Política Arquivo

O delegado Normando Feitosa (PR) continua dialogando com lideranças e pré-candidatos que poderão vir somar em sua candidatura a Prefeitura de Macaíba. Normando é hoje um dos nomes mais fortes da oposição para enfrentar o prefeito Fernando Cunha (PSD). Na foto Normando esteve reunido com o pré-candidato ao legislativo, Hugo Nascimento, que ainda não definiu em qual palanque estará.

Dentro do executivo macaibense setores do alto escalão do governo acreditam que o nome do PMDB que disputará a Prefeitura será o da ex-prefeita Marília Dias. Hoje o PMDB é o partido mais forte para enfrentar o prefeito Fernando Cunha (PSD), o racha interno da sigla favorece o médico, pois enquanto o partido bacurau não decide qual nome disputará o pleito, o médico segue tranquilo e sem  incomodo fazendo o caminho para buscar o quarto mandato.

A oposição em Macaíba perdeu força nessas últimas semanas e terá que montar nova estratégia. O resultado disso é o cenário político onde o racha na oposição continua e a indefinição nos nomes que realmente irão disputar a prefeitura.

O prefeito Fernando Cunha assinará uma ordem de serviço para pavimentação da Travessa José Medeiros Damasceno na próxima segunda-feira (21), às 16h, na própria rua que fica na comunidade Raiz.

As obras de pavimentação proporcionam mais saúde, mobilidade e qualidade de vida da população.

Após a conclusão do maior programa de pavimentação do município, que calçou 70 ruas em toda Macaíba, a Prefeitura de Macaíba continua com as obras de pavimentação na cidade. Outras ruas serão contempladas com as obras nos próximos meses. As ações de pavimentação fazem parte do cronograma de obras da Prefeitura.

Dentre algumas das atividades realizadas estão: a construção e entrega para a população da creche Eunice Eugênia, no conjunto Monte Líbano; a construção e entrega da Estratégia de Saúde da Família de Mangabeira; entrega de cinco novas unidades de saúde e a construção da Vila Olímpica de Macaíba, a maior praça pública de esporte do Nordeste.

Assecom

Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (18), no manifesto que a Frente Brasil Popular promove na Avenida Paulista contra o impeachment e a favor da democracia, que os brasileiros precisam aprender a conviver com a diversidade. Em discurso, no carro de som posicionado em frente ao Museu de Arte de São Paulo, sob aplausos, ele defendeu a democracia e disse que o tempo que resta ao final do governo Dilma é “suficiente para virar a história do país”.

“Quero dizer para aqueles que não gostam de nós, talvez falte informação, mas temos que convencê-los que democracia é acatar o voto da maioria do povo brasileiro”, destacou. Durante o discurso, Lula juntou-se ao coro dos manifestantes gritando a frase “Não vai ter golpe”. “Não vamos aceitar o fim da democracia e nenhum golpe no país”.

O ex-presidente destacou a importância de se restabelecer a paz no país e lembrou que perdeu as eleições muitas vezes, mas nunca protestou contra quem ganhou. “Tem gente que fala em democracia da boca pra fora. Perdi as eleições em 89, em 94 e em 98 e em nenhum momento vocês viram eu ir pra rua protestar contra quem ganhou.

Lula defendeu um país sem ódio, mas criticou as pessoas que participaram das manifestações em favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. “Eles são o tipo de brasileiro que gostariam de ir para Miami fazer compra todos os dias, e a gente compra na 25 de Março”, referindo-se à rua de comércio popular que fica no centro de São Paulo.

Para Lula, a democracia é a única possibilidade de fazer um governo com a participação do povo. “Eles têm que saber que essas pessoas que estão aqui de vermelho são parte daqueles que produzem o pão de cada dia do povo brasileiro”.

Sobre o cargo de ministro-chefe da Casa Civil, que assumiu nesta quinta (17), Lula disse que relutou muito em aceitar ir para o governo, desde agosto do ano passado. “E, ao aceitar, veja o que aconteceu comigo, virei outra vez ‘Lulinha paz e amor’”. Ele garantiu que vai integrar o governo para ajudar a fazer o país voltar a crescer. “Não vou lá para brigar, vou lá para ajudar a fazer as coisas que tem que fazer nesse país. Não vou achando que os que não gostam de nós são menos brasileiros que nós”.

