Educação Arquivo

IFRN

O IFRN foi o grande vencedor da 11ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), cuja final aconteceu neste fim de semana (17 e 18 de agosto), na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A Instituição conquistou 19 medalhas, sendo 4 ouros, 6 pratas e 9 bronzes, de um total de 20 premiações angariadas pelo Rio Grande do Norte, que também foi o estado com mais premiações no certame.

Ao todo, o evento distribuiu 75 medalhas, sendo 15 de ouro, 25 de prata e 35 e bronze.  Além delas, foram concedidas ainda medalhas de honra ao mérito. A região Nordeste também teve um papel de destaque, com 58 medalhas, o que corresponde a 77% do total. A final contou com a participação de 314 equipes, reunindo 1,2 mil convocados de todos os estados brasileiros.

A cerimônia de premiação contou com a participação de estudantes, professores, historiadores de relevância nacional e autoridades, como representantes da Anpuh (Associação Nacional de História), Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), ProfHistória (Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História) e a presença do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel.

Protagonismo do IFRN na premiação

Para Gerardo Júnior, professor de História do Campus Mossoró do IFRN e acompanhante dos alunos e alunas medalhistas, a conquista é um exemplo da qualidade do processo de ensino e de aprendizagem dos Institutos Federais como um todo, e do IFRN, em específico: “precisamos fortalecer e defender ainda mais os pressupostos educacionais que estão consubstanciados no nosso Projeto Político Pedagógico (PPP). Não podemos aceitar uma possível privatização e/ou o sucateamento dos Institutos Federais”, afirmou.

Ainda segundo o professor, o diferencial do IFRN para proporcionar uma conquista deste porte é a proposta de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional e Tecnológica, em quatro anos, que possibilita aos estudantes uma formação educacional mais completa e complexa. Também foi realizada uma preparação no Campus Mossoró, desde fevereiro, com palestras, atividades virtuais análogas às encontradas nas fases da ONHB, resolução de questões no estilo da Olimpíada e encontros semanais com os atletas olímpicos do conhecimento. “O empenho e a dedicação dos estudantes que abraçaram esse projeto de ensino, que se tornou a ONHB em nossa instituição foi fundamental”, concluiu.

Desempenho do IFRN

Medalhas de Ouro
Campus Quantidade Total
Mossoró 2 4
Natal – Central 1
Canguaretama 1
Medalhas de Prata
Campus Quantidade Total
Natal – Central 3 6
Apodi 1
Mossoró 1
Pau dos Ferros 1
Medalhas de Bronze
Campus Quantidade Total
Natal – Central 4 9
Mossoró 3
Nova Cruz 1
São Paulo do Potengi 1


Olimpíada Nacional de História do Brasil (ONHB)

Realizada pelo Departamento de História da Unicamp, a Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB) é composta por seis fases de provas realizadas de forma online, com duração de uma semana cada. Tem apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e do Programa de Pós-Graduação em História da Unicamp. em 2019, teve 73 mil inscritos desde a fase inicial. A final contou com a realização de uma prova dissertativa no sábado. Os finalistas interessados em concorrer a duas vagas no curso de graduação em História da Unicamp realizaram, também, na tarde do sábado, uma prova que faz parte do edital de “Vagas Olímpicas”, implantada de forma inédita em 2018 com o objetivo ampliar o acesso à universidade. Estudantes que fizeram a prova e conquistaram medalhas de ouro ou prata estão agora concorrendo às vagas na universidade.

A imagem pode conter: texto

Nesta sexta-feira (16), o professor titular aposentado João Emmanuel, ex-pró-reitor de Planejamento da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, estará na Escola Agrícola de Jundiaí debatendo o Future-se, que prevê a criação de um fundo privado para financiamento das federais e a inserção das organizações Sociais na gestão dessas instituições.

O debate vai ser realizado no auditório do ensino médio, a partir das 9h30.

