Saúde Arquivo

A Prefeitura de Macaíba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) entregou mais 22 encaminhamentos para cirurgias de catarata, na tarde desta segunda-feira (17), na sede da SMS. O prefeito Fernando Cunha esteve presente na reunião de entrega dos documentos, onde a equipe da Secretaria de Saúde orientou os pacientes sobre os cuidados para o procedimento cirúrgico, que será realizado ainda nesta semana.

Mais de 100 pessoas foram beneficiadas pelo serviço neste ano. Maria Eliene de Lima, 59 anos, moradora de Pé do Galo, é uma das pessoas que vão realizar a cirurgia. Sobre o atendimento que recebeu da SMS ela declarou: “Muito bom! Não tenho do que reclamar!”, afirmou. Opinião semelhante à de Davi Falcão de Almeida, 71 anos, morador das Campinas. “Achei bom! A primeira vez que eu fiz foi no olho esquerdo e deu tudo certo e agora vai dar certo também”, disse.

Assecom

A Prefeitura de Macaíba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizou um mutirão de cirurgias odontológicas no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), na manhã do último sábado (1º), na sede do Centro.

Vinte e oito pessoas foram atendidas no mutirão e a previsão é que no próximo mês de novembro um novo mutirão seja realizado. Funcionários do CEO e membros da equipe de cirurgia da Universidade Potiguar (UnP) participaram do mutirão. A ação de saúde foi a segunda deste tipo realizada no município neste ano. A primeira foi realizada no mês de maio.

Assecom

Na manhã da sexta-feira, 17 de agosto, foi a vez do bairro Campo das Mangueiras receber as ações do projeto Macaíba sem Aedes, quando um grupo formado por agentes de saúde e agentes de endemias da Prefeitura percorreu as ruas realizando os trabalhos de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti.

Os profissionais de saúde vistoriaram casas, aplicaram inseticida e orientaram os populares quanto aos cuidados a serem tomados no dia a dia. O projeto Macaíba sem Aedes foi idealizado com o objetivo de intensificar as ações contra o referido mosquito e as doenças por ela causadas, a exemplo de dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Assecom

O próximo sábado, 18 de agosto, será o Dia D de mobilização nacional contra a poliomielite e o sarampo em todo o Brasil. Todas as crianças de um ano e menores de cinco anos devem se vacinar contra essas doenças, segundo informações do Portal do Ministério da Saúde, que tem como meta atingir pelo menos 95% dessa população até o final do período de vacinação.

Desde o dia 06 deste mês de agosto, teve início essa nova Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo, que seguirá até o próximo dia 31. Neste ano, a campanha será feita de forma indiscriminada para manter coberturas homogêneas de vacinação.

Para a poliomielite, as crianças que não tomaram nenhuma dose durante a vida, receberão a VIP. Já os menores de cinco anos que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, receberão a VOP, a gotinha. Em relação ao sarampo, todas as crianças receberão uma dose da vacina Tríplice viral, independente da situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias.

Nesse sentido, a Prefeitura de Macaíba prepara todos os seus postos de saúde para abrirem das 8h às 17h, em áreas urbanas e rurais, no sábado. É essencial que os pais ou responsáveis apresentem o cartão de vacinação.

*Assecom-PMM

*Com informações e ilustração do Portal do Ministério da Saúde

Agência Brasil – Estudo desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Pernambuco revela que o vírus Zika chegou ao Brasil proveniente do Haiti. De acordo com pesquisadores, imigrantes ilegais e militares brasileiros que participaram da missão de paz no país caribenho podem ter trazido a doença.

Entre as hipóteses consideradas até então estava a de que o vírus teria entrado no Brasil durante a Copa do Mundo de 2014, trazido por turistas africanos. Outra teoria era de que a introdução teria ocorrido durante o Campeonato Mundial de Canoagem, realizado em agosto de 2014 no Rio de Janeiro, que recebeu competidores de vários países do Pacífico afetados pelo vírus.

Segundo a Fiocruz, o vírus Zika, originário da Polinésia Francesa, não veio de lá diretamente para o Brasil. Antes, migrou para a Oceania, depois para a Ilha de Páscoa, de onde foi para a América Central e o Caribe e só então chegou ao Brasil, no final de 2013. O trajeto coincide com o caminho percorrido por outras arboviroses, como dengue e chikungunya.

