Política Arquivo

NOTA A IMPRENSA

EU JOSÉ ALDENIR DA SILVA, responsável pelo PROJETO TÉCNICO MACAÍBA DO FUTURO, venho até a opinião pública esclarecer as últimas questões envolvendo alguns dos que faziam parte do GRUPO POLÍTICO MACAÍBA DO FUTURO.

Recentemente foi veiculado em sites, blogs, e mídias sociais à possibilidade do PROJETO MACAÍBA DO FUTURO lançar outros PRÉ-CANDIDATOS ao executivo municipal em detrimento de uma suposta pesquisa. Também foi veiculado em alguns blogs que havia uma discordância em torno do meu nome. O grupo é composto por vários segmentos da sociedade: Taxistas, Moto-taxistas, Industriários, Empresários, Pequenos comerciantes, Pedreiros, Pintores, Encanadores, Serventes, Garis, Donas de casa, Médicos, Professores, Católicos, Evangélicos, Espirítas, Ateus, Macaibenses que desejam o sucesso dessa cidade e acreditam fielmente que o PROJETO foi desenvolvido para administrar para todos!

Informo aos interessados que qualquer cidadão Brasileiro COM FICHA LIMPA tem o direito de se lançar PRÉ-CANDIDATO ao executivo municipal, ou a qualquer cargo eletivo! Mas também informo que, tal pessoa não terá o apoio do PROJETO TÉCNICO MACAÍBA DO FUTURO! Pois o projeto já tem pré-candidato, e foi decidido em razão de votação democrática interna. Mas como tenho posições rígidas em relação a novos investimentos, e em abrir as portas da cidade
para grandes empresas se instalarem, fui alvo de vários ataques por parte de pessoas que queriam se infiltrar no grupo com intuito de fazer com que Macaíba continue do mesmo jeito (sem novas empresas se instalando).

O projeto foi CRIADO e PERMANECE como oposição à administração local. Só que ao passar dos dias, alguns que lá estavam demonstraram suas verdadeiras intenções. Começaram a fazer sugestões muito distantes das aspirações do que julgamos ser o melhor pra nossa cidade. Chegaram ao ponto de fazer reuniões com empresários muito ligados à administração atual, e tiveram à audácia de sugerir que o apoio da administração local dos CUNHA seria bom pro projeto. ISSO É UM ABSURDO! Houve também aquele que devido não ter dado nenhuma contribuição, seja ela bração ou financeira, chegou ao ponto criminoso de me excluir da FANPAGE do projeto que leva o meu nome. Sem contar que mantiveram contato e fizeram reuniões com pessoas que no passado estiveram ligados com desvio de recursos públicos. Tudo isso com o intuito de destruir ou macular a imagem do PROJETO TÉCNICO que apresentei à Cidade!

Quanto ao meu nome ao executivo: FOI DECIDIDO EM VOTAÇÃO INTERNA DEMOCRATICAMENTE DIA 14/05/2019. Porém depois que alguns me propuseram coisas ERRADAS, que rejeitei em alto e bom som. E também depois que eles participaram de algumas reuniões com empresários locais (reuniões estas, que eu não participei!), resolveram voltar atrás, e trouxeram sugestões muito longe do que está escrito no projeto. Daí começou a balbúrdia. Dessa forma não tenho mais como me depositar minha confiança nestes cidadãos que estão fora do grupo de decisão do PROJETO TÉCNICO MACAÍBA DO FUTURO!.

Quanto a esses eventos citados: Fizemos questão de levar ao conhecimento da assessoria do Senador Styvenson Valentin, e agora levamos ao conhecimento da cidade. NUNCA fugi da responsabilidade que tenho com o projeto, sei que se aplicado irá revolucionar essa cidade, mas nas mãos erradas será apenas um pedaço de papel que instrumentalizará a vitória de alguém que apenas o usará como marketing político eleitoral. É por isso RÉ-AFIRMO que sou PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO DA CIDADE QUE RESIDO, AMO, E TENHO RAÍZES.

JOSÉ ALDENIR DA SILVA,

Servidor Publico Federal, Advogado, Professor.

