Saúde Arquivo

Fotos: Ascom ISD

A equipe de psicologia do Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (CEPS) realizou neste último mês ações referentes a campanha do Setembro Amarelo. Desde 2015, o Setembro Amarelo começou no Brasil como uma forma de conscientização social acerca da prevenção ao suicídio. Somos o 8º país no mundo em número absoluto de suicídios e a cada hora uma pessoa morre em decorrência dessa realidade. Esses dados colocam o suicídio como uma questão de saúde pública. Apesar disso, essa ainda é uma temática em que o preconceito e a falta da informação alimentam tabus que muitas vezes silenciam pedidos de ajuda. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos se acompanhados de ajuda voluntária ou profissional. Por essas razões, entendendo que o fenômeno atravessa todos os públicos, a equipe de psicologia considera importante abordar o tema também no contexto da saúde da pessoa com deficiência e não somente em setembro, mas todos os dias.

Roda de conversa sobre a campanha do Setembro Amarelo executada pelas residentes de psicologia.

Como vai você? Se precisar de apoio, ligue para o CVV. Disque 188.

O Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza apoio emocional e prevenção do suicídio. O atendimento é feito de forma voluntária e gratuita para todas as pessoas que querem e precisam conversar, garantindo o sigilo das informações compartilhadas. O serviço está disponível 24 horas por dia, seja por e-mail, chat ou por telefone (disque 188). CVV – Centro de Valorização a Vida. (2018). O CVV. Disponível em: https://www.cvv.org.br/o-cvv/.

Agência Brasil – Uma nova doença, com sintomas semelhantes à Leishmaniose visceral, mas mais grave e resistente ao tratamento, foi descoberta em Sergipe. Duas pessoas morreram por causa da doença, que já acometeu 150 pessoas em Aracaju. O parasita ainda é desconhecido, mas os pesquisadores já identificaram que ele é diferente da Leishmania, responsável pela Leishmaniose.

A doença está sendo investigada por um grupo de pesquisadores brasileiros, que publicaram um artigo na Emerging Infectious Diseases, a revista do Centro de Controle de Doenças Infecciosas (CDC) dos Estados Unidos. A pesquisa é realizada no Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (CRID), com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Liderada pela professora Sandra Regina Costa Maruyama, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o estudo está sendo desenvolvido em colaboração com colegas da equipe do professor João Santana Silva, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (FMRP-USP).

Diagnóstico, sintoma e tratamento

O diagnóstico e tratamento dos pacientes foi feito pelo médico Roque Pacheco de Almeida, professor do Departamento de Medicina da Universidade Federal de Sergipe, pesquisador e médico do Hospital Universitário/EBSERH de Aracaju. Em entrevista à Agência Brasil, Almeida contou que a doença vem infectando pessoas desde 2011 na capital sergipana, quando ele diagnosticou e tratou o primeiro caso. Esse paciente morreu em 2012, em consequência da doença.

Os sintomas, segundo ele, são muito parecidos aos do calazar (nome mais popular da Leishmaniose visceral), mas evoluem com mais gravidade. “A gente trata muitos pacientes com calazar aqui. São vários por ano. Um desses pacientes não respondeu ao tratamento. Ele recidivou [a doença reapareceu], tratamos novamente, recidivou de novo. E, na terceira recidiva, apareceram lesões na pele. Em pacientes sem HIV não vemos isso. Ele não tinha HIV e apareceram lesões na pele, pelo corpo inteiro, tipo botões, que chamamos de papulas”, contou o médico.

“Quando fizemos a biópsia, eram células repletas de parasitas. E aí o paciente evoluiu gravemente ao que chamamos de Leishmaniose visceral grave, com sangramento. O baço dele era gigante e a gente tentou formas de tratamento, mas ele não sobreviveu”, contou.