Ele relembrou os momentos desta semana, principalmente depois que foi anunciada sua ida para o governo, em que alguns setores, segundo ele, pregaram que os simpatizantes do PT seriam violentos. “Acho muito engraçado que essa semana inteira, alguns setores ficaram dizendo que nós somos violentos. E tem gente que prega a violência contra nós 24 horas por dia.”

Em determinado momento, Lula pediu aos manifestantes que levantassem o braço para que eles tirassem uma foto para a presidenta Dilma Rousseff. “Para ajudar que ela tenha tranquilidade”, afirmou. Lula havia chegado à Paulista por volta das 19h, ao lado do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad e do presidente do PT, Rui Falcão.

A Rede Sustentabilidade acompanha com preocupação os últimos acontecimentos políticos ocorridos no Brasil. O partido entende que o momento demanda profundo senso de responsabilidade na defesa do interesse público e reitera a necessidade de diálogo nacional. Neste momento, é preciso manter a serenidade e, acima de tudo, o respeito às instituições democráticas.

A REDE entende que a nomeação do ex-presidente Lula para o cargo de Ministro-Chefe da Casa Civil aprofunda a atual crise ao invés de apontar para uma saída, em especial pela suspeita de que tenha sido feita para obtenção de foro privilegiado.  Sua nomeação também ocorre em um momento em que surgem indícios que fortalecem a tese para o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Segundo as revelações da Lava Jato, alguns partidos que hoje poderiam se favorecer com o impeachment de Dilma, o PMDB e parte da oposição que tem demonstrado simpatia para se aliar com eles, estão profundamente implicados na corrupção que está sendo desvendada, com vários de seus líderes citados nas investigações. Por isso, a Operação Lava-Jato precisa ser levada adiante, respeitando-se o devido processo legal, o direito de defesa e os direitos e garantias individuais.

A Justiça Eleitoral, que investiga o uso de dinheiro da corrupção para eleição da chapa Dilma-Temer, precisa ter o sentido de urgência que o momento exige e julgar com celeridade os processos que estão em apreciação. Comprovado que a soberania popular foi influenciada ilicitamente no último pleito, deve-se restabelecer aos cidadãos e cidadãs o poder de decidir sobre os rumos do país através de novas eleições presidenciais diretas, ainda neste ano.

A REDE entende que só assim a nação efetivamente entrará na trajetória das mudanças necessárias na política para que o Brasil seja passado a limpo. A grandeza da nossa democracia exige grandeza daqueles que estão comprometidos com ela.

 

Blog do BG – Informações oficiais dão conta de pelo menos 10 mil pessoas manifestando seu apoio ao governo federal e ao ex-presidente Lula na tarde desta sexta-feira(18), na capital potiguar. Organizadores falam em 15 mil presentes.

portal

O Professor João Marques virou manchete de um dos portais (Agora RN) da imprensa estadual, após o Blog Informativo Atitude trazer a informação que o Professor filiado ao Partido dos Trabalhadores está como cargo comissionado na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e também por trabalhar como  professor de história em uma escola municpal de Macaíba. O Professor se defende e afirma não ser funcionário fantasma da Assembleia.

Professor João Marques afirma ser assessor técnico e não cargo comissionado como diz o portal da Assembleia, no total o professor trabalha 55 horas por semana e em média 11 horas por dia. Segundo o mesmo, às 55 horas está dentro do permitido por lei.

