Educação Arquivo

Foto: Macaíba no Ar

Foto: Macaíba no Ar

Nesta segunda-feira (26) inicia inscrições para o processo seletivo 2017 da Escola Agrícola de Jundiaí. Serão  mais de 300 vagas entre os cursos técnicos subsequente e técnico integrado ao ensino médio, onde a instituição oferecerá os cursos  de Agroindústria, Agropecuária, Aquicultura e Informática. Veja o edital clique aqui!

ufrn

Portal UFRN – O Programa de Pós-graduação em Demografia (PPGDem) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) está com inscrições abertas até o dia 29 de setembro para o mestrado. São oferecidas 10 vagas para o primeiro período letivo de 2017, com uma vaga destinada a servidores efetivos da UFRN.

A área de pesquisa de Demografia abrange temas como a fecundidade, mortalidade, saúde, migrações, mercado de trabalho, envelhecimento populacional, estudos de gênero e projeções demográficas.

As atividades do PPGDem são desenvolvidas em regime de turno integral, com possibilidades, caso haja disponibilidade, de bolsas de estudos avaliadas semestralmente. As etapas do processo de seleção consistem no exame do projeto de pesquisa, conhecimentos específicos e defesa do projeto e currículo do candidato.

Informações sobre documentos e prazos, além de mais detalhes, podem ser consultados no edital, neste link.

Ensino médio Imagem de Arquivo/Agência Brasil

Imagem de Arquivo/Agência Brasil

Agência Brasil

Principais atingidos pela reforma do ensino médio, estudantes têm muitas dúvidas sobre a medida provisória que institui o Novo Ensino Médio. Eles concordam que a etapa de ensino precisa de melhorias e apontam a formação dos professores e o diálogo como os principais caminhos. Após a publicação da MP 746/2016, a Agência Brasil conversou com alguns estudantes de escolas públicas e particulares.

“Vão retirar disciplinas? Eu sou contra. São conteúdos como sociologia e filosofia que estimulam o pensamento crítico. Eu vou poder escolher o que vou estudar? Vão ter várias opções de ensino técnico? Se forem poucas, não vai adiantar”, diz Jonathan Alves de Oliveira, 18 anos, estudante do 2º ano do Centro de Ensino Médio Setor Oeste, escola pública de Brasília.

Jonathan se descreve como interessado e alguém que aprende fácil. Atualmente, aluno do ensino médio noturno, diz que deixou o diurno porque não conseguia se concentrar. “É muita confusão, os estudantes são muito desinteressados, os professores ficam estressados”, diz.

A reforma ganhou destaque após a divulgação dos dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mede a qualidade do ensino no país. Pelo segundo ano consecutivo, a meta estabelecida para o ensino médio não foi cumprida e a etapa está estagnada desde 2011. Uma reforma já está em tramitação na Câmara dos Deputados, por meio do Projeto de Lei (PL) 6480/2013. O governo justifica a edição de uma MP como forma de dar agilidade ao processo. Agora o Congresso terá 120 dias para decidir se aprova a medida.

Professores

“O ensino médio é cansativo e desinteressante. Parece que tudo na sala de aula fica desinteressante, muita gente larga porque é chato”, diz Marcos Fabrício da Silva, 18 anos, estudante do 2º ano do Setor Oeste. Segundo ele, o professor faz toda a diferença. “Quando o professor tem uma boa didática, tem intimidade com os estudantes, ele consegue dar uma ótima aula. A formação do professor faz toda a diferença”, acrescenta.

Atualmente, o ensino médio tem 8 milhões de alunos em escolas públicas e privadas. Segundo o Ministério da Educação, enquanto a taxa de abandono do ensino fundamental foi 1,9%, a do médio chegou a 6,8%. Já a reprovação no fundamental é 8,2%, frente a 11,5% no ensino médio.

Marcos foi um dos que largou o ensino médio por dois anos, por desinteresse. Voltou a estudar para buscar uma vaga no ensino superior, quer cursar comunicação social. “Tem aulas que o professor só nos faz copiar, não tem debate, não tem diálogo, isso é ruim. Por outro lado, têm professores que te fazem aprender e você não esquece mais. Os professores são mais importantes que toda uma reforma”, diz. Ao lado do colega, Jonathan concorda que o aprendizado depende dos professores.