Almeida coletou amostras de tecidos desse paciente e os enviou a João Santana Silva, especialista em imunologia da FMRP-USP, que não conseguiu identificar o parasita pelos métodos tradicionais, comparando-o às espécies já conhecidas de Leishmania. Em 2014, a identificação do parasita ficou a cargo da bióloga e imunologista Sandra Regina Costa Maruyama, que começou a desconfiar que se tratava, na verdade, de um novo parasita que ainda não havia sido descrito pela ciência.

“A gente estava diante de um caso grave. Como não conhecíamos outras doenças, a gente achou que era um calazar grave. Mas quando fomos ver, o parasita isolado da medula óssea, da pele e do baço [desse paciente] se comportava também de maneira diferente em um camundongo [de laboratório]. O parasita [retirado] da pele dava lesão na pele do camundongo, mas não dava nos órgãos. E o parasita que veio da medula óssea dava lesão parecida com o calazar, no baço e no fígado [do camundongo]. Temos então dois parasitas diferentes no mesmo paciente”, falou Almeida.

Eles então fizeram um sequenciamento do DNA do parasita, que foi comparado ao de outros protozoários. Os pesquisadores perceberam, então, que não se tratava do Leishmania. O novo parasita se assemelha ao Crithidia fasciculata, que infecta apenas insetos e que é incapaz de infectar mamíferos. No entanto, essa nova espécie de parasita foi capaz de infectar humanos e camundongos – e de forma grave.

Segundo Almeida, os 150 pacientes isolados também estão sendo testados para se avaliar se também foram infectados por esse novo parasita. “Boa parte desses pacientes também pertence a esse novo grupo. Ou seja, o problema pode ser ainda maior do que estamos imaginando”, disse.

Os pesquisadores esperam, em breve, conseguir descrever o novo parasita e nomear a nova doença. “Identificamos um parasita novo, uma doença nova, que causa uma doença grave e com resposta terapêutica não totalmente suficiente ou eficaz. Queremos entender a extensão disso e de onde apareceu esse parasita, se foi uma mutação. Tem uma linha grande de pesquisa para a gente investigar. Também queremos ver, geograficamente, para onde está se expandindo o parasita”, disse Almeida.

Leishmaniose

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 50 mil e 90 mil pessoas adoecem todos os anos com leishmaniose visceral. Dos casos registrados na América Latina, 90% ocorrem no Brasil. Também conhecida como calazar, ela é transmitida ao homem pela picada de fêmeas do inseto infectado, conhecido popularmente como mosquito palha ou birigui. A transmissão aos insetos ocorre quando fêmeas do mosquito picam cães ou outros animais infectados e depois picam o homem, transmitindo o protozoário Leishmania chagasi, causador da Leishmaniose Visceral.

Segundo o Ministério da Saúde, esses insetos são pequenos e têm como características a coloração amarelada ou de cor palha e, em posição de repouso, suas asas permanecem eretas e semiabertas. Eles se desenvolvem em locais úmidos, sombreados e ricos em matéria orgânica (folhas, frutos, fezes de animais e outros entulhos que favoreçam a umidade do solo). No ambiente urbano, o cão é a principal fonte de infecção para o vetor, podendo desenvolver os sintomas da doença, que são: emagrecimento, queda de pêlos, crescimento e deformação das unhas, paralisia de membros posteriores e desnutrição, entre outros.

Nos humanos, os sintomas da doença são febre de longa duração, aumento do fígado e do baço, perda de peso, fraqueza, redução da força muscular e anemia. Se não tratada, pode ser fatal.

Em 2017, segundo o Ministério da Saúde, 4.103 casos de Leishamiose visceral foram notificados no Brasil, sendo que 1.824 deles registrados na Região Nordeste. Em média, cerca de 3,5 mil casos são registrados anualmente. Nos últimos anos, a letalidade vem aumentando gradativamente. Em 2017, 327 pessoas morreram no Brasil por causa dessa doença.

