Educação Arquivo

Candidatos aguardam abertura do portões do UniCEUB em Brasília, para o primeiro dia de provas do Enem 2018

Valter Campanato/Agência Brasil

 

Agência Brasil – Começam hoje (6), às 10h, as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. O processo será feito exclusivamente pela internet, até o próximo dia 17, por meio da Página do Participante. As provas serão realizadas nos dias 3 e 10 de novembro.

A taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga até o dia 23 de maio, de acordo com o cronograma do exame.

O participante terá até o dia 17 de maio para atualizar dados de contato, escolher outro município de provas, mudar a opção de língua estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico. Após esse prazo, não serão mais permitidas mudanças.

O candidato que precisar de atendimento especializado e específico deve fazer a solicitação durante a inscrição. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 e 24 de maio.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir ainda este ano pode usar as notas do Enem, por exemplo, para se inscrever em programas de acesso à educação superior, de bolsas de estudo ou de financiamento estudantil.

A prova também pode ser feita pelos chamados treineiros – estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019. Neste caso, os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de o estudante concorrer efetivamente às vagas na educação superior ou para bolsas de estudo. Esses participantes devem declarar ter ciência disso já no ato da inscrição.

Cartão

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibiliza, a partir de outubro, no mesmo site, o cartão de confirmação. O documento informa o número de inscrição e as datas, os horários e o local das provas. A recomendação do ministério é que o candidato leve o documento nos dois dias de prova.

Isenção

Mesmo quem solicitou a isenção da taxa precisa se inscrever. Estudantes que entraram com recurso relacionado ao pedido de isenção já podem verificar o resultado. As informações foram divulgadas na quinta-feira (2) no Sistema Enem. É necessário fazer login para acessar o resultado.

Três perfis de participantes têm direito à isenção na taxa de inscrição – estudantes da última série do ensino médio em 2019 em escolas públicas declaradas ao censo escolar; estudantes com renda familiar menor que um salário mínimo e meio por pessoa e que cursaram o ensino médio na rede pública ou com 100% de bolsa na rede privada; e estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica membros de famílias de baixa renda inscritas no Número de Identificação Social (NIS), com renda familiar mensal de até três salários mínimos ou de até meio salário mínimo por pessoa.

Foto: Cícero Oliveira

A transformação de pesquisas acadêmicas em produtos para a sociedade é um dos objetivos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que apenas em 2019 já conquistou cinco novas cartas-patentes. O documento, concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), comprova a autoria e o ineditismo de inventos com aplicabilidade industrial. No total, já são 14 cartas-patentes de propriedade da UFRN, que se destaca entre as instituições de ensino superior do Nordeste com maior número de concessões, à frente de universidades como as federais do Ceará (UFC) e de Pernambuco (UFPE).

“Isso mostra a capacidade da UFRN em gerar produtos de qualidade para chegar ao mercado e ao consumidor final. A cultura de empreender já faz parte da instituição, agora queremos ultrapassar os nossos muros para celebrar a transferência de tecnologia com as empresas”, comemora o diretor do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), Daniel de Lima Pontes. As cartas-patentes conferem a propriedade intelectual dos inventos de titularidade da UFRN, para uso aplicado pelos interessados, mediante licenciamento. Como retorno, a Universidade recebe royalties, divididos com os inventores.

As conquistas mais recentes da instituição foram concedidas no dia 24 de abril, sendo um modelo de utilidade para uso em treinamento muscular e uma invenção de nanopartículas de carbeto-tungstênio com cobalto. A primeira carta-patente é intitulada Dispositivo de Treinamento Muscular Respiratório (TMR) para Músculos Inspiratórios e Expiratórios com Carga Resistiva Limiar, de autoria dos inventores Danilo Alves Pinto Nagem, Guilherme Augusto de Freitas Fregonezi, Ricardo Alexsandro de Medeiros Valentim, Atila Bomfim Fernandes, Fabiana Piano, Palomma Russelly Saldanha de Araújo Oliveira e Illia Nadinne Dantas Florentino Lima.

O modelo de utilidade surgiu de uma demanda clínica, quando o grupo percebeu a necessidade de desenhar um dispositivo que tornasse possível treinar os músculos respiratórios, inspiratórios e expiratórios de forma concomitante. Diferentes doenças provêm de um quadro clínico de fraqueza desses músculos, como as respiratórias crônicas, as neuromusculares e as cardíacas, para as quais é indicado o treinamento muscular, também utilizado por desportistas como forma de aumento do rendimento.

