Política Arquivo

Dr. Fernando

O grupo político do Prefeito Fernando Cunha (PSD) ainda não definiu quem poderá ser o vice na chapa com o médico. Tanto no governo quanto na oposição tem nome para compor a chapa, mas o vice ideal neste momento teria que vir da oposição, e seria o delegado Normando Feitosa, além de trazer um bom nome ao mesmo tempo se estaria tirando um concorrente.

Até o momento o Palácio Auta de Souza não pretende fechar essa questão, o vice fica mais para frente, pois o jogo pode mudar. Pesquisas de consumo interno será levada em consideração na hora da escolha.

Observação: O delegado Normando Feitosa não demonstra querer ser vice de ninguém.

O Partido dos Trabalhadores (PT) ainda não anunciou nenhuma definição oficial de como se apresentará neste pleito em Macaíba. Até ano passado o Professor João Marques afirmava que poderia vir disputar a Prefeitura de Macaíba, mas como o PT vem num desgaste nacional devido a crise política e econômica,  dificilmente o Presidente do Diretório na cidade venha disputar ao executivo na cabeça da chapa.

Uma aliança ao PRP do ex-vereador Thomas Sena é dada como certa nos bastidores, onde o PT viria somar no projeto de candidatura da vereadora Kátia Sena ao poder executivo.

Bastidores

Falta definição

O vice-prefeito Olímpio Maciel (PSDB) busca reforçar sua chapa com a ex-prefeita Marília Dias (PMDB), tudo indica que a possível chapa saia dessa vez, em 2012 também houve essa possibilidade, mas a ex-prefeita preferiu Emídio Júnior como seu vice na época. Neste pleito seria o inverso, a ex-prefeita viria como vice de Olímpio.

O médico prefeito

O grupo político do Prefeito Fernando Cunha (PSD) está otimista igual ao governador Robinson Faria, segundo contam lá do Palácio Auta de Souza, pesquisa do mês retrassado em comparação com pesquisa do ano passado deixou o alto escalão otimista.

Falta os vices

Até agora nenhum dos pré-candidatos a Prefeitura de Macaíba tem um vice anunciado para formação  das chapas, essa indefinição é fruto da falta de entendimento de todos os grupos políticos que vão disputar o pleito, hoje se fecha uma coisa, amanhã outro vem e derruba.

O ex-conselheiro do TCE

Ex-conselheiro do TCE, Valério Mesquita poderá vir desistir da candidatura e apoiar Olímpio Maciel. Com o discurso que sem a união da oposição não haverá vitória sobre o Prefeito Fernando Cunha,  que busca o quarto mandato, o filho da terra de Auta de Souza poderá vir assomar junto do vice-prefeito Olímpio e da ex-prefeita Marília Dias.

A candidatura do Delegado

O delegado Normando Feitosa (PR) segue sua pré-candidatura da forma tranquila, sem alarde e com articulação nos bastidores para trazer apoio de partidos e pessoas que não são tão conhecidas mas que podem fazer a diferença na busca por votos. Essa pode ser a candidatura que pode mais surpreender, uma figura pública popular, tem simpatia do eleitorado jovem e por não ter disputado nenhuma eleição na cidade, conta com uma  baixa rejeição.

 

Fábio Rodrigues-Pozzebom - Abr

Fábio Rodrigues-Pozzebom – Abr

André Richter – Repórter da Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) anunciou agora há pouco que vai julgar amanhã (5) o pedido da Rede Sustentabilidade de afastamento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. A ação foi protocolada ontem na Corte e está sob a relatoria do ministro Marco Aurélio.

O partido sustenta que Cunha não pode permanecer na presidência da Câmara por ser réu em uma ação penal que tramita no STF sobre o suposto recebimento de U$S 5 milhões de propina em contratos de navios-sonda da Petrobras. Para o partido, Cunha está na linha sucessória da Presidência da República, cargo que não admite, de acordo com a Constituição, ser exercido por um réu.

“Não é possível que ocupe um cargo que é constitucionalmente vocacionado à substituição do Presidente da República alguém que é réu em ação penal instaurada pelo STF, porque esse estado é incompatível com o exercício das funções de Chefe de Estado e de Governo. Consequentemente, enquanto pende o processo, o envolvido está impedido de exercer a Presidência da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal, devendo, por isso, ser afastado destes cargos.”, argumenta o partido.

Ao fazer o anúncio do julgamento, o presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, disse que a Corte deve resolver a questão amanhã, porque será a última sessão do STF antes da votação no plenário do Senado sobre o pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. Ela será afastada por 180 dias, em caso de aprovação. A votação está prevista para a próxima quarta-feira (11).

