Educação Arquivo

 

O Ministério da Educação (MEC) confirmou para o próximo dia 28 de maio a posse do reitor eleito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo. A cerimônia acontecerá na sede do MEC, a partir das 11h, momento no qual Daniel Diniz assina o termo de posse para seu mandato no quadriênio 2019-2023.

Atual vice-reitor da UFRN, José Daniel Diniz, docente do Departamento de Engenharia de Materiais, adiantou que sua gestão prezará pela qualidade acadêmica, eficiência, transparência, diálogo com os diversos segmentos, valorização humana e planejamento estratégico.

A consulta à comunidade universitária aconteceu no mês de novembro de 2018 e contou com a participação de chapa única, representada pelos professores José Daniel Diniz Melo e Henio Ferreira de Miranda, que obteve 8.988 votos de um total de 9.537 votantes. Enquanto a posse acontece ainda em maio, a solenidade de transmissão do cargo será realizada na noite do dia 3 de junho, em Natal.

Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande (UFRN) foi selecionada pelo Instituto Serrapilheira para receber bolsa de R$ 1 milhão, cujo valor deve ser utilizado durante três anos do estudo. Concorrendo inicialmente com 2 mil propostas de pesquisadores do Brasil, o professor do Departamento de Oceanografia e Limnologia (DOL-UFRN), Guilherme Ortigara Longo, é o coordenador da única proposta selecionada das regiões Norte e Nordeste do país.

O objetivo da pesquisa científica é avaliar os potenciais impactos globais, especialmente relativos ao aumento da temperatura e à diminuição do pH (escala de acidez) nos oceanos sobre organismos marinho, como os corais, os peixes e as algas. Dessa forma, o intuito é desvendar como os recifes brasileiros vão lidar com as mudanças provocadas pelos mares mais aquecidos e acidificados.

Segundo o professor Guilherme Longo, o estudo possui diferentes frentes de atuação, uma delas é a ecologia histórica com a recuperação do passado dos recifes brasileiros, além da previsão do futuro com modelos matemáticos baseados em dados disponíveis e em simulações no laboratório. Haverá ainda o monitoramento científico dos corais, utilizando modelos 3D e biologia molecular, bem como o acompanhamento cidadão, no qual qualquer pessoa pode participar via redes sociais, compartilhando fotos com a hastag #deolhonoscorais.

O trabalho tem um caráter agregador, visto que reuniu mais de 30 pesquisadores de sete instituições do Brasil, da Espanha e dos Estados Unidos. Para a segunda fase, a meta é fortalecer as atividades da rede, que resultam na formação de recursos humanos nos níveis de graduação, pós-graduação e pós-doutorado, assim como a implementação da estrutura de mesocosmo (manipulação de temperatura e pH, em laboratório e com bastante refinamento). “Pretendemos instalar essa estrutura no Departamento de Oceanografia da UFRN, para que possamos fazer aqui no estado os mesmos experimentos que são feitos nos países líderes em ciência”, planeja o cientista.

Nessa perspectiva, a importância do financiamento está ligada ao desenvolvimento regional, pois, entre os 12 selecionados pelo Serrapilheira, o projeto da UFRN é o único do Norte e Nordeste, o que fortalece a instituição de ensino como referência na área. “A gente fica muito feliz com a seleção, que é um grande mérito científico, mas a conquista vai além porque contribui para que a gente continue fazendo pesquisa de qualidade dentro de uma universidade pública e formando alunos com excelência”, comemora o docente.

Serrapileira – Estímulo à diversidade na ciência

O Instituto Serrapilheira é uma instituição privada sem fins lucrativos, cujo objetivo é financiar pesquisas de excelência com foco na produção de conhecimento e de divulgação científica. Do financiamento de R$ 1 milhão disponibilizado, R$ 700 mil são concedidos de forma incondicional. Os R$ 300 mil restantes estão condicionados à integração e formação de pesquisadores de grupos sub-representados em suas equipes de pesquisa. A adesão a esse mecanismo é voluntária, ou seja, os pesquisadores podem optar por receber ou não o valor destinado às práticas de estímulo à diversidade.

Ler mais…

Alexandre Ribeiro, Inep, MEC

Divulgação MEC

Agência Brasil – O Ministério da Educação informou hoje (17) que Alexandre Ribeiro Pereira Lopes será o novo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Lopes assume o lugar deixado pelo delegado Elmer Coelho Vicenzi, que pediu demissão ontem (16), após menos de um mês no cargo.

