Saúde Arquivo

Foto: Cícero Oliveira

Especialistas estão preocupados com o crescente número de pacientes e animais infectados com a esporotricose, doença emergente provocada por fungos do gênero Sporothrix. Ao menos 131 pessoas foram diagnosticadas no Rio Grande do Norte, e um óbito foi confirmado. Até recentemente, não havia registro dessa micose por aqui. Hoje, ela se espalha muito rápido por Natal e região metropolitana, principalmente Parnamirim, Extremoz e São Gonçalo do Amarante, mas já foi identificada em Santo Antônio do Salto da Onça.

Epidêmica no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, tendo o maior número de casos confirmados no Rio de Janeiro, a esporotricose começou a dar sinais por aqui em 2015, quando o médico veterinário José Flávio Vidal Coutinho, do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Natal, levantou a possibilidade de alguns animais, principalmente gatos, apresentarem ferimentos e sintomas suspeitos.

A confirmação foi feita pelo Instituto de Medicina Tropical (IMT/UFRN), a partir de estudos de pesquisa científica do biomédico Thales Domingos Arantes — atualmente professor no Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública IPTSP/Universidade Federal de Goiás — em colaboração com a bióloga, geneticista e supervisora do Laboratório de Micologia do IMT/RN, Raquel Cordeiro Theodoro, do Departamento de Biologia Celular e Genética do Centro de Biociências da UFRN. Em humanos, o primeiro caso foi diagnosticado pela infectologista Eveline Pipolo Milan, do Departamento de Infectologia da UFRN, em outubro de 2016.

Apesar de não haver registros dessa doença no RN até então, pesquisadores já sabiam que a região Nordeste apresentava aumento no número de casos desde 2013, sendo os estados mais afetados a Bahia, Pernambuco e Paraíba. Embora tenha demorado, a doença chegou aqui com muita força. Até agora, a espécie de fungo mais comum encontrado é a Sporothrix brasiliensis, de perfil zoonótico e associado a surtos de esporotricose.

Matéria na íntegra

Cerveja

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agência Brasil – A Secretaria de Saúde de Minas Gerais confirmou, na tarde desta quinta-feira (16), a quarta morte por ingestão de dietilenoglicol, substância tóxica encontrada em cervejas produzidas pela Backer, em Belo Horizonte. A vítima é uma mulher que morreu no dia 28 de dezembro em Pompéu, interior do estado. Já são 18 casos, incluindo mortes e internações por intoxicação. Na manhã de hoje, havia sido confirmada a terceira morte por intoxicação.

São 12 casos em Belo Horizonte e seis nas cidades de Nova Lima, Pompéu, São João Del Rei, São Lourenço, Ubá e Viçosa. Inicialmente, havia a confirmação de lotes contaminados por dietilenoglicol na cerveja Belorizontina, da Backer. Hoje, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento confirmou a presença de substâncias tóxicas em outras cervejas produzidas pela empresa mineira.

A ingestão de dietilenoglicol pode causar síndrome nefroneural. A Secretaria de Saúde pede que sejam notificados às autoridades locais os casos de pessoas que ingeriram cerveja da marca Backer a partir de outubro de 2019 e apresentaram em até 72 horas sintomas gastrointestinais (náusea e/ou vômito e/ou dor abdominal) associados a alterações da função renal ou sintomas neurológicos (paralisia facial, borramento visual, amaurose, alterações de sensório, paralisia descendente e crise convulsiva).

Exames laboratoriais encontraram monoetilenoglicol e dietilenoglicol nas cervejas de rótulos Capitão Senra, Pele Vermelha, Fargo 46, Backer Pilsen, Brown e Backer D2. A marca Belorizontina, que é vendida como Capixaba no Espírito Santo, foi o primeiro rótulo da Backer a ter a contaminação confirmada.

Operação

Devido às suas propriedades anticongelantes, o monoetilenoglicol e o dietilenoglicol costumam ser usados em sistemas de refrigeração. A cervejaria Backer, no entanto, tem negado empregar as duas substâncias em sua linha de produção. Procurada, a cervejaria não se pronunciou sobre as novas conclusões do Ministério da Agricultura, nem sobre o cumprimento dos mandados de busca e apreensão na distribuidora que lhe fornece insumos.