Matéria publicada no Senadinho Macaíba

O professor João Marques é nomeado como ASSESSOR TÉCNICO DE GABINETE 3 do quadro de pessoal da assembleia legislativa, que foi criada pela Lei 9.485, de 31 de maio de 2011, tem a matrícula 200.757 – 6, com a função de executar atividades de assessoria ao gabinete parlamentar de natureza técnica ou administrativa, analisar documentos, acompanhar processos diversos, e outras atividades correlatas, que requerem conhecimentos específicos da área de atuação junto ao Gabinete do Deputado Fernando Mineiro, com carga horária de 25 horas semanais, conforme determina a Resolução 001/2003 de 24 de fevereiro de 2003, publicada no DOE de 27/02/2003. Esta portaria difere do que se encontra no portal da transparência, por que não foi atualizado. Aparece no portal 40 horas, mas conforme a resolução determina, o professor é assessor técnico nível 3, que equivale a 25 h, conforme resolução já citada. Além desta assessoria trabalha o professor na Escola Municipal José Arinaldo Alves, no Município de Macaíba, com carga horária equivalente a 30 horas aulas, sendo 2/3 no pé do quadro e 1/3 para planejamento.

Totaliza 55 horas de trabalho, não ultrapassando o limite de 60 horas. E portanto pode sim prestar a assessoria e dar aula. É importante lembrar que conforme o artigo 37, parágrafo 16, o professor pode acumular dois cargos. Sendo um de professor e um técnico, conforme tenho exercido na assessoria do Parlamentar.

Infelizmente, o blog Juventude Atitude, blog que fez a suposta denúncia infundada, buscava criar factoide político, tendo em vista que na condição de militante social e sindical, o professor tem realizado um trabalho de oposição ao governo do Prefeito Local, Fernando Cunha Lima Bezerra. O coordenador do Blog, Linduarte Lima, é Secretário de Assuntos de Governo do Prefeito. Fazendo do blog um instrumento de caluniar seus supostos opositores locais, objetivando inibir o trabalho de cidadania realizado.

“Aproveito este espaço e momento para reafirmar a verdade dos fatos, ora relatados. Esta fala foi do professor João Marques que está tratando de processar os caluniadores”.

Matéria publicada no Informativo Atitude

O Blog reitera a matéria intitulada “Contrariando a Lei de Newton”, sobre o Professor João Marques, pois este, mesmo tentando justificar o injustificável, faltou com a verdade a respeito de suas cargas horárias nos dois vínculos públicos. Vejam: Na Prefeitura de Macaíba como professor, sua carga horária é de 30 horas e não de 25 como afirmou, até porque, essa informação consta do seu próprio contracheque, além de constar na Lei de Planos de Cargos e Salários deste Município, matéria que o mesmo informa ser especialista no assessoramento ao Deputado Fernando Mineiro.

No caso da Assembleia Legislativa, o cargo que ele ocupa é do tipo “comissionado” e não do tipo contratado como afirma o referido professor.  A carga horária de cargos comissionados é de 40 horas, portanto, de dedicação exclusiva, e não de 25 horas como afirma. Assim sendo, o professor que presta serviços em Macaíba, certamente é fantasma na Assembleia. Os portais da Prefeitura e da Assembleia informam as cargas horárias do inconformado professor.

AL

capture-20160317-103502

 

O vice-prefeito de Macaíba, Olímpio Maciel, poderá seguir seu genro o Presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira, e ir para o PSDB. O vice “rompeu” recentemente com o prefeito Fernando Cunha (PSD) e está pré-candidato ao executivo macaibense. De aliado Olímpio Maciel virou adversário.

A Prefeitura de Macaíba, por intermédio da Secretaria de Trabalho e Assistência Social, a SEMTAS, realizou na tarde desta quinta-feira (17) uma reunião com representantes de diversas entidades sociais, secretarias e ONGs para debater formas de aperfeiçoar o atendimento as mulheres vítimas de violência dentro do município.

A reunião contou com representantes das secretarias de Cultura, Saúde e Educação, de membros da Segurança Pública, ONGs e instituições. O foco era a criação de uma rede de apoio mútuo entre os órgãos, trocando ideias, tirando dúvidas e criando soluções para a melhoria do acolhimento da mulher vítima de violência.

A secretária do SEMTAS, Andréa Carla Ferreira, falou sobre o destino da rede: “Vamos trabalhar de forma articulada com a sociedade e as instituições e lutar cada vez mais contra a violência a mulher”, completou.

Assecom

A Câmara dos Deputados aprovou nesta tarde a comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Foram 433 votos favoráveis e um contrário à chapa com os 65 nomes titulares e os respectivos suplentes indicados pelos líderes partidários. O próximo passo, que será dado ainda hoje, é a escolha, por voto, do presidente e do relator da comissão especial.