“Está caracterizada a urgência na medida em que amanhã será a última sessão [do STF] antes daquela quarta-feira, e que nós poderemos decidir a questão que será trazida pelo ministro Marco Aurélio”, disse o presidente.

Caso o Senado aprove a admissibilidade do impeachment e o afastamento de Dilma por 180 dias, Michel Temer, atual vice-presidente, assumiria o cargo e Cunha seria o primeiro na linha sucessória, exercendo na prática as atividades de vice.

A Constituição proíbe que um réu assuma uma cadeira no Palácio do Planalto, mesmo de forma interina, no caso de uma viagem de Temer para fora do país, por exemplo. A dúvida é saber se Eduardo Cunha poderá ocupar o cargo sendo réu em uma ação penal no STF, por suspeita de receber U$S 5 milhões em propina.

governador_militares

Imagem Ilustrativa

190 RN – As diárias operacionais realizadas pelos policiais militares no mês de março para dar suporte às operações e reforço no policiamento ostensivo na capital e no interior do Estado ainda não foram pagas. Nesta terça-feira (3) o Cabo Jeoás esteve na Diretoria de finanças da Policia Militar para obter informações e a previsão de pagamento das diárias em atraso.

De acordo com a diretoria de finanças os processos administrativos das diárias referentes ao mês de março já foram finalizados, e estão aguardando a liberação do pagamento pela Secretária de Planejamento e das Finanças (Seplan). Algumas diárias de menor valor já foram depositadas na conta bancária dos agentes de segurança pública na última segunda-feira (2). A previsão é que os demais pagamentos ocorram a partir da próxima segunda-feira (9), após a finalização do pagamento do funcionalismo Estadual.

Para o Cabo Jeoás essa situação é desmotivadora e espera que o Governo resolva a questão o quanto antes, “Os policiais no seu horário de folga tem realizado trabalho extra, e contam com essa hora extra em seu orçamento, além do valor da diária já ser bastante defasado, o profissional trabalha e ficar a mercê, não sabe quando vai receber, precisamos que sejam reajustados os valores e seja fixada uma data base para o pagamento das diárias, desta forma atual ninguém está satisfeito” explicou o ex-parlamentar.

 (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Agência Brasil –  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a inclusão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de três ministros do governo, do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e de parlamentares do PMDB, entre outros acusados, no principal inquérito da Operação Lava Jato.

A petição chegou ao Supremo no dia 28 de abril, mas só foi tornada público hoje. Janot pediu ao ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no Supremo, a inclusão das seguintes pessoas no inquérito que investiga os supostos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha:

– Ex-presidente Lula;
– Ministros Jaques Wagner, Ricardo Berzoini e Edinho Silva;
– Senadores Jader Barbalho e Delcídio do Amaral;
– Deputados Eduardo Cunha, Eduardo da Fonte, Aguinaldo Ribeiro e André Moura; Arnaldo Faria de Sá, Altineu Cortes, Manoel Junior e Henrique Eduardo Alves;
– Assessor especial da presidência da República Giles Azevedo;
– Ex-ministros da Casa Civil Erenice Guerra e Antônio Palocci.

O procurador solicitou abertura de investigação contra o pecuarista José Carlos Bumlai, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto e o banqueiro André Esteves, do BTG Pactual; Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, subsidiária da estatal, e Silas Rondeau, ex-ministro de Minas e Energia.

Ao pedir a inclusão de novos envolvidos no inquérito, que está em andamento desde o ano passado, Janot sustenta que houve um aprofundamento nas investigações. As acusações estão baseadas, principalmente, nas afirmações feitas pelo senador sem partido Delcídio do Amaral (MS) nos acordos de delação premiada.

Ler mais…

freitas123

O educador e ambientalista, Freitas Júnior, porta-voz da Rede Sustentabilidade do Rio Grande do Norte, alertou para o risco de contaminação de pacientes no Hospital Municipal de Natal, RN, Doutor Newton Azevedo.

Freitas disse em um vídeo publicado no Facebook da Rede, que faltou planejamento na obra de readequação do hospital. Exemplo disso é um corredor por onde passa e se mistura alimentos, lixo hospitalar, médicos e enfermeiros junto com pacientes em estado grave e até exames laboratoriais.

“Observamos algo que geralmente passa despercebido pelas pessoas em geral: um corredor. Não é aquele próximo a recepção do Pronto Socorro, pelo qual as pessoas que vão lá geralmente transitam, mas outro corredor, que não é frequentemente percebido já que fica numa área restrita”, disse.

De acordo com o pré-candidato a prefeito de Natal, o corredor em questão fica em um local não apropriado para um hospital de grande porte.