Voz ativa

Rio de Janeiro- Estudantes circulam com rostos cobertos durante visita do presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ, Marcelo Chalréo, à ocupação na Secretaria Estadual de Educação (Fernando Frazão/Ag
Rio de Janeiro – O movimento Ocupa Escola chegou a atinger, segundo a Secretaria Estadual de Educação, 67 escolas da rede pública do estado do RioFernando Frazão/Agência Brasil

Pesquisa divulgada essa semana mostrou que os jovens não estão satisfeitos com as escolas brasileiras. O descontentamento envolve aulas e material pedagógico e apenas um em cada dez estudantes de 13 a 21 anos diz estar satisfeito na avaliação desses quesitos.

A insatisfação com o atual cenário e com a forma como gestores conduzem a educação, aliadas a uma busca por maior participação, levou dezenas de jovens em várias cidades a ocuparem suas escolas.

O anúncio de uma reforma por meio de medida provisória foi vista como uma imposição a quem está na ponta: “Acho bastante preocupante e um retrocesso uma reforma ser feita dessa forma”, diz Luiz Felipe Costa, de 19 anos, estudante do 3º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Arnulpho Mattos, no Espírito Santo, que participou das ocupações no estado.

“Hoje o ensino médio é velho e falido, não contempla os estudantes. Eu acho importante fazer uma reforma, mas isso deveria ser amplamente debatido”, acrescenta.

Decisão difícil

A MP torna a carga horária mais flexível e dá maior autonomia aos estados para decidirem a organização da rede. De acordo com a medida, 1,2 mil horas, metade do tempo total do ensino médio, serão destinadas ao conteúdo obrigatório definido pela Base Nacional Comum Curricular, que ainda será discutida.

No restante da formação, os alunos poderão escolher seguir cinco trajetórias: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas – modelo usado também na divisão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – e formação técnica e profissional.

Para Cecília, 16 anos, estudante do 2º ano do Centro Educacional Sigma, escola particular de Brasília, decidir que ênfase se quer dar aos estudos pode ser difícil para estudantes ainda em formação. “Eu sou muito indecisa, imagina ter que decidir isso. Não gostei da proposta”, diz.

Presidente interino Michel Temer

Presidente interino Michel Temer

Pedro Peduzzi e Mariana Tokarnia – Repórteres da Agência Brasil

Após de ter anunciado ontem (22) a medida provisória (MP) que reestrutura e flexibiliza o ensino médio no país – e depois de ter dito que sua publicação só sairia na semana que vem – o governo federal acaba de publicá-la em edição extra do Diário Oficial da União de hoje (23). Sobre a polêmica em relação à obrigatoriedade do ensino de sociologia, filosofia, arte e educação física, a questão será decidida pela Base Nacional Comum Curricular, que ainda está sendo definida. Por enquanto, essas disciplinas continuam obrigatórias nos atuais currículos.

A Base Nacional Comum Curricular é um documento que, desde o ano passado, está sendo definido, com o objetivo de nortear e definir o conteúdo que os alunos deverão aprender a cada etapa de ensino. A Base específica para o ensino médio começará a ser discutida no próximo mês, de acordo com o Ministério da Educação (MEC) e deverá ser finalizada até meados do ano que vem.

Conteúdos

Ao publicar nesta sexta-feira (23) a MP 746/2016, o governo torna obrigatória para os três anos do ensino médio apenas o ensino de português e matemática. Inglês também torna-se obrigatório, mas não necessariamente para os três anos.

Os demais conteúdos serão definidos pela Base. A fim de possibilitar que isso seja feito, o governo exclui a obrigatoriedade do ensino de arte, filosofia, sociologia e educação física no ensino médio.

As mudanças só virão provavelmente a partir de 2018 – de acordo com o texto da MP, no segundo ano letivo subsequente à data de publicação da Base Curricular, mas podendo ser antecipado para o primeiro ano, desde que com antecedência mínima de 180 dias entre a publicação da Base e o início do ano letivo. Ou seja, nada muda nos atuais currículos.