Servidor público de carreira, Alexandre Pereira Lopes exerce atualmente o cargo de diretor legislativo na Secretaria Executiva da Casa Civil da Presidência da República. O novo presidente do Inep é formado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Direito pela Universidade de Brasília (UnB).

Autarquia vinculada ao Ministério da Educação, o Inep é responsável por avaliações como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), aplicado a estudantes desde a alfabetização até o ensino médio, além dos censos Escolar e da Educação Superior.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Elmer Coelho Vicenzi, participa de audiência pública na Comissão de Educação da Câmara para debater as condições para realizar o Enem 2019.

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agência Brasil – O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Elmer Coelho Vicenzi, pediu demissão hoje (16). A informação foi confirmada há pouco pelo Ministério da Educação (MEC).

A pasta diz apenas que a demissão foi “a pedido”. O MEC não divulgou ainda um substituto.

Delegado de Polícia Federal, Vicenzi assumiu o Inep no dia 22 de abril. Ele foi chefe do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da Coordenação-Geral de Polícia Fazendária da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado e diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Autarquia vinculada ao Ministério da Educação, o Inep é responsável por avaliações como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), aplicado a estudantes desde a alfabetização até o ensino médio, além dos Censos Escolar e da Educação Superior.

IFRN tem 8 cursos superiores avaliados com nota máxima pelo MEC

Tecnologia em Energias Renováveis: o curso é oferecido pelo Campus João Câmara do IFRN e foi avaliado com Conceito 5 pelo MEC.

O IFRN tem obtido destaque ao longo desses 10 anos como Instituto Federal. São projetos desenvolvidos nas esferas de ensino, pesquisa e extensão, reafirmando o compromisso da Instituição como ferramenta de transformação. Atualmente, oferta 34 cursos de nível superior: 13 licenciaturas, 20 tecnologias e 1 engenharia. Além disso, conta com 22 especializações, 4 mestrados e 1 doutorado, todos ofertados de forma gratuita em diversos campi distribuídos em todo território potiguar. Entre os cursos de graduação, 18 foram avaliados pelo MEC desde 2016. Desses, 8 receberam a nota máxima, o Conceito 5, que indica excelência. Os outros 10 cursos possuem Conceito 4, considerados muito bons.

Em 2018, o Ministério da Educação e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram o documento anual indicador de qualidade do ensino superior brasileiro, conhecido como Índice Geral de Cursos (IGC). Os cursos superiores do IFRN alcançaram nota 4, o que outorga ao Instituto o selo de “nível de excelência”, em uma escala que varia de 1 a 5. A avaliação considera o Conceito Preliminar de Curso (CPC) 2017 e leva em consideração todas as áreas avaliadas no Ciclo Avaliativo do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Dessa forma, a avaliação apresentada se refere às áreas e aos eixos tecnológicos dos anos de 2015, 2016 e 2017.

Conceito 5 – excelência

O IFRN tem 8 cursos superiores avaliados com a nota máxima do Ministério da Educação e Cultura (MEC), são eles: Formação de Docentes para a Educação Básica, Marketing, Licenciatura em Matemática, Licenciatura em Espanhol, Energias Renováveis, Tecnologia em Design de Moda, Licenciatura em Informática do Campus Natal-Zona Norte e Tecnologia em Sistemas para Internet.

Para Fábio Henrique Costa da Silva, aluno do curso de Licenciatura em Informática do Campus Natal-Zona Norte e membro do Centro Acadêmico, é uma realização de todos ver esse reconhecimento: “estudo aqui desde 2015 e vivenciei as mudanças e adequações implantadas para o crescimento do curso. Somos referência na área de informática e me orgulho por fazer parte dessa história, de ser parte do Campus Natal-Zona Norte do IFRN”.

O curso de Tecnologia em Design de Moda, que conta com 120 alunos matriculados, recebeu do MEC o Conceito 5 neste ano. Estabelecido em Caicó, que recebeu um dos 22 campi do IFRN no estado, a graduação atende a uma demanda da região, que possui uma forte presença do mercado têxtil e de confecção. Dados estatísticos de 2015 configuram a região do Seridó como um polo com 460 empresas, que geravam à época mais de 20 mil empregos diretos, podendo chegar à produção de 150 mil peças por dia.

“O tempo todo somos incentivados a desenvolver nossa criatividade, dar o melhor que temos para obter o que o mundo da moda tem a nos oferecer”, conta Jarlene dos Santos, 54 anos, aluna do sexto período da graduação. Ela relata que escolheu ingressar no IFRN porque já trabalhava na área de confecção: “o curso de Design de Moda veio para aprimorar meus conhecimentos em relação ao processo criativo, desenvolver e planejar melhor meu negócio”. Jarlene afirma que, agora, tem uma visão ampla de como o ramo funciona, e, por esta razão, ela tem um melhor desempenho em seu campo de trabalho.

