sindicato, os servidores estão de braços cruzados há quase 40 dias sem que haja uma resposta positiva por parte da administração municipal aos pleitos da categoria.

O evento de hoje também chamou atenção pela presença de grande quantidade de cargos comissionados da administração. A plateia – ou claque – era composta basicamente pelos secretários municipais e seus assessores. Comenta-se que muitas secretarias estavam de portas fechadas por falta de funcionários nas repartições. Todos foram “convidados” para participar da inauguração. A turma marcou presença e mostrou mais força quando o nome do secretário municipal de Obras, Naur Ferreira, foi anunciado pelo cerimonial. (RP)

Fala RN

A Prefeitura de Macaíba, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) organiza uma programação voltada para a temática AIDS neste mês, intensificando ações de prevenção e incentivo ao diagnóstico em tempo hábil do Vírus HIV. Na data de 01 de dezembro, foi celebrado o Dia Mundial de Combate à AIDS. Todas as unidades de saúde da rede municipal vão fazer o teste rápido para detecção do vírus.

A equipe do programa é composta por médico infectologista, farmacêutico, enfermeira, assistente social e psicóloga. O serviço funciona de segunda a sexta, das 7h às 17h, no Centro de Saúde Luiz Antônio Fonseca Santos (Posto da Maré). O telefone para contato é (84) 3271-6691. Para realizar o teste, o (a) usuário (a) deverá se apresentar em qualquer uma das unidades de saúde portando um documento de identificação com foto.

Por Agência Brasil

Um mês após o rompimento da barragem de rejeitos de Fundão, em Mariana (MG), as causas e os impactos do derramamento de pelo menos 34 milhões de metros cúbicos de lama no meio ambiente, segundo o Ibama, ainda estão sendo levantadas.

“Saber o tamanho do estrago vai demorar, porque o estrago ainda não parou”, avalia Nilo D´ávila, coordenador de campanhas do Greenpeace. “Tem partes do rio que parecem estar asfaltadas. Não se vê água, se vê alguma água empoçando e buscando novos caminhos”, disse o especialista.

A onda de lama, formada após o desastre em 5 de novembro, destruiu vilarejos da cidade histórica de Mariana e só no distrito de Bento Rodrigues deixou mais de 600 desabrigados. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, já foram confirmadas 12 mortes, três corpos aguardam identificação e sete pessoas ainda estão desaparecidas na região.

As cerca de 200 famílias que tiveram as casas destruídas pela lama de rejeitos foram acomodadas pela mineradora Samarco, responsável pela tragédia, em hotéis e casas provisórias. Essas pessoas ainda não têm previsão de quando vão receber uma nova residência. Quatro dias após o rompimento da barragem, o Ministério Público enviou documento à Samarco pedindo ações imediatas de garantia dos direitos das vítimas, entre elas o pagamento de um salário mínimo por família atingida, mais um adicional de 20% para cada um dos dependentes e cesta básica.

Na última segunda-feira (30), a Samarco, empresa controlada pela brasileira Vale e pela australiana BHP Biliton, começou a entregar o cartão de auxílio financeiro às famílias mais atingidas, e segundo a empresa, os recursos estarão acessíveis a partir de hoje (5).

A medida tem o objetivo de oferecer a essas pessoas uma alternativa para pagamentos de despesas pessoais “como contas de cartão de crédito e prestações de eletrodomésticos, por exemplo”, disse o ex-morador de Bento Rodrigues Antonio Pereira, representante dos moradores da região em comissão criada para negociar com a mineradora.

Segundo Pereira, os moradores avaliaram que o valor proposto é insuficiente e pediram reajuste em encontro com o presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, na terça-feira (1). “Pedimos o reajuste do valor do benefício para R$ 1,5 mil reais mensais por famílias, mais 30% por dependente, além de uma verba de reestruturação no valor de R$ 10 mil reais”. A Samarco ficou de responder à solicitação na próxima quinta feira (10), informou o motorista Antonio Pereira.

