Educação Arquivo

 

Agência Brasil – O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciaram por meio de live (transmissão ao vivo) em rede social o aumento de 12,84% do piso salarial previsto no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Segundo Weintraub, o reajuste anunciado “é o maior aumento em reais desde 2009.”

O ajuste, acima da inflação de 2019 (4,31%), corresponde às expectativas da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que já havia previsto o valor mínimo do magistério passaria de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24. Há expectativa entre gestores municipais que uma nova lei sobre o Fundeb seja criada este ano. A lei atual só prevê a manutenção do fundo até este ano. O Ministério da Educação prepara proposta com novas regras.

Durante a live o presidente também anunciou, ao lado do secretário de Cultura Roberto Alvim, o lançamento do Prêmio Nacional das Artes que irá destinar mais de R$ 20 milhões para produção artística nas cinco grandes regiões brasileiras.

O prêmio terá sete categorias, eruditas e populares, e prevê a seleção de cinco óperas, 25 espetáculos teatrais, 25 exposições individuais de pintura e 25 exposição de escultura, 25 contos inéditos, 25 CDs musicais originais e até 15 propostas de histórias em quadrinhos.

O edital será publicado na próxima semana no Diário Oficial da União e no site da Secretaria Especial da Cultura. O repasse de recursos entre as regiões será dividido de forma igual.

Durante a transmissão, o presidente também comentou a queda histórica dos juros básico da economia, Taxa Selic a 4,5% ao ano e a esperada redução da dívida pública com a baixa dos juros. O presidente salientou a redução dos custos de empréstimos da Caixa Econômica Federal e a diminuição de pessoas inadimplentes. Bolsonaro salientou que a queda de juros ocorre “sem canetada” e “sem interferência”, mas por causa do ambiente de recuperação econômica.

O presidente comemorou a prioridade anunciada pelo governo dos Estados Unidos para que o Brasil se torne membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e lembrou a edição de nova medida provisória que ajusta o salário mínimo dos atuais R$ 1.039 para R$ 1.045.

Além do ministro da Educação e do secretário de Cultura, participou da transmissão o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior.

O Cursinho do Diretório Central dos Estudantes da UFRN iniciará o processo de matrículas para as novas turmas de extensivo do período letivo 2020.1 na próxima segunda-feira (20), das 9h às 16h. As vagas ofertadas contemplam os três turnos, matutino, vespertino e noturno, e são limitadas e voltadas para todos os estudantes que concluíram ou estão concluindo o ensino médio e que desejam realizar as provas do Enem 2020.

Assim como no ano passado, este ano o período de matrículas será dividido em duas partes: nos dias 20 a 22 de janeiro, as matrículas serão voltadas para alunos oriundos de escola pública, das redes municipal ou estadual de ensino; e a partir do dia 23, as matrículas estarão abertas a toda a comunidade.

Os interessados em se matricular no preparatório devem se dirigir à secretaria do Cursinho do DCE, localizada no Setor I da UFRN, portando cópias e originais do RG, CPF, comprovante de residência e histórico escolar do ensino médio – este último, obrigatório apenas nos três primeiros dias de matrícula. A o valor da taxa de matrícula é de R$ 130,00 e já inclui a primeira mensalidade e o material didático. As demais mensalidades terão o valor de R$ 75,00.

Sobre o Cursinho do DCE

O projeto já existe há mais de 20 anos e usa a estrutura da UFRN para promover a democratização do ensino superior, oferecendo preparação para o ENEM com qualidade e baixo custo. Além disso, o Cursinho também é um espaço de aprendizado para vários estudantes da universidade, que atuam como professores e coordenadores no projeto.

Mais informações nos perfis do Instagram, do Facebook ou pelo telefone (84) 3215-3324.

Foto: UFRN

Agência Brasil – Amanhã (17), os quase 4 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 terão acesso às notas que obtiveram na avaliação. Para acessar os resultados é preciso informar, na Página do Participante o CPF e a senha cadastrados na hora da inscrição no exame.

Desde já, os estudantes podem se preparar para conferir as notas. Aqueles que não lembram a senha, podem recuperá-la no próprio sistema. É possível acessar o resultado também pelo aplicativo do Enem.

Para acessar as notas na Página do Participante, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame, divulgou um passo a passo:

Ao entrar na página, logo aparece a Nanda, uma personagem digital com uma pergunta. Para avançar, é preciso responder ao desafio. Isso é feito para evitar o acesso de robôs.