Investigação

O Ministério da Agricultura informou que continua  “atuando nas apurações administrativas para identificar as circunstâncias em que os fatos ocorreram e tomando as medidas necessárias para mitigar o risco apresentado pelas cervejas contaminadas”.

No último dia 13, a pasta intimou a empresa a recolher dos estabelecimentos comerciais toda a sua produção vendida a partir de outubro de 2019 até a presente data. Antes disso, o ministério já havia lacrado tanques e demais equipamentos de produção e apreendido 139 mil litros de cerveja engarrafada e 8.480 litros de chope.

O Estado do Rio Grande do Norte terá que adotar todas as providências administrativas, financeiras e orçamentárias para, em 30 dias, retomar as obras de reforma e de ampliação da estrutura física do Hospital Regional Deoclécio Marques de Lucena. A obrigação é uma determinação judicial obtida pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) em uma ação civil pública (ACP).

Todas essas medidas visam que o Estado cumpra um contrato no qual estavam previstos a forma e os valores da obra. A decisão judicial ainda determina que o Estado deve efetuar, no mesmo prazo, o empenho dos valores a serem pagos decorrentes dos serviços executados em 2019; e o pagamento das medições de parcelas da obra de reforma e ampliação do hospital já aferidas e auditadas (que ainda estejam pendentes de quitação, a fim de regularizar os pagamentos à construtora responsável pela obra). A Justiça ainda fixou uma multa diária no valor de R$ 1 mil para o caso de descumprimento da decisão.

A ACP ajuizada pelo MPRN, através da 4ª Promotoria de Justiça de Parnamirim e da 47ª Promotoria de Justiça de Natal, é um desdobramento de um inquérito civil instaurado no âmbito da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Parnamirim que visou buscar medidas para implementar a
reforma e ampliação da unidade hospitalar. Os custos da obra correspondiam à quantia de R$ 1.787.296,62, para o qual já havia licitação. A empresa BMB Construções Ltda. ficou responsável pela execução dos serviços, com a apresentação do valor de R$ 1.572.712,04.

O problema, demonstrado pelo Ministério Público na ACP, é que o Estado vinha agido de forma irregular ao efetuar o pagamento das parcelas das medições da obra com atrasos , aproximadamente 8 meses após o início do serviço . Com isso, foi inviabilizado  o cumprimento do respectivo contrato, ocasionando o retardo na execução dos serviços
no hospital. Além disso, o Estado se mostrou negligente com a saúde da população porque cancelou as obras de ampliação do hospital.

Pelo menos desde 2010 que o MPRN vem fazendo esforços para que o Estado proceda com a reforma e ampliação da unidade de saúde por problemas estruturais e de capacidade de atendimento à demanda, sempre crescente. Para se ter ideia, o MPRN já constatou 43 pacientes nos corredores do Deoclécio Marques de Lucena aguardando por uma cirurgia.

Diante de todos esses problemas, com a demora na retomada e finalização das obras, o MPRN constatou que a prestação do serviço de saúde vinha sendo feita de forma inadequada, produzindo reflexo sobre o direito fundamental à saúde, cuja garantia há de ser efetiva e prontamente oferecida pelo Poder Público.

A Prefeitura de Macaíba realizará um novo mutirão contra o glaucoma nos próximos dias 22 e 23 de janeiro, no centro de convivência Pax Club, das 8h às 17h. O objetivo do mutirão é combater a doença por meio da identificação precoce. O glaucoma é uma doença silenciosa capaz de causar cegueira irreversível.

O público-alvo é formado por pessoas com idades acima dos 30 anos, com histórico de Glaucoma na família, Pressão Intraocular (PIO) elevada, diabéticas, com alto grau de miopia, que fazem uso prolongado de esteroides e com histórico de trauma ocular.