Campus João Câmara do IFRN oferta, desde 2012, o Curso Superior de Tecnologia em Energias Renováveis. Avaliado pelo MEC também em 2019, com o Conceito 5, a nota máxima possível, o curso já é referência na formação de mão de obra qualificada para as diversas empresas do setor energético que atuam no Rio Grande do Norte e em outros estados. A região de Mato Grande, em que está situado o Campus, recebe a instalação de diversos parques eólicos em função das condições climáticas e da presença de ventos fortes.

Levantamento feito pela Diretoria Acadêmica do Campus atesta que mais de 90% dos alunos que concluíram o curso atuam hoje na sua área de formação em empresas dentro e fora do estado. O tecnólogo Pedro Carvalho, egresso do curso, foi efetivado na empresa FieldCore (do grupo General Electric), após período de estágio na empresa. Ele destacou a relevância da oferta dessa graduação: “a qualidade do curso e dos laboratórios do Campus foram fundamentais para formar a base de conhecimentos técnicos que utilizamos no campo e com certeza isso foi um diferencial que a empresa levou em consideração quando decidiu nos efetivar no emprego”, declarou.

 Entenda os cálculos

O Conceito Preliminar de Curso (CPC) é um indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação. Seu cálculo e divulgação ocorrem no ano seguinte ao da realização do Enade, com base na avaliação de desempenho de estudantes, no processo formativo e nas condições de oferta, como qualidade dos professores, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos – conforme orientação técnica aprovada pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes).

 Cursos avaliados

O IFRN tem obtido desde 2016 excelentes resultados quanto aos cursos de graduação. Em 2016, o curso de Logística obteve Conceito 4, considerado (perfil muito bom de qualidade). Já em 2017 outros 7 cursos que foram avaliados pelo MEC e obtiveram Conceito 4 e 5. Já em Em 2018 foram 8 cursos avaliados, e, também obtiveram Conceito 4 e 5. No início deste anos, 2 cursos obtiveram nota máxima pelo MEC, foram eles; Design de Moda e Energias Renováveis. Veja abaixo os resultados dos cursos avaliados.

 ANO

CURSO AVALIADO

 CAMPUS

CONCEITO

2016

Logística

São Gonçalo do Amarante

4

2017

Gestão Ambiental

Natal-Central

4

Sistemas para Internet

Parnamirim

4

Gestão de Turismo

Canguaretama

4

Processos Químicos

Nova Cruz

4

Formação de Docentes para a Educação Básica

Parnamirim

5

Marketing

Natal-Zona Norte

5

Licenciatura em Matemática

Santa Cruz

5

2018

Licenciatura em Informática

Natal-Zona Norte

5

Sistemas para Internet

Currais Novos

5

Construção de Edifícios

Natal-Central

4

Análise e Desenvolvimento de Sistemas – TADS

Pau dos Ferros

4

Licenciatura em Física

Santa Cruz

4

Licenciatura em Química

Currais Novos

4

Licenciatura em Espanhol

Natal-Central

5

Redes de Computadores

São Gonçalo do Amarante

4

2019

Design de Moda

Caicó

5

Energias Renováveis

João Câmara

5

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), promove o VII EnCãotro Zootécnico Potiguar, dia 22 de maio, a partir das 8h, em Macaíba/RN. O evento foi idealizado pelo projeto de extensão Xerimbabo, que atua em escolas públicas do município de Macaíba levando aos alunos dos anos finais do ensino fundamental conhecimentos sobre enfermidades zoonóticas.

O encontro, que traz todos os anos palestrantes para discutir o tema interação humano-animal, tem se mostrado um evento interdisciplinar e transversal, pois atinge vários cursos da UFRN e de fora dela, trazendo formação abrangente para os grupos que assistem e que de alguma forma precisam se familiarizar com este tema, devido a sua área de atuação.

Esta edição vai tratar da relação humano-animal e também das enfermidades de caráter zoonótico, como esporotricose e leishmaniose. Segundo a organização do evento, a situação crítica de várias enfermidades zoonóticas está aumentando o número de casos em animais e algumas vezes em humanos. Alguns exemplos dessas enfermidades são raiva, toxoplasmose, leishmaniose e esporotricose.

Mais informações clicando no link.