A Escola de Saúde da UFRN tornou público o Edital Nº06/2019 que orienta a seleção de alunos para ingresso em quatro cursos técnicos, em 2020. São oferecidas 220 vagas no total, sendo 80 para o Técnico em Enfermagem, 50 vagas para o curso Técnico em Registros e Informações em Saúde, 50 para o curso Técnico em Agente Comunitário de Saúde e 40 vagas para o curso Técnico em Massoterapia. As inscrições começam nesta segunda-feira, 23 de setembro, e vão até o dia 22 de outubro de 2019, exclusivamente pela Internet, através do site do Núcleo Permanente de Concursos da UFRN, a Comperve. A taxa de inscrição custa R$ 30,00 (trinta reais) e as provas serão aplicadas no dia 17 de novembro de 2019, em Natal.

Todas as informações, critérios de seleção e documentos referentes ao processo seletivo, inclusive o programa de estudos, estão disponíveis no site www.comperve.ufrn.br, no menu cursos técnicos.

Link: http://www.comperve.ufrn.br/conteudo/cursostecnicos/escolaenfermagem/2020/informacoes.php

Os interessados podem saber mais informações sobre cada um dos cursos técnicos oferecidos pela Escola de Saúde da UFRN acessando o site www.escoladesaude.ufrn.br e acompanhando a ESUFRN nas mídias sociais; no Facebook – Escola de Saúde da UFRN e no Instagram @esufrn. Ou ainda através do telefone 3342-2290 (ramal 101).

Através do Programa Viver sem Limites do Ministério da Saúde – Coordenação Geral de Saúde da Pessoa com Deficiência (CGSPD), a Secretaria de Saúde de Macaíba foi contemplada com dois modernos furgões adaptados para transportar e atender às necessidades desses pacientes no município e região. Um investimento de mais de 366 mil reais.

Os veículos serão cedidos para utilização do Instituto de Ensino e Pesquisa Alberto Santos Dumont, por meio de seu Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi.

Estiveram presentes no ensejo da oficialização da cessão, na manhã desta sexta-feira (20/09) no Palácio Auta de Souza, o vice-prefeito Auri Simplício; a secretária municipal de Tributação, Ulibna Kelry; o secretário municipal adjunto de Saúde, Werbert Moura; e os representantes do Instituto Santos Dumont: Lilian Lisboa, gerente do Centro Anita Garibaldi, e Edgard Morya, coordenador de pesquisa do Centro Anita Garibaldi.

“Com esses transportes, a gente vai possibilitar o acesso facilitado desses pacientes ao tratamento e vamos montar uma rota para que cheguem até o Centro de Educação e Pesquisa onde nossas atividades estão sendo desenvolvidas, onde temos instrumentos que auxiliam bastante na reabilitação.”, expressou Lilian Lisboa.

O suicídio é um problema de saúde pública. Muitas pessoas sofrem diariamente sem ter ajuda e, por muitas vezes, nem sabem como procurar apoio. Sabendo disso, a Prefeitura de Macaíba está desenvolvendo em sua rede de saúde uma série de ações relativas à campanha denominada de Setembro Amarelo, movimento mundial de conscientização sobre a prevenção ao suicídio.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em mais de 90% dos casos existe prevenção. Através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), essas ações têm como palco principal as próprias unidades de saúde.

Um bom exemplo é o posto de saúde localizado na Rua Elói de Souza, que nesta quarta-feira (18/09) promoveu uma roda de conversa sobre a temática com profissionais de variadas áreas de atuação e moradores e usuários dos serviços de saúde da região.

Prevenção do suicídio

Na próxima segunda-feira (23/09), haverá um grande evento no Centro de Convivência Pax Club, ocasião em que os profissionais atuantes no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II) irão promover o “Momento de conscientização à valorização da vida e prevenção do suicídio”, entre 9h e 11h, tendo como público-alvo principal os alunos da rede municipal matriculados do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

Na quarta-feira (25/09), também no Pax Club, será realizado o II Fórum Municipal de Prevenção ao Suicídio e Valorização da Vida, com a presença de funcionários da área de saúde, principalmente do setor de saúde mental, e usuários dos Centros de Atenção Psicossocial CAPS-AD e CAPS II, com início previsto para as 8h30. No período da tarde, haverá no mesmo local uma nova ação relativa ao Setembro Amarelo, com diversas dinâmicas e discussões relacionadas.