Para participar, a pessoa deverá ter uma receita, um encaminhamento médico (caso seja a primeira vez), apresentar os originais e as cópias do RG, CPF, cartão do SUS de Macaíba e comprovante de residência de Macaíba no posto de saúde mais próximo de sua casa ou na sede da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Quando diagnosticada alguma anormalidade relacionada à doença, os pacientes são medicados e passam a receber acompanhamento oftalmológico. A cada três meses, eles serão submetidos a uma nova consulta, recebendo então nova medicação antiglaucomatosa. Cirurgias também poderão ser feitas em caso de necessidade.

cerveja

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Agência Brasil – A contaminação de lotes de cerveja por uma substância tóxica usualmente empregada na produção de bebidas industriais pode ter causado a morte de uma pessoa e a internação de outras sete, em Minas Gerais, nos últimos dias.

Exames laboratoriais realizados pela Polícia Civil de Minas Gerais identificaram a presença da substância dietilenoglicol em amostras de ao menos dois lotes da cerveja Belorizontina, da Backer. As amostras dos lotes L1 1348 e L2 1348 foram recolhidas nas residências dos pacientes internados com insuficiência renal aguda e alterações neurológicas.

Segundo o superintendente de Polícia Técnico-Científica da Polícia Civil, Thales Bittencourt, o resultado das investigações é preliminar, não sendo possível, até o momento, afirmar como a substância contaminou as bebidas periciadas. “Só é possível afirmar que ela foi identificada em duas amostras”, disse Bittencourt, na tarde desta quinta-feira (9), em entrevista à imprensa.

Logo após a Polícia Civil ter revelado o resultado da perícia, a cervejaria Backer informou que vai recolher todos os vasilhames de Belorizontina dos lotes L1 1348 e L2 1348. A medida, segundo a empresa, é preventiva, pois o dietilenoglicol não faz parte do processo de produção de suas cervejas. A cervejaria não aponta nenhuma hipótese para explicar como, então, a substância teria contaminado os produtos periciados.

“A Cervejaria Backer continua à disposição das autoridades para auxiliar no que for necessário até a conclusão das investigações”, afirma a empresa, em nota.

Segundo a secretaria estadual de Saúde, o primeiro dos oito casos de síndrome nefroneural foi registrado pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde em 30 de dezembro, em Belo Horizonte. A segunda vítima foi internada em um hospital de Juiz de Fora. Nos dias seguintes, outras seis pessoas deram entrada em hospitais da região metropolitana da capital mineira, com insuficiência renal aguda e alterações neurológicas centrais e periféricas. Na terça-feira (7), um paciente internado em Juiz de Fora morreu em função de complicações no quadro.

Ainda de acordo com a secretaria de saúde, os pacientes apresentaram uma rápida deterioração do estado de saúde: em média, em dois dias e meio após o surgimento dos primeiros sintomas, as pessoas tiveram que ser internadas. Um nono caso foi descartado pelo fato de não apresentar os mesmos sintomas dos demais e por ter doença renal prévia.

Uma força-tarefa com técnicos das secretarias de Saúde de Belo Horizonte e de Minas Gerais e do Ministério da Saúde foi criada para acompanhar as investigações e as medidas necessárias à proteção da população.

Foto: Isaías Santana

O Teatro Municipal de São Gonçalo do Amarante/RN ficou lotado para acompanhar uma das datas mais significativas da gestão do prefeito Paulo Emídio, o Paulinho. Na manhã desta quarta-feira (8), a Prefeitura e Caixa Econômica Federal oficializaram o contrato para construção do hospital geral do município, uma parceria com o Governo Federal, através do Ministério da Saúde.

A unidade hospitalar contará com 135 leitos, UTI Adulto e Infantil, e serviço de urgência e emergência infantil e adulto, com classificação de risco, e atenderá também a Região Metropolitana de Natal, que concentra uma população de mais de 1,5 milhão de pessoas. O valor do contrato é de R$ 50 milhões.

O prefeito Paulo Emídio agradeceu ao Governo Federal, na pessoa do ministro Luiz Henrique Mandetta e do presidente Jair Bolsonaro, pela parceria nessa obra que intitulou como “maior sonho da população são-gonçalense”. “Obrigado também à minha equipe que não descansou e trabalhou para que esse momento viesse acontecer. Agora, vamos arregaçar mais ainda as mangas e trabalhar nos próximos passos”, disse.