“Esse resultado aponta para o fato de que a América Central e Caribe são importantes rotas de entrada para arbovírus na América do Sul. Uma informação estratégica para a vigilância epidemiológica e para adoção de medidas de controle e monitoramento dessas doenças, especialmente em regiões de fronteira com outros países, portos e aeroportos”, destacou a fundação.

Ainda de acordo com a Fiocruz, em todos os casos brasileiros estudados, o ancestral em comum desse tipo de vírus é uma cepa do Haiti, país afetado por uma espécie de tripla epidemia de zika, dengue e chikungunya.

Outra conclusão do estudo é que houve múltiplas introduções, independentes entre si, do vírus Zika no Brasil. Isso muda a crença anterior de que um único paciente poderia ter trazido a doença, que depois teria se espalhado pelo país.

Na sede da Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba (SMS), mais 28 pacientes receberam o encaminhamento para a realização de suas cirurgias de catarata, sendo que três deles já vão ser submetidos à sua segunda intervenção cirúrgica.

A Prefeitura de Macaíba deu início a um novo ciclo de cirurgias em abril passado. Segundo a SMS, mensalmente, serão encaminhados novos pacientes para cirurgias. De lá para cá, foram 88 pessoas beneficiadas por esse serviço.

As cirurgias de catarata desses pacientes serão realizadas já na próxima sexta-feira, 27, em uma clínica conveniada situada no município de Parnamirim.

“Tem sido ótimo o meu atendimento e acompanhamento. Espero mais melhoras com essa operação que vou fazer.”, disse o senhor José Ângelo, 50 anos, morador da Rua Areia Branca.

“Tô me sentindo bem, sou bem acolhida! Tô esperando ficar boa agora”, declarou dona Maria do Carmo, 70 anos, moradora da Rua Eloy de Souza, que vai fazer a sua segunda cirurgia.

“Estou me sentindo, porque eu vejo a diferença da qualidade de um olho comparado ao outro, tá bem mais claro. Clareou bem mesmo.”, opinou o senhor Cícero Pereira, 70 anos, morador da Rua Doutor Pedro Matos, que também vai fazer a sua segunda cirurgia.

Foto: ISD

O Instituto Santos Dumont está com uma vaga de emprego para enfermeiro (a) para trabalhar no Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (CEPS), em Macaíba. O Anita Garibaldi fica localizado às margens da RN-160, ao lado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

O regime de contratação CLT (20h/semana) em horário a definir: de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 18h. Salário: R$ 4.171,56. Prazo para envio de currículos e cartas de intenção: 27/07/2018.

Mais informações

 

Agência Brasil – Os primeiros sinais de queda nas coberturas vacinais em todo o país começaram a aparecer ainda em 2016. De lá para cá, doenças já erradicadas voltaram a ser motivo de preocupação entre autoridades sanitárias e profissionais de saúde. Amazonas, Roraima, Rio Grande do Sul, Rondônia e Rio de Janeiro são alguns dos estados que já confirmaram casos de sarampo este ano. Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus.

Dados do Ministério da Saúde mostram que a aplicação de todas as vacinas do calendário adulto está abaixo da meta no Brasil – incluindo a dose que protege contra o sarampo. Entre as crianças, a situação não é muito diferente – em 2017, apenas a BCG, que protege contra a tuberculose e é aplicada ainda na maternidade, atingia a meta de 90% de imunização. Em 312 municípios, menos de 50% das crianças foram vacinadas contra a poliomielite. Apesar de erradicada no país desde 1990, a doença ainda é endêmica em três países – Nigéria, Afeganistão e Paquistão.

O grupo de doenças pode voltar a circular no Brasil caso a cobertura vacinal, sobretudo entre crianças, não aumente. O alerta é da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim), que defende uma taxa de imunização de 95% do público-alvo. O próprio Ministério da Saúde, por meio de comunicado, destacou que as baixas coberturas vacinais identificadas em todo o país acendem o que chamou de “luz vermelha”.

Confira as principais doenças que ensaiam um retorno ao Brasil caso as taxas de vacinação não sejam ampliadas.

Sarampo

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa. Complicações infecciosas contribuem para a gravidade do quadro, particularmente em crianças desnutridas e menores de um 1 ano de idade.