Disque 188

Caso precise de ajuda ou conhece alguém que precise, ligue gratuitamente para o Centro de Valorização da Vida (CVV), discando 188. Trata-se de uma entidade filantrópica que oferece serviço voluntário de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato.

A Prefeitura de Macaíba, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), promove o programa “Saúde Auditiva do Escolar: identificação e orientação”, que tem o objetivo de verificar a audição dos estudantes e a eficácia de um novo sistema de triagem auditiva para os alunos e alunas, desenvolvido pela professora, King Chung, da Northern Illinois University, dos Estados Unidos.

Os estudantes assistidos pelo programa são da Escola Municipal Auta de Souza. Durante a ação, deficiências auditivas são identificadas e cada caso é analisado, buscando as melhores soluções junto ao Sistema Único de Saúde (SUS). Nesta segunda-feira (16), as professoras King e Sheila Andreolli Balen realizaram uma visita por algumas das comunidades e bairros onde os estudantes assistidos pelo Saúde Auditiva moram, entre elas Loteamento Esperança, Vilar, Residencial Campinas e Centro.

As docentes também conheceram o museu Solar Ferreiro Torto e todo o acervo sobre a história de Macaíba presente no local. Na oportunidade, a professora King destacou as impressões sobre o município e o desenvolvimento das atividades na escola. “Estou muito impressionada com as pessoas da escola. Elas são muito dedicadas com os estudantes. Penso que é muito importante dedicar-se as pessoas como eles fazem. Os estudantes e a doutora Sheyla (coordenadora do programa) trabalham muito e realmente tentam fazer o melhor. Eu fico feliz em saber onde moram para entender mais sobre eles. Espero ajudá-los”, afirma.

King Chung é PhD pela Universidade Northwestern, dos Estados Unidos e desenvolve pesquisas e serviços humanitários relacionados à audiologia em vários e diversos países, entre eles Camboja, Zâmbia, República Dominicana, Austrália, China, Honk Kong e Taiwan. A professora participa do programa de bolsas de estudos Fullbright Scholar Program, ação de incentivo à educação intercultural desenvolvido pelo departamento de Estado dos Estados Unidos da América.

Assecom

O Rio Grande do Norte recebeu, do Ministério da Saúde, 12 ambulâncias para renovação da frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (SAMU 192 RN). Os veículos serão utilizados como Suporte Básico (USB) e Avançado (USA) na Região Metropolitana e bases descentralizadas no interior do estado e entram em operação a partir de hoje (13).

Com os novos veículos a frota do SAMU 192 RN passa a ser de 50 viaturas, sendo 28 de Suporte Básico, 08 de Suporte Avançado, além de 14 ambulâncias para backup.

Mais de 700 profissionais atuam no serviço que possui 21 bases descentralizadas em todo o estado, além de uma base central, em Macaíba e uma Central de Regulação Médica. Em 2018 o SAMU 192 RN atendeu a 94.613 ocorrências em todo o estado.

Resultado de imagem para anita garibaldi em macaiba

O Instituto Santos Dumont (ISD) seleciona profissionais nas áreas de Medicina-Neurologia e Nutrição para seu Centro Especializado em Reabilitação, projeto conjunto do Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (CEPS) e do Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS), localizados em Macaíba (RN).

Os currículos serão aceitos até 18/09/2019.

Acesse os editais.

 

A Prefeitura de Macaíba, por intermédio da Secretária Municipal de Saúde (SMS), prossegue com a campanha de vacinação antirrábica. Hoje (10/09), a vacinação ocorre no Conjunto Manoel Dias. Amanhã (11/09), será em Pé do Galo. Na quinta-feira (12/09), em Recreio do Trevo. No sábado (14/09), em Recanto Verde. Na quinta-feira (19/09), no Vilar. Na sexta-feira (20/09), em Loteamento Esperança e Lagoa Grande.