O professor Guilherme Fregonezi explica que nos últimos anos tem se consolidado o treinamento de alta intensidade como forma de obter resultados mais expressivos em relação à força, desempenho e funcionalidade. “Entre os diferentes tipos de treinamento, o dispositivo foi criado com ‘carga resistiva limiar’, em que o sujeito deve vencer a resistência da válvula executando um esforço inspiratório ou expiratório ao nível da carga ajustada ou superior. O nível de intensidade de carga deve ser individualizado, de acordo com os objetivos a serem alcançados e respeitando a carga máxima que o sujeito pode desempenhar, a partir de avaliações prévias e ajustes semanais”, detalha.

A patente de invenção, por sua vez, é intitulada Obtenção de Pós Compósitos De WC-Co Nanoestruturado a partir do Precursor de Paratungstato de Amônia (APT) através de Reação Gás-Sólido, de autoria dos inventores Francisca de Fátima Pegado de Medeiros, Carlson Pereira de Souza e Uílame Umbelino Gomes. A nova patente está relacionada ao desenvolvimento tecnológico do tungstênio com o cobalto para produzir uma liga conhecida como metal duro, aplicada na indústria para a fabricação de brocas de perfuração, prospecção de petróleo, entre outros itens.

A inovação está na produção de partículas nanoestruturadas, ou seja, pequenos objetos que medem o equivalente a um milionésimo de milímetro. De acordo com Umbelino Gomes, esse material tem propriedades espetaculares para a fabricação de produtos em diversos tipos de indústrias, entre elas a aeronáutica e a civil. A invenção nanoestruturada do carbeto-tungstênio com o nióbio consiste em outra carta-patente conquistada neste ano pelo inventor, que trabalha desde o início dos anos 1990, juntamente com o professor Carlson Pereira, em pesquisas sobre os metais refratários que têm alto ponto de fusão e que existem no Rio Grande do Norte: tungstênio, nióbio e tântalo.

Incentivo à inovação

A UFRN possui atualmente mais de 220 pedidos de patentes depositados junto ao INPI. Todos esses inventos já podem ser utilizados por empresas, que “precisam ver a universidade como local de busca de tecnologias”, defende Daniel Pontes, ao ressaltar a importância de se conhecer o portfólio de patentes prontas para aplicação na indústria. O diretor do NIT observa que a inovação é um dos carros-chefes de crescimento em muitos países e se torna ainda mais necessária para as nações em desenvolvimento, “pois é a moeda para avançar com a cultura e tecnologias próprias para ter condições de vender os nossos insumos com valor agregado”.

O mesmo pensamento norteia o trabalho do professor Umbelino Gomes, que já recebeu a quinta carta-patente com o objetivo principal de transformar a realidade econômica local. Isso porque o Rio Grande do Norte é o maior produtor de tungstênio do Brasil e apresenta produção significativa do nióbio, mas ainda comercializa os minerais apenas como matérias-primas, sem qualquer processo de industrialização. A ideia é atrair o interesse das empresas para fabricar produtos finais no próprio estado a partir desses recursos naturais e, consequentemente, alavancar o desenvolvimento social e econômico.

A preocupação em criar soluções para a sociedade é apontada pela reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, como fator para o aumento do número de depósitos de patentes, que nos últimos oito anos teve um salto da casa das dezenas para as centenas. “Vivemos um momento singular e marcante, colhendo os frutos do incentivo ao empreendedorismo e à inovação dentro da Universidade”, destacou a gestora em reunião no último dia 29 com os inventores das cartas-patentes concedidas em abril. Ângela Paiva adicionou que o trabalho acadêmico de professores e alunos contribui para o cumprimento das metas do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFRN, alcançadas por meio do diálogo e da construção coletiva. “Vocês contribuem para a inovação, a internacionalização e a integração na Universidade. Continuaremos vencendo os desafios para avançar sempre”, assegurou.