O voto contrário foi o do deputado José Airton (PT-CE). Havia 435 parlamentares em plenário. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não votou.

Vinte e três partidos entregaram a lista dentro do horário estipulado. Apenas o PP perdeu o prazo, mas, por unanimidade, pôde indicar os nomes em plenário. Pelo PP, os parlamentares que vão compor a comissão são Aguinaldo Ribeiro (PB), Jerônimo Goergen (RS), Júlio Lopes (RJ), Paulo Maluf (SP) e Roberto Brito (BA), como titulares.

Outra mudança ocorreu na relação do PMDB, que conseguiu, em reunião na manhã de hoje, driblar divergências internas e aprovar uma lista conjunta, entre alinhados ao governo e insatisfeitos com o Palácio do Planalto. Na hora da votação da chapa, o deputado José Priante (PA), que era um dos indicados, decidiu retirar seu nome. O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), disse que foi uma decisão pessoal de Priante e pediu para que o partido pudesse indicar o deputado Altineu Côrtes (RJ) como novo nome. Como o processo de filiação de Côrtes – que deixou o PR para ingressar no PMDB – não foi concluído formalmente, segundo Eduardo Cunha, a indicação final foi a do deputado Leonardo Quintão (MG), que chegou a substituir Picciani na liderança, a pedido da ala insatisfeita do partido durante o impasse que dividiu oficialmente a legenda.

A chapa foi aprovada nominalmente, em turno único. A distribuição das vagas foi definida de acordo com o tamanho dos partidos na Câmara. Com a janela partidária que permite que até amanhã (18) seja feita a troca de legendas sem sanções para os parlamentares, a Mesa Diretora da Casa redistribuiu o número de vagas por todos os partidos.

Cunha disse que espera agilidade “total” da comissão e informou que, logo após a votação da chapa, ele vai se reunir com os líderes. O peemedebista lembrou que o ritmo do trabalho depende de prazos regimentais. “Depende do prazo em que vier a resposta da senhora presidente ao processo. Ela tem dez sessões para responder. Se responder rápido, será rápido. Se ela levar as dez sessões, vai levar mais tempo. A comissão é apenas um estágio, quem vai decidir, no fim, é o plenário, que vai decidir soberanamente”, afirmou.

Com o fim da sessão, assessores do primeiro-secretário da Mesa Diretora, Beto Mansur (PRB-SP), informaram que o parlamentar irá, pessoalmente, entregar a notificação sobre o início do processo à presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto.

Veja a lista dos integrantes da comissão:

PMDB

Titulares (8)

João Marcelo Souza (MA)

Altineu Côrtes (RJ)

Leonardo Picciani (RJ)

Lúcio Vieira Lima (BA)

Mauro Mariani (SC)

Osmar Terra (RS)

Valternir Pereira (MT)

Washington Reis (RJ)

Suplentes (8)

Alberto Filho (MA)

Carlos Marun (MS)

Elcione Barbalho (PA)

Hildo Rocha (MA)

Lelo Coimbra (ES)

Manoel Junior (PB)

Marx Beltrâo (AL)

Vitor Valim (CE)

PTB

Titulares (3)

Benito Gama (BA)

Jovair Arantes (GO)

Luiz Carlos Busato (RS)

Suplentes (3)

Arnaldo Faria de Sá (SP)

Paes Landim (PI)

Pedro Fernandes (MA)

DEM

Titulares (3)

Elmar Nascimento (BA)

Mendonça Filho (PE)

Rodrigo Maia (RJ)

Suplentes (3)

Francisco Floriano (PR-RJ)

Mandetta (MS)

Moroni Torgan (CE)

PRB

Titulares (2)

Jhonatan de Jesus (RR)

Marcelo Squassoni (SP)

Suplentes (2)

Cleber Verde (MA)

Ronaldio Marins (CE)

PSC

Titulares (2)

Eduardo Bolsonaro (SP)

Marco Feliciano (SP)

Suplentes (2)

Irmão Lazaro (BA)

