Educação Arquivo

Aline Leal – Repórter da Agência Brasil

A diferença entre as notas de corte entre candidatos cotistas e não cotistas nos cursos oferecidos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), este ano, foi de no máximo 4% nos dez cursos mais concorridos. O índice é considerado baixo pelo Ministro da Educação, Aloizio Mercadante. “Os cotistas, como são das escolas públicas, representam 80% dos candidatos. Eles têm uma concorrência muito forte também”, disse o ministro.

A nota de corte é a mínima necessária para o estudante ter a chance de ficar entre os potencialmente selecionados para o curso.

Um exemplo proximidade das notas está entre os candidatos ao curso de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que tem a maior nota de corte do Sisu: a nota de corte da ampla concorrência foi 824,74, enquanto a do sistema de cotas foi 801,19, uma diferença de 2,9%. Ciências econômicas da UFRJ apresentou a maior diferença, de 4%.

Ao todo, 2.712.937 candidatos se inscreveram para 228.071 vagas em 131 instituições públicas de ensino superior. Os selecionados deverão fazer a matrícula nos dias 22, 25 e 26 de janeiro. “Não tem reserva de vaga. Quem não apresentar a documentação nesse prazo perde a vaga”, alertou Mercadante.

O Sisu usa as notas do Enem para preencher vagas em instituições públicas de educação superior em todo o país.

Aqueles que não foram selecionados na primeira opção de curso poderão participar da lista de espera, que tem as inscrições abertas de hoje até o dia 29 de janeiro. É preciso acessar o portal do Sisu e clicar na opção que confirma a inscrição na lista de espera.

O resultado dos selecionados na lista de espera será divulgado no dia 4 de fevereiro. Caberá ao estudante procurar a instituição de ensino e fazer a matrícula.

Em busca de fonte alternativa de energia e, consequentemente, preocupado com a sustentabilidade, o Campus Natal Central começou a produção de energia solar nesta segunda-feira, dia 18.  Os geradores fotovoltaicos, que totalizam 825 painéis solares, divididos em dois geradores – um com 480 e outro com 345, ocupam aproximadamente 1.290m² e estão instalados sobre o teto dos blocos das salas de aula.

IFRNN

Estima-se que serão gerados 26.200kWh mensalmente, suprindo cerca de 11% do consumo, o que representa uma economia de R$ 116,3 mil anual para o Campus, como também uma redução de 28 toneladas na  emissão de CO2/ano.

De acordo com Franklin Róbias, engenheiro eletricista do IFRN, inicialmente, a energia gerada atenderá os condicionadores de ar dos blocos de aulas e o Data Center do Instituto. A energia restante será distribuída para as demais cargas elétricas ou irá para a rede de distribuição da Companhia de Energética do Rio Grande do Norte (COSERN). Nesse último caso, o medidor da subestação  registrará a energia fornecida para a rede externa e será descontada na fatura do Campus, gerando mais uma economia.

“O projeto, além der gerar economia e ser exemplo do uso de energia limpa, vai proporcionar aos alunos e professores o acompanhamento do seu funcionamento – inicialmente os do curso de Eletrotécnica, futuramente de Engenharia de Energia e de Informática”, observa o diretor de Administração do campus, Francisco Antonio de Pontes, que finaliza: “Nossa meta é ampliar a produção e nos próximos quatro anos chegar a 50% da energia consumida no campus”.

Outros 6 campi (Canguaretama, São Paulo do Potengi, Ceará-Mirim, Currais Novos, Parelhas e São Gonçalo) e a Reitoria do IFRN já possuem usina de energia solar. Os planos são que, em breve, os campi Pau dos Ferros e Lajes também passem a contar com suas usinas. O Instituto foi a primeira instituição pública brasileira a usar micro e minigeradores conectados à rede de distribuição de energia elétrica, conforme Resolução Normativa 482/ANEEL.

Portal IFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) orienta os candidatos às vagas oferecidas pelo SiSU a ficarem atentos aos documentos necessários ao processo de Cadastramento na Instituição. O resultado da seleção do Sisu será anunciado na segunda-feira, dia 18,  e o Cadastramento na UFRN começará na sexta-feira, dia 22.

Os candidatos devem dedicar atenção especial aos documentos exigidos para o caso de se inscreverem em algum tipo de Ação Afirmativa.

O Edital de Ingresso nos Cursos de Graduação da UFRN por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) para o ano de 2016 está publicado no site prograd.