Um dos planos futuros foi apresentado pelo pró-reitor de Pós-Graduação da UFRN, Rubens Maribondo, ao vislumbrar a conquista de patentes internacionais e a captação de recursos e projetos no exterior. A carta-patente concedida pelo INPI permite a comercialização dos produtos em todo o território nacional, com garantia da propriedade dos modelos de invenção por 20 anos e dos modelos de utilidade por 15 anos a partir da data de depósito do pedido. Depois desse período, a invenção passa a ser de domínio público e pode ser utilizada sem licenciamento.

As patentes da UFRN podem ser consultadas no NIT, que assume a tarefa de orientar os pedidos, acompanhar as concessões e fazer o intermédio com as empresas para a transferência de tecnologia. Outras informações podem ser obtidas no site do Núcleo de Inovação Tecnológica, pelo e-mail nit@reitoria.ufrn.br ou pelos telefones (84) 9 9167-6589 e (84) 9 9224-0076.

 

Um levantamento da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior mostra que o Ministério da Educação bloqueou pelo menos R$ 2,4 bilhões para investimentos em programas do ensino infantil ao médio.

Questionado pelo Estadão sobre motivo dos cortes, o MEC afirmou que “ainda não é possível informar quais áreas serão afetadas e nem em quanto” e que “estuda a melhor forma de cumprir a determinação do governo”.

Segundo o levantamento, também foram bloqueadas verbas de Pronatec e do Mediotec.

O Antagonista

Resultado de imagem para ufersa

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido vem a público esclarecer que o bloqueio de 30% anunciado pelo Ministério da Educação, por meio do Decreto 9741/2019, vai ocasionar numa redução de R$ 15,8 milhões de receitas para a instituição.

A gestão da Universidade ainda avalia os impactos do Decreto, mas já adianta que haverá dificuldade para garantir o pleno funcionamento dos seus quatro campi, que hoje somam mais de 11 mil alunos matriculados na graduação e na pós-graduação.

O bloqueio dos recursos vai interferir nos investimentos e, principalmente, no custeio da Universidade. Despesas, como contas de luz, água e contratos de manutenção podem ser prejudicadas diante do Decreto. Com isso, a gestão da Ufersa vai realizar uma revisão geral em todos os seus contratos e avaliar as licitações de construção e de melhorias prediais e de equipamentos que estão em andamento.

Reforçamos que o bloqueio não afetará as ações da assistência estudantil, estando assim garantidas as refeições subsidiadas dos restaurantes universitários, as moradias estudantis e as bolsas e auxílios pagos aos alunos(as).

A Ufersa ainda esclarece que a sua Pró-Reitoria de Planejamento está trabalhando de forma intensa para que os impactos do Decreto 9741/2019 sejam os menores possíveis para toda a comunidade que recorre a Universidade do Semiárido. E paralelo as ações internas, a gestão da Ufersa também já iniciou diálogo sobre o assunto no Fórum de Reitores das Universidades Públicas do RN e também levará a discussão aos parlamentares do Estado.

Por fim, esperamos que a situação econômica do país melhore e que o bloqueio dos recursos possa ser revisto ao longo do ano para assim continuarmos garantindo uma educação superior pública, gratuita e de qualidade com ensino, pesquisa, extensão e inovação ao semiárido nordestino e ao Brasil.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) informa que verificou, na última quinta-feira, 02/05, um bloqueio orçamentário no sistema eletrônico de gestão financeira de parte dos recursos a ela destinados para o ano de 2019, na ordem de 60 milhões de reais. Os dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI), indicam, dessa forma, um bloqueio na ordem de 30% nas ações destinadas à manutenção/custeio da Universidade e nas ações de investimentos, dentre as quais o fomento às ações de graduação, pós-graduação e pesquisa e à capacitação de servidores.

Além disso, já haviam sido realizados bloqueios de todas as emendas parlamentares autorizadas na Lei Orçamentária Anual. Entretanto, não foram objeto de bloqueio o orçamento destinado à assistência estudantil, despesas com pessoal e recursos de arrecadação própria. Ainda assim, considerando as restrições orçamentárias já impostas às IFES nos últimos anos, este bloqueio da ordem de 30% informado agora no início do quinto mês do ano, se transformado em corte, terá um impacto expressivo no funcionamento da instituição.