Horas

De acordo com a MP, cerca de 1,2 mil horas, metade do tempo total do ensino médio, serão destinadas ao conteúdo obrigatório definido pela Base Nacional Curricular. No restante da formação, os alunos poderão escolher seguir cinco trajetórias: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas – modelo usado também na divisão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – e formação técnica e profissional.

As mudanças pretendem favorecer também a aplicação dos conhecimentos em diversas áreas – inclusive no dia a dia dos alunos e na realidade do Brasil e do mundo. Pelo Plano Nacional de Educação (PNE), até 2024, 50% dos matriculados cumprirão jornada escolar em tempo integral de, no mínimo, sete horas por dia, somando 4,2 mil horas em todo o ensino médio.

Escola em tempo integral

Segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, a pasta investirá R$ 1,5 bilhão para ofertar o ensino integral a 500 mil jovens até 2018. O tempo integral passará a ser fomentado a partir do ano que vem. “O tempo integral retira os jovens da vulnerabilidade nas grandes e médias cidades do Brasil e garante uma educação de qualidade”, diz Mendonça Filho.

Notório saber

De acordo com a MP, as aulas do ensino técnico e profissional poderão ser ministradas por profissionais com notório saber – ou seja, sem formação acadêmica específica na área que leciona -, reconhecido pelos respectivos sistemas de ensino para ministrar conteúdos afins à sua formação. “Isso não vale para os demais conteúdos, se eu tenho o ensino de filosofia, eu vou continuar tendo que ter um professor formado em filosofia, isso não muda. Vale apenas para o ensino técnico”, disse o secretário de Educação Básica, Rossieli Silva, ontem (22), no anúncio da reforma. Com isso, disciplinas como matemática e português continuarão sendo ministradas por professores formados nessas áreas.

A MP define também que os currículos de formação dos professores terão por referência a Base Nacional Curricular.

ufrn

Portal UFRN – A Include Engenharia, empresa júnior da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), está com inscrições abertas para seleção de estudantes das áreas de Engenharias de Computação, Mecatrônica e Telecomunicações interessados em ingressar como membros da empresa.

De acordo com a Include, o objetivo central da empresa é a busca pela capacitação e o desenvolvimento de competências de seus membros por meio de experiências no meio empresarial que permitam o  aprimoramento de suas bases teóricas, habilidades técnicas e atitudes em prol da satisfação dos envolvidos nos serviços prestados pela empresa.

Os interessados podem realizar inscrição por meio do link. Outras informações podem ser conferidas no edital do processo seletivo e na página do Facebook da Include Engenharia.

Valter Campanato/Agência Brasil

Portal Brasil – A renovação do ensino médio é uma das prioridades do País nos próximos anos. Segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, o governo irá trabalhar junto à sua base no Congresso Nacional para priorizar a votação do Projeto de Lei (PL) 6.840/2013, que propõe mudanças importantes nas séries finais do ensino regular.

A proposta estabelece que os currículos do ensino médio sejam organizados por áreas do conhecimento: linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas. A divisão visa priorizar a interdisciplinaridade e a aplicação dos conhecimentos em outras áreas – e também no dia a dia dos alunos e na realidade do Brasil e do mundo.

No último ano, além das matérias básicas, o aluno deverá optar por uma das grandes áreas para aprofundar os estudos, de modo que o estudante possa se dedicar mais ao campo de seu interesse. No futuro, caso decida mudar de área, ele pode retornar à escola e fazer uma nova opção formativa.

Se aprovado o PL, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se tornaria obrigatório para os alunos. Outra medida prevista é que, nos próximos dez anos, 50% dos matriculados cumpram jornada escolar em tempo integral de, no mínimo, sete horas por dia, somando 4,2 mil horas em todo o ensino médio.

Flexibilidade

A secretária executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães, afirma que o mais importante é que o ensino médio seja flexibilizado, substituindo a monotonia e o academicismo por um conteúdo mais leve e próximo da vida dos alunos.