Foto: UFRN

A Coordenadoria do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PGENF), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), torna público o processo seletivo para os cursos de Mestrado Acadêmico em Enfermagem, turma 2020.

O Programa oferece 18 vagas para demanda externa e duas vagas para demanda interna, que é composta por servidores do quadro permanente da UFRN.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente via internet, no Sistema Integrado de Gestão das Atividades Acadêmicas (Sigaa), até as 17h do dia 12 de setembro de 2019, de acordo com o horário local. Para mais informações, consultar o edital presente na página do Sigaa.

O pagamento do auxílio-saúde para os servidores aposentados da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) está mantido pelo Governo do Estado. Em reunião na tarde desta segunda-feira (12), com a presença da governadora Fátima Bezerra, ficou definido que representantes do Instituto de Previdência do RN (Ipern) e da Universidade do Estado do RN (Uern) se reunirão nesta terça-feira (13) para fazer os ajustes contábeis que são necessários para adequação legal.

O auxílio-saúde foi instituído pela lei estadual nº 608/2017 para os servidores da Uern, mas o artigo 5º do dispositivo legal pontua que o pagamento do auxílio deve ser feito a partir do orçamento da Fundação Universidade do Estado do RN (Fuern) e não pelo Ipern.

O acerto orçamentário para o pagamento do auxílio será feito entre a direção da instituição de ensino e o Instituto de Previdência, que vinha pagando o auxílio. ”Nós asseguramos a autonomia da UERN e garantimos o pagamento da verba. O servidor pode ficar tranquilo, que nenhum direito será retirado”, explicou a governadora Fátima Bezerra.

 ORÇAMENTO

Durante o encontro discutiu-se também a questão orçamentária da Universidade do Estado. Os dados do Governo apontam que os pagamentos e empenhos orçamentários da Uern entre janeiro e julho deste ano foram maiores do que no mesmo período em 2018.

O valor pago até julho 2019, por exemplo, foi de R$ 104,2 milhões, enquanto que no ano anterior o montante foi de R$ 78 milhões. Com relação ao valor empenhado, a proporção é semelhante: R$ 133 milhões em 2019 e R$ 122,7 milhões em 2018.

O Governo garantiu ainda o repasse mensal de R$ 1,5 milhão para o custeio da Universidade, além de R$ 1 milhão destinado exclusivamente para finalizar a obra do campus da Zona Norte de Natal, que tem previsão de conclusão até 2020. Os recursos serão complementados com a destinação de aproximadamente R$ 11 milhões do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop) para a Uern até 2023.

A equipe do Governo destacou a garantia de R$ 3,6 milhões em investimentos para a Uern, que são contrapartidas dos contingenciamentos realizados pelo Governo Federal nas emendas destinadas pela bancada federal potiguar à instituição.

A Prefeitura de Macaíba, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (SME), promoveu semana passada uma oficina de teatro para os estudantes e coordenadores da rede municipal de ensino macaibense,  no Centro de Cultura de Macaíba. O objetivo é prepará-los para o Festival de Teatro da Prefeitura, que será realizado nos dias 18 e 19 de setembro deste ano, no Pax Club.

Três estudantes de cada série do ensino fundamental II, do 6º ao 9º ano, de 13 escolas participaram da atividade coordenada pelo professor Lucivaldo Feitosa e receberam os certificados de conclusão do curso, com uma carga horária de 16h. A temática está relacionada ao projeto pedagógico “O universo circense na educação: cultura, arte e literatura, aliados por uma Escola melhor”, realizado durante todo o ano letivo de 2019.

O projeto é vinculado às atividades das 43 escolas municipais, com o objetivo de propiciar às atividades nas escolas um diálogo com a arte do circo como lugar de valores culturais, sociais, estéticos, políticos e econômicos, desenvolvendo o processo de aprendizagem diário.

 

Nas últimas semanas, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) foi notícia na imprensa pelo atraso no pagamento dos servidores que prestam serviços terceirizados à instituição, como vigilantes e motoristas. Algumas empresas reclamam atrasos de até seis meses.