Em seguida, os estudantes devem informar o CPF e inserir a senha. Caso não se lembrem da senha, basta clicar no link “Esqueci minha senha”, que está logo abaixo do campo de preenchimento.

O sistema vai, então, pedir para o usuário escolher se a senha cadastrada será enviada para o e-mail registrado durante a inscrição ou se quer alterar o e-mail. O sistema dá uma pista para que o participante se lembre de qual e-mail foi cadastrado durante a inscrição.

Caso a opção seja por receber a senha no e-mail cadastrado, basta procurar na caixa de entrada. Se não encontrar, o Inep orienta a verificar a caixa de spam.

Quem não tem mais acesso ao e-mail informado na inscrição ou quiser trocar o endereço do correio eletrônico deverá responder às perguntas solicitadas a respeito dos dados informados na inscrição. Acertando todas as respostas, é só informar o novo e-mail.

O Inep irá, então, enviar a senha para o novo e-mail, e o participante poderá acessar as notas no exame. É possível, inclusive, consultar os resultados de edições passadas, caso o usuário tenha feito o Enem em outros anos.

A senha deve ser guardada em local seguro e de fácil acesso. Ela ainda será usada para a inscrição nos programas federais de acesso ao ensino superior. Na Página do Participante, os candidatos têm acesso ao número de inscrição, também usado para concorrer a vagas no ensino superior.

Nesta sexta-feira (17), os estudantes terão acesso à nota da redação e à pontuação de cada uma das quatro áreas de conhecimento: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

Ensino superior

Com os resultados, os estudantes poderão concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e participar do Fundo de Financiapróximo ›mento Estudantil (Fies).

O primeiro processo que terá as inscrições abertas é o Sisu. Para participar é preciso fazer a inscrição online no período de 21 a 24 de janeiro. As inscrições para o ProUni poderão ser feitas de 28 a 31 de janeiro e, para o Fies, de 5 a 12 de fevereiro.

Além dos programas nacionais, os estudantes podem usar as notas para cursar o ensino superior em Portugal. O Inep tem convênio com mais de 40 instituições portuguesas.

A Coordenação de Políticas Estudantis-COPE, da Escola Agrícola de Jundiaí torna público o Edital nº 01/2020.1, referente ao processo seletivo de renovação e concessão para os programas de assistência estudantil, nas modalidades de residência estudantil, bolsa auxílio moradia estudantil, bolsa auxílio transporte estudantil e auxílio alimentação estudantil para o semestre 2020.1, destinados aos estudantes veteranos e novatos, regularmente matriculados nos cursos técnicos da instituição, na modalidade de ensino presencial, subsequente e integrado ao ensino médio.

Edital n° 01-2020 COPE Concessão-Renovação 2020.1 AssistênciaEstuantil EAJ.pdfhttp://Edital n° 01-2020 COPE Concessão-Renovação 2020.1 AssistênciaEstuantil EAJ.pdf

A Comperve divulgou nesta segunda-feira (13) o resultado final do processo seletivo 2020 da Escola Agrícola de Jundiaí. O exame de seleção ofertou vagas para os cursos técnicos de Agroindústria, Agropecuária, Aquicultura e Informática, todos integrados ao ensino médio.

Acesse aqui a lista de aprovados!

 

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), realiza processo seletivo para o curso de Especialização em Gestão Ambiental, na modalidade a distância. O curso tem por finalidade a complementação, ampliação e desenvolvimento do nível de conhecimento teórico-prático de profissionais das instituições de ensino. As inscrições encerram dia 17 de janeiro e podem ser realizadas somente on-line, por meio do Sigaa.

São apresentadas duas linhas de pesquisa: Proteção Ambiental e Gestão de Recursos. A linha de pesquisa Proteção Ambiental busca identificar exequibilidades de uso dos recursos naturais, analisar os problemas ambientais oriundos do uso inadequado dos recursos naturais, estudar a ecodinâmica de paisagens e a questão da degradação e educação ambiental. Já a de Gestão de Recursos visa à identificação de conflitos de uso dos recursos naturais e das políticas ambientais, à análise das políticas de desenvolvimento e do meio ambiente, à avaliação da capacidade de suporte dos sistemas ambientais naturais objetivando a sustentabilidade do desenvolvimento.

