Política Arquivo

Agência Brasil – Em documento enviado hoje (23) à Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional, o governo estimou queda de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano que vem. A previsão substitui a proposta anterior de 0,2%, em análise na CMO. Os números do documento, enviado pelo Ministério do Planejamento, trazem a revisão dos parâmetros econômicos que subsidiam a elaboração da proposta orçamentária para 2016.

No documento, o governo também apresentou uma nova previsão para a inflação oficial no ano que vem. Pelo texto, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mudou dos atuais 5,4% previstos no acumulado do ano que vem para 6,47%, o que mostra uma previsão de inflação mais alta do que a consta na proposta orçamentária encaminhada ao Congresso.

O governo também está projetando uma queda da atividade industrial de 2,7% em 2016. Anteriormente, a projeção era um crescimento de 0,36%. Em relação às previsões para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) que era 5,2% a previsão agora aumentou para 5,52%. Esse índice é usado para os reajustes do salário mínimo.

As novas projeções encaminhadas ao Congresso serão agora analisadas pelos relatores da receita e da despesa da proposta orçamentária para 2016, na CMO, senador Acir Gurgacz (PDT-RO) e deputado Ricardo Barros (PP-PR), respectivamente.

O ex-vereador Thomas Sena (PRP) já deve está fechando em qual palanque ficará junto de sua esposa, a vereadora Kátia Sena. Tudo  está caminhando para que Kátia Sena  em 2016 apoie à ex-prefeita Marília Dias (PMDB). Mesmo não estando mais no PMDB, Sena não perderá tempo em articular o melhor palanque da oposição para ficar, e a amizade política com a gestora de Macaíba não vem de hoje.

O “jornalista dos vídeos” continua derrubando a gestão de Coité, desta vez o mesmo anda espalhando que os equipamentos instalados na vila atrasada é só uma fachada. Só fizeram  porque os dois edis colocaram pressão. A cada dia esse tipo de aliado está mais insatisfeito, mais não é difícil de encontra-lo no palácio da falecida poetisa.

A polêmica da semana em Macaíba foi um pedido da não realização da festa da padroeira da cidade, realizada pela igreja católica. Segundo comentam na cidade, o pedido foi feito por uma vizinha da igreja matriz,  diante da repercussão do caso, a própria igreja criou nas redes sociais uma campanha em prol da festa, realizada todos os anos e que serve  também vender produtos para manter a instituição religiosa.

Hoje (23) as partes envolvidas no caso se sentaram e chegaram a um acordo, onde a festa será realizada normalmente.

Nota

“È nosso desejo e interesse fazer público que hoje, em audiência com o Ministério Público desta cidade, compareceram o padre Assis, Dr. Julio cezar , Dra. Rosane e os senhores secretários de urbanismo e meio ambiente.

O clima desta Reunião demonstrou-se propicio e as partes demonstraram grande interesse em dialogar , o que resultou em um acordo que satisfez a todas as partes.
A paróquia de Macaíba, através de seus pastores, declaram que nunca foi interesse de sua amiga, Dra Rosane , que a festa da padroeira não acontecesse .

Por ultimo também é pedido desses mesmos padres e também do seu conselheiro jurídico Dr Julio Cezar que todos aqueles que venham tomar conhecimento dessa nota divulguem-na e a façam a todos chegar para dar fim a qualquer mal entendido.

Por derradeiro, convidamos a todos aqueles que participam da festa de nossa padroeira , participem este ano com o espírito renovado de amor ao próximo e a Deus”.

 

Imagem Ilustrativa

Não é difícil ver em Macaíba bicicletas presas a árvores ou em placas de sinalização. O motivo é óbvio, não existe nenhum bicicletário na cidade implantado pelo poder público, seja da prefeitura ou governo do estado. Em uma cidade que passou dois anos em estudo para fazer um plano de mobilidade, não é para se esperar muito coisa. E mesmo depois desse plano pronto, que tem prazo para ser implantado em até dez anos, não sabemos se nele tem algum projeto para os ciclistas. Ao ver todos os dias trabalhadores e estudantes utilizando árvores e placas de sinalização para poder deixar suas bicicletas estacionadas, questionamos a prefeitura de Macaíba quando essa parcela da população que usa a bicicleta como  veículo de locomoção não poluidor, vai ter um ou vários bicicletários para poderem deixarem suas bicicletas?