Foto: Tribuna do Norte

O Ministério da Educação (MEC) abriu a consulta às bolsas de estudo que serão oferecidas na primeira edição de 2016 do Programa Universidade para Todos (Prouni). O Prouni oferece bolsas parciais ou integrais em universidades privadas para estudantes de baixa renda.

A consulta das bolsas pode ser feita no site http://siteprouni.mec.gov.br/. As inscrições começam nesta terça-feira (19) e vão até 23h59 de 22 de janeiro.

O resultado da chamada única do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é divulgada. As matrículas da 1ª chamada para os cursos nos Campi de Natal e Macaíba serão realizadas nos dias 22, 25, 26 e 27 de janeiro. Já a 2ª chamada está prevista para os dias 15, 16, 17 e 18 de fevereiro. O local de matrícula será na Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), localizada no Campus Central, na Av. Senador Salgado Filho, 3000.

Já quem passou em 1ª chamada para os cursos ofertados nos campi de Caicó ou no curso multicampi de Medicina deverá efetuar matrícula nos dias 25, 26 e 27 de janeiro. A 2ª chamada ocorrerá nos dias 16, 17 e 18 de fevereiro. O local de matrícula será no Centro Regional de Ensino Superior do Seridó (CERES) da UFRN, Campus de Caicó.

Matrículas em 1ª chamada nos cursos de Currais Novos ou Santa Cruz serão feitas nos dias 25 e 26 de janeiro. 2ª Chamada será em 16 e 17 de fevereiro. O local em Currais Novos, será no Centro Regional de Ensino Superior do Seridó (CERES) da UFRN da mesma cidade. Já em Santa Cruz, será na Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA) da UFRN.

O horário de matrícula será o mesmo para todos os locais em ambas as chamadas. Pela manhã, das 8h às 11h30 e à tarde das 13h30 às 17h. Para conferir a documentação completa e o dia e turno da matrícula correspondente ao curso em que foi aprovado(a), veja no edital disponibilizado pela Pró-Reitoria de Graduação através do site www.prograd.ufrn.br.

Verifique se você foi aprovado no  SISU

As matrículas da 1ª chamada para os cursos nos Campi de Natal e Macaíba serão realizadas nos dias 22, 25, 26 e 27 de janeiro. Já a 2ª chamada está prevista para os dias 15, 16, 17 e 18 de fevereiro. O local de matrícula será na Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), localizada no Campus Central, na Av. Senador Salgado Filho, 3000.

Já quem passou em 1ª chamada para os cursos ofertados nos campi de Caicó ou no curso multicampi de Medicina deverá efetuar matrícula nos dias 25, 26 e 27 de janeiro. A 2ª chamada ocorrerá nos dias 16, 17 e 18 de fevereiro. O local de matrícula será no Centro Regional de Ensino Superior do Seridó (CERES) da UFRN, Campus de Caicó.

Matrículas em 1ª chamada nos cursos de Currais Novos ou Santa Cruz serão feitas nos dias 25 e 26 de janeiro. 2ª Chamada será em 16 e 17 de fevereiro. O local em Currais Novos, será no Centro Regional de Ensino Superior do Seridó (CERES) da UFRN da mesma cidade. Já em Santa Cruz, será na Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA) da UFRN.

O horário de matrícula será o mesmo para todos os locais em ambas as chamadas. Pela manhã, das 8h às 11h30 e à tarde das 13h30 às 17h. Para conferir a documentação completa e o dia e turno da matrícula correspondente ao curso em que foi aprovado(a), após a divulgação do resultado na próxima segunda (18), veja no edital disponibilizado pela Pró-Reitoria de Graduação através do site www.prograd.ufrn.br. Informações e foto Tribuna do Norte.

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), unidade acadêmica de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), iniciou na última  quarta- feira (13), o cadastramento de todos os candidatos classificados no processo seletivo 2016 para cursos técnicos. O cadastramento está sendo realizado na Secretaria Escolar da EAJ das 7h às 16 horas.

O cadastramento só será efetivado para os candidatos que entregarem toda a documentação listada no edital presente no site do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve).

As vagas surgidas em razão de cancelamento espontâneo serão preenchidas por candidatos incluídos no cadastro de reserva. A divulgação do resultado da segunda chamada será no dia 18/01.

As matrículas regulares para o primeiro semestre letivo de 2016 da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) começam nesta quarta-feira, 13, e seguem até o próximo dia 23 de janeiro.

Os alunos da instituição devem efetuar as matrículas nas disciplinas curriculares pelo Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) e o processamento dessas acontece nos dias 28 e 29.