O resultado da seleção será divulgado dia 7 de fevereiro, no site do e-Tec e no Sigaa. Mais informações estão disponíveis no edital.

 O ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante o lançamento do   Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (Procad) em Segurança Pública e Ciências Forenses

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agência Brasil – O governo federal encaminhará, em breve, ao Congresso Nacional, uma proposta de mudança nas regras de financiamento do ensino básico. Hoje (9), ao apresentar as realizações do Ministério da Educação (MEC) em 2019, o ministro Abraham Weintraub disse que o governo não desistiu de ver aprovada sua própria proposta de aumento da contribuição da União para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

O debate sobre transformar o fundo, com previsão para ser extinto este ano, em permanente, e de elevar, gradualmente, o percentual de recursos repassados pela União, já ocorre na Câmara dos Deputados, onde uma comissão especial foi criada para discutir a PEC 15/2015, e também no Senado, onde tramita a PEC 33/2019. Além disso, o próprio ministro da Educação defende a proposta do governo.

“Ao longo deste ano [2019], tentamos colocar o novo Fundeb com propostas que acreditamos pertinentes. Infelizmente, não andou na direção e na velocidade que queríamos. Diante desse quadro, estamos encaminhando [ao Congresso] uma PEC [Proposta de Emenda Constitucional]”, disse Weintraub.

O governo federal discorda da minuta que a relatora do projeto que tramita em comissão especial na Câmara, deputada federal Professora Dorinha (DEM-TO), apresentou em setembro de 2019. No texto, a relatora propôs que o percentual da contribuição da União para o Fundeb passe dos atuais 10% para 15% em 2021, com acréscimos anuais de 2,5 pontos percentuais até chegar a 40% em 2031. Já o ministro Abraham Weintraub defende que o percentual dos recursos que a União repassa a estados e municípios aumente dos atuais 10% para 15%.

“É um aumento expressivo. Além de aumentar o volume de recursos, cobraremos resultados para receber esses recursos. Estados e municípios terão que adotar critérios de desempenho e mostrar resultados”, disse Weintraub.

Fundeb

Criado em 2006, para vigorar até 2020, o Fundeb é, hoje, a principal fonte de financiamento da educação básica, respondendo por mais de 60% do financiamento de todo ensino básico do país. Os recursos provém de impostos e transferências da União, estados e municípios.

Em 2019, só a União destinou R$ 14,3 bilhões aos estados. Dados da comissão especial criada pela Câmara dos Deputados para discutir a PEC 15/2015, apontam que, caso a proposta de ampliar a participação da União dos atuais 10% para 40% em 2031 seja aprovada, o impacto orçamentário da mudança será da ordem de R$ 279,8 bilhões.

Pisa

O ministro Weintraub disse que a meta da pasta é fazer com que o Brasil avance no ranking do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), índice que avalia o nível da educação básica no mundo.

“Esperamos tirar o Brasil da última posição na América do Sul e colocar ele, até 2030, na primeira posição. Sendo que esperamos já ter resultados no próximo Pisa. E este ano vão aparecer muito mais resultados. Vai aparecer rápido. Já no primeiro trimestre vai ter muito mais números mostrando melhoras”.

Em 2018, o Pisa foi aplicado para 600 mil estudantes de 79 países e regiões. O Brasil, onde cerca de 10,7 mil estudantes de 638 escolas fizeram as provas, obteve, em média, 413 pontos em leitura, 384 pontos em matemática e 404 pontos em ciências. Na avaliação anterior, aplicada em 2015, o Brasil obteve, 407 em leitura, 377 em matemática e 401 em ciências. Apesar da pequena melhora nas pontuações, o resultado revelou que apenas dois de cada 100 estudantes brasileiros atingiram os melhores desempenhos em, pelo menos, uma das disciplinas avaliadas. Além disso, o Brasil ficou abaixo das médias dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

“Vamos sair da última posição da América do Sul. O fundo do poço foi 2018”, garantiu o ministro.