“O primeiro, segundo e terceiro ano do ensino médio é igual para todos no Brasil, e ninguém está aprendendo nada”, lamentou a secretária em entrevista ao Programa Educação no Ar, da TV MEC. “O ideal é você ter pelo menos a metade do ensino médio dedicada àquilo que é comum para a formação geral do aluno, como língua portuguesa, matemática, língua estrangeira, conhecimentos gerais em história, geografia, filosofia”, defende.

Na segunda metade, explica Maria Helena, viria a flexibilização, quando os alunos poderiam optar pela área de conhecimento de sua preferência, área de educação profissional ou até escolher um curso técnico integrado, que lhe ofertaria um duplo certificado ao final.

comperve

Portal UFRN – Em decorrência do prolongamento da greve dos bancários, a Comperve disponibiliza uma nova Guia de Recolhimento da União (GRU) aos candidatos que ainda não conseguiram realizar o pagamento da taxa do concurso público de provas para provimento de cargo Técnico-Administrativo em Educação, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), no Edital nº 031/2016.

Essa nova GRU pode ser paga até o próximo dia 27, em casas lotéricas, correspondentes bancários, caixas eletrônicos de qualquer agência bancária, agências dos Correios e no internet banking.

Como consequência da prorrogação do período de pagamento, a data de validação das inscrições será alterada do dia 27 para o dia 30 de setembro, além da data de divulgação dos locais de prova, do dia 4 para 5 de outubro.

Publicado edital para ocupação das vagas remanescentes dos cursos Subsequente

Portal IFRN – A Pró-Reitoria de Ensino divulgou na tarde de hoje o Edital Nº 31/2016, para a ocupação das vagas remanescentes dos cursos Técnico Subsequente.

As inscrições começam nesta última segunda-feira (19), às 18h, através do portal do candidato e seguem até às 22h do dia 23 de setembro de 2016. O processo seletivo utilizará para a classificação dos candidatos, exclusivamente, as notas obtidas nas edições 2010, 2011, 2012, 2013, 2014 ou 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

Estão sendo ofertadas um total de 49 vagas, sendo: 4 para o curso de Química no Campus Apodi; 7 para o curso de Vestuário no Campus Caicó; 12 para o curso de Manutenção e Suporte em Informática no Campus Ipanguaçu; e 1 para o curso de Mineração no Campus Parelhas. O campus Mossoró é o único que está ofertando mais de um curso Mecânica (5), Petróleo e Gás (4) e Saneamento (16).

A lista dos aprovados no processo seletivo será divulgada no dia 27 de setembro, na página do processo seletivo.

ufrn

Portal UFRN – O Departamento de Engenharia de produção da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) está com inscrições abertas para curso de especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho. O curso é direcionado apenas para Arquitetos e Engenheiros.

Serão destinados 10% das vagas para servidores docentes e técnico-administrativos da universidade, em um total de 4 vagas por turma. O curso tem duração de 18 meses, incluindo as disciplinas e o trabalho de conclusão de curso, com carga horária total de 700 horas.

Os interessados podem realizar inscrição via Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa) seguindo as abas: Lato Sensu > Processos Seletivos até o dia 14 de outubro. A Taxa de inscrição é de R$ 50.

A seleção dos candidatos inscritos será por meio da análise dos currículos. Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail: segurancadotrabalhoufrn@gmail.com.

Clique para ampliar a imagem

Portal UFRN – A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) renovou na manhã desta  última segunda-feira, 12, oito termos de cooperação técnica para ofertas de cursos nos municípios de Apodi, Ceará-Mirim, Monte Alegre, Natal, São Paulo do Potengi, Touros e Vera Cruz. As parcerias foram estabelecidas através da Rede E-Tec Brasil, cujas ações no âmbito da UFRN atendem aproximadamente cinco mil alunos em 14 municípios. As iniciativas são executadas através do Instituto Metrópole Digital e pela Escola Agrícola de Jundiaí, na modalidade semipresencial.