Segundo a Pró-reitoria de Graduação (PROGRAD), o prazo para rematrícula está definido para os dias 1 e 2 de fevereiro e a matrícula extraordinária, de 8 a 26 de fevereiro. O início das aulas está marcado para o dia 1º de fevereiro.

Foto: Tribuna do Norte

Informações Portal UFRN

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

Engenharias, pedagogia e administração lideram a oferta de vagas no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) deste semestre.

Segundo dados divulgados hoje (11) pelo Ministério da Educação (MEC), estão sendo ofertadas 35 mil vagas nos cursos de engenharia, 9,2 mil em pedagogia e 8,5 mil em administração, distribuídas nas instituições públicas de todo o país.

As inscrições começaram nesta segunda-feira e podem ser feitas pelo portal do Sisu até quinta-feira (14). A vagas ofertadas somam 228 mil em 131 instituições de ensino públicas. Nesta tarde, o número de inscritos chegou a 974 mil.

A oferta de vagas nos cursos de engenharia foi a que mais cresceu, segundo o balanço do MEC:  aumentou em 28,4 mil avgas desde 2010 e em 4,3 mil em relação a 2015.

Em relação às instituições de ensino, a maior oferta de vagas nesta edição é da Universidade Federal da Paraíba com 7,7 mil vagas, seguida pelas universidades Federal de Pernambuco, com 6,9 mil vagas e Federal do Rio Grande do Norte, com 6,8 mil vagas.

A Região Nordeste é a que tem a maior oferta, 90.110 vagas. Em seguida vêm as regiões Sudeste (61.047), Sul (35.656), Centro-Oeste (27.219) e Norte (14.039).

Desde 2010, houve aumento de quase quatro vezes na oferta de vagas e de cursos pelo sistema. O número de instituições participantes também aumentou, passando de 51 em 2010 para 131 em 2016.

Cursos com maior oferta de vagas

Engenharias: 35.064
Pedagogia: 9.237
Administração: 8.480
Matemática: 8.096
Ciências Biológicas: 8.086
Direito: 6.583
Química: 6.485
Física: 5.432
Agronomia: 5.068
Cências Contábeis: 4.858
Educação Física: 4.722
História: 4.650
Geografia: 4.590
Medicina: 4.497

Instituições com maior oferta de vagas

Universidade Federal da Paraíba (UFPB): 7.700
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE): 6.972
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN): 6.878
Universidade Federal de Goiás (UFG): 6.345
Universidade Federal do Ceará (UFC): 6.288
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG): 6.279
Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT): 5.940
Universidade Federal de Alagoas (UFAL): 5.458
Universidade Federal de Sergipe (UFS): 5.440
Universidade Estadual do Piauí (UESPI): 4.985

Agência Brasil – O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 registrou ligeira queda nas médias obtidas pelos estudantes em três das quatro provas objetivas e redução no número de redações nota máxima, 1 mil, em relação ao exame do ano anterior. Foi no entanto, o exame com o maior desempenho registrado em matemática. Pela primeira vez, 13 participantes tiraram 1008,3. Os dados foram divulgados hoje (11) pelo Ministério da Educação (MEC).

Em 2015, as médias nas provas do Enem foram 558,1 em Ciências Humanas; 478,8 em Ciências da Natureza; 505,3 em Linguagens e Códigos; e, 467,9 em Matemática. Em 2014, as médias foram 546,5 em Ciências Humanas – única mais baixa em relação a este ano -; 482,2 em Ciências da Natureza; 507,9 em Linguagens e Códigos; e, 473,5 em Matemática.

Em redação, 104 pessoas tiraram a nota máxima – 1 mil – na redação, com o tema “A persistência da  violência contra a mulher na sociedade brasileira”. O número é mais que duas vezes menor do que na edição anterior, em 2014, quando chegou a 250 estudantes. Em 2014, o tema da redação foi “Publicidade infantil em questão no Brasil”.

Mesmo com queda na nota máxima, o grupo que tirou entre 901 e 999 aumentou em relação ao ano anterior. Em 2015, foram 47.770, enquanto em 2014, foram 35.719. Em 2015, 53.032 participantes tiraram a nota 0. Eles não poderão participar dos programas de seleção para vagas no ensino superior do MEC. O número, no entanto, caiu em relação a 2014, quando 529.373 zeraram a redação.

Sobre a variação das médias, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, diz que o dado não é relevante. “Ao longo da história há oscilações. Se fosse uma tendência [seria preocupante], mas não é”, diz. Ele acrescenta: “A prova permitiu aos que sabiam mais mostrar isso”, disse, ressaltando que foi a primeira vez que estudantes tiraram mais do que 1 mil na prova de matemática.