Qualidade da água

Depois de destruir o Rio do Carmo, próximo a Mariana, a lama chegou ao Rio Doce e ainda causa transtorno na captação de água em muitas cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo. A cidade mineira de Governador Valadares, por exemplo, voltou a captar água no Rio Doce para abastecer a população de 280 mil habitantes uma semana após a chegada da lama, mas oMinistério Público de Minas Gerais informou na sexta-feira (4) que as amostras de água colhidas no dia 20 de novembro e analisadas pela central de apoio técnico do MP na região revelam que “os elementos alumínio, manganês, turbidez e cor aparente apresentaram concentrações superiores aos limites estabelecidos na Portaria do Ministério da Saúde”.

Em Colatina, no Espírito Santo, o Ministério Público federal e estadual do Espírito Santo (MP-ES), além do Ministério Público do Trabalho (MPT-ES) ajuizaram Ação Civil Pública na última segunda-feira (30) pedindo a suspensão imediata da captação de água do Rio Doce na cidade. De acordo com o MP, laudos de testes da água na região registram quantidades de arsênio, mercúrio, zinco, cádmio, manganês e chumbo na água superiores às estabelecida pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), em desacordo com os padrões de segurança e potabilidade. Nos dois casos, os MPs pediram providências das prefeituras e dos serviços de abastecimento sobre o problema e aguardam retorno.

A lama também provocou a morte de mais de 11 toneladas de peixes, prejudicando pescadores de Minas Gerais e do Espírito Santo que atuavam nos rios da Bacia do Rio Doce e no mar, próximo ao município de Linhares (ES). Segundo o Ibama, das mais de 80 espécies de peixes apontadas como nativas da bacia antes da tragédia, 11 são classificadas como ameaçadas de extinção e 12 são endêmicas do Rio Doce, ou seja, só existiam na região e podem desaparecer.

Para atender às comunidades que viviam dos rios atingidos, o Ministério Público do Trabalho em Minas Gerais (MPT-MG) assinou na sexta-feira (4) um termo de ajustamento de conduta (TAC) com a Samarco para assegurar proteção imediata a 11 mil ribeirinhos atingidos, cujo sustento dependia do rio. O acordo definiu que a Samarco também vai pagar a cada trabalhador um salário mínimo, com acréscimo de 20% por dependente, mais o valor correspondente a uma cesta básica do Dieese. A previsão é que os ribeirinhos comecem a receber a partir do dia 11 de dezembro, com pagamento retroativo até 5 de novembro.

O acordo também assegura proteção a empregados da Samarco até 1º de março de 2016 e tem abrangência em Minas Gerais e no Espirito Santo. Serão contemplados 2.686 empregados diretos da Samarco e 2.400 terceirizados nos dois estados. O Termo prevê ainda manutenção dos empregos até 1º de março de 2016, o pagamento de salários de empregados diretos e indiretos até essa data. Demissões posteriores ao prazo de duração do TAC deverão ser negociadas com sindicatos. Em janeiro, a empresa vai reabrir negociações coletivas com os sindicatos.

Atualizado em 5 de dezembro às 12:00


A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (5) que o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus Zika, relacionado a casos de microcefalia em 16 estados brasileiros, é a principal medida para lidar com o problema e requer uma grande mobilização da sociedade em todo o Brasil.

“É importante que a sociedade perceba que esta é uma ação de guerra contra o mosquito, não é um dia nacional. A ação precisa ser cotidiana e permanente, até que a gente chegue à vacina contra o Zika”, disse. “A sociedade tem que se mobilizar para acabar com todos os processos que levam à água parada. O combate é contra a reprodução do mosquito, que precisa de água parada e temperatura elevada para procriar.”

As declarações foram feitas no Recife logo após reunião com os ministros da Saúde, Marcelo Castro, da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, além do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e prefeitos de municípios nordestinos afetados pelo grande aumento de casos de microcefalia.

A presidenta enfatizou que o Brasil é o primeiro país a ter que lidar com o problema e que o governo vai incentivar pesquisas em busca da imunização. “Não é algo que tenha uma literatura e uma experiência internacional. Há estudos da Organização Mundial da Saúde, mas somos o grande e primeiro caso. Por isso, a dedicação de todos os pesquisadores vai ser muito importante”, disse.