Com 116 cursos de graduação e cerca de 40.000 alunos matriculados, oferecendo também 94 programas de pós-graduação, os quais contemplam aproximadamente 5.500 estudantes em todas as áreas do conhecimento, a Universidade mantém uma ampla rede de equipamentos para oferta de serviços públicos, dentre os quais três hospitais universitários, museus, núcleo de educação infantil, parque poliesportivo e capacitação de professores na educação básica. Recentemente, a Universidade alcançou a liderança na Região Nordeste na concessão de cartas-patentes, o que atesta seu compromisso com a pesquisa, inovação, empreendedorismo e aproximação com o setor produtivo.

A UFRN agradece as manifestações de apoio e solidariedade vindas de membros dos mais diversos setores e instituições, dentro e fora da comunidade universitária. Neste sentido, esperamos que esta situação possa ser revertida e os recursos previstos sejam liberados para que possamos cumprir com nossa importante missão de instituição pública.

Ângela Maria Paiva Cruz
Reitora

José Daniel Diniz Melo
Vice-Reitor

Como as demais instituições públicas de ensino superior e tecnológico do país (universidades e institutos federais), o IFRN recebeu na manhã desta quinta-feira (2) a informação do bloqueio de parte dos recursos destinados para as suas ações no ano de 2019. A porcentagem de bloqueio foi da ordem de 30%, representando um valor de 27 milhões de reais a menos em recursos de custeio (funcionamento da Instituição) Os dados foram extraídos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI), conforme quadro abaixo.

 

RECURSOS DE CUSTEIO – TESOURO NACIONAL
ATIVIDADE Valor Aprovado na LOA (R$) Valor Bloqueado (R$) % Bloqueado
Funcionamento da Instituição          67.380.582,00     26.154.174,00 38,82%
Assistência aos Estudantes 19.800.000,00 0,00 0,00%
Capacitação de Servidores    2.900.000,00          870.000,00 30,00%
TOTAL          90.080.582,00     27.024.174,00 30,00%

Fonte: SIAFI

 

Conforme mostra o quadro, foram bloqueados R$ 26.154.174,00 dos R$ 67.380.582,00 aprovados na Lei Orçamentária Anual (LOA/2019) para o funcionamento do IFRN, o que representa uma perda de quase 39%. Além disso, são R$ 870.000,00 a menos em recursos aprovados para capacitação. Os recursos destinados à assistência estudantil, da ordem de R$ 19.800.000,00, em princípio, foram mantidos.

“O corte é significativo e poderá inviabilizar o funcionamento do IFRN. Nesse sentido, estamos buscando interlocução com diversos agentes públicos a fim de garantir a integralidade do orçamento do Instituto. Na próxima semana estaremos participando da Reunião do Conselho de Reitores (CONIF) para debatermos o tema e propor encaminhamentos. No dia 7, o Secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Ariosto Culau, participará dessa reunião; no dia 8 haverá uma reunião do CONIF com a Frente Parlamentar dos Institutos Federais, na Câmara dos Deputados. No dia 10 há também uma audiência marcada com o Ministro da Educação, Abraham Weintraub. Além disso, fizemos contato com o coordenador da bancada federal, Deputado Federal Rafael Motta, para uma reunião com todos os deputados federais e senadores do Rio Grande do Norte. Em paralelo, discutiremos com toda a comunidade acadêmica do IFRN sobre a situação da Instituição e os impactos do bloqueio dos recursos orçamentários”, explicou o reitor Wyllys Farkatt Tabosa.

Foto: Wallacy Medeiros / Agecom

Para possibilitar acesso à educação e formação complementar à sociedade, o Instituto Metrópole Digital (IMD), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), abriu hoje (2) edital de seleção para o Programa de Estudos Secundários (PES).

O programa, que promove educação complementar para estudantes e profissionais de diferentes formações, oferece a quem não possui vínculo ativo nos cursos de graduação da UFRN a oportunidade de explorar e aprender assuntos relacionados à Tecnologia da Informação (TI).

Os interessados têm de hoje (2) ao dia 24 deste mês para se inscrever. A seleção conta com 25 vagas, distribuídas em cinco campos do saber: Bioinformática, Informática Educacional, Inteligência Computacional, Internet das Coisas e Jogos Digitais.

Para participar do processo, basta acessar a página do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa) e preencher o formulário de inscrição. Também é necessário anexar os documentos exigidos, digitalizados a partir de seus originais. A taxa de inscrição é de R$ 70.

A seleção

O processo seletivo será aplicado em etapa única, que consiste em prova de conhecimentos específicos, de natureza objetiva, sobre temas relacionados às bases teóricas e práticas em tecnologia.