Com assinatura do contrato, as etapas seguintes para início das obras são a aprovação de projetos pelos técnicos da Caixa e processo licitatório. “A Caixa Econômica está feliz em realizar esse investimento que vai melhorar a vida da população”, ressaltou Silvio José, gerente executivo da CEF.

A governadora Fátima Bezerra, deputado federal João Maia, secretários estaduais Jaime Calado e Cipriano Maia, vice-prefeito Eraldo Paiva, vereadores, secretários municipais e representantes da Caixa também estiveram presentes.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Ambiental (Suvam), atualizou os dados sobre a ocorrência de casos de raiva animal no Rio Grande do Norte. Até 30 de dezembro de 2019, foram confirmados, por diagnóstico laboratorial, 91 animais com a doença: 81 morcegos, cinco raposas, dois bois, dois cães e um equino.

Os casos foram registrados em 29 municípios do RN, entre os quais se destacam, por maior ocorrência, Santo Antônio (15), Caicó (12), Parnamirim (10), São Tomé (8) e Macaíba (7).

Orientações

A raiva é transmitida pela saliva do animal infectado – principalmente, cão e gato, ou de animais silvestres, como morcego e sagui – através da pele ou mucosas, seja por mordedura, arranhadura ou lambedura. A principal forma de prevenção é a vacinação de animais domésticos e de pessoas que foram expostas ao risco.

A orientação da Sesap é para que as vítimas de mordeduras lavem o local com água corrente e sabão e procurem imediatamente a unidade de saúde mais próxima. O vírus rábico é muito sensível a agentes externos e ao lavar o ferimento com água corrente e sabão, ou outro detergente, isso diminui, comprovadamente, o risco de infecção.

Em cerimônia realizada com participação do vice-prefeito, Auri Simplício; da secretária municipal de Saúde, Gisleyne Karla Medeiros; profissionais de saúde, lideranças comunitárias e populares, foi oficialmente entregue à população macaibense a 24ª Estratégia Saúde da Família (ESF) da nossa cidade na manhã desta segunda-feira (30/12).

Localizada na comunidade de Cidade Campestre, a unidade de saúde beneficiará também milhares de moradores de comunidades adjacentes como Bosque Brasil, Porto Brasil, Parque das Paineiras e Flamboyants. Para se ter uma ideia da estrutura de uma ESF, sua ativação exige uma abrangência de uma população de pelo menos 4 mil habitantes no entorno de atuação, explicou a coordenadora geral do setor no município, Irlia de Paula.

A estrutura mínima de uma ESF deve ser composta por uma equipe multiprofissional com médico (clínico-geral), enfermeiro, dentista, técnico de enfermagem,  técnico de saúde bucal, agente de saúde e auxiliar de serviços gerais.

“É uma grande bênção! A gente agora poder ter um posto de saúde. É rapidinho para se deslocar de nossas casas para cá, sem precisar ir a outro bairro de Macaíba.”, Declarou a senhora Genilda, mais conhecida como “Irmã Genilda”, moradora de Cidade Campestre e que estava sendo atendida pouco depois da entrega da unidade.

Posto de saúde de Bela Vista

Além da ESF de Cidade Campestre, a Prefeitura de Macaíba também garantiu o funcionamento do posto de saúde do bairro Bela Vista, que havia sido temporariamente desativado para receber diversas melhorias da Secretaria Municipal de Infraestrutura, como novas instalações elétricas, hidráulicas, climatização, pintura, dentre outros serviços e adaptações para melhor atender aos usuários, constituindo-se na segunda unidade de saúde da região.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) realizou o cadastro de 16 propostas de obras advindas de recursos financeiros de Emendas Parlamentares da Bancada Federal, todas aprovadas pelo Ministério da Saúde. As propostas referem-se à reforma e ampliação dos serviços hospitalares do estado do Rio Grande do Norte.