Sobre esse e outros assuntos, o reitor Pedro Fernandes Ribeiro Neto conversou no “Cafezinho com César Santos”.

O reitor falou sobre o corte no orçamento da Universidade promovido pela governadora Fátima Bezerra (PT), que atingiu, principalmente, o custeio da estrutura da UERN. A instituição deixará de receber pelo menos R$ 3,6 milhões só de custeio. O governo ainda cortou 100% de investimento.

Informações DeFato.com

 

Nesta sexta-feira (09), uma Comissão Especial foi nomeada pelo secretário municipal de Educação de Macaíba, Domingos Sávio, que visa apurar acúmulos ilegais de cargos públicos remunerados dos ocupantes dos cargos de diretor e vice-diretor das unidades educacionais da Rede Municipal de Ensino.

De acordo com a portaria 018/2019, existe denúncias no tocante a supostos acúmulos indevidos de cargos. A Comissão Especial vai apurar se existe diretor ou vice-diretor dando expediente em outro município no horário que deveria estar na escola que ocupa o cargo de direção. De acordo com a lei municipal Nº 1.831/2016, é de responsabilidade dos gestores das escolas cumprir diariamente, pelo menos 2(dois) turnos, em regime de dedicação exclusiva.

A Comissão terá 30 dias para concluir os trabalhos de apuração das possíveis ilegalidades.

 

Hoje (7), a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do RN tornou pública a abertura de Processo Seletivo Simplificado para composição de cadastro de reserva para contratação de professor e especialistas de educação temporários. Esses profissionais terão contrato por tempo determinado com o objetivo de atender às eventuais necessidades existentes na Rede Estadual de Educação. As inscrições são realizadas, exclusivamente, pela internet, no portal do SIGEduc, até o próximo domingo (11).

O processo seletivo destina-se a selecionar candidatos para compor cadastro de reserva de professores e especialistas de educação dos componentes curriculares nos Ensinos Fundamental, Médio e suas modalidades de acordo com as seguintes opções: 1) Unidades Escolares – Base Comum, 2) Educação Profissional, 3) Educação do Campo (espaços escolares), 4) Educação do Campo (espaços não escolares), 5) Educação Escolar Quilombola, 6) Educação Escolar Indígena (espaço escolar), 7) Educação Escolar Indígena (espaços não escolares), além das opções 8) Unidades Prisionais, 9) Centros de Atendimento Socioeducativo e 10) Especialista de Educação, em conformidade com a legislação acima enunciada.

Esses educadores poderão ser contratados para atuar nas unidades escolares das 16 Diretorias Regionais de Educação e Cultura (DIREC) e no Sistema Prisional e Socioeducativo do RN.

Para inscrever-se, o candidato deverá acessar o site do SIGEduc (www.sigeduc.rn.gov.br) e, seguir os seguintes passos: na tela inicial, clicar no item Outros, que consta no menu lateral esquerdo do site, em seguida clicar no item Concurso. O navegador carregará o local onde o candidato selecionará a opção a qual deseja se inscrever e preencherá a ficha de inscrição. A ficha de inscrição para o processo seletivo está disponível, exclusivamente na internet, até as 23h59 do dia 11 de agosto.

Os contratos terão vigência de até um ano, prorrogáveis por até 12 meses. O número de vagas para temporários não será previamente definido devido a variabilidade da demanda. A publicação de vagas com a respectiva convocação dos candidatos selecionados ocorrerá a posteriori, em qualquer data dentro da validade do processo seletivo. O edital tem validade de um ano, prorrogável por mais um, contando a partir da data de publicação.

A remuneração do professor temporário, com nível superior será igual ao do professor graduado do quadro funcional do magistério público estadual em início da carreira, R$ 2.686,25 para uma jornada de trabalho com 30 horas semanais. Enquanto que a remuneração para o professor de nível médio, exclusivamente para os componentes/áreas de Ciências Agrárias e Língua Materna, será de R$ 1.918,75.