A prova será aplicada no dia 14 de junho, no campus central da UFRN. A matrícula dos aprovados acontecerá entre 1 e 5 de julho, com o início das aulas em 22 do mesmo mês.

Os alunos do PES receberão uma matrícula especial, com prazo máximo de 24 meses para conclusão do curso. Mais informações, como a lista de documentos e detalhes da prova de conhecimentos específicos, podem ser conferidas na página de editais do Instituto.

Sobre o PES

Possibilitar que o estudante construa o trajeto de conhecimento que mais lhe interessa, com total flexibilidade, e ainda assim garantir um reconhecimento formal para essa escolha. Esse é o objetivo principal do Programa de Estudos Secundários (PES), uma modalidade de certificação que foi implementada no IMD.

Além de dar ao estudante a oportunidade de se voltar mais diretamente para seus objetivos profissionais ou acadêmicos, o PES também é aberto para pessoas externas à UFRN que já tenham iniciado uma graduação, contribuindo assim para a qualificação profissional no mercado de trabalho.

O Programa é moldado através de uma seleção de disciplinas que compõe uma área específica do conhecimento, a partir de turmas já existentes nos cursos de graduação.

O que muda é que o estudante pode compor a grade de conteúdos que mais combine com seus objetivos para, depois, receber um certificado atestando sua formação na respectiva área. Essa comprovação, que deve ter no mínimo 300 horas, acaba sendo mais específica que o diploma de graduação, que, por sua vez, demonstra a formação mais global do estudante.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebe, nos dias 30 e 31 de maio, o Seminário Regional UniRede, com a temática: A EaD em pauta: cenário, desafios e perspectivas na oferta das IES associadas Nordeste.

Seminário Regional UniRede é um evento realizado anualmente nas cinco regiões do país para discutir temáticas relacionadas ao contexto atual das políticas de educação a distância, com associados e potenciais associados. Os representantes de cada região propõem um tema que serve de suporte para as discussões no Seminário Nacional, no Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância e no Congresso Internacional de Educação Superior a Distância.

Programação, inscrições e informações complementares estão disponíveis no site do evento.

A Pró-Reitoria de Ensino (Proen), por meio da Coordenação de Acesso Discente (Cadis), do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) divulgou, nesta segunda-feira (29), o Edital Nº 19/2019 referente ao Processo Seletivo para o Curso Técnico de Nível Médio na forma Subsequente em Secretaria Escolar, na modalidade a distância. O curso é uma oferta do Programa Profuncionário, com ingresso para o segundo semestre de 2019.

Os interessados deverão se inscrever no período de 6 a 8 de maio, exclusivamente via internet, por meio do Sistema Gestor de Recursos (SGC). O candidato que não tenha acesso à internet poderá fazer a sua inscrição no campus Zona Leste (EaD), em dias úteis, nos horários de funcionamento definidos no Anexo I deste Edital. A lista de aprovados será divulgada a partir do dia 10 de maio no Portal do IFRN e a classificação individual estará disponível no Portal do Candidato.

Para mais informações, acesse o documento abaixo:

Edital Nº 19/2019 – Proen/IFRN – Programa Profuncionário

A Prefeitura de Macaíba, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (SME), promoveu a palestra “Gestão Escolar para o século XXI”, ministrada pela professora Cláudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (CEIPE-FGV), na manhã desta segunda-feira (29), no centro de convivência Pax Club. O público-alvo da palestra foi composto por diretores e coordenadores pedagógicos da rede municipal de ensino macaibense.

Os desafios e as tendências da educação no Brasil e no mundo foram abordados durante o evento, com foco na educação pública. Indicadores da educação nacional inseridos no contexto global foram expostos, analisados e contextualizados, propiciando uma reflexão sobre o trabalho de professores, diretores, coordenadores e demais agentes públicos no mundo em permanente mudança nas relações e oportunidades de trabalho e estudos.

 “Vocês são criadores de cultura de colaboração. Temos que nos desafiar para que a partir de amanhã possamos criar uma cultura de colaboração na escola”, declarou Cláudia para os profissionais. A palestrante também destacou a necessidade de identificar a escola como um lugar de ensinar a pensar, tendo o gestor escolar como líder do processo de aprendizagem e o professor como ator indispensável na garantia deste processo.