Salmo 33,12. Bem aventurada a nação cujo DEUS é o senhor, o povo que ele escolheu para sua herança.

 

A maioria da bancada federal do Rio Grande do Norte votou a favor do texto-base da reforma da Previdência. Dos oito deputados, apenas o deputado General Girão (PSL) não compareceu na Câmara Federal devido a uma cirurgia que fez recentemente.

Votaram a favor 

Beto Rosado (PP)

Benes Leocádio (PRB)

Fábio Faria (PSD)

João Maia (PL)

Walter Alves (MDB)

Votaram contra

Natália Bonavides (PT)

Rafael Motta (PSB)

Plenário da Câmara inicia votaçao da reforma da Previdência

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

Agência Brasil – Depois de oito horas de debates, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, em primeiro turno, o texto principal da reforma da Previdência. A proposta teve 379 votos a favor e 131 votos contra.

Agora, os parlamentares começam a votar os destaques apresentados pelas bancadas. Mais cedo, os deputados tinham concordado em derrubar as emendas individuais e manter apenas as de bancada.

Os destaques mais aguardados são o que aumenta a aposentadoria para as trabalhadoras da iniciativa privada e o que suaviza as regras de aposentadorias para policiais e agentes de segurança que servem à União.

A reforma da Previdência precisava de 308 votos, o equivalente a três quintos dos deputados, para ser aprovada. Se aprovado em segundo turno, o texto segue para análise do Senado, onde também deve ser apreciado em dois turnos e depende da aprovação de, pelo menos, 49 senadores.

debate do texto principal foi aberto por volta das 17h, quando a Câmara rejeitou o último requerimento de retirada de pauta da reforma da Previdência. Nas últimas horas, os líderes dos partidos estavam encaminhando as orientações para as bancadas.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, participa de audiência pública na Câmara dos Deputados, sobre o caso do militar preso com cocaína na Espanha em aeronave da Força Aérea Brasileira.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em sua audiência de hoje na Câmara, Augusto Heleno foi questionado sobre quanto ganhava quando era diretor do Comitê Olímpico.

“Comecei ganhando cerca de R$ 30 mil”, disse o atual chefe do GSI, segundo o BuzzFeed. O general acrescentou que, com os aumentos ao longo do tempo, quando saiu de lá seu salário era de “R$ 51 mil, 50 e poucos mil reais”.

“Eu ganhava honestamente, trabalhava muito no COB, formamos mais de mil gestores esportivos, formamos mais de 300 treinadores. Eu não tenho vergonha nenhuma de ter sido bem pago, como os senhores aqui [deputados], a grande maioria, não têm vergonha [de serem bem pagos]”, continuou Heleno.

“Eu tenho vergonha do que eu recebo no Exército”, prosseguiu. “Mostrar pro meu filho que eu sou general do Exército e ganho, líquido, R$ 19 mil, eu tenho vergonha.”

Informações O Antagonista

 

Após o rompimento político entre o governo municipal e o vereador Netinho França, quem acompanha o cenário político aguarda para ver como ficará a oposição na Câmara. Alguns setores da oposição já declaram nos bastidores que não tem intenção de aderir ao projeto de Netinho. Segundo nos relevou uma fonte próxima de um vereador de oposição, na Câmara cada um vai ficar no seu quadrado.

Pré-candidatura

Como todos sabem, o vereador Netinho França trabalha para disputar o pleito de 2020, porém não fala publicamente sobre o assunto. Nas redes sociais existe até um grupo ligado ao edil levantando o seu nome.

Emídio Júnior

Assim como Netinho, o vereador Emídio Júnior é pré-candidato a prefeito e se unir neste momento ao edil Netinho França inviabilizaria seu projeto. Netinho só seria aceito no grupo caso ele queira aderir ao projeto que vem sendo liderado por Emídio e Denilson Gadelha.

Resultado de imagem para macaiba do futuro

O grupo Macaíba do Futuro ainda não chegou a um consenso quanto ao nome  que poderá disputar o Palácio Auta de Souza. De acordo com declarações do Sargento Heronides, a escolha do nome será feita através de pesquisa, onde o projeto consultará a população dentro dos nomes que fazem parte do grupo.