Os sintomas incluem febre alta acima de 38,5°C; erupções na pele; tosse; coriza; conjuntivite; e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal, conhecidas como sinais de Koplik e que antecedem de um a dois dias antes do aparecimento da erupção cutânea.

A transmissão do sarampo acontece de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema (erupção cutânea). O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início da erupção cutânea.

Poliomielite

Causada por um vírus que vive no intestino, o poliovírus, a poliomielite geralmente atinge crianças com menos de 4 anos de idade, mas também pode contaminar adultos.

A maior parte das infecções apresenta poucos sintomas e há semelhanças com as infecções respiratórias como febre e dor de garganta, além das gastrointestinais, náusea, vômito e prisão de ventre.

Cerca de 1% dos infectados pelo vírus pode desenvolver a forma paralítica da doença, que pode causar sequelas permanentes, insuficiência respiratória e, em alguns casos, levar à morte.

Rubéola

A rubéola é uma doença aguda, de alta contagiosidade, transmitida pelo vírus do gênero Rubivirus. A doença também é conhecida como sarampo alemão.

No campo das doenças infectocontagiosas, a importância epidemiológica da rubéola está associada à síndrome da rubéola congênita, que atinge o feto ou o recém-nascido cujas mães se infectaram durante a gestação. A infecção na gravidez acarreta inúmeras complicações para a mãe, como aborto e natimorto (feto expulso morto) e para os recém-nascidos, como surdez, malformações cardíacas e lesões oculares.

Os sintomas da rubéola incluem febre baixa e inchaço dos nódulos linfáticos, acompanhados de exantema. A transmissão acontece de pessoa para pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar, falar ou respirar.

Difteria

Doença transmissível aguda causada por bacilo que frequentemente se aloja nas amígdalas, na faringe, na laringe, no nariz e, ocasionalmente, em outras mucosas e na pele. A presença de placas branco-acinzentadas, aderentes, que se instalam nas amígdalas e invadem estruturas vizinhas é a manifestação clínica típica da difteria.

A transmissão acontece ao falar, tossir, espirrar ou por lesões na pele. Portanto, pelo contato direto com a pessoa doente. O período de incubação da difteria é, em geral, de um a seis dias, podendo ser mais longo. Já o período de transmissibilidade dura, em média, até duas semanas após o início dos sintomas.

 

Assecom – O Governo do RN está ampliando a frota de ambulância do Serviço Médico de Urgência – SAMU. Nesta sexta-feira, 6, oito novas ambulâncias foram entregues. São veículos do modelo Sprint, da Mercedes Benz. O investimento é de R$ 1,4 milhão.

Atualmente, o SAMU conta com frota 39 ambulâncias de suporte básico e atende em média 7.800 ocorrências por mês.

O secretário estadual de Saúde, Pedro Cavalcanti informou que outras seis ambulâncias estão em fase final de montagem para serem enviadas ao RN e incorporadas à frota do SAMU estadual que, somado a outro lote, totalizará 47 novos veículos.

“O SAMU é fundamental para o sistema de saúde, para dar o primeiro atendimento e remoção em caso de acidentes. Os investimentos da nossa administração reconhecem essa importância e reforçam o atendimento à população”, declarou o governador Robinson Faria no ato de entrega das 8 ambulância realizado no Hospital Pedro Germano (Hospital da PM), em Natal.

Resultado de imagem para concurso

Foi publicado, na edição desta quarta-feira (4) do Diário Oficial do Estado (DOE), o resultado final e homologação do concurso público para provimento de cargos vagos do quadro de pessoal permanente da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP), regido pelo Edital nº 001/2018 – SEARH/SESAP/RN.

“Com a homologação do resultado nós não temos mais impeditivos para as convocações e nomeações em qualquer período, dentro da validade do concurso. A Sesap já encaminhou ofício à Secretaria Estadual da Administração e Recursos Humanos (SEARH) solicitando a nomeação dos 404 candidatos de vagas diretas. Com esse encaminhamento, as convocações já podem ser iniciadas a qualquer momento”, explicou Jorge Castro, subsecretário de planejamento e gestão da Sesap.

O resultado está disponível no link: http://www.diariooficial.rn.gov.br/dei/dorn3/docview.aspx?id_jor=00000001&data=20180704&id_doc=614087 

Imagem desfocada de um paciente em uma maca com os dizeres: recursos do SUS

O Ministério Público Federal (MPF) emitiu parecer contrário ao pedido do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN), que pretende, na Justiça, a concessão de liminar obrigando o Governo do Estado a pagar a folha salarial de maio de 2018 – e parte do 13º salário de 2017 – com recursos originalmente destinados a ações de média e alta complexidade em ambulatórios e hospitais, dentro do Sistema Único de Saúde (SUS).