Um novo combustível, com emissões mais limpas quando comparado com o diesel mineral, desenvolvido através de um processo de formulação que requer um curto tempo de preparação e que utiliza materiais de baixo custo, é o resultado da pesquisa desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) pelos pesquisadores Tereza Neuma de Castro Dantas, Manoel Reginaldo Fernandes, Eduardo Lins de Barros Neto, Igor Micael Alves Uchoa e Afonso Avelino Dantas Neto. Com o título de Formulação de Combustíveis Microemulsionados a Base de Diesel Glicerina, o estudo resultou também na obtenção da 21º carta-patente da UFRN, no mês de dezembro. Um dos cientistas responsáveis pela descoberta, Igor Micael Alves Uchoa, explica que a eficiência enérgita similar, com ganho da lubricidade e das emissões, são atrativos para a utilização da nova formulação.

“A patente consiste em uma nova formulação de um combustível diesel, com a inserção de glicerina, fruto de resíduo do atual processo de formulação. Em linhas gerais, ao parar em um posto de combustível, um ônibus ou caminhão, por exemplo, abastece com um combustível que é formado por 90% de diesel mineral e 10% do biodiesel. O biodiesel, no seu processo de produção, após a reação entre um óleo ou uma gordura de origem vegetal ou animal, gera o biodiesel em si e a glicerina, normalmente também em uma proporção de 90% e 10%. Então, com a nossa formulação, há uma destinação para esse resíduo, pois devolvemos a glicerina para ser aproveitada, sem descarte”, explicou Igor Uchoa, que desenvolveu a pesquisa durante o Mestrado em Engenharia Química na UFRN e que recentemente concluiu o doutorado no mesmo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química. Ele deu outros detalhes em vídeo disponibilizado no endereço https://www.instagram.com/tv/B7GP38FgzD6/.

Atualmente lecionando no Instituto Federal da Bahia, ele pontuou que o mercado já não consegue absorver essa glicerina fruto do processo, apesar de aplicação na indústria de cosméticos e alimentícia. Para ele, a pesquisa se encaixa justamente em dois pontos: dar um destino à glicerina e melhorar o combustível mineral, no caso o diesel. Igor Uchoa acrescentou que as indústrias automobilísticas e distribuidoras de combustível são potencialmente interessados neste processo, haja vista que, de acordo com a nova legislação, até 2023, o percentual de biodiesel no diesel terá incremento de 50% em relação aos números atuais. “Portanto, haverá um grande crescimento da demanda, sobretudo na hipótese concomitante de crescimento econômico. Solucionando os inconvenientes no descarte do excesso de glicerina gerada na produção do biodiesel, casado com o aumento da qualidade lubrificante e emissão de poluentes menor, há condição de puxar o preço para baixo com a utilização destes outros componentes”, colocou.

Ler mais…

Nos 1.500 metros quadrados que abrigam a centenária Escola Estadual Auta de Souza, localizada no município de Macaíba e que está recebendo reforma e ampliação pelo Governo do Estado, vem sendo erguida não apenas uma escola renovada. Com o equipamento pronto, serão levadas dignidade e esperança de um futuro melhor aos jovens macaibenses e da região.

“Há mais de 20 anos esperávamos por uma intervenção de verdade. Já foram tantas promessas que nem os mais sonhadores alunos acreditavam que a reforma sairia. E agora, diante dessa majestosa obra, tem   os a certeza de que o sonho está virando realidade”, contou emocionada, a gestora da escola, professora Ana Araújo, que arrematou: “Nossos alunos não veem a hora de voltar pra cá. Enquanto isso, retomam as aulas no Centro de Atenção Integrada a Criança – CAIC Macaíba, para onde fomos relocados, e de onde contamos os segundos para o grande dia da volta”.

Em maio deste ano, o prédio deve ser entregue à comunidade escolar – que conta com mais de 800 alunos – com sete novas salas de aula, sala de professores, de diretoria, copa, cozinha e depósitos, além de laboratórios de informática e ciência e, atendendo a um pleito antigo dos estudantes e professores, com uma quadra poliesportiva no piso superior, equipada com plataforma para acessibilidade.

“Um dos grandes diferenciais da nossa escola virá com a nossa quadra, que sempre foi um desejo, mas também um entrave quando clamávamos pela reforma. Com esse equipamento, poderemos mudar muitas vidas através do esporte, tirar jovens da marginalidade, ocupando-os em contraturnos”, disse Conceição Bezerra, professora de matemática.

O projeto vem para fortalecer os ensinos Fundamental II, Médio e o de Jovens e Adultos (EJA), por meio do projeto Governo Cidadão, com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial, que somam R$ 1,9 milhão para a obra, e mais R$ 1,5 milhão para a aquisição de equipamentos.