Professor Victório Galli (MT)

SD

Titulares (2)

Fernando Francischini (PR)

Paulo Pereira da Silva, Paulinho da Força (SP)

Suplentes (2)

Genecias Noronha (CE)

Laudivio Carvalho (MG)

PEN

Titular (1)

Junior Marreca (MA)

Suplente (1)

Erivelton Santana (PSC-BA)

PHS

Titular (1)

Marcelo Aro (MG)

Suplente (1)

Pastor Eurico (PE)

PTN

Titular (1)

Bacelar (BA)

Suplente (1)

Aluisio Mendes (MA)

PT

Titulares (8)

Arlindo Chinaglia (SP)

Henrique Fontana (RS)

José Mentor (SP)

Paulo Teixeira (SP)

Pepe Vargas (RS)

Vicente Candido (SP)

Wadih Damous (RJ)

Zé Geraldo (PA)

Suplentes (8)

Benedita da Silva (RJ)

Bohn Gass (RS)

Carlos Zaratini (SP)

Luiz Sérgio (RJ)

Padre João (MG)

Paulo Pimenta (RS)

Valmir Assunção (BA)

Assis Carvalho (PI)

PR

Titulares (4)

Edio Lopes (RR)

José Rocha (BA)

Maurício Quintella Lessa (AL)

Zenaide Maia (RN)

Suplentes (4)

Aelton Freitas (MG)

Gorete Pereira (CE)

João Carlos Bacelar (BA)

Wellington Roberto (PB)

PSD

Titulares (4)

Júlio Cesar (PI)

Marcos Montes (MG)

Paulo Magalhães (BA)

Rogério Rosso (DF)

Suplentes (4)

Evandro Roman (PR)

Fernando Torres (BA)

Goulart (SP)

Irajá Abreu (TO)

PROS

Titulares (2)

Eros Biodini (MG)

Ronaldo Fonseca (DF)

Suplentes (2)

Odorico Monteiro (CE)

Toninho Wandcsheer (PR)

PCdoB

Titular (1)

Jandira Feghali (RJ)

Suplente (1)

Orlando Silva (SP)

PSDB

Titulares (6)

Bruno Covas (SP)

Carlos Sampaio (SP)

Jutahy Junior (BA)

Nilson Leitão (MT)

Paulo Abi-Ackel (MG)

Shéridan (BA)

Suplentes

Bruno Araújo (PE)

Fávio Sousa (GO)

Izalci (DF)

Mariana Carvalho (RO)

Rocha (AC)

Rogério Marinho (RN)

PSB

Titulares (4)

Bebeto (BA)

Danilo Forte (CE)

Fernando Coelho Filho (PE)

Tadeu Alencar (PE)

Suplentes (4)

JHC (AL)

João Fernando Coutinho (PE)

Jose Stédile (RS)

Paulo Foletto (ES)

PPS

Titular (1)

Alex Manente (SP)

Suplente (1)

Sandro Alex (PR)

PV

Titular (1)

Evair de Melo (ES)

Suplente (1)

Leandre (PR)

PDT

Titulares (2)

Flavio Nogueira (PI)

Weverton Rocha (MA)

Suplentes (2)

Flávia Morais (GO)

Roberto Góes (AP)

PSOL

Titular (1)

Chico Alencar (RJ)

Suplente (1)

Glauber Braga (RJ)

PTdoB

Titular (1)

Silvio Costa (PE)

Suplente (1)

Franklin Lima (MG)

PMB

Titular (1)

Weliton Prado (MG)

Suplente (1)

Fábio Ramalho (MG)

Rede

Titular (1)

Aliel Machado (PR)

Suplente (1)

Alessandro Molon (RJ)

PP

Titulares (5)

Aguinaldo Ribeiro (PB)

Jerônimo Goergen (RS)

Júlio Lopes (RJ)

Paulo Maluf (SP)

Roberto Brito (BA)

Suplentes (5)

André Fufuca (MA)

Fernando Monteiro (PE)

Luís Carlos Heinze (RS)

Macedo (CE)

Odelmo Leão (MG)

A senadora Fátima Bezerra comemorou a indicação do ex-presidente Lula para ocupar o cargo de ministro chefe da Casa Civil. Para senadora, a decisão da presidenta Dilma Rousseff de convidar Lula para compor o governo é mais uma prova do esforço que ela está fazendo, no sentido de colocar o país de volta no caminho do desenvolvimento econômico, da estabilidade fiscal e da inclusão social, buscando o diálogo político. “Ela sabe da experiência desse homem, da capacidade extraordinária que ele tem de buscar a coesão, de buscar a unidade, de buscar a união. E é por isso que nós estamos muito confiantes e esperançosos”, ressaltou Fátima.