A necessidade de olhar para os diferentes saberes e religá-los também foi discutida na palestra, que também apresentou possibilidades de discussão para o projeto pedagógico “O universo circense na educação: cultura, arte e literatura, aliados por uma Escola melhor”, desenvolvido pela SME durante todo o ano letivo de 2019, aliado as atividades das 43 unidades de ensino da rede municipal.

Cláudia Costin também é professora universitária da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, professora visitante da Universidade de Harvard nos Estados Unidos. A professora também foi secretária-executiva e ministra da Administração e Reforma no governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2000), secretária estadual de Cultura de São Paulo (2003-2005) e secretária municipal de Educação do Rio de Janeiro (2009-2014)

O prefeito Fernando Cunha prestigiou a palestra, que também contou com a presença do vice-prefeito Auri Simplícioe e autoridades como a ex-secretária estadual de Educação do Rio Grande do Norte, Cláudia Santa Rosa; a ex-secretária municipal de Educação de Natal, Justina Iva; os secretários municipais de Educação, Domingos Sávio de Oliveira e de Cultura e Turismo, Marcelo Augusto Bezerra; a coordenadora pedagógica da SME de Macaíba, Joseane Lima e as vereadoras Edma Maia, Ismarleide Duarte e Dadaia Ribeiro.

Agência Brasil – As instituições públicas de educação superior que desejarem participar da edição do segundo semestre de 2019 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) têm, a partir do dia 2 até o dia 10 de maio para formalizarem a adesão. Esse processo é feito na página de internet do Sisu Gestão.

A formalização da adesão das instituições ao processo seletivo do Sisu deve ser feita por meio de assinatura eletrônica do termo de adesão. O prazo para a retificação do termo de adesão ao Sisu, caso seja necessária, vai de 13 a 17 de maio. As regras estão em edital publicado no Diário Oficial da União da última sexta-feira (26).

O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação onde instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Podem concorrer às vagas do segundo semestre de 2019 os estudantes que fizeram o Enem 2018 e obtiveram nota acima de zero na prova de redação. Os candidatos se inscrevem no processo seletivo em até duas opções de vaga, especificando, em ordem de preferência, as suas opções em instituição de educação superior participante, com local de oferta, curso e turno, e a modalidade de concorrência.

Os gestores das escolas de Ensino Médio em Tempo Integral estão cobrando do Governo do Estado agilidade na aprovação do Projeto de Lei complementar n.º 214/2018-GE, que regulamenta a modalidade de ensino no RN, já oferecido desde 2017. O PL encontra-se na Assembleia Legislativa, desde 4 de julho de 2018, mas foi retirado de pauta sob a justificativa que precisava de análise, sendo encaminhado para correções de alguns itens, mas desde então não avançou dentro da Casa.

A matéria cumpre uma exigência do Ministério da Educação (MEC), que, em 2017, fixou o prazo de três anos para que os estados publicassem regulamentação sobre o tema.

Reunidos, no último dia 26 de abril de 2019, numa formação do ICE (Instituto de Corresponsabilidade pela Educação), ocorrida no Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy e na Escola Estadual Professor Edgar Barbosa, os gestores das 40 escolas em tempo integral sentiram a necessidade de criar uma comissão para agendar uma audiência com o secretário de Educação, Getúlio Marques, para debater como ficará a situação das escolas em tempo integral no Estado.

Conduzida pelo professor Luiz Gonzaga Oliveira Filho, diretor da Escola Estadual em Tempo Integral Clara Teteo, a reunião serviu para esclarecer aos demais gestores das escolas que passaram a ser integral neste ano sobre a situação atual e garantir que não haja desmonte do modelo pedagógico da “Escola da Escolha”, do ICE, que vem apresentando resultados satisfatórios para a educação potiguar nas escolas em tempo integral do RN.

“Já foi comprovado que o modelo da Escola da Escolha proporciona resultados significativos para nossos alunos, além de ser as escolas que mais aprovam no ENEM”, defendeu um dos gestores, acrescentando que também educa o estudante a buscar seu projeto de vida, a tornar seus sonhos em planos, deixando-o autônomo, solidário e competente.