“Esse corredor serve de acesso para cozinha, refeitório e por onde passam os tubos móveis de oxigênio. É porta de entrada para o laboratório de exames clínicos, ao setor de traumatologia, ao necrotério, e o depósito de lixo hospitalar”, lembra Freitas.

A unidade de saúde foi inaugurada pelo prefeito Carlos Eduardo (PDT), no fim do ano passado. Para as obras de readequação foram investidos R$ 200 mil. A manutenção com recursos do Ministério da Saúde, tem um custo de R$ 1 milhão, repassado para a prefeitura.

Para o dirigente partidário o hospital como funciona hoje, viola os padrões sanitários e de segurança de saúde. “Será que quando o prefeito Carlos Eduardo Alves assinou o contrato para arrendamento daquele antigo prédio, ele não sabia que esse corredor precisava ser modificado? Ele não sabia que isso viola o padrão sanitário hospitalar? Que a circulação do lixo por esse corredor pode infectar não só a alimentação dos pacientes, mas também colocar em risco a saúde de todas as pessoas que transitam por ali?”, questiona.

Freitas Júnior diz que por uma questão de respeito com pacientes e moradores da cidade, Carlos Eduardo deveria ter modificado a estrutura do prédio para evitar, por exemplo, propagação de bactérias, ou uma infecção hospital e até mais agravamentos.

 “O prefeito deveria ter reformado e modificado aquilo antes de inaugurá-lo. Não podia deixar da forma que tá. Isso é um absurdo.”, finaliza.

Confira o vídeo https://www.facebook.com/RedeRN18/videos/1740460092904861/

michel temer
Ivan Richard – Repórter da Agência Brasil

O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), informou há pouco que o partido ocupará, em um eventual governo Michel Temer, os ministérios da Saúde e da Agricultura e a presidência da Caixa Econômica Federal.

Nogueira esteve reunido com o vice-presidente da República, Michel Temer, que é do PMDB, na noite de hoje (3). Ao fim do encontro, que ocorreu no anexo do Palácio do Planalto, sede da Vice-Presidência, o senador falou rapidamente com a imprensa.

A bancada do PP na Câmara é formada por 47 deputados. Já no Senado, o partido têm seis parlamentares.

(Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

(Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

André Richter – Repórter da Agência Brasil

Os fatos motivaram a prisão, no ano passado, do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS). A prisão foi embasada por uma gravação apresentada à PGR  por Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor. Segundo a procuradoria, o senador ofereceu R$ 50 mil por mês para a família de Cerveró e mais um plano de fuga para que o ex-diretor deixasse o país.

Os fatos ocorreram em uma reunião na qual estavam presentes Bernardo e Edson Ribeiro, ex-advogado de Cerveró e Delcídio. Segundo os procuradores, o objetivo de Delcídio era evitar que o ex-diretor fizesse acordo de delação premiada.

A denúncia contra Lula foi oferecida em um inquérito que já tramitava na Corte contra o senador Delcídio do Amaral e o banqueiro André Esteves do BTG Pactual, que também foram denunciados na ocasião. Em depoimento de delação, Delcídio afirmou que Lula, com o pecuarista José Carlos Bumlai e o banqueiro, atuaram com interesse de “esconder fatos ilícitos” que os envolvia.

“A partir daí, as investigações ganharam novos contornos e se constatou que Luiz Inácio Lula da Silva, José Carlos Bumlai e Mauricio Bumlai [filho do pecuarista] atuaram na compra do silêncio de Nestor Cerveró para proteger outros interesses, além daqueles inerentes a Delcídio e a André Esteves”, disse Janot na manifestação em que pediu a inclusão de Lula em outro inquérito.

A Agência Brasil entrou em contato com o Instituto Lula e aguarda retorno.

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O Governo da Presidente Dilma Rousseff (PT) está chegando ao fim, pelo menos até o julgamento final do processo de impeachment. Após aprovação da Câmara Federal será dado agora o passo de adimissibilidade, onde se for aceito por maioria simples de 41 senadores, a Presidente será afastada do cargo por 180 dias, enquanto isso o seu vice, Michel Temer (PMDB), assume todo o Planalto.

aécio
André Richter – Repórter da Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) seja investigado na Operação Lava Jato pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Janot também solicitou autorização para que o parlamentar preste depoimento em até 90 dias. Os detalhes foram divulgados no final da tarde pela procuradoria.

Na petição, o procurador pediu ao ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo, o desarquivamento de um pedido de investigação feito contra Aécio, no ano passado, pelos mesmos fatos. Segundo Janot, a mudança no entendimento ocorreu porque o doleiro Alberto Youssef omitiu no seu primeiro depoimento de delação a acusação de que o senador seria beneficiário de repasses ilegais em Furnas, empresa estatal subsidiária da Eletrobras.