Os candidatos doadores de sangue, os que trabalharam na Justiça Eleitoral e as doadoras de leite materno, têm direito à isenção da taxa de inscrição, de R$ 35,00, mediante o cumprimento das normas estabelecidas no Edital. O resultado da isenção será conhecido no dia 13 de agosto.

Os candidatos que concorrerem às vagas e forem portadores de necessidades especiais deverão declarar sua condição no ato de inscrição. O candidato que não realizar esta declaração perderá o direito de concorrer a tais vagas. O interessado deverá apresentar laudo médico com o código referente à Classificação Internacional de Doenças – CID no dia da entrega dos documentos à DIREC.

Após a inscrição e pagamento da taxa ou deferimento da isenção, o candidato deve ir à sede da respectiva DIREC com os documentos exigidos no edital para que seja realizada a efetivação da inscrição. É imprescindível que toda a documentação seja entregue até o dia 14 de agosto, às 13h00. Será eliminado o candidato que não apresentar toda a documentação exigida. Os documentos, critérios de avaliação, recursos e prazos estão disponíveis no edital.

Todos os atos oficiais relativos ao processo seletivo serão publicados no Diário Oficial do RN (www.diariooficial.rn.gov.br) e divulgados no portal da Secretaria de Educação do RN (www.educacao.rn.gov.br). O resultado preliminar do seletivo será publicado no dia 26 deste mês e, o resultado final, no dia 30.

Clique aqui e confira a íntegra do edital publicado na edição desta quarta-feira no Diário Oficial do RN.

Cronograma

Período de inscrição via internet – 07 a 11/08/2019

Solicitação para a isenção via internet – 07 a 09/08/2019

Divulgação do resultado da isenção – 13/08/2019

Entrega da documentação na sede da DIREC – 07 a 14/08/2019

Período de homologação das inscrições – 15 a 23/08/2019

Resultado preliminar – 26/08/2019

Interposição de Recurso – 27/08/2019

Resultado final – 30/08/2019

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, nuvem, céu, planta, grama, árvore, atividades ao ar livre e natureza

As turmas de Manejo e Conservação do Solo, da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN), implantaram em 2017 um pomar na área de experimentação. O espaço tem como principal objetivo possibilitar aos alunos aplicarem os conhecimentos relacionados à disciplina por meio da execução, em campo, das principais práticas conservacionistas.

Ministrada pelos professores Gualter Guenther e Ermelinda Oliveira, coordenadores do Grupo de Estudos em Solo (Gesolo), a área de manejo foi dividida em quatro principais experimentos, sendo depois avaliada conforme o desenvolvimento de três adubos verdes: lab-lab, mucuna preta e feijão guandu, sob diferentes tipos de adubação orgânica.

A adubação verde é uma técnica que proporciona melhoria das características físicas, químicas e biológicas do solo, além de oferecer autonomia ao agricultor na disponibilidade de matéria orgânica. As plantas utilizadas, lab-lab, mucuna preta e guandu são indicadas por serem boas produtoras de biomassa e terem qualidade de matéria orgânica, oferecendo melhoramento e capacidade de restauração de solos esgotados.

Desde 2017, todas as turmas da disciplina realizaram trabalhos no local. Diversas informações relacionadas com a produção de biomassa, acima e abaixo do solo, e características químicas e físicas do local foram coletadas pelos alunos, que podem assim realizar a integração entre os conhecimentos teóricos e práticos adquiridos durante o curso.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

Alunos do Curso Técnico em Informática classificam-se para a segunda fase da Olimpíada Brasileira de Robótica (modalidade teórica).

Os estudantes Afonso Júlio Moreira Neto (2º ano), Gabriel Sebastião do Nascimento Neto e Miller Matheus Lima Anacleto Rocha (ambos do 1º ano) do Curso Técnico em Informática da EAJ foram classificados para a segunda e última fase da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), na sua modalidade teórica.