A Escola da Escolha oferece uma metodologia exitosa que fortalece a aprendizagem nos conteúdos da BNCC (Base Nacional Curricular Comum), e dentro de sua rotina garante o monitoramento da aprendizagem do aluno, proporcionando-o nivelamento dos conteúdos não aprendidos. Além disso, o modelo oferta formação continuada para a equipe escolar. Os professores recebem gratificação para permanecerem numa jornada de 40 horas semanal. Um outro ponto abordado na reunião foi o fato dessa gratificação não se estender aos gestores, os quais ficam com uma grande demanda de trabalho. O gestor escolar é o responsável por todos os resultados, indicadores, documentos, prestações de contas, processos pedagógicos, entre outros.

Na ocasião, foi criada uma comissão para encaminhar as reivindicações da categoria para a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC), que ficou definida com os seguintes nomes:
Francisco Ferreira Dantas Junior (gestor da EETI José Francisco – Poço Branco/RN), Cláudia Dantas Cartaxo Soares (EETI Winston Churchill – Natal/RN), Luiz Gonzaga Oliveira Filho (EETI Professora Clara Teteo – Macau/RN), Rômulo Estanrley Souza de Medeiros (EETI Alfredo Mesquita Filho – Macaíba/RN), Vanúsia Leandro Avelino (EETI Hilton Gurgel de Castro – São José de Mipibu) e Túlio Gabriel Dantas Cortês (EETI Professora Iracema Brandão de Araújo – Acari/RN).

Nesta próxima segunda-feira (29),  Cláudia Maria Costin, professora visitante na Faculdade de Educação de Harvard e ex-ministra da Administração e Reforma do Estado, estará em Macaíba. Cláudia Costin irá ministrar palestra sobre o tema: qual a função mais importante do diretor na escola?.

A formação promovida pela Secretaria Municipal de Educação vai reunir diretores e coordenadores pedagógicos no Pax Club, a partir das 8h.

O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (PPGCSA), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), está com inscrições abertas, até dia 5 de maio, para processo seletivo dos cursos de mestrado e doutorado.

São ofertadas 20 vagas, sendo 10 para o curso de mestrado e 10 para o curso de doutorado, as quais são distribuídas nas linhas de pesquisa disponíveis no site do programa. 10% das vagas são prioritárias para formação de pessoal da UFRN.

As inscrições são realizada por meio da página do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), mediante o preenchimento online do formulário de inscrição disponibilizado neste sítio eletrônico. A Taxa de inscrição é de R$ 100.

Após o deferimento da inscrição, o processo de avaliação ocorrerá em três etapas: avaliação de projeto, apresentação oral de projeto, ambas de caráter eliminatório, e análise de desempenho acadêmico. Mais informações consulte o edital de seleção.

Agência Brasil – Estudantes que tiveram o pedido de isenção da taxa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) negado têm até hoje (26) para entrar com recurso pela internet, no Sistema Enem. Os resultados dos recursos serão divulgados no dia 2 de maio.

Para a solicitação de recurso, o participante deverá enviar documentação específica, prevista no edital do exame.

Serão aceitos somente documentos nos formatos PDF, PNG ou JPG, com o tamanho máximo de 2MB.

Aqueles que não obtiveram a isenção por ter tido recusada a justificativa de ausência no Enem 2018, deverão apresentar documentos diferentes dos anexados durante o período de justificativa. A relação dos documentos aceitos está também disponível no edital.

Ao todo, 3.687.527 estudantes solicitaram a isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O prazo para pedir a isenção da taxa do Enem e para justificar a ausência no exame do ano passado e pedir uma nova isenção terminou no último dia 10.

A taxa de inscrição deste ano é de R$ 85. O resultado está disponível desde o dia 17 na Página do Participante. Para consultar o resultado, é necessário informar o CPF e a senha criada na hora de fazer a solicitação.

Para participar do exame, os estudantes – com ou sem isenção da taxa – devem fazer a inscrição no período de 6 a 17 de maio.

Estudantes isentos

Têm direito à isenção da taxa os estudantes que estão cursando a última série do ensino médio em 2019, em escola da rede pública; aqueles que cursaram todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, com renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio, o que, em valores de 2019, equivale a R$ 1.497.

São também isentos os participantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, ou seja, membros de família de baixa renda com Número de Identificação Social (NIS), único e válido, com renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 499), ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 2.994).

Enem 2019

O Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. As notas do exame podem ser usadas para ingressar em instituição pública pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para obter bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).