Segundo o doleiro, em um segundo depoimento, Aécio recebia valores mensais por meio da Bauruense, empresa de sua irmã, que tinha contratos com a estatal. De acordo com Youssef, o PSDB e o PP tinham influência política nas indicações das diretorias da estatal.

De acordo com a PGR, Dimas Toledo, ex-diretor de Furnas, operacionalizava os repasses. Segundo a procuradoria, a empresa recebeu R$ 826 milhões nos contratos com a estatal entre 2000 e 2006.

Além de Alberto Yousseff, o senador Delcídio do Amaral (MS) também citou Aécio Neves em sua delação. No termo de delação nº 2, Delcídio disse que o senador recebia “pagamentos ilícitos”, pagos, segundo ele, por Dimas Toledo.

 

Ler mais…

Suposta reunião entre o vice-prefeito, Olímpio Maciel, o ex-conselheiro do TCE, Valério Mesquita e a ex-prefeita Marília Dias ainda não foi confirmada. A informação foi publicada no grupo Macaíba, no facebook. Segundo a publicação estariam os três políticos reunidos para fechar uma aliança, onde quem encabeceria a chapa para disputar a Prefeitura de Macaíba seria Olímpio Maciel e a ex-prefeita como vice. Até o momento nenhum dos três se manifestaram se procede a informação.

aécio
André Richter – Repórter da Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para iniciar as investigações contra pessoas citadas no acordo de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (MS) na Operação Lava Jato. As petições chegaram ao Supremo na quinta-feira (28).

Nos pedidos de abertura de inquérito, Janot pretende investigar o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, o deputado federal Marco Maia (PT-RS) e o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo.

Caberá ao ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo, decidir pela autorização.

Em março, Zavascki homologou o acordo de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (MS) firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR), de modo a colaborar com as investigações da operação. Na ocasião, o ministro retirou o sigilo do processo e divulgou a íntegra dos depoimentos de delação.

No mês passado, o ministro decidiu incluir no principal inquérito da Operação Lava Jato que tramita na Corte trechos da delação do senador Delcídio em que a presidenta Dilma Rousseff, o vice-presidente, Michel Temer, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva são citados.

Na delação, também foi citado e incluído no inquérito Joel Rennó, ex-executivo da Petrobras do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Aécio e Cunha

No termo de delação nº 2, Delcídio afirmou que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) recebia “pagamentos ilícitos”, pagos, segundo ele, pelo ex-diretor de Furnas Dimas Toledo.
“O depoente disse que não sabe precisar, mas sabe que Dimas operacionalizava pagamentos e um dos beneficiários dos valores ilícitos sem dúvida foi Aécio Neves”, informou trecho da delação.

No mesmo depoimento, Delcídio relatou que Eduardo Cunha também tinha pessoas indicadas em Furnas. Segundo ele, Cunha usava requerimentos para convocar empresários que tinham contratos com a estatal. “Este procedimento de fazer requerimentos e usar expedientes parlamentares é muito comum do Eduardo Cunha”, destacou outro trecho.

Claúdio Marques

Foto: Claúdio Marques

Na capital do Rio Grande do Norte existe uma articulação política para que a ex-prefeita de Macaíba, Marília Dias, possa ser vice na chapa do atual vice-prefeito, Olímpio Maciel (PSDB). Olímpio há mais de mês anunciou seu nome como pré-candidato ao executivo após romper com o Prefeito Fernando Cunha (PSD), ao qual teria sinalizado que o atual vice não estaria na chapa deste ano.

raimundo

Divulgação

O líder do Partido da Mulher Brasileira (PMB) e vereador do município de São Gonçalo do Amarante, Raimundo Mendes, falou sobre as eleições municipais de 2016 que acontecerão em outubro. O parlamentar analisou a gestão do atual prefeito local, Jaime Calado (PR), e elogiou o trabalho, mas sabe que apenas o essencial foi feito durante a gestão.

“O prefeito tem feito uma gestão proativa em SGA. Ele é um grande gestor, tem tido uma visão empreendedora e fez muito, não podemos negar. Porém, se a gente analisar, ele só fez o essencial, o que pode, mas sabemos que ainda tem muito a ser realizado. Isso há de ser reconhecido, ele mesmo reconhece”, contou.

Atualmente aliado da prefeitura, Raimundo não descartou que os partidos sigam caminhos distintos nas próximas eleições. “Somos parceiros há muito tempo e esperamos continuar, mas isso é uma questão que ainda está sendo discutida, debatida e estamos analisando”, concluiu o parlamentar.

Agora RN