Da mesma forma, Fátima considera que Lula também teve uma atitude grandiosa ao aceitar o convite. A senadora lembrou que o ex-presidente é um dos melhores presidentes que o país já teve: deixou o governo, ao final de dois mandatos, com 80% de aprovação e foi o primeiro presidente a receber o prêmio Estadista Global, do Fórum Econômico Mundial. Para ela, por ser um grande estadista, Lula, não poderia se omitir em um momento difícil da vida do país.

“E é provavelmente por isso que a oposição está com os nervos à flor da pele, porque a oposição teme que a presença de Lula no Governo ajude a fortalecer o governo e a retomar o desenvolvimento”, destacou a parlamentar.
Aos que dizem que o ex-presidente assumiu um cargo no governo para ganhar foro privilegiado, a senadora fez questão de esclarecer que Lula não terá benefício jurídico algum por se tornar ministro. Ela lembrou que a prerrogativa de foro não é um privilégio, pois só significa que as investigações continuam, mas no âmbito da Suprema Corte do país e, inclusive, se for aberto um processo, enquanto os cidadãos comuns têm direito a, no mínimo, duplo grau de jurisdição, os que têm o chamado foro privilegiado só passam pelo julgamento do Supremo, sem uma instância superior para recorrer. “Aliás, com essas críticas, a oposição está na verdade colocando em suspeição a mais alta Corte deste país. Isso é uma total falta de desrespeito!”, destacou.

A senadora fez questão de ressaltar ainda que, quando os adversários criticam a ida do presidente para o ministério dizendo que a presidenta Dilma iria virar uma rainha da Inglaterra estão movimentos pelo preconceito: “Se fosse um homem que estivesse à frente da Presidência da República, eu duvido que eles fariam essa afirmação com tanta ênfase”, destacou.

O delegado Normando Feitosa (PR) é o nome é  na chapa que todo e qualquer político quer ter-lo como vice para disputar a Prefeitura de Macaíba. Mais esse querer fica apenas na vontade de quem quer, pois o delegado Normando está pré-candidato e estará entre os três nomes na disputa pela prefeitura.

O delegado enfrentará o atual Prefeito, Fenando Cunha (PSD) e o nome que o PMDB escolher, Valério Mesquita ou Marília Dias.

Na tarde desta última quarta-feira (16), o prefeito Fernando Cunha assinou uma nova ordem de serviço. A solenidade ocorreu no Park Village, região próxima ao centro da cidade. A ordem se refere a mais uma etapa da maior operação de pavimentação realizada no município.

A assinatura desta ordem de serviço contou com a presença dos vereadores: Edma Maia, Socorro Nogueira, Rita de Cássia, Ismarleide Duarte, Rodrigo Nasser, Socorro Nogueira e Dadaia, diversas lideranças comunitárias e moradores locais.

No ensejo, o gestor municipal destacou o trabalho de pavimentação que vem sendo feito recentemente em diversas localidades. “Já calçamos mais de 70 ruas, e não para por aí! Vamos continuar trabalhando pelo desenvolvimento de Macaíba”, disse. O morador local José Arlindo comentou: “Sou um dos moradores mais antigos daqui e tenho visto o trabalho de Dr. Fernando”.

Assecom

Interlocutor do Prefeito Fernando Cunha (PSD) afirma que empresário poderá vim compor a chapa na busca da reeleição do prefeito. Nos próximos dias deve está saindo pirmeira pesquisa eleitoral deste ano mostrando como anda o nome do Prefeito na boca do povo, se não vier com bons números, a oposição tem muito a festejar.