Serão beneficiados no interior do estado: Hospital Regional do Seridó – Telecila Freitas Fontes, em Caicó, com obras de ampliação e reforma; Hospital Regional Dr. Mariano Coelho, em Currais Novos, com obras de ampliação; ampliação do Hospital Regional Alfredo Mesquita Filho, em Macaíba; ampliação e reforma do Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros, em São José de Mipibu; ampliação do Hospital Dr. Tarcísio Maia, em Mossoró; e reforma do Laboratório Regional de Mossoró (LAREM)

Na capital, Natal, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel receberá obras de ampliação, além de reforma das instalações elétricas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Clínicas médicas, neurológica, ortopédica e geral; reforma do Centro Cirúrgico; reforma do bloco B no segundo andar ao pavimento 3 e recuperação e reforma Geral do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ). O Hospital José Pedro Bezerra (Santa Catarina) receberá obras de ampliação e reforma e também o Hospital Dr. João Machado.

Para atender a todas as diligências postas pelo Ministério da Saúde, a Sesap contou com a colaboração dos diretores de hospitais na elaboração dos projetos, com o monitoramento contínuo da equipe da Subcoordenadoria de Convênios e Projetos Específicos (SUCOPE) ligada a Coordenadoria de Planejamento e Controle de Serviços de Saúde (CPCS), e apoio da Coordenadoria de Operações de Hospitais e Unidades de Referência (Cohur) e também da equipe do Grupo Auxiliar de Engenharia e Projetos (GAEP) ligado a Coordenadoria de Administração (COAD).

Notícia dada pelo Prefeito sobre o fim da greve dos médicos é FALSA

A notícia dada pelo Prefeito de Natal, Álvaro Dias, comunicando o fim da greve dos médicos do município, trata-se de Fake News com o intuito de desmobilizar a categoria.

Até o momento não houve convocação por parte do Prefeito para um entendimento entre a prefeitura e os médicos.

A greve continua com intensificação das manifestações nos eventos de derrame irresponsável de dinheiro público que a prefeitura está fazendo em shows faraônicos com artistas de fora, enquanto a saúde de Natal agoniza.

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte convoca todos os médicos estatutários a se fazerem presentes em Assembleia:

DATA: 19 de dezembro (quinta-feira)
HORA: 19:30h
LOCAL Sede do Sinmed RN

PAUTA: Gratificações, retroativos, tabela 2019 do PCCV, manifestações de rua, ações judiciais e negociações.

Na manhã desta sexta-feira (13/12), uma grande ação social foi realizada na unidade de saúde de Cidade Campestre, bairro Bela Vista, beneficiando os moradores locais e de adjacências como Bosque Brasil e Porto Brasil. O evento promovido hoje foi resultado de uma parceria entre a Prefeitura de Macaíba e a Associação de Moradores do Bosque Brasil, tendo sido preparado para atender uma demanda de mais de 200 pessoas.

Na ocasião, vários serviços foram disponibilizados para a população, como, por exemplo: atendimento médico e odontológico, coleta de exames laboratoriais, testes rápidos, orientações nutricionais, rodas de conversa com psicóloga, sessões de auriculoterapia, terapia ocupacional e fisioterapia, confecção de cartões do SUS e Bolsa Família, palestra sobre calazar, momentos lúdicos com as crianças e cortes de cabelo feminino e masculino.

O vice-prefeito, Auri Simplício, esteve no local prestigiando o evento, conversando com lideranças comunitárias e ouvindo atentamente aos moradores. “A Prefeitura de Macaíba, através do prefeito Dr. Fernando, tem estado presente neste bairro, e essa ação que conseguimos trazer para cá é um momento grandioso para um bairro (Bela Vista) que tem cerca de 17 mil moradores dentro de 12 comunidades. É muito importante que ações como esta se repitam e que viabilizemos transporte para trazermos gente de todas essas comunidades.”, explicou o vice, destacando a sintonia com a Associação de Moradores, sempre com o objetivo de buscar meios para desenvolver essas comunidades. “É um bairro muito grande em que a Prefeitura tem que ter um olhar permanente para o seu desenvolvimento.”, completou.

“A importância é muito grande de termos uma ação como essa da Prefeitura de Macaíba, através do Dr. Auri, nosso vice-prefeito, e do senhor Manoel Marcos, e a tendência é nós fazermos mais e mais este tipo de ação aqui para os moradores.”, expressou Leonardo Rodrigues, presidente da Associação de Moradores do Bosque Brasil.