Neste último sábado (04), foi publicado no Diário Oficial do Estado a nomeação de diretores e vice-diretores de três escolas estaduais de Macaíba. O mandato segue até o final de maio de 2020, quando a unidade escolar deverá escolher a nova equipe gestora.

Escola Estadual Auta de Souza

Diretora: Ana Maria de Araujo Antônio

Vice-Diretora: Maria do Socorro Souza Gomes

Escola Estadual de Traíras

Diretora: Ivoneide Maria da Silva

Escola Estadual Arcelina Fernandes

Diretor: José Firmino Dantas Neto

Vice-diretora: Ewerline da Costa Cirino

Neste último sábado (04), foi publicado no Diário Oficial do Estado a nomeação de dez diretores (a) e vice-diretores (a) para as escolas estaduais de Macaíba. Por eleição direta as unidades escolares elegeram os gestores para um mandato de três anos.

Resultado de imagem para ifrn canguaretama"

A Pró-Reitoria de Ensino (Proen) do IFRN publicou o Edital nº. 02/2020-PROEN/IFRN, referente à seleção para o Curso Superior de Graduação em Licenciatura em Educação do Campo, com ingresso no primeiro semestre letivo de 2020. Para a classificação dos candidatos, o processo seletivo vai utilizar as notas obtidas nas edições 2017, 2018 e 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, no Portal do Candidato, e estarão abertas entre os dias 21 e 28 de janeiro.

A licenciatura em Educação do Campo tem como objetivo formar professores para atuar em escolas da área rural, nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio, nas áreas de Ciências Humanas e Sociais ou Matemática, além da gestão de processos educativos de tais escolas. Vale ressaltar que a atuação dos profissionais pode ser em espaços não escolares no campo, respeitando e valorizando a diversidade presente nas comunidades.

O resultado final do processo seletivo será divulgado a partir do dia 30 de janeiro no sítio do IFRN e no Portal do Candidato. Os candidatos aprovados e classificados deverão realizar a pré-matrícula na diretoria acadêmica responsável pelo curso, nos dias 3 e 4 de fevereiro nos horários estabelecidos pelo edital.

Acesse

Edital nº. 02/2020-PROEN/IFRN

Página da Inscrição

Ascom/ISD

As inscrições para o processo seletivo 2020.1 do Mestrado em Neuroengenharia oferecido em Macaíba pelo Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) vão até o dia 19 de janeiro.

Edital, cronograma, formulário de inscrição e detalhes em: http://www.institutosantosdumont.org.br/pos-graduacao-neuroengenharia/

A Pró-Reitoria de Ensino (Proen) do IFRN publicou o Edital nº. 01/2020-PROEN/IFRN, referente ao processo seletivo para Cursos Superiores de Graduação, com ingresso no primeiro semestre letivo de 2020, por meio de notas obtidas nas edições 2017 a 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet e estarão abertas entre os dias 21 e 28 de janeiro.

São 75 vagas disponíveis entre cursos superiores de licenciatura, como Química; Biologia; Física; Informática; e Matemática. E 67 vagas para cursos superiores de tecnologia, como Design de Moda; Gestão de Turismo; Sistema para Internet; Agroecologia; Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Logística; e Redes de Computadores.

O resultado final do processo seletivo será divulgado no dia 30 de janeiro no site do IFRN e no Portal do Candidato. Os candidatos aprovados e classificados dentro das vagas disponíveis deverão realizar sua pré-matrícula na Diretoria Acadêmica responsável pelo curso escolhido, nos dias 3 e 4 de fevereiro, nos horários estabelecidos pelo edital.

Acesse

Edital Nº. 01/2020-PROEN/IFRN

Página da Inscrição

Foto: UFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) inicia na quinta-feira, 9, o período para solicitação de matrícula em componentes curriculares para o período letivo 2020.1. O procedimento deve ser realizado pelos alunos regulares e especiais – em mobilidade e complementação de estudos – até 17 de janeiro, por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa).

O processamento das matrículas dos alunos regulares e especiais acontecerá entre os dias 23 e 24 de janeiro, para início do período letivo em 17 de fevereiro. As datas estão previstas no calendário acadêmico da UFRN, estabelecido na Resolução 063/2017 do Conselho de Administração (Consad).