O sindicato obteve da Secretaria Estadual (Sesap/RN) a informação de que R$ 100 milhões em recursos federais foram creditados no orçamento do Estado para custear essas ações e, diante da incerteza quanto ao pagamento da folha de maio e de uma parcela do 13º (devido aos servidores ativos que recebem acima de R$ 3 mil) por parte do governo estadual, pede à Justiça que essa quantia seja transferida para o pagamento de pessoal.

“O pleito dos servidores é extremamente justo, porém não encontra amparo legal”, resume o procurador da República Kleber Martins, autor do parecer. Ele lamenta e critica os constantes atrasos salariais e a situação precária em que se encontram serviços públicos como o de saúde, porém destaca que a Portaria 204/2007 do Ministério da Saúde determina o pagamento, com recursos destinados a essas ações, apenas dos contratados especificamente para o desempenho de funções vinculadas a esses serviços de alta e média complexidade.

Além do MPF, o Governo do Estado já se posicionou contra o pedido do sindicato, ressaltando que esse tipo de transferência de recursos foi tentada anteriormente e a Justiça impediu, a pedido da própria União. Esta, por sua vez, acrescentou que a utilização desses recursos para pagamento de salários dos servidores representaria desvio de finalidade, proibido pela legislação.

Desrespeito – O representante do MPF lembra que, a rigor, servidores como os da saúde, área essencial do serviço público, buscam apenas o pagamento dos seus vencimentos, já defasados e incompatíveis com a relevância e a responsabilidade dos serviços que prestam. Ao mesmo tempo que, como resultado da má distribuição de recursos entre os entes e os poderes, chegam a sobrar verbas em alguns, onde são aplicadas, por veze,s na compra de bens ou na prestação de serviços de responsabilidade de outros poderes, “como viaturas policiais e ambulâncias”.

Apesar disso, do ponto de vista legal, as verbas tratadas na ação do Sindsaúde têm destinação específica e o investimento na alta e média complexidade é tão relevante para a população quanto o pagamento dos salários. “Não estamos diante de conflito entre bens jurídicos de diferentes ‘quilates’, como saúde versus publicidade governamental”, compara.

O MPF alerta ainda que, se concedida, a liminar se tornaria irreversível, pois não haveria como mudar o teor da decisão posteriormente, utilizando por exemplo dinheiro da folha salarial para as ações nas unidades de saúde. Essa irreversibilidade é vedada pelo Código de Processo Civil.

A ação tramita na Justiça Federal sob o número 0804976-31.2018.4.05.8400. Confira a íntegra do parecer clicando aqui.

Começa nesta segunda-feira (11) e prossegue até o dia 23 de junho, a campanha de doação “sangue alvinegro”, uma parceria entre o Hemonorte e o ABC Futebol Clube, que tem por objetivo aumentar as doações de sangue e equilibrar o estoque para o período das festas juninas e férias.

A ação faz parte das comemorações alusivas aos 103 anos do ABC Futebol Clube. Durante o período da campanha, o Clube alvinegro disponibilizará 300 ingressos arquibancada para o jogo do ABC contra o Sampaio Corrêa pela Copa do Nordeste. Os demais participantes da campanha estarão concorrendo a duas camisetas do Clube autografadas pelos jogadores.

Podem doar sangue pessoas saudáveis entre 16 e 69 anos de idade (quem for menor de 18 anos precisa de autorização prévia do responsável legal), pesar acima de 50kg, repouso mínimo de 6 horas na noite anterior, evitar alimentos gordurosos antes da doação, não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores, vir alimentado e portar um documento oficial com foto.

 

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap RN) divulgou, nesta quinta-feira (24), o resultado final do Concurso Público de Provas e Títulos para provimento de 404 vagas no quadro permanente da Saúde, conforme previsto no edital nº 001/2018/Searh. O concurso foi executado pelo Núcleo Permanente de Concursos (Comperve) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Para o coordenador de Recursos Humanos da Sesap, Jorge Castro, “é de grande interesse da gestão que esses profissionais sejam lotados e passem a atuar nas unidades o mais rápido possível, tendo em vista a carência de recursos humanos, todavia obedecendo os trâmites de nomeação e posse, necessários para a investidura em cargos públicos”.