Dilma apontou ainda a necessidade de tratar as pessoas que tiveram a doença e informá-las sobre os riscos que do vírus Zika. “Também vamos aumentar os exames de tomografia e de sangue para termos clareza de fato sobre a relação entre o vírus Zika e a microcefalia”, disse.

A presidenta também informou que haverá uma reunião com todos os governadores e as associações de prefeitos em Brasília, na próxima terça-feira (8), para tratar da questão e articular medidas nacionais.

Agência Brasil

O cantor Netinho foi  internado novamente. Nesta terça-feira (1), o cantor usou sua conta no Facebook para contar aos fãs que as tonturas e sangramentos no nariz aumentaram depois de seus quatro primeiros shows no Recife, em Pernambuco, e em Macuco, no Rio de Janeiro.

“Amigos, na recente segunda tentativa de volta aos shows, após os quatro primeiros, a tontura que sinto aumentou novamente, tive sangramentos pelo nariz e precisei parar tudo novamente”, começou ele.

Estudantes de graduação da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA) realizam, entre os dias 2 e 4 de dezembro, a III Neuroação – uma ação de extensão que levará conhecimentos e discussões acerca da neuroanatomia e da neurofisiologia a estudantes do ensino médio de escolas públicas de Santa Cruz.

Além de integrar a Universidade à rede pública de ensino, a ação deve possibilitar aos estudantes de graduação a relação entre os conhecimentos estudados em sala de aula e as situações reais da prática profissional. Para os professores de biologia participantes, a proposta é promover o desenvolvimento de novas estratégias educacionais para melhorar as condições do ensino básico.

Entre as atividades que serão desenvolvidas no Laboratório de Morfologia e Fisiologia Humana e nas salas de aula da FACISA, nos turnos da manhã e da tarde, vão acontecer palestras, vídeos, aulas práticas, jogos lúdicos, maquetes e discussões de artigos científicos sobre a aplicação da neurociência no estudo de patologias.

Está confirmada a participação de pelo menos quatro escolas públicas: as escolas estaduais Professor João Ferreira de Souza, José Bezerra Cavalcante, Professor Francisco de Assis Dias Ribeiro e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN – Campus Santa Cruz).

A ação é organizada por estudantes de graduação dos cursos de Nutrição e Fisioterapia que estão cursando as disciplinas de Morfologia e Fisiologia Humana neste semestre. Os projetos de ensino foram elaborados sob orientação dos professores e com auxílio dos monitores das turmas.

Iniciativa

As duas primeiras edições da Neuroação foram motivadas pelo sucesso das atividades de monitoria em morfologia e fisiologia humana desenvolvidas pelos estudantes de Nutrição e Fisioterapia da FACISA em 2013, com o uso de dinâmicas, jogos lúdicos, peças teatrais e materiais informativos.

Desde então, avança o projeto de Iniciação à Docência em Morfologia e Fisiologia Humana, que promove, entre outras atividades, cursos de férias de morfologia, monitorados por estudantes da FACISA que, em sua maioria, estudaram em escolas públicas na região do Seridó e Trairi.

A III Neuroação tem o apoio da Pró-reitoria de Extensão (PROEX) e da Rede Nacional de Educação e Ciência: Novos Talentos da Rede Pública, financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e coordenada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Portal UFRN

Reuters  – O Ministério da Saúde confirmou neste último sábado (28), por nota, a relação entre o vírus Zika e o surto de microcefalia que atinge o nordeste do Brasil.

O vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti — o mesmo que transmite a dengue — foi identificado pelo Instituto Evandro Chagas, de Belém, em exames feitos em uma criança no Ceará que nasceu com microcefalia e outras doenças congênitas.

“A partir desse achado do bebê que veio à óbito, o Ministério da Saúde considera confirmada a relação entre o vírus e a ocorrência de microcefalia”, diz a nota do ministério, afirmando ainda que as investigações irão continuar para esclarecer como é feita a transmissão do vírus, a infecção do feto e o período em que a mulher grávida está mais vulnerável. Uma análise inicial, revelou o ministério, aponta para os três primeiros meses de gravidez.