Em relação à redação, na avaliação do ministro, o desempenho “foi bastante razoável”. As redações são revistas por dois corretores. Se há uma diferença maior do que 100 pontos entre as notas dadas por eles, a redação vai para um terceiro corretor. Segundo ele, nesse ano caiu muito a necessidade do terceiro corretor, o que mostra também uma melhor capacitação dos profissionais que atuam na correção.

A divulgação das notas de redação este ano incluíu apenas os estudantes que fizeram a prova, segundo Mercadante. No ano passado, os que deixaram a redação em branco foram computados entre os que tiraram zero, inflando o número.

Notas disponíveis

Do total de 5.810.948 participantes do Enem 2015, 4 milhões acessaram as notas na Página do Participante até esta tarde, de acordo com o MEC. Durante o final de semana, os estudantes relataram nas redes sociais diversos problemas, desde não conseguir acessar o resultado até terem as notas mudadas a cada acesso.

Segundo Mercadante, está “tudo corrigido. As informações foram prestadas a todos os estudantes e não temos registros de nada significativo”, afirmou. As notas estão disponíveis desde a última sexta-feira (8).

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff sancionou hoje (11) o Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação em cerimônia no Palácio do Planalto. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 77/2015, que promove uma série de ações para o incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento científico e tecnológico, foi aprovado pelo plenário do Senado Federal no dia 9 de dezembro.

A ideia é aproximar as universidades das empresas, tornando mais dinâmicos a pesquisa, o desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação no país, além de diminuir a burocracia nos investimentos para a área.

Segundo Dilma, o novo marco regulatório promove uma reforma na legislação que regula a integração entre agentes públicos e privados que compõem o sistema de ciência, tecnologia e inovação. “Estamos dando transparência, simplicidade e segurança jurídica a uma cooperação fundamental para o crescimento econômico, a geração de renda e emprego e que promova o desenvolvimento de forma sustentável”.

A presidenta disse que o Congresso, ao aprovar por unanimidade a legislação, demonstrou compromisso com as reformas necessárias à retomada do crescimento econômico. “É uma medida de curto, médio e longo prazos. Agradeço aos congressistas por esse esforço suprapartidário de criar as bases para que a inovação se torne o motor de nosso desenvolvimento”.

Na cerimônia, também foi lançada a Chamada Universal CNPq/MCTI nº1/2016, edital promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) que vai disponibilizar recursos para projetos de pesquisa científica e tecnológica nos próximos dois anos, em qualquer área do conhecimento, no valor de R$ 200 milhões.

Vetos

Em entrevista após a sanção do marco legal, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, disse que a presidenta vetou alguns pontos do texto aprovado no Congresso. Pansera destacou que esses vetos “não mexem no eixo” do novo marco legal.

Segundo o ministro, um dos vetos é referente a um trecho que isentava o recolhimento de impostos previdenciários sobre bolsas de pesquisa e compra de produtos. Outro veto foi em um trecho do texto que dispensava a realização de licitação pela administração pública nas contratações de empresas com faturamento de até R$ 90 milhões anuais para prestação de serviços ou fornecimento de bens elaborados com aplicação sistemática de conhecimentos científicos e tecnológicos.

Legislação

Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o marco legal atualiza a legislação brasileira para facilitar o exercício das atividades de pesquisa científica. O texto prevê a isenção e a redução de impostos para as importações de insumos feitas por empresas na execução de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação. O marco também amplia o tempo máximo que os professores das universidades federais poderão trabalhar em projetos institucionais de ensino, pesquisa e extensão, ou exercer atividades de natureza científica e tecnológica.

A legislação também permite a participação da União, estados e municípios no capital social de empresas para o desenvolvimento de produtos e processos inovadores que estejam de acordo com as políticas de desenvolvimento científico, além de simplificar a emissão do processo de visto de trabalho para pesquisadores estrangeiros que vierem ao Brasil para participar de projetos de pesquisa.

Agência Brasil – Começam amanhã (11) as inscrições para a primeira edição de 2016 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, no site do Sisu, até as 23h59 do dia 14 de janeiro, no horário de Brasília. Nesta edição, o Sisu vai oferecer 228 mil vagas em 131 instituições públicas de educação superior. Os candidatos já podem consultar as vagas disponíveis no site do programa.