Na segunda-feira (23/09), no Residencial Campinas. Na terça-feira (24/09) na Morada da Fé e Raiz. Na quarta-feira (25/09), em Lagoa das Pedras e Rua José Coelho. Na quinta-feira (26/09), na Vila São José. E na sexta-feira (27/09), no bairro Alfredo Mesquita, na Praça da Saudade. Mais detalhes sobre o cronograma na tabela anexa.

A data de mobilização (Dia D) em todo município será no sábado (28/09), contando com 12 pontos de atendimento na zona urbana de Macaíba. O Centro de Vigilância Sanitária do município está aberto para vacinação de segunda à quinta, das 8h às 15h e nas sextas-feiras das 8h às 12h.

O local fica na Rua Jessé Pinto Freire, número 101 (próximo à passarela do Vilar). Mais informações podem ser obtidas pelo número de telefone do Centro, 3271-6574. Para receber a vacina, os animais devem ter a partir de três meses de vida. A vacinação de cães e gatos começou no dia 1º de julho e segue até o dia 30 de outubro deste ano por todas as comunidades e distritos.

 

O Governo do RN, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) em parceria com a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern), abriu processo seletivo simplificado para seleção de profissionais técnicos de nível superior, para atuarem como pesquisadores-bolsistas no projeto de pesquisa “Inovação na Gestão do Sistema Único de Assistência Social no Estado do Rio Grande do Norte”.

Serão disponibilizadas 13 bolsas, com carga horária de 30h semanais, no valor de R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) e validade de 12 meses, podendo ser renovado por igual período, conforme evolução da pesquisa e disponibilidade orçamentária. As inscrições poderão ser realizadas até o dia 16 de setembro presencialmente ou por meio de endereço eletrônico.

Poderão participar da seleção profissionais graduados nos seguintes cursos: Serviço Social, Psicologia, Pedagogia, Antropologia, Ciências Sociais (Sociologia e Ciências Políticas), Direito e Administração Pública ou de Empresas.

Para realizar a inscrição, o interessado deverá preencher o requerimento de inscrição disponível no site da Sethas (www.sethas.rn.gov.br) no menu documentos, e anexar a documentação exigida em PDF e enviar para o endereço eletrônicoselecaosethas@gmail.com. A documentação também poderá ser entregue presencialmente na Sethas, na sala da Coordenadoria da Gestão do SUAS, BR 101, Centro Administrativo do Estado do Rio Grande do Norte, Lagoa Nova, Natal/RN.

O processo terá duas etapas: Análise de currículo (pré-seleção) e análise de projeto/plano de trabalho individual e entrevista.

O edital completo com todas as normas pode ser consultado no menu documentos no site www.sethas.rn.gov.br.

 

Agência Brasil – Os municípios, com até 100 mil habitantes, vão receber nos próximos meses R$ 44,2 milhões do Ministério da Saúde para que possam adquirir câmaras frias a fim de ampliar a estrutura de armazenamento de vacinas e imunobiológico. A liberação dos recursos foi acertada durante reunião da Comissão Intergestores Tripartite, realizada esta semana em Brasília.

A medida tem por objetivo garantir a qualidade dos imunobiológicos ofertados à população e a execução da Política Nacional de Imunizações dentro do padrão de qualidade e segurança do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Entre as vantagens da câmara fria estão o controle real da temperatura e sua distribuição homogênea, o processamento dos dados que permite acompanhar qualquer alteração no equipamento e ainda a disponibilização de bateria, caso ocorra queda de energia. Com isso, é possível garantir a qualidade e a eficácia da vacina aplicada na população, além de evitar a perda desses insumos por conta das variações de temperatura”, disse o diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis, Julio Croda.

De acordo com o ministério, além do critério do número de habitantes, o município precisa ter implantado o sistema de informação nominal do Programa Nacional de Imunizações e não dispor de uma câmara refrigerada.