 “A Prefeitura de Macaíba tem sempre dialogado conosco, por meio do vice-prefeito Auri Simplício, ouvindo nossas demandas e buscando atendê-las na medida do possível, e esta é mais uma ações que recebemos aqui na nossa região, que também teve sua iluminação ampliada e a coleta de lixo melhorada.”, disse o senhor Manoel Marcos, sócio-fundador da Associação de Moradores do Bosque Brasil.

Sobre os atendimentos

“Sofro de depressão, ansiedade e gastrite. Faz dois meses que comecei a fazer essa terapia (auriculoterapia), já sinto uma melhora grande na ansiedade. Também na gastrite. As profissionais são ótimas e me deixam a vontade durante as sessões.”, relatou a senhora Tájila Cortês, moradora de Cidade Campestre, que estava sendo atendida na ação de hoje também pelas profissionais Marília Cunha, terapeuta ocupacional, pós-graduada em Acupuntura, e Bárbara do Carmo, fisioterapeuta, especializada em terapia manual.

“Ajuda no nosso psicológico e emocional, e a gente emagrece com saúde”, Contou Zélia dias, que foi atendida em uma das atividades desenvolvidas no local pelo profissional de Educação Física, Fabiam Marques, e faz parte de um grupo acompanhado regularmente pela unidade de saúde da região.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agência Brasil – Dez afirmações falsas recorrentes sobre vacinas foram apresentadas a mais de 2 mil entrevistados nas cinco regiões do Brasil, e o resultado preocupa a Sociedade Brasileira de Imunizações: mais de dois terços (67%) disseram que ao menos uma das informações era verdadeira.

A pesquisa foi feita pela sociedade médica em parceria com a organização não governamental Avaaz. Os questionários foram aplicados pelo Ibope entre 19 e 22 de setembro deste ano.

Entre os entrevistados, apenas 22% conseguiram identificar que as dez afirmações eram falsas. Mais 11% não souberam ou não responderam.

Para 24% dos entrevistados, “há boa possibilidade de as vacinas causarem efeitos colaterais graves”, quando, na verdade, os efeitos adversos graves são raríssimos. A segunda afirmação falsa mais recorrente foi “há boa possibilidade de as vacinas causarem a doença que dizem prevenir”, com 20% de concordância – uma em cada cinco entrevistas.

Apesar de as gestantes terem um calendário específico de vacinação formulado pelo Ministério da Saúde, 19% dos entrevistados concordaram com a afirmação falsa de que “mulheres grávidas não podem se vacinar”.

O presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Juarez Cunha, chama a atenção que mesmo afirmações absurdas tiveram concordância de parcelas consideráveis dos entrevistados. Para 14%, é correto afirmar que “O governo usa vacinas como método de esterilização forçada da população pobre”, e 12% disseram que “contrair a doença é, na verdade, uma proteção mais eficaz do que se vacinar contra ela”.

Entre os entrevistados, 13% assumiram que deixaram de se vacinar ou deixaram de vacinar uma criança sob seus cuidados. Os motivos para essa ausência incluem falta de planejamento (38%) e difícil acesso aos postos de vacinação (20%), mas também foram citados o medo de ter um efeito colateral grave (24%), o medo de contrair a doença através da vacina (18%) e alertas e notícias vistos na internet (9%). Cada entrevistado citou até três motivos.

“Fica constatado que as pessoas estão recebendo muita informação inadequada, e que essa informação inadequada tem circulado com cada vez maior frequência. Com certeza, é mais um dos motivos que tem impactado as nossas coberturas vacinais”, afirma Cunha.

Resultado de imagem para anita garibaldi macaiba

O Fórum sobre Violência Sexual na Infância e Adolescência acontece no dia 19 de novembro, em alusão ao Dia Internacional de Prevenção à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. O evento é aberto ao público e será realizado no Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (CEPS), em Macaíba/RN, das 8h às 12h. É promovido pela UFRN, por meio do Departamento de Tocoginecologia e da Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC), e pelo Instituto Santos Dumont (ISD).