Devido ao fato da robótica ser uma área multidisciplinar, a prova da OBR aborda conteúdos de várias áreas do conhecimento, tentando estabelecer relações entre eles e elaborar soluções para problemas.

A prova da segunda fase será realizada no próximo dia 23 de agosto, na Escola de Ciências e Tecnologia da UFRN, e os alunos em conjunto com o Prof. Leonardo Teixeira já deram início à preparação da segunda fase.

Adicionalmente, sete equipes da EAJ, totalizando 25 alunos do Curso Técnico em Informática, estão inscritas para participar da modalidade prática da OBR que ocorrerá no próximo dia 31 de agosto no IFRN, campus Natal Central.

Com informações da Assecom/EAJ

A Pró-Reitoria de Ensino do IFRN (Proen) divulgou nesta segunda-feira (05), a oferta de 4.548 vagas para os Cursos Técnicos, distribuídos entre os 21 campi do Instituto, nas modalidades: Integrado, Subsequente e ProEJA. Os processos seletivos oferecem ingresso no primeiro semestre letivo de 2020, e serão regidos pelos Editais 29, 30 e 31/2019 – Proen/IFRN, respectivamente.

As inscrições deverão ser efetuadas exclusivamente via INTERNET, na Área do Candidato, por meio do sítio https://inscricoes.funcern.org, das 14h do dia 9 de agosto às 23h59 de 5 de setembro, conforme o Anexo VIII dos referidos Editais. Para efetuar as inscrições, os candidatos – com exceção dos participantes do ProITEC 2019 – deverão realizar o pagamento da taxa de inscrição (no valor de R$ 30,00) até 6 de setembro. No ato da inscrição será necessário informar o  número de documento oficial de identificação e do CPF do candidato.

INTEGRADO

Os Cursos Técnicos de Nível Médio na forma Integrada ofertarão 3.172 vagas, no total. A prova do processo seletivo será aplicada em 6 de outubro, e abrangerá conhecimentos de escolarização do ensino fundamental, em conformidade com as diretrizes do Edital nº 29/2019. Podem participar da seleção os portadores de certificado de conclusão do ensino fundamental (ou de curso equivalente). Vale ressaltar que, o participante homologado no ProITEC 2019 está isento do pagamento da taxa de inscrição, para este processo seletivo.

SUBSEQUENTE

Os Cursos Técnicos de Nível Médio na forma Subsequente ofertarão 1.120 vagas, no total. A prova do processo seletivo será aplicada em 20 de outubro, e abrangerá conhecimentos comuns às diversas formas de escolarização do ensino médio, em conformidade com as diretrizes do Edital nº 30/2019. Podem participar da seleção os portadores de certificado de conclusão do ensino médio (ou de curso equivalente).

PROEJA

Os Cursos Técnicos de Nível Médio na forma Integrada na Modalidade Educação de Jovens e Adultos, ofertarão 156 vagas, no total. A prova será aplicada em 20 de outubro, e abrangerá conhecimentos comuns às diversas formas de escolarização do ensino fundamental, em conformidade com as diretrizes do Edital 30/2019. Podem participar da seleção os portadores de certificado de conclusão do ensino fundamental (ou de curso equivalente).

Para saber mais acesse os respectivos Editais abaixo, ou ligue para (84) 4005-0781.

Edital nº 29/2019 – Proen/IFRN – Oferta de Cursos Técnicos INTEGRADOS

Edital nº 30/2019 – Proen/IFRN – Oferta de Cursos Técnicos SUBSEQUENTES 

Edital nº 31/2019 – Proen/IFRN – Oferta de Cursos Técnicos Educação de Jovens e Adultos PROEJA

Página de Inscrição 

 

A perspectiva de instalação do Parque Tecnológico Augusto Severo, na cidade de Macaíba, foi o foco principal de uma exposição realizada para o empresário Karim Khouri na manhã desta segunda-feira, 5, pelo reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, e pela assessora especial para o Parque, Ângela Maria Paiva Cruz.