A seleção para os cargos consistiu na realização de provas de conhecimentos básicos e específicos, mediante aplicação de provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, e prova de títulos, de caráter classificatório.

Os candidatos devem, a partir de então, ficar atentos ao Diário Oficial do Estado (DOE), para início do processo de nomeação e posse.

Acesse o link do resultado.

Os cargos com maior procura foram os de Técnico em Enfermagem e Enfermeiro. As demais vagas são para Assistente Técnico em Saúde, Técnico de Biodiagnóstico e Técnico em Radiologia (nível médio); Assistente Social, Engenheiro Biomédico, Engenheiro de Seg. do Trabalho, Farmacêutico, Farmacêutico Bioquímico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Nutricionista, Psicólogo, Administrador, Contador, Terapeuta Ocupacional, Médico Anestesista, Médico Cardiologista, Médico Cirurgião Geral, Médico Cirurgião Pediátrico, Médico Cirurgião Torácico, Médico Cirurgião Vascular, Médico Clínico Geral, Médico Endoscopista, Médico Gastroenterologista, Médico Ginecologista e Obstetra, Médico Hematologista, Médico Infectologista, Médico Intensivista, Médico do Trabalho, Médico Nefrologista, Médico Neonatologista, Médico Neuroencefalografista, Médico Neurocirurgia, Médico Neurologista Pediátrico, Médico Neurologista, Médico Ortopedista, Médico Patologista, Médico Pediatra, Médico Pediatra Intensivista, Médico Pneumologista, Médico Psiquiatra, Médico Psiquiatra Infantil, Médico Ultrassonografista e Médico Urologista (nível superior).

O próximo sábado (12) está marcado para ser o Dia D de Vacinação contra a Gripe em todo o Brasil. Em Macaíba, todos os postos de saúde da rede municipal (áreas urbanas e rurais) deverão estar abertos entre 8h e 17h. O Dia D é uma mobilização nacional feita através da parceria entre o MS e as secretarias estaduais e municipais de saúde.

Nesta campanha, os grupos prioritários são: crianças de 6 meses e menores de 5 anos (no máximo 4 anos, 11 meses e 29 dias), idosos com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), presidiários e funcionários do sistema prisional, adolescentes de 12 a 21 anos cumprindo medidas socioeducativas, além de portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Para obter mais informações ou dirimir suas dúvidas, o cidadão deverá discar para o número 3271-6547, da Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba. Essa campanha de vacinação está prevista pelo Ministério da Saúde para durar até o dia 1º de junho, seu início foi no dia 23 de abril.

Assecom

A segunda semana da Campanha de Vacinação contra a Influenza se encerra com dados positivos para o Rio Grande do Norte, que já vacinou 149.240 mil pessoas, atingindo uma cobertura vacinal de 20,73%. Assim, o estado ocupa o 2º lugar no Nordeste, 9º lugar no Brasil e sua cobertura vacinal se encontra superior à média da região (15,38%) e do Brasil (19,9%).

Entre os municípios do RN, Natal está em primeiro lugar, com uma cobertura vacinal de 27,8%, em segundo vem Mossoró, com 26,1%, e em terceiro lugar se encontra Parnamirim, com 22,5%. A estimativa é de que 879.430 pessoas sejam vacinadas no estado, de modo a se atingir a meta de vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a campanha, que prossegue até 01 de junho, sendo 12 de maio, o dia de mobilização nacional.

Fazem parte dos grupos a serem imunizados as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), indivíduos com 60 anos ou mais de idade, os trabalhadores da saúde, os professores das escolas públicas e privadas, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

As vacinas vêm sendo enviadas pelo Ministério da Saúde ao RN em sete remessas no decorrer da campanha. Na última quinta-feira (03), chegou a terceira remessa e até o momento o estado recebeu 444 mil doses, o que corresponde a quase 45% do total a ser recebido. De acordo com a coordenadora estadual de Imunizações, Katiucia Roseli, “a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) está concentrando esforços para que os municípios vacinem o máximo possível de pessoas pertencentes aos grupos prioritários. O objetivo é que assim se possa reduzir as internações, complicações e óbitos causados por influenza”.