“O programa Rede E-Tec existe na UFRN desde 2011 e tem mostrado uma boa evolução no decorrer dos anos. Exemplo disto é que inicialmente atendíamos 200 alunos, hoje são cinco mil; quando em 2011 capacitamos os primeiros beneficiados, foram 150, enquanto que neste semestre serão 600”, relatou o coordenador geral da Rede E-Tec Brasil na UFRN, Ivan Max Freire de Lacerda. Ele acrescentou que, para subsidiar uma maior confiança para as ações desenvolvidas, os acordos celebrados agora terão duração de cinco anos ao invés de dois, como praticado anteriormente. Em dezembro, três outros acordos serão renovados para atender as cidades de Areia Branca, Assú e Caicó.

Realçando o papel da oferta de cursos da Rede E-Tec para as diretrizes que a UFRN traça nos seus planos de oferta para o ensino, a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, destacou que a perspectiva é partir para o oferecimento de graduações tecnológicas e pós-graduações também. “Vemos que há um grande potencial e, por causa disso, queremos ampliar a oferta para além do ensino técnico, apesar de percebermos que a população de muitos municípios são carentes de capacitações específicas em gestão pública e saúde, por exemplo, que impactam diretamente nos arranjos produtivos das regiões beneficiadas. Até vivenciamos situações em que as pessoas nos agradecem pelas oportunidades ao nível técnico, o que inclusive demonstra a relevância da rede”, colocou a reitora.

Estiveram também presentes na cerimônia de assinatura ocorrida no prédio da Reitoria o vice-reitor José Daniel Diniz Melo, o diretor da Escola Agrícola de Jundiaí, Júlio César de Andrade Neto, e a secretária de Educação a Distância, Carmen Freire Diogenes Rêgo, além de representantes das instituições e prefeituras parceiras da UFRN.

IFRN seleciona entidades para criação gratuita de logos

Portal IFRN – O IFRN Cidade Alta está selecionando organizações e entidades não governamentais ou sem fins lucrativos, para o projeto “CRIATIF na Rua”. A ação busca contribuir de forma gratuita na construção de logotipos e solucionar problemas de comunicação visual dessas entidades. As inscrições foram prorrogadas e acontecem até o dia 16 de setembro, conforme o Edital Nº 17/2016 DG/CAL.

 Uma identidade visual profissional é fundamental para conquistar credibilidade e patrocínio, muitas vezes isto fica restrito a empresas que dispõem recursos para esse fim. O objetivo do CRIATIF na Rua é auxiliar as entidades sem fins lucrativos, que exercem papel importante na melhoria de vida da população, mas não possuem recursos para divulgar seu trabalho.

O trabalho é desenvolvido pela professora Silvia Mattos em conjunto com alunos do curso técnico integrado em Multimídia. “Além de contribuir com o desenvolvimento de projetos que melhoram a vida das pessoas, o projeto com a formação e o aprofundamento teórico e técnico de estudantes” explica a professora.

 Os interessados podem devem realizar as inscrições presencialmente, na Coordenação de Extensão do Campus, localizado na Av. Rio Branco, 743 – Cidade Alta, até o dia 16 de setembro, das 9h às 12h e das 14h às 17h. A escolha das instituições será realizada a partir da análise da documentação apresentada dentro do prazo estipulado no edital.

 Os resultados da seleção serão divulgados até o dia 21 de setembro de 2016, por meio do site do IFRN Cidade Alta e de nossa página no Facebook. Outras informações e a documentação exigida para a seleção podem ser obtidas no EDITAL ou pelo 4005-0974.

Clique para ampliar a imagem

Foto: Anastácia Vaz

Portal UFRN – O Instituto Metrópole Digital, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (IMD), está com inscrições abertas até o dia 11 de setembro para seleção de estudantes dos cursos técnicos em Tecnologia da Informação para bolsa de Iniciação Científica.

De acordo com o IMD, os estudantes selecionados participam do projeto de pesquisa relacionado ao desenvolvimento de podcasts sobre as ênfases dos cursos técnicos do instituto. As atividades serão de oito horas semanais para o projeto no semestre atual e nas etapas a transcorrerem ao longo de três anos.