Na oportunidade, coube à Ângela Maria Paiva Cruz circunstanciar alguns aspectos relativos ao projeto. “Há o apoio do governo do estado, prefeituras de municípios da Grande Natal, que serão afetados diretamente pelo Parque. Trabalhamos com o cronograma focado em, no início de 2021, estarmos com o Parque implantado”, colocou. Ela salientou que a UFRN já detém expertise em governança de Parques Tecnológicos, haja vista capitanear o Parque Metrópole Digital, localizado em Natal e primeiro do Estado.

O reitor reforçou que a Universidade está empenhada na ação e que já há a sinalização do governo do RN para a concepção de incentivos fiscais. Daniel Diniz realçou, por outro lado, que a UFRN tem a consciência de que não fará sozinha o projeto se viabilizar, “apesar de já termos algo concreto, com área definida e planejamento, é necessário que as empresas conheçam e abarquem a ideia.”

Durante a exposição, o diretor do Parque Metrópole Digital, Anderson Cruz, relatou também a experiência da Incubadora Inova Metrópole. “Em cinco anos, 150 empreendimentos receberam suporte da equipe do Inova. Especificamente no que tange ao Parque Metrópole Digital, conseguimos indicadores, em dois anos, que outros parques da região conseguiram em seis. Para termos uma ideia, saltamos de sete para 46 empresas credenciadas neste curto espaço de tempo”, colocou o diretor. Uma das parceiras da iniciativa, a Prefeitura Municipal de Macaíba esteve presente com o prefeito da cidade, Fernando Cunha. Ele destacou o potencial produtivo e econômico da iniciativa. Nesse mesmo tom, Karim Khouri pontuou que, caso as expectativas se confirmem, não apenas a cidade de Macaíba, mas o estado como um todo se beneficiará.

Parque

Previsto para ser instalado em uma infraestrutura da UFRN, em Macaíba, o Parque terá inicialmente vocação em energia, tecnologia da informação e reabilitação em saúde, com ofertas de espaços para as entidades apoiadoras, que incluirão uma incubadora multissetorial de empresas, uma aceleradora gerenciada pelo ISD, a Agência de Inovação (AGIR-UFRN) e um espaço do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS-UFRN). As cooperações em áreas complementares serão associadas ao Parque como células de inovação descentralizadas, de acordo com as vocações econômicas e tecnológicas.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) se posicionou pela manutenção do ministro da Educação, Abrahan Weintraub, na lista de réus da ação civil pública (ACP) por danos morais coletivos decorrentes de condutas praticadas desde que ele assumiu a pasta, em abril deste ano. Além do ministro, a União também foi incluída como réu na ACP, que trata das declarações referentes às universidades públicas.

A União e a defesa do ministro apresentaram contestação na qual relacionam oito casos que justificariam a retirada de Weintraub do polo passivo da ACP. No entanto, o MPF esclareceu em sua réplica – assinada pelo procurador da República Emanuel Ferreira – que tais precedentes tratam de ações movidas por particulares e com contextos bastante diferentes.

No caso da ACP relacionada às universidades, o autor da ação – o Ministério Público Federal – possui o dever constitucional de proteger o patrimônio público. “Sendo assim, o MPF, demonstrando o dolo ou culpa do agente público, tem o dever de acioná-lo diretamente.” Caso a ação se voltasse unicamente contra a União, observa a réplica, uma possível condenação traria prejuízo ao poder público, até que uma eventual ação regressiva fosse movida pela União contra o ministro.

“Tal postura (acionar apenas a União) não é a mais adequada, ainda mais porque colocaria os professores e alunos, indiretamente e através do orçamento da União, como responsáveis pelo pagamento da indenização”, afirma o procurador.