Hoje o único bicicletário existente na cidade foi feito pelo Banco Caixa Econômica Federal, bastante utilizado por clientes e não clientes do banco estatal. Na própria prefeitura da cidade as bicicletas ficam presas a grades das janelas do prédio ou em árvores, mais existe pessoas que trabalham lá e utilizam bicicleta, só não viu quem tem uma visão fechada ao mundo moderno e sustentável.

Por Mário Victor.

A deputada federal Eliziane Gama  (Rede-MA) anunciou ontem (19) que irá protocolar nas próximas horas representação na Procuradoria Geral da República pedindo o afastamento de Eduardo Cunha  (PDMB /RJ) da presidência da Câmara.

A alegação é de que o peemedebista tem usado o cargo para atrapalhar o andamento processo de cassação que tramita contra si no Conselho de Ética da Casa.

“O presidente Cunha tem feito manobras, no exercício do cargo, para dificultar a tramitação do processo por quebra de decoro.  Exemplo claro disto foi a decisão de cancelar a sessão do Conselho de Ética. Além disto, tem usados diversos recursos de que dispõe na Mesa Diretora para sua defesa pessoal. Vamos pedir ao STF, por meio do procurador Janot, para que se posicione a este respeito”, adiantou Eliziane.

A deputada é suplente do Conselho de Ética da Câmara e seu partido é um dos autores da representação contra Eduardo Cunha no colegiado.

Foto: Claudio Marques

A ex-prefeita Marília Dias parece ter acordado e viu que pode perder tanto o comando do PMDB municipal em Macaíba, quanto perder o posto de candidatura natural ao executivo em 2016. A falta de articulação política na campanha de 2014 em Macaíba, tendo a ex-prefeita como coordenadora do então candidato ao governo Henrique Alves, mostrou a fragilidade que a ex- gestora  tem para articular apoios e alianças. E se essa fragilidade continuar, o ex-conselheiro Valério Mesquita passará como um trator por cima da possível candidatura de Marília Dias. A articulação do filho de família tradicional de Macaíba é tão grande que o mesmo já conseguiu abrir diálogo com setores mais fechados da terra de Augusto Severo.

Vendo que sua candidatura pode ir embora por causa da articulação política de Valério, Marília Dias já saiu em busca de apoio, o primeiro vem do deputado Estadual José Adécio (DEM), que afirmou que sua prefeita em macaíba é Marília Dias. Nos bastidores da política comentam que à ex-prefeita do PMDB ainda está longe de afastar  a possibilidade da candidatura de Valério, um dos trunfos de Marília Dias será as pesquisas de intenção de voto, onde neste caso ela sairá na frente.

Outro ponto importante que Marília Dias está perdendo para seu colega de partido são as lideranças simpatizantes do PMDB. “

Brasília - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa do 3 Congresso Nacional da Juventude do PT (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Em discurso no 3º Congresso Nacional da Juventude do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que é hora de os jovens lutarem e pediu que apoiem o governo da presidenta Dilma Rousseff.  “Um congresso como esse tem que sair propondo alguma coisa mais forte para o interesse da juventude. Apenas escrever fora Levy [em referência ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy], fora PMDB, é muito pouco”, disse a aproximadamente 600 jovens de todo o país, reunidos hoje (20) em Brasília.

Antes da chegada de Lula ao evento, os jovens gritavam pedindo a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e de Joaquim Levy. Eles exibiam cartazes também com os dizeres “Nem Meirelles [em alusão ao ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles], nem Levy”, em que defendiam a saída do atual do ministro. Meirelles foi citado em reportagens publicadas na imprensa como nome cotado para substituir Levy no comando da Fazenda.

Ler mais…

Levantamento da Controladoria-Geral da União (CGU) mostra que 29 municípios têm nota máxima em transparência, em uma escala de 0 a 10, o que equivale a menos de 2% do total de cidades avaliadas (1.587). Conforme a pesquisa, 822 cidades obtiveram notas entre zero e 0,99 por não terem regulamentado a Lei de Acesso à Informação (LAI) ou pela inexistência de canais para fornecer informações à sociedade.

Os dados fazem parte da segunda edição da Escala Brasil Transparente (EBT). O indicador mede o grau de transparência em estados e municípios e o cumprimento da legislação. Foram avaliados 1.613 entes federativos, incluindo todos os estados e capitais. Alguns municípios foram selecionados por amostragem.