O dinheiro será liberado na modalidade fundo a fundo, em parcela única, pelo Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e/ou Municipais, por meio do Bloco de Investimento na Rede de Serviços Públicos de Saúde, no Grupo de Vigilância em Saúde. Todos os procedimentos e critérios para o repasse dos recursos financeiros serão divulgados em portaria que o ministério publicará em breve.

Resultado de imagem para sarampo

Secretaria de Estado da Saúde Pública divulgou nesta terça-feira (27/08) um boletim sobre a situação do sarampo no Rio Grande do Norte. Até o momento, o estado tem 3 casos confirmados e 12 casos em investigação.

O primeiro caso foi de um paciente do sexo masculino de 54 anos que teve um histórico de viagem a São Paulo; os outros casos confirmados foram de uma criança de 6 anos, do sexo masculino, do município de Macaíba e de uma criança de 1 ano e 6 meses, residente no município de Tibau do Sul.

De acordo com a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Lucchesi. para confirmar um caso de sarampo a Sesap leva em consideração os aspectos clínicos, epidemiológicos e os exames laboratoriais. “Nós testamos os exames tanto para sarampo quanto para outros vírus, o que nós chamamos de exames diferenciais. E os exames que, no primeiro momento, dão como reagentes para sarampo, a amostra é enviada para o laboratório de referência para ser feito o isolamento viral. Os três casos confirmados tiveram o isolamento viral detectado para sarampo”, explica Lucchesi.

A Sesap declarou há poucos dias que o Rio Grande do Norte está em situação de alerta contra o sarampo. A preocupação do governo estadual é devido à reintrodução do vírus no país através do estado de São Paulo, que vive uma situação de surto, e devido ao fato de Natal receber diariamente grande quantidade de turistas advindos da região Sudeste. “Com a reinserção do vírus no país, as pessoas precisam estar atentas porque o vírus do sarampo está circulando e apresenta sintomatologia inicial muito semelhante à dengue, zika e chinkungunya”, conclui Lucchesi.

Confira o boletim epidemiológico clicando aqui.

Mais informações sobre o sarampo, acesse a página do Ministério da Saúde.

SESAP

 

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Macaíba acaba de receber novos equipamentos para auxiliar no atendimento de seus usuários. Foram adquiridos equipamentos como camas hospitalares elétricas, monitores cardíacos multiparamétricos, oxímetros e cadeira de rodas adaptada para transporte de pacientes em situação de sobrepeso.

A UPA de Macaíba é referência no atendimento em saúde e em estrutura para o todo o Rio Grande do Norte. Ao completar 6 anos de funcionamento em junho passado, já somava mais de 360 mil atendimentos, não só da população local, mas também de diversos municípios adjacentes.

Em tempos de crise em que inúmeras UPAs estão fechadas ou com obras inacabadas, ou ainda municípios em que prefeitos relutam em construir uma unidade deste tipo, a gestão municipal de Macaíba é um exemplo para o país, mantendo com eficiência os serviços de sua UPA com um investimento mensal que ultrapassa os R$ 600 mil oriundos de seus próprios recursos.

Assecom

A Prefeitura de Macaíba promoveu mais uma edição do projeto Sexta-feira Sem Aedes, desta vez, na comunidade quilombola Capoeiras, nesta sexta-feira (16). Agentes comunitários de saúde e de endemias percorreram a comunidade conversando com a população sobre a importância do combate aos focos de criação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, vírus zika e chikungunya.

Vistorias foram feitas em mais de 600 casas da comunidade. Aplicações de inseticidas para combater focos de proliferação do mosquito também foram feitas, enquanto serviços de limpeza urbana como capinação, varrição e recolhimento de entulhos e lixo foram realizados nas ruas da região pela equipe de limpeza urbana.

A agricultora Maria da Glória dos Santos, 69, aprova a ação na comunidade onde mora. “Estou achando muito bom porque pode ter algum mosquito entocado por aí. A gente agradece”, afirmou. Pensamento semelhante ao da também agricultora Lenice Felipe, de 31 anos. “Boa mesmo. Aqui estava precisando bastante. Tinha muito lixo na rua”, declarou a moradora.