A declaração do Sargento Heronides foi dada nas redes sociais logo após José Aldenir, membro do grupo, lançar seu nome como pré-candidato a prefeito durante entrevista na 87 FM.

 

 

Faltando um pouco mais de um ano para a campanha eleitoral de 2020, em Macaíba a cada mês cresce o número de pré-candidatos ao Palácio Auta de Souza. Pelas nossas contas já são dez nomes que pretendem disputar o pleito. Na situação são três nomes e apenas um deverá disputar o pleito, na oposição até este momento são sete nomes e outros nomes poderão se lançar.

Segue a lista:

Situação

Auri Simplício (DEM)

Gerson Lima (PSB)

Edir do Posto da Maré (Sem partido definido)

Oposição

Emídio Júnior (PR)

Hailton Mangabeira (REDE)

Aldenir “Bolinha” (Sem partido definido)

Marília Dias (MDB)

Netinho França (SD)

Normando Feitosa (PR)

Wedson Poeta (PSOL)

 

Agência Brasil – O presidente Jair Bolsonaro vai exonerar ministros que detêm mandatos na Câmara dos Deputados para que possam votar a reforma da Previdência, que deve ir a plenário, em primeiro turno, ainda nesta semana. A informação foi confirmada hoje (8) pelo Palácio do Planalto. Atualmente, quatro ministros do governo são deputados federais: o chefe da Casa Civil, Onyx Lorezoni (DEM-RS); a titular da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS); o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) e o titular da pasta da Cidadania, Osmar Terra (MDB-RS).

“Os ministros que têm mandato já estão liberados para participarem da votação. O senhor presidente entende que a presença deles em plenário há de reforçar a presença do governo em plenário, no sentido que a Nova Previdência é essencial para o futuro do nosso país”, disse o porta-voz do governo, Otávio Rêgo Barros, em entrevista a jornalistas.

O suplente de Onyx é o deputado Marcelo Brum (PSL-RS); a suplente de Tereza Cristina é a deputada Bia Cavassa (PSDB-MS); o suplente de Álvaro Antônio é Enéias Reis (PSL-MG); e o suplente de Osmar Terra é Darcísio Perondi (MDB-RS). O governo não informou se vai exonerar todos os quatro ministros para votarem a reforma.

Confiança

O porta-voz da Presidência da República disse que o governo está confiante na aprovação da reforma da Previdência e ressaltou que os dois turnos da votação da medida – uma exigência para propostas de emenda constitucional – podem ser votados ainda essa semana.

“O deputado Rodrigo Maia também está esperançoso, e ele inclui nessa esperança a possibilidade de votar os dois turnos da Nova Previdência ainda essa semana. Então, é um sinal de que o esforço conjunto entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo, na pessoa do presidente da República e seus representantes, os ministros Onyx e o ministro Ramos, e na pessoa do deputado Rodrigo Maia, estão se mostrando adequados”, afirmou.

Mudanças

Sobre eventuais mudanças no texto da Previdência, como regras mais brandas para agentes de segurança, o governo prefere deixar nas mãos dos próprios parlamentares. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro chegou a fazer um apelo público para que revindicações dessa categoria fossem atendidas na comissão especial da Câmara, o que acabou sendo rejeitado pelo colegiado. Pelo texto aprovado, policiais federais e legislativos se aposentarão aos 55 anos de idade, com 30 anos de contribuição e 25 anos de exercício efetivo na carreira, independentemente de distinção de sexo.

“Sob o ponto de vista do presidente, existem percepções que podem ser melhoradas, nós já tocamos aqui nos assuntos referentes aos policiais federais, mas ele gostaria de reforçar a importância que atribui à decisão da Câmara nesse momento”, afirmou Rêgo Barros. Segundo ele, o Congresso “tem capacidade de avaliar mudanças, pequenas ou grandes, em cima do relatório, a partir da percepção de cada um daqueles legisladores”.

Na tarde desta segunda-feira (08), a vereadora Dadaia Ribeiro participou da Audiência Pública realizada na Assembleia Legislativa, sobre o Pró-Emprego, uma importante ação em prol da empregabilidade e do desenvolvimento econômico do RN, de autoria do Deputado Estadual Kleber Rodrigues, o projeto pró-emprego e voltado a geração de emprego e qualificação profissional.