São avaliadas as informações disponibilizadas e pedidos de dados nas áreas de saúde, educação e assistência social. A nota é calculada levando em conta a regulamentação da Lei de Acesso (25%) e a existência de transparência passiva (75%). A primeira edição da escala foi divulgada em maio deste ano.

De acordo com o levantamento, 30 cidades conquistaram nota 10, entre elas, Apiúna (SC), que conseguiu a nota máxima nas duas edições. Entre as capitais, tiveram a maiores notas: Brasília, Curitiba, João Pessoa, Recife e Rio Branco.

Segundo a CGU, o percentual de municípios com notas entre 9 e 10 mais que triplicou em relação à primeira avaliação. Porém, o ministro da CGU, Valdir Simão, ressaltou que mais  da metade dos municípios ainda não cumprem à lei.

“É importante que esses municípios cumpram a lei”, disse Simão em entrevista à imprensa.

Estados

Conforme a escala, os estados mais transparentes são: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, São Paulo e o Distrito Federal. Os estados com as piores notas foram Amapá (zero), Amazonas (1,39), Sergipe (2,08), Roraima e Mato Grosso do Sul (2,5  cada um) e Acre (3,3).

Valdir Simão lembrou que a CGU não tem atribuição de fiscalizar o cumprimento da lei de acesso nos estados e municípios. “Infelizmente, alguns estados ainda não se sensibilizaram.”

Segundo informações passada de dentro do palácio Auta de Souza, o prefeito Fernando Cunha (PSD) não vai ficar de braços cruzados ao ver seus adversários ( Marília Dias e Valério Mesquita) articularem alianças. O interlocutor nos deixou a entender que dentro do grupo do prefeito, virar uma jogada que poderá surpreender a todos, tipo um xeque mate.

O papa Francisco afirmou hoje (19), em uma homilia no Vaticano, que as festividades de Natal soam falsas em um mundo que escolheu “a guerra e o ódio”.

“Estamos perto do Natal: haverá luzes, festas, árvores iluminadas, presépios, (…) mas é tudo falso. O mundo continua em guerra, fazendo guerras, não compreendeu o caminho da paz”, lamentou o pontífice, na homilia da missa matinal, no dia em que foi instalado na Praça de São Pedro um grande pinheiro para as festividades natalinas.

“Existem hoje guerras em toda a parte e ódio. (…) E o que resta? Ruínas, milhares de crianças sem educação, tantos mortos inocentes. E tanto dinheiro nos bolsos dos traficantes de armas”, completou o papa. Para Francisco, a guerra é a escolha de quem prefere as “riquezas” ao ser humano.

“Os que lançam a guerra, que fazem as guerras, são malditos, são delinquentes”, disse o pontífice, para quem não há argumentos que justifiquem a atual situação do mundo.

“Devemos pedir a graça de chorar por este mundo, que não reconhece o caminho para a paz. Para chorar por aqueles que vivem para a guerra e que têm o cinismo de o negar”, acrescentou.

O pinheiro com 25 metros de altura instalado na Praça de São Pedro é oriundo da terra natal do antecessor do papa Francisco e atual papa emérito, Bento XVI, o estado da Baviera, no Sul da Alemanha.

Ler mais…

Léo Cabral

A discussão sobre o momento de crise no país e as ações a serem tomadas para reverter esse quadro estiveram entre os destaques do encontro do Elo Nacional. Para a reunião, os integrantes da Executiva Nacional da Rede prepararam uma análise sobre a conjuntura econômica, em parceria com o antropólogo Luiz Eduardo Soares e o economista Ricardo Abramovay.

Segundo o documento, se a recessão e a crise fiscal exigem revisão de benefícios sociais, o compromisso com a justiça e a equidade impõe também o sacrifício de privilégios concedidos aos grupos de maior renda. Por outro lado, nenhum ajuste tem legitimidade se não estiver vinculado a um horizonte realista e promissor que aponte para mudanças no modelo de desenvolvimento e para a redução de desigualdades com bases robustas. Nenhum ajuste conquistará o apoio do conjunto da sociedade se não representar a etapa preparatória de um modelo de desenvolvimento efetivamente sustentável.

“Temos que ajustar o Brasil e dentro do “Ajuste Brasil”, está o ajuste fiscal, que é uma gestão legal. Não é questão de agir por conveniência. É agir pelas nossas crenças. Agir por conveniência é apostar no quanto pior, melhor”, disse a ex-senadora Marina Silva ao comentar o documento de Análise de Conjuntura. “Agir por conveniência está nos levando para esse fundo do poço que se tornou o Brasil. Dentro do “Ajuste Brasil” está, sobretudo, o ajuste das posturas. Sem mudar isso, não vamos mudar as estruturas. É preciso haver um diálogo profundo para mudar o país”, complementou.