O projeto Sexta-feira Sem Aedes foi criado em 2017 pela Prefeitura de Macaíba e desde então visitou uma série de comunidades, bairros e distritos do município, contando com o trabalho integrado entre as Secretarias Municipais de Saúde e Meio Ambiente e Urbanismo. Riacho do Sangue, Canabrava, assentamento Eldorado dos Carajás, Vilar e Loteamento Esperança foram alguns dos locais que receberam as atividades.

Assecom

 

A governadora Fátima Bezerra e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assinaram nesta sexta-feira, 16, em Natal, atos normativos que autorizam a liberação de R$ 65 milhões para os serviços prestados pela secretaria estadual de Saúde e mais R$ 20 milhões para 51 municípios.

Os recursos são destinados aos serviços da atenção primária e hospitalar, aquisição de equipamentos, obras de construção, reforma e ampliação de unidade de saúde, custeio dos serviços de urgência e emergência e ampliação da capacidade de atendimento à população.

Fátima Bezerra agradeceu a presença do ministro em Natal e a liberação dos recursos e disse que este ano este é o primeiro aporte de recursos federais extras para o Governo do Estado e que o montante é muito importante, mas as necessidades são de R$ 220 milhões. “Recebemos com muita alegria o ministro e agradecemos pela atenção em liberar os recursos”, afirmou a Governadora para acrescentar que, diante das nossas necessidades este foi um passo importante. “O povo do Rio Grande do Norte me conferiu a função de governadora através do voto. E vou bater em todas as portas para cobrar ao Governo Federal o atendimento às nossas reivindicações”, reforçou

Do total dos R$ 65 milhões, R$ 35 milhões por ano serão destinados à ampliação do custeio dos serviços de média e alta complexidade (teto MAC) para financiar internações, cirurgias e exames complementares. R$ 23 milhões serão liberados em três parcelas como adicional para fortalecer a rede hospitalar.

HOSPITAL DA PM PASSA A INTEGRAR O SUS

Outra medida importante solicitada pelo Governo do Estado, e agora atendida pelo Ministério da Saúde, é a inclusão do Hospital Central da Polícia Militar Coronel Pedro Germano na rede SUS. O Hospital da Polícia Militar vai receber aporte de R$ 7,8 milhões por ano para atendimento a pacientes do SUS na urgência e emergência 24 horas.

Os recursos vêm suprir déficit orçamentário já existente e ajudará na qualificação da assistência à população potiguar. O déficit se dá por que o teto de repasse do Governo Federal tem valor inferior à produção dos hospitais no atendimento à população. O déficit orçamentário previsto para este ano é de R$ 200 milhões.

A governadora também agradeceu o apoio da bancada de deputados federais e senadores do RN que intercedeu junto ao Governo Federal em apoio à liberação dos recursos. “Buscamos apoios dos nossos parlamentares e conseguimos. Nos reunimos em Natal e em Brasília, o resultado é que, somando esforços, conseguimos esta liberação em favor da população de todo o Rio Grande do Norte”, registrou Fátima Bezerra.

O secretário estadual de Saúde Cipriano Maia, destacou a importância da vinda do ministro ao Rio Grande do Norte. “Esperamos que a vinda do ministro possa propiciar o fortalecimento das relações interfederativas da saúde”, disse o secretário.

À solenidade no auditório da Governadoria em Natal também compareceram os secretários de Estado da Saúde, Cipriano Maia, da Infraestrutura, Gustavo Coelho, da Sethas, Iris Oliveira, Segurança Pública, Francisco Araújo, Administração Penitenciária, Pedro Florêncio, secretaria extraordinária de gestão de projetos (SEGEPRO), Fernando Mineiro, diretor do DER, Manoel Marques, presidente da Caern, Sérgio Linhares, senadora Zenaide Maia, os senadores Jean Paul Prates e Styvenson Valentim enviaram representantes, deputados federais Rafael Motta, Benes Leocádio e João Maia, deputados estaduais, George Soare – líder do Governo na Assembleia, Eudiane Macedo, Ubaldo Fernandes e Bernardo Amorim, prefeitos de Natal, Álvaro Dias, Mossoró, Rosalba Ciarlini, São Gonçalo do Amarante, Paulo de Souza, de Messias Targino, Shirley Targino, Pau dos Ferros, Leonardo Rego.