Os interessados devem realizar inscrição enviando e-mail para o endereço eletrônico eugenio@imd.ufrn.br, anexando comprovante de matrícula, currículo e um podcast de até 10 minutos explicando o interesse pelo projeto. O email deve ser enviado com o título  Projeto de Pesquisa PodCast cursos técnicos do IMD: Candidatura.

O valor da bolsa é de R$ 100 mensais. Outras informações podem ser conferidas por meio do telefone (84) 3342-2216.

ifrnnatal

As inscrições para o processo seletivo do Exame de Seleção 2017 do IFRN terminam nesta segunda-feira, 12 de setembro.  Foram ofertadas 3023 vagas para os cursos técnicos integrados ao ensino médio da instituição, através do Edital Nº 26/2016.  As vagas foram distribuídas entre 31 cursos em 20 campi do instituto espalhado pelo Rio Grande do Norte.

Os cursos são voltados para os alunos que estão no 9º ano da rede pública ou particular de ensino. O valor da taxa de inscrição é de R$ 20 e o pagamento do boleto pode ser pago até o dia 13 de setembro.

A prova do processo seletivo será aplicada no dia 16 de outubro de 2016, às 13h, no local determinado no cartão de inscrição que estará disponível a partir do dia 10 de outubro, no Portal do Candidato. No dia da aplicação os candidatos deverão comparecer com sua carteira de identidade (ou outro documento com foto), cartão de inscrição impresso e com uma caneta esferográfica preta. Em caso de perda ou roubo do documento de identificação e não existindo outro documento entre os previstos, o candidato deverá obrigatoriamente apresentar Boletim de Ocorrência Policial, no qual deverá constar a perda ou o extravio do documento, com prazo de emissão de no máximo de 30 dias consecutivos.

Foto: Macaíba no Ar

Foto: Macaíba no Ar

Inscrições para o exame de seleção da Escola Agrícola de Jundiaí abre a partir do dia 26 deste mês. A instituição vinculada a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) oferecerá os seguintes cursos técnicos, Agropecuária, Agroindústria, Aquicultura e Informática, todos integrado ao ensino médio. Para quem já terminou o ensino médio, poderá fazer o curso técnico de informática no modo subsequente. Serão mais de trezentas vagas este ano. O exame de seleção será feito pela Comperve.

Agência Brasil – A rede privada apresentou mais quedas no índice que mede a qualidade do ensino médio do que a rede pública, conforme dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgados nesta quinta-feira (8) pelo Ministério da Educação (MEC). Ao todo, 11 estados e o Distrito Federal apresentaram queda na rede privada. Em cinco estados, houve queda na rede pública.

O Ideb nacional do ensino médio manteve-se estagnado em 3,7 em 2015, patamar em que se encontra desde 2011. Isso fez com que o país descumprisse a meta para o índice pela segunda vez consecutiva. Apenas dois estados – Amazonas e Pernambuco – bateram as metas que teriam de cumprir.

O cenário, no entanto, melhorou. No último Ideb, de 2013, 13 estados apresentaram piora no índice em relação ao anterior. Em 2015,  somente quatro estados – Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais –  tiveram piora no Ideb. Distrito Federal, Rio de Janeiro, Sergipe e Rondônia ficaram estagnados, enquanto 19 estados aumentaram o Ideb de 2013 para 2015.

Separadamente, a rede privada teve queda em mais estados que a rede pública estadual. O Ideb caiu no Pará, Tocantins, Maranhão, Piauí, na Paraíba, em Pernambuco, na Bahia, em Minas Gerais, no Paraná, em Santa Catarina, Goiás e no Distrito Federal.

As rede estaduais tiveram quedas em Rondônia, Sergipe, Minas Gerais, Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. “Isso prova que o modelo que temos é ruim. Impacta tanto a rede pública quanto a rede privada. Por isso,  a importância de reformar o ensino médio”, disse o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Eduardo Deschamps.

O Ideb é um indicador de qualidade dos ensinos fundamental e médio, divulgado a cada dois anos. O índice é calculado com base em dados sobre aprovação e desempenho escolar obtidos por meio de avaliações do MEC. Desde a criação do indicador, em 2005, foram estabelecidas metas que devem ser atingidas por escolas, prefeituras e governos estaduais.