Temor – Outro argumento utilizado na contestação e refutado pelo Ministério Público Federal é o suposto “temor” que a ação poderia causar ao agente público. “O MPF age com responsabilidade, instruindo adequadamente suas investigações e atuando de maneira extremamente técnica. Com essas garantias e responsabilidades, somente o gestor que pratica ato ilícito com dolo ou culpa merece se preocupar com a atuação ministerial.”

Somente após a análise da contestação dos réus e da réplica do MPF, a Justiça deve agendar uma audiência de instrução, na qual as partes devem começar a debater as questões relativas ao mérito do processo, que tramita na Justiça Federal sob o n.º 0800928-89.2019.4.05.8401.

Declarações – Entre as condutas de Weintraub que são alvo da ACP estão afirmativas como a de que universidades que, “em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas”. Para o MPF, a fala demonstra “clara vontade discriminatória por parte do réu, pois as universidades inicialmente retaliadas pelo MEC (UFF, UFBA e UnB) atingiram ótimo desempenho”, com base em rankings de avaliação do ensino superior, como o Times Higher Education.

Em outra ocasião, durante reunião com reitores e membros da bancada parlamentar do Rio Grande do Norte, ele disse que o serviço de limpeza na Ufersa, UFRN e IFRN – ameaçados pelos cortes nos orçamentos – poderiam ficar a cargo dos centros acadêmicos e dos diretórios centrais dos estudantes. Além de tal medida ser ilegal, o MPF destaca que a “proposta parte da premissa inafastável de que, para Sua Excelência, os respectivos alunos são desocupados, não realizando a contento as atividades de ensino, pesquisa e extensão a ponto de ostentarem tempo livre para, ilegalmente, exercerem tarefa que cabe à Administração”.

Para o MPF, as condutas do titular do MEC foram discriminatórias, não estando protegidas pela liberdade de expressão, pois mancham a honra e a imagem pública dos professores e alunos. “O tom jocoso utilizado, com claro interesse de humilhar os estudantes, somente pode ser compreendido quando analisado o contexto global em que a fala foi proferida, no contexto da conturbada relação com as instituições de ensino”, resume.

Confira a réplica na íntegra.

Os alunos do IFRN – Campus Santa Cruz em parceria com a Faculdade de Ciências da Saúde da UFRN (Facisa), desenvolveram em projeto de pesquisa um equipamento para pacientes no quadro de pós – Acidente Vascular Cerebral (AVC). Como consequência do AVC, a pessoa lesionada adquire hemiparesia (um dos lados do corpo paralisado) e, a ferramenta fisioterapêutica então chamada de “Player Feedback”, trabalha através de estímulos às partes motoras e cognitivas.

O funcionamento da ferramenta se dá através da gameficação – uma espécie de jogo –, onde o paciente acompanha sua evolução através de pontuação com objetivo de tornar a ferramenta estimulante e atrativa. Uma de suas funções é quantificar o tempo de resposta do paciente ao estímulo visual, para propiciar um tratamento fisioterápico com precisão na geração de dados e evolução do quadro clínico do paciente. Além disso, sua estrutura é desenvolvida em MDF e conta com cinco circuitos de LED, contudo, a pretensão é substituir o MDF por Acrílico para ampliar as possibilidades de efetuar melhorias devido às características do segundo material.

Andriely Nunes, Hudson Andrade e Jamili Medeiros são alunos do curso de Informática do IFRN e atuam no desenvolvimento do projeto, que é coordenado pelo professor Paulo Augusto de Lima Filho. “Todo integrante está engajado com o projeto, desde o desenvolvimento de circuitos, códigos e artigos”, disse Andriely Nunes. “Como sendo uma parceria com a Facisa, o projeto nos dá a oportunidade de ter contato com orientadores e alunos da pós-graduação em Fisioterapia. Passamos a entender coisas novas, aprender sobre o AVC e em como podemos ajudar a medicina com a tecnologia”, relata. A aluna também destaca a formação acadêmica que o Instituto proporciona nesse cenário: “A educação pode nos levar longe e o IFRN é uma escola que nos oferece uma formação completa. Com isso, os projetos que desenvolvemos no Campus, nos auxiliam a construir um bom futuro. Não só para nós, mas para a comunidade”, conclui.