SOLICITAÇÕES DO PLANO DE CUSTEIO DA SAÚDE PÚBLICA

•        As solicitações do Governo ao Ministério da Saúde integram o Plano de custeio da Saúde Pública apresentado no mês de março último ao secretário executivo do ministério, João Gobbardo dos Reis;

•        O Plano prevê um investimento total de R$ 220,6 milhões;

•        O valor seria utilizado para soluções de médio e curto prazo a fim de diminuir a superlotação das unidades, conter as paralisações na prestação de serviços e evitar o colapso na área;

•        O pedido foi reforçado em maio e depois em julho, em reuniões com o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta;

•        O plano define como prioridades a liberação de R$ 50 milhões para cirurgias (oncológicas, cardíacas, neurocirurgias e de alta complexidade), abastecimento de insumos e medicamentos;

•        O sistema estadual de regulação de cirurgias tem mais de 8 mil pessoas na fila de espera para procedimentos de urgência e eletivos, além de mais de 20 mil requisições de ultrassonografia e 8 mil para tomografia;

•        O plano ainda trata da integração do Hospital da Polícia Militar ao SUS, financiamento para implantação das policlínicas, ampliação do teto em áreas de média e alta complexidade (MAC), custeio solidário dos leitos de UTI, aumento de recursos para contratos com os hospitais universitários e liberação de emendas parlamentares para hospitais estaduais (realizado hoje;

•        O teto do MAC teve decréscimo nos últimos anos. A produção de serviços nas unidades estaduais ultrapassou o teto em mais de 40%, com uma diferença negativa de cerca de R$ 50 milhões; inclusive, o Ministério da Saúde só reconhece o teto máximo de R$ 36 milhões.

•        O Governo do Estado, em 2018, teve mais de R$ 60 milhões sequestrados pela Justiça para atender a decisões judiciais, além de manter 30 leitos de UTI na rede privada, ao custo de R$ 45 milhões/ano, também por decisão judicial.

SOLICITAÇÕES DO PLANO ENTREGUE AO MINISTÉRIO DA SAÚDE

– Hospital da PM: R$ 7,8 milhões/ano

– Custeio da produção da Sesap: R$ 50,4 milhões/ano

– Complementação dos serviços sem financiamento federal: R$ 33 milhões/ano

– Cirurgias oncológicas: R$ 17 milhões/ano

– Cirurgias ortopédicas: R$ 2 milhões/ano

– Cirurgias urológicas: R$ 2,2 milhões/ano

– Déficit nas tomografias, ressonâncias e cintilografias: R$ 26 milhões/ano

– Leitos de UTI judicializados: R$ 45,9 milhões

– Leitos de UTI próprios: R$ 20,8 milhões

– Cirurgias eletivas: R$ 7,6 milhões

APOIO DO GOVERNO DO RN AO HOSPITAL INFANTIL VARELA SANTIAGO

O Governo do RN mantém um convênio com o Instituto de Proteção e Assistência à Infância do Rio Grande do Norte (IPAI) no valor de R$ 2,3 milhões/ano para o financiamento do Hospital Infantil Varela Santiago. Esse convênio foi firmado ano passado e teve pagamento dividido em quatro parcelas, em 2018 duas foram pagas e esse ano as demais.

O Estado também apoia o Varela Santiago com o pagamento de serviços que incluem fornecimento de gases medicinais e recolhimento do lixo hospitalar no valor de mais de R$ 519,7 mil e ainda mantém convênio referente ao atendimento de média e alta complexidade no valor anual de R$ 2,2 milhões.