Presentes ao evento estavam Walter Araújo, coordenador da Sec. de Desenvolvimento Econômico do RN, Luiz Lacerda, Vice-presidente da Fecomércio e Pedro Albuquerque, diretor institucional da Fiern.
Dadaia Ribeiro realata da grande importância desse projeto as famílias Potiguares aonde o projeto beneficiará anualmente duas mil pessoas, recolocando as mesmas no mercado de trabalho, proporcionando qualificação e valorização da mão de obra Potiguar.

Assessoria

José Aldenir na 87 FM Macaíba

O Policial Rodoviário Federal José Aldenir, conhecido como Bolinha, confirmou nesta segunda-feira (08) durante entrevista na 87 FM (programa Opinião em Foco) sua pré-candidatura a prefeito de Macaíba. Aldenir é um dos membros do grupo Macaíba do Futuro.

O grupo ainda não anunciou por qual sigla pretende disputar o pleito de 2020.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, participa da cerimônia de entrega do Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo Trabalho_ Resgata.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

De acordo com o portal Exame, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, pediu licença do cargo por uma semana “para tratar de assuntos particulares”.

Moro ficará afastado do cargo de 15 a 19 de julho.

O presidente Michel Temer e o presidente eleito Jair Bolsonaro durante pronunciamento  no Palácio do Planalto.

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro reconheceu nesta última sexta-feira, 5, o trabalho do governo do ex-presidente Michel Temer nas negociações para se chegar a um acordo entre o Mercosul e a União Europeia (UE). “Como falo publicamente, também a questão do Mercosul devemos em parte a Michel Temer, não vou tirar o Michel Temer fora. Uma negociação que se arrastava há 20 anos, Michel Temer começou realmente a tratar desse assunto com seriedade e depois nós impulsionamos”, disse.

Agência Estado

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, fala após reunião com os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, da Câmara, Rodrigo Maia, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann.

Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil

Agência Brasil – O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, demonstrou otimismo com a possibilidade de votação do primeiro turno da Reforma da Previdência  nesta semana no plenário da Câmara dos Deputados.

Neste domingo (7), após encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Onyx  disse que, pelos cálculos do governo, nessa etapa, deve alcançado um resultado proporcional ou melhor do que obtido na Comissão Especial na última quinta-feira (4), quando a proposta de reforma da Previdência foi aprovada por 36 votos a 13. “Temos um cálculo realista ao redor de 330, com pé bem no chão, e caminhamos para ter algo em torno de 330 e pode ser até mais do que isso. É uma margem que a gente acredita ser possível”, afirmou.

O ministro disse que Maia e ele discutiram procedimentos para dar início à votação da matéria na terça-feira (9) e que a discussão deve se estender até quarta-feira (10), com a votação do primeiro turno da matéria em seguida. Onyx lembrou ainda a reunião que terá no mesmo dia com governadores em Brasília. A expectativa é de que eles ajudem a convencer parlamentares de suas bancadas a votar a favor do texto.

Sobre possíveis alterações no texto, Onyx disse que há consenso entre as bancadas de que a manutenção da proposta aprovada na Comissão Especial é desejável. Mesmo assim, o ministro admite que um ou outro ponto poderá ser ajustado. “É claro que, pontualmente, alguma questão pode surgir no plenário”, ressaltou. Segundo Onyx, a intenção é manter a potência fiscal da proposta ao redor de R$ 1 trilhão. “Estamos conseguindo sensibilidade das bancadas”, afirmou.

O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, também participou do encontro com Maia.

Policiais

Sobre as reivindicações dos policiais, que pleiteiam benefícios especiais para a categoria, o ministro disse que existem muitas questões, além da idade mínima para aposentadoria, a serem tratadas no caso deles, mas que o governo considera que avanços importantes já foram feitos na comissão especial. “Me parece que o texto aprovado na comissão já contempla questões importantes para policiais”, ressaltou Onyx,. Ele informou que deve receber ainda hoje uma avaliação bastante detalhada sobre o pleito da categoria e que, a partir daí, o assunto poderá ser mais bem discutido.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, após reunião na residência oficial da presidência da Câmara.

 Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agência Brasil – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) se reuniu na manhã de hoje (6) com líderes partidários e os articuladores do governo e disse estar confiante na aprovação da reforma da Previdência “com uma boa margem de votos”. Maia trabalha para que o quórum de deputados seja alto e, terminado o debate, seja possível entrar no processo de votação do texto entre terça-feira (9) e quarta-feira (10).

“O importante é ganhar. Vamos ganhar com uma boa margem para uma matéria que há um ano atrás era muito difícil chegar nesse momento com perspectiva de vitória”, disse ao deixar sua residência oficial, onde ocorreu a reunião. Para o deputado, há um ambiente favorável no parlamento para que se consiga votar a matéria antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.

Estiveram presentes no encontro os líderes do PP, Arthur Lira (AL), e do Democratas, Elmar Nascimento (BA). O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, novo articulador político do Planalto, e o secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, também compareceram à reunião.

O relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-RJ) foi aprovado na madrugada de ontem (5) na comissão especial destinada a apreciar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) encaminhada pelo governo. Maia marcou sessões no plenário a partir de segunda-feira (8) à tarde para garantir que a matéria comece a ser apreciada no dia seguinte, já que é preciso um interstício de duas sessões do plenário após a votação na comissão especial para que o texto entre em discussão no plenário.

Tramitação

Para acelerar o processo de tramitação da reforma, é possível que os deputados aprovem um requerimento para quebrar esse interstício. “Dependendo de quando começa o processo de discussão talvez não seja necessário [a quebra]. Se for necessário, os partidos da maioria e o partido do governo têm votos para quebrar [o interstício] e vamos trabalhar para ter votos para a aprovação da emenda”, disse.

Na última semana, o presidente da Câmara avaliou que já tem os votos necessários para aprovar o texto. A expectativa do parlamentar é de que a medida seja aprovada por pouco mais de 325 deputados. Uma PEC precisa de dois turnos de votação no plenário e, no mínimo, 308 votos em cada turno para ser aprovada.

Entre o primeiro e o segundo turno de votação também é necessário um interstício, de cinco sessões. Segundo Maia, caso haja uma “vitória contundente” no primeiro turno há “mais respaldo político para uma quebra [do insterstício] do primeiro para o segundo [turno]”.

Ele avalia, entretanto, que por ser uma “emenda constitucional polêmica”, talvez seja importante um tempo para a redação final após a primeira votação. “Precisamos ter todos esses cuidados para dar mais segurança jurídica para que essa matéria tramite respeitando as regas do jogo para que não tenha risco de ter matéria bloqueada pelo Supremo [Tribunal Federal]”, disse.

Se validado pelos deputados, o texto segue para análise do Senado, onde também deve ser apreciado em dois turnos e depende da aprovação de, pelo menos, 49 senadores.

Confiança no Congresso

Ao deixar a residência oficial da Câmara, o ministro Luiz Ramos falou rapidamente com a imprensa e disse que o governo está buscando construir soluções para a votação da nova Previdência junto ao presidente Rodrigo Maia e que confia no Congresso para que ela seja aprovada.

O senador Omar Aziz (PSD-AM) também esteve na residência oficial nesta manhã e, ao sair, disse que há um esforço para que o texto seja aprovado na Câmara antes do recesso. De acordo com o parlamentar, é importante haver a interlocução entre as duas casas para aprovação da nova Previdência, mas é preciso pensar em alternativas para alavancar a economia brasileira. “Só isso [reforma da Previdência] não vai resolver a questão do Brasil”, disse o senador. “É uma troca de informações e experiências pra que a gente possa fazer o Brasil voltar a crescer”.

O blog Informativo Atitude destaca: Não existe possibilidade de união entre a ex-prefeita Marília Dias (MDB) e o  prefeito Fernando Cunha (PSD). Segundo o alto escalão do governo, o problema é de ordem pessoal e afasta qualquer possibilidade de uma nova união ou acordo político entre ambos.