A ideia dessa atividade é congregar diversos setores e agentes da sociedade para discutir e encontrar formas de melhorar os serviços de acolhimento a vítimas de violência sexual no Rio Grande do Norte. Desde 2016, o CEPS Anita Garibaldi atua como Serviço de Referência no atendimento às vítimas de violência sexual no município de Macaíba/RN, no âmbito do projeto Fazendo Direito(s).

O ISD mantém um Serviço de Atenção às Pessoas em Situação de Violência Sexual e um trabalho permanente de enfrentamento à violência contra a mulher em Macaíba (RN), por meio do projeto Fazendo Direito(s), que também proporciona atividades de educação permanente em saúde sobre a violência de gênero, em parceria com instituições e entidades da Região Metropolitana de Natal.

No Brasil, crianças e adolescentes são vítimas em mais de 76 mil denúncias recebidas pelo Disque 100, sendo 17.093 dos registros referentes à violência sexual, de acordo com dados divulgados em maio de 2019 pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

O trabalho de excelência realizado na área odontológica de Macaíba colocou o município no rol das grandes referências nacionais. Depois de conquistar o título de melhor saúde bucal do Norte e Nordeste no ano de 2018, agora foi a vez de Macaíba ser premiada pelo Conselho Federal de Odontologia com o título de primeiro lugar na área de saúde bucal no estado do Rio Grande do Norte.

A conquista foi alcançada na disputa com municípios do RN que tem de 50.001 a 100 mil habitantes. A escolha obedeceu a critérios técnicos analisados pela Comissão de Políticas Públicas de Saúde, do Conselho Regional de Odontologia, referentes às políticas públicas voltadas para a saúde bucal da população neste ano de 2019.

Instituído em 2005 pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), o prêmio é concedido às cidades brasileiras que se destacam no atendimento odontológico, obedecendo alguns critérios como, por exemplo, manter o maior número de equipes de saúde bucal no Programa Saúde da Família, possuir Centros de Especialidades Odontológicas e menor índice epidemiológico em crianças com idade escolar, entre outros.

O coordenador municipal de saúde bucal, Sérgio Siqueira, pontuou as medidas feitas para que Macaíba chegasse a este patamar de referência. “Este prêmio, assim como o conquistado em 2018 em nível nacional, é uma honra para todos os macaibenses e profissionais que fazem a saúde bucal de Macaíba. Tudo isso, graças a um investimento sério feito pela gestão. Nossa meta é continuar investindo e capacitando cada vez mais os nossos profissionais para melhor atender o povo de Macaíba e prosseguir sendo referência estadual e nacional”, disse Sérgio. .

Referência

Há 20 anos, Macaíba contava apenas com duas unidades de saúde e cerca de quatro dentistas para atender toda a sua gente. Hoje, a realidade é bem diferente. O município tem uma rede composta por 23 Estratégias de Saúde da Família (ESF) e 44 dentistas atendendo semanalmente os populares macaibenses.

Um dos principais centros de tratamento odontológico do Rio Grande do Norte é o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) de Macaíba, que realiza diariamente uma série de procedimentos visando garantir a saúde e o bem-estar da população local.

Fundado em 2004, na primeira gestão do prefeito Fernando Cunha, o Pronto Atendimento (PA) atende moradores de diversas cidades vizinhas de Macaíba e, recentemente, foi avaliado e certificado como acima da média nos requisitos do Ministério da Saúde (MS). A área odontológica conta ainda com vários outros projetos voltados à saúde bucal de crianças, jovens e adultos da cidade.

 

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte nomeou 33 novos profissionais aprovados no concurso público regido pelo Edital 001/2018, para compor o quadro de pessoal da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira, 01 de novembro de 2019. Os nomeados devem estar atentos à documentação exigida, aos exames necessários e aos prazos para a assinatura do termo de posse.

A relação consta de assistentes técnicos em saúde, técnicos em enfermagem, técnico de biodiagnóstico, assistente social, enfermeiros, engenheiro biomédico, engenheiro de segurança do trabalho, farmacêutico bioquímico, fisioterapeuta, TAS/contador, médico ginecologista e obstetra, médico patologista e médico pediatra.

Abaixo o link com a publicação do DOE:

http://diariooficial.rn.gov.br/dei/dorn3/docview.aspx?id_jor=00000001&data=20191101&id_doc=664071