Ainda de acordo com o documento, ainda que os avanços das últimas décadas sejam insuficientes, a crise atual coloca em risco essas conquistas da população. Diante desse cenário, Ricardo Abramovay comentou os problemas do crescimento recente no Brasil. “A sociedade brasileira viveu os últimos anos entorpecida por um relativo sucesso do resultado das políticas de redução de desigualdade de renda. A sociedade foi globalmente complacente com uma cisão entre estas conquistas sociais e a base econômica em que se apoiaram. Uma base econômica que não poderia ser mais conservadora: como a parceria com grandes construtoras, bases hidrelétricas na Amazônia, intensificação e reconquista do mercado interno com o aumento super expressivo do trabalho formal nas faixas de mais baixa remuneração, com baixíssima faixa de remuneração”, analisou.

Segundo a análise, o problema desse tipo de crescimento está calcado em três aspectos principais: o primeiro é que as empresas que mais se destacam no Brasil estão distantes da fronteira global de inovação – caso da Vale e das grandes construtoras. Em segundo lugar, está a ilusão dos governantes de que reduzir a pobreza trata-se apenas de vontade política. “É preciso abolir esse discurso, pois ele abusa do carisma”, diz Ricardo. Em terceiro lugar, segundo especialista, está o atraso no que diz respeito à inovação. “Enquanto a Índia se compromete a fazer até 2022 o equivalente a cinco Itaipu em energia solar, ainda estamos discutindo a construção de hidrelétricas na Amazônia”, diz.

kassab_jardim

O deputado federal Fábio Faria (PSD/RN) se reuniu com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, nesta quarta-feira (18) para discutir projetos de infraestrutura para os municípios de Macaíba e Jardim de Piranhas. Os prefeitos Fernando Cunha e Elídio Queiroz participaram do encontro, que resultou na liberação de pagamentos de obras executadas através de emendas parlamentares e encaminhamento de projetos de mobilidade e urbanização que serão executados nos municípios.

“Asseguramos o projeto de urbanização da entrada da cidade de Jardim de Piranhas e discutimos a ampliação do ‘Minha Casa Minha Vida’ no município. Já para Macaíba, o ministro autorizou o pagamento de uma parcela de obra de pavimentação, no valor de R$ 295 mil, e determinou estudos de viabilidade de outras propostas de mobilidade apresentadas pelo prefeito”, resume o deputado.

Um dos pleitos encaminhados é a implantação de novo ramal do VLT (Veículos Leves sobre Trilho) para atender o Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, interligando Natal, Parnamirim, Macaíba e São Gonçalo do Amarante.

Agora RN – Fim da novela “Mensalinho” na Câmara Municipal de Natal. Os vereadores aprovaram o relatório da Comissão de Ética, mas rejeitaram a suspensão de 15 dias imposta a Marcos do Psol, pivô do esquema envolvendo a cobrança de parte dos salários de seus servidores. Em vez disso, foi imposta apenas a censura pública ao socialista, a pena mais branda possível entre as opções colocadas. Os recursos seriam supostamente destinados ao partido do parlamentar.

No final, 15 vereadores foram favoráveis ao relatório produzido por Joanílson de Paula Rego (PSDC), que também é presidente da Comissão de Ética. Apenas oito edis se posicionaram contra a proposta, que ainda contou com duas abstenções. Os vereadores que se posicionaram contra o relatório foram Amanda Gurgel (PSTU), Eleika Bezerra (PSDC), Júlia Arruda (PSB), Klaus Rego (PP), Maurício Gurgel (Psol), Paulinho Freire (PP) e Sandro Pimentel (PSOL).

A votação foi iniciada ainda durante a tarde e transcorreu em meio a muito bate boca e confusão. Vários vereadores utilizaram a tribuna da Casa para trocar acusações. Sandro Pimentel (Psol) chegou a dizer que ninguém dos presentes “tinha moral para punir o outro”.

Durante a sessão, Marcos do Psol reafirmou que era inocente, mas disse que aceitaria a decisão tomada em plenário. O vereador acrescentou ainda que a ex-servidora filmada no caso havia sido denunciada à Polícia sob acusação de extorsão.