Foto: Via Cidadão Macaibense

Em Macaíba, professores e estudantes da rede pública e privada também protestaram contra o bloqueio do Governo Federal no orçamento da educação nesta quarta-feira (15). O ato começou na praça Augusto Severo e terminou em frente a Prefeitura do município.

Resultado de imagem para neurociências macaiba

O Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) oferece oportunidade de pós-doutorado, com bolsa do Programa Nacional de Pós-Doutorado da CAPES, para atuação em Macaíba .

Vaga extensiva a Pessoas com Deficiência (PcD).
Envio de currículos até 20/05/2019.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Detalhes:
http://www.institutosantosdumont.org.br/oportunidades-carreira/

Assessoria

 

Agência Brasil – Quem ainda não se inscreveu para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 tem a até a próxima sexta-feira (17) para fazer a inscrição pela internet. No dia 17 também encerra o prazo para solicitar atendimento especializado e específico e para alterar dados cadastrais, município de provas e opção de língua estrangeira.

A taxa de inscrição para o Enem é de R$ 85. Quem não tem isenção de taxa deve fazer o pagamento até o dia 23 de maio. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 e 24 de maio. As provas do Enem serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem, por exemplo, para se inscrever em programas de acesso à educação superior como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) ou de financiamento estudantil.

A prova também pode ser feita pelos estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019, mas nesse caso os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de concorrer a vagas ou a bolsas de estudo.

Governadores do Nordeste falam à imprensa após reunião com o presidente Jair Bolsonaro e com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Na foto, fala a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

Agência Brasil – Os governadores do Nordeste pediram hoje (9), durante reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, a revisão do contingenciamento de 30% no orçamento das universidades e institutos federais feito nos últimos dias. Eles também reforçaram o pedido para que o governo apresente um projeto de emenda constitucional destinado a prorrogar a validade do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

“Fizemos um apelo ao presidente no sentido de rever o corte anunciado junto às universidades e institutos federais. Fizemos esse apelo, inclusive, levando em consideração o papel e a presença fundamental que essas universidades e institutos federais têm em todo o Brasil, em especial na Região Nordeste”, afirmou a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

“A posição firme dos governadores do Nordeste [é] no sentido de pedir que pudesse haver uma revisão em relação ao corte nas universidades”, disse o governador do Piauí, Wellington Dias.

O Ministério da Educação (MEC) informou esta semana “que o critério utilizado para o bloqueio de dotação orçamentária foi operacional, técnico e isonômico para todas as universidades e institutos”. Segundo a pasta, foram bloqueados R$ 7,4 bilhões do total de R$ 23,6 bilhões de despesas não obrigatórias. No total, o orçamento anual do MEC, incluindo gastos obrigatórios, é R$ 149 bilhões.

“O bloqueio preventivo incide sobre os recursos do segundo semestre para que nenhuma obra ou ação seja conduzida sem que haja previsão real de disponibilidade financeira para que sejam concluídas”, informou o MEC.

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), realiza, nos dias 29, 30 e 31 de maio, o 1º Simpósio de Agroindústria (SimpAgro), cujo tema é: Agroindústria, 10 anos produzindo conhecimento. O evento é uma ação da coordenação do curso técnico em Agroindústria em parceria com os alunos concluintes do curso técnico subsequente em Agroindústria do período letivo 2017.2.

Durante o 1º SimpAgro, serão discutidos temas como: O papel do Profissional de Agroindústria na produção e controle de alimentos, Inovação como Alternativa na Agroindústria e na Vida e Alimentos Funcionais. Também ocorrerá a realização de minicursos na área de agroindústria. O evento contará com a presença de profissionais de renome nacional da área.

A inscrição ocorre de forma presencial e é realizada com os alunos da turma concluinte. Os contatos são com Aline Moura (presidente da comissão organizadora), pelo número (84) 9 9484-3102, e Bruno Lima (comissão de inscrições), pelo número (84) 9 9893-2073. Para mais informações sobre as palestras, os minicursos e a programação, acesse a rede social do eventoou entre em contato pelo e-mail simposiodeagroindustria@gmail.com.

Ricardo Borges

Na reunião do Fórum de Governadores dos estados brasileiros em Brasília, na manhã desta quarta-feira, 08, com o presidente da República Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e o ministro chefe da Casa Civil, Ônix Lorenzoni a governadora Fátima Bezerra entregou a proposta de emenda constitucional – PEC que cria o novo Fundeb.