Pode se inscrever no Sisu o estudante que participou da edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e obteve nota acima de zero na prova de redação. É necessário informar o número de inscrição e a senha usados no Enem de 2015.

O resultado da chamada regular do Sisu será divulgado no dia 18 de janeiro. Os selecionados deverão fazer a matrícula na instituição nos dias 22, 25 e 26 de janeiro. Assim como na edição anterior, só haverá uma chamada regular.

Quem não foi selecionado ou foi selecionado apenas para sua segunda opção de curso pode aderir à lista de espera que estará disponível na página do Sisu na internet de 18 de janeiro até as 23h59 do dia 29. O interessado só pode se inscrever na lista de espera para o curso que marcou como primeira opção na inscrição. A convocação das instituições de ensino aos candidatos em lista de espera começa a partir do 4 de fevereiro.

O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação por meio do qual os estudantes participantes do Enem concorrem a vagas de ensino superior em instituições públicas. As notas do Enem foram divulgadas no dia 8 de janeiro.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou, há pouco, pelo Twitter, que as notas na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já estão no sistema. A nota da prova era a única que faltava no resultado divulgado há pouco. “A nota da redação está no sistema. Caso necessário, atualize o navegador e limpe o cache. #ResultadoEnem2015”, publicou o Inep, por volta das 19h2 (horário de Brasília).

As notas do Enem do ano passado foram divulgadas por volta das 18h na Página do Participante. Logo após a divulgação, candidatos reclamaram nas redes sociais da falta da nota da redação.  O dia foi de espera para os estudantes – muitos deles já estavam online, atualizando a página do Inep desde as primeiras horas desta sexta-feira. Isso porque a autarquia não especificou a hora da divulgação da nota da redação.

A Escola Agrícola de Jundiaí, localizada no Campus Macaíba da UFRN, divulgou hoje (08) o resultado do processo seletivo tanto do ensino médio integrado ao técnico quanto do subsequente. Ao todo são três cursos dividido para sete turmas.

Veja o resultado aqui

Os estudantes interessados em candidatar-se a uma das vagas oferecidas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) já podem consultar a oferta de vagas na página do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Ao todo, serão 6.878 vagas abertas, distribuídas em 107 cursos pelos cinco campi da instituição. As inscrições começam na próxima segunda-feira, 11, e se estendem até as 22h59 do dia 14 (horário local).

O resultado da chamada única será divulgado em 18 de janeiro. Os candidatos selecionados fazem as matrículas nos dias 22, 25 e 26 de janeiro. Em seguida, acontece a chamada para as vagas remanescentes da UFRN, cuja lista será disponibilizada no dia 05/02 e que terá o período de 12 a 16 de fevereiro para matrícula. O edital da UFRN com os detalhes de local de matrículas será divulgado nesta sexta-feira, 8, no endereço http://sisu.mec.gov.br.

“Fazemos sempre o alerta para que os estudantes leiam o edital que divulgaremos, pois nele há a lista com os documentos necessários, os locais para onde eles devem se dirigir, os critérios para aqueles que podem se beneficiar das políticas de ações afirmativas, tanto a Lei de Cotas como as nossas políticas institucionais. Além disso, é sempre interessante frisar que haverá apenas um processo seletivo anual para ingresso nas vagas dos cursos de graduação da UFRN destinados aos candidatos inscritos no Sisu”,  colocou a pró-reitora de Graduação, Maria das Vitórias Vieira de Almeida.

O candidato pode se inscrever no processo seletivo do Sisu em até duas opções de vaga e deve especificá-las, em ordem de preferência, em instituição de ensino superior participante, local de oferta, curso e turno. Para se inscrever, o candidato deve ter feito o ENEM 2015, sem ter nota zero na redação. O resultado do ENEM será divulgado nesta sexta-feira, 8, pela internet.

O sistema indicará as notas de corte para cada curso ao estudante, que vai poder alterar as opções de curso de acordo com a nota. Ele também terá de indicar se pretende concorrer a vagas reservadas para Lei de Cotas, para as demais políticas de ações afirmativas eventualmente adotadas pela instituição ou para a vagas destinadas à ampla concorrência.

A pró-reitora acrescenta ainda que para concorrer às vagas remanescentes é necessário manifestar interesse em participar da lista da espera. “Essa opção estará disponível entre os dias 18 e 29 de janeiro. Caso não faça esse procedimento, mesmo tendo marcado uma segunda opção no período de inscrições, o interessado estará de fora da segunda chamada”, concluiu Maria das Vitórias.

Portal UFRN/Foto: Portal no Ar