O professor Rodrigo Barreto, um dos pesquisadores que participaram do projeto, acredita que, “é muito importante desenvolver esses projetos de parceria para estimular o desenvolvimento da região, além de propiciar o amadurecimento do aluno no aprender, na busca científica e na prática da pesquisa”, disse. O grupo ainda destaca a importância de divulgar o trabalho: “Estamos submetendo o projeto para publicação e também fizemos submissão para a Secitex, pois é muito importante e gratificante ter um trabalho publicado e apresentado à comunidade, nos abrindo oportunidades no futuro”.

Ao final, espera-se construir dois equipamentos, deixando um na Facisa e outro no IFRN – Campus Santa Cruz, para fins de estudo.

Foto: Cícero Oliveira.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) iniciou na tarde da última sexta-feira, 02, o processo de discussão, com a comunidade universitária, a respeito dos aspectos e das implicações do projeto Future-se, iniciativa apresentada pelo Ministério da Educação (MEC)  aos reitores das universidades e institutos federais no dia 17 de julho. O debate foi um dos itens da pauta da 2º sessão ordinária do Conselho Universitário (Consuni), reunião realizada no Auditório da Reitoria.

Na oportunidade, o reitor da UFRN, José Daniel Diniz Melo, salientou que “todo e qualquer encaminhamento ou decisão que a Universidade tomar, será precedido de um amplo processo de discussão com todos os segmentos da comunidade universitária”. Em vídeo anterior publicado no canal do Youtube da UFRN, Daniel Diniz já havia explicitado esse posicionamento, momento no qual realçou que o debate será articulado com outras instâncias, como o Fórum dos Reitores das Instituições Públicas de Ensino Superior do RN e a Andifes.

A apresentação da proposta do anteprojeto de lei, documento que o MEC colocou sob consulta pública até o dia 15 de agosto, foi realizada pelo pró-reitor de Planejamento, Josué Vitor de Medeiros Júnior. A exposição procurou demarcar quais as principais preocupações identificadas no corpo do texto, sobretudo acerca dos efeitos orçamentários e administrativos.

Falando em seguida, Aparecida Dantas de Araújo, dirigente do Sintest e também conselheira no Consuni, demonstrou preocupação com a atuação das organizações sociais. Para ela, o debate deve ser também estendido na forma de Assembleias Universitárias com a participação de todos os segmentos da universidade. O raciocínio foi ratificado por Jaciele Valentim, uma das coordenadoras do Diretório Central dos Estudantes (DCE). “É preciso estudar o projeto e, para isso, é importante um profundo processo de discussão, no qual possamos aprofundar e saber o que é o projeto”, colocou. Durante a reunião do Consuni, o DCE colocou que já está articulando a realizações de debates em cada centro.

O diretor do Centro de Educação, Jeferson Fernandes Alves, alertou para a necessidade de intensificar a interlocução com a sociedade, “afinal precisamos mostrar que o projeto tem premissas em muito do que já fazemos, como por exemplo em termos de governança e proximidade com necessidades da sociedade e do setor produtivo”. Para ele, não podemos, entretanto, afastar a universidade do papel de ser “uma das instituições responsáveis pela construção de projeto de país e de sociedade menos assimétrica”.

Por seu lado, Dimitri Taurino Guedes, docente da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FAcisa), salientou a total ausência de menção, no anteprojeto sob audiência pública, de menção às especificidade do processo de interiorização, sobretudo na região Nordeste. Ao final, o reitor José Daniel Diniz Melo reafirmou o compromisso de continuar o processo de debate e discussão. “Estaremos nos centros e unidades acadêmicas, junto às entidades representativas, quando formos convidados, construindo um entendimento para o projeto que está sendo apresentado, o que vai subsidiar o posicionamento que a UFRN tomará”.