“O presidente do Senado acolheu nossa proposta e junto com o senador Randolfe Rodrigues já deu entrada para a tramitação. A proposta vai tornar o Fundeb uma política pública permanente. E vai ampliar a participação financeira da União junto aos estados e municípios. No primeiro ano de vigência, a participação financeira atual da União aumenta de 10% para 20%, e no prazo dos dez anos seguintes aumenta progressivamente 2% ao ano, até chegar a 40%”, explica Fátima Bezerra, autora da PEC.

Em relação às demais reivindicações dos governadores, a chamada pauta federativa, o governo federal outra vez adiou a tomada de posição. “Infelizmente não houve uma resposta concreta às nossas reivindicações. Mais uma vez o governo protelou. Mais uma reunião que a gente sai sem resposta à pauta de interesse dos estados brasileiros. O governo federal disse apenas que irá se pronunciar na próxima semana”, informou a governadora do RN.

Fátima Bezerra considerou “inaceitável” que o governo federal queira condicionar o atendimento aos pleitos à aprovação da reforma da Previdência. Os estados enfrentam problemas que exigem medidas urgentes. A reforma da Previdência precisa ser amplamente discutida. Tem pontos que precisam mudar, como a redução do Benefício de Prestação Continuada e a retirada da Previdência da Constituição. “Não dá para ficar nessa espécie da toma-lá-dá-cá. Isso não é sensato, não é republicano, afronta o pacto federativo e torna os governadores totalmente reféns do andamento da reforma da Previdência”, afirmou Fátima.

A governadora também registra o fato de o governo federal não ter ainda apresentado a proposta da criação de uma linha de crédito para atender os estados com pequenas dívidas, o chamado Plano Mansueto. “Este assunto já foi pauta de outras reuniões com o governo federal, que prometeu apresentar a proposta, mas não fez”, lembrou.

Outro pleito que o governo federal vem adiando é sobre o envio ao Legislativo da proposta que autoriza o repasse aos estados dos recursos provenientes de cessão onerosa/bônus de assinatura da exploração petróleo no Pré Sal. “Isto não se justifica, a proposta está pronta e precisa apenas ser enviada para votação. O Executivo tem que tomar uma posição. Não pode ficar protelando indefinidamente porque os pleitos são de interesse estratégico para os estados”, concluiu Fátima Bezerra.

REIVINDICAÇÕES DOS GOVERNADORES

CARTA DO FÓRUM DE GOVERNADORES AOS CHEFES DO PODER EXECUTIVO E LEGISLATIVO

Os Governadores dos Estados e do Distrito Federal, considerando a necessidade de assegurar a estabilidade financeira dos Entes Federados, visando a promoção do desenvolvimento social em todas as regiões do Brasil, decidem:

  1. Reivindicar a implementação imediata pelo Governo Federal de um plano abrangente e sustentável eu restabeleça o equilíbrio fiscal dos Estados e do Distrito Federal, a exemplo do já do já aventado Plano Mansueto;
  2. 2) Reiterar a importância fundamental de assegurar aos Estados e ao Distrito Federal a devida compensação pelas perdas na arrecadação tributária decorrente da desoneração de exportações, matéria regulamentada na “Lei Kandir”;
  3. Defender a instituição de um Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb permanente e dotado de status constitucional, que atenda às reais necessidade da população brasileira no tocando à educação;
  4. Pleitear a regularização adequada da “securitização” de créditos dos Estados e do Distrito Federal, visando ao fortalecimento das finanças desses Entes Federados;
  5. Requerer a garantia de repasses federais dos recursos provenientes de cessão onerosa/bônus de assinatura aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios;
  6. Apoiar o avanço urgente da Proposta de Emenda à Constituição nº 51/2019, que “altera o art. 159 da Constituição para aumentar para 26% (vinte e seis por cento) a parcela do produto da arrecadação dos impostos sobre a renda e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados destinada ao Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal e dá outras providências”.
Estudantes e servidores do IFRN e UFRN protestam contra cortes no orçamento das instituições — Foto: Rafael Barbosa/G1

Rafael Barbosa/G1

Alunos e servidores de diferentes campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte protestam nesta quarta-feira (8) contra os cortes orçamentários anunciados pelo Governo Federal. O ato aconteceu em Natal, no cruzamento entre as avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira, em frente ao Campus Central do Instituto.

Por volta das 17h os manifestantes saíram em caminhada pela Avenida Salgado Filho, no sentido Zona Sul. Com faixas e cartazes, eles entoam cantos e frases em defesa da educação e da ciência.

Juntas, UFRN, IFRN e Ufersa tiveram cortes anunciados de R$ 101 milhões no orçamento. Em entrevista ao G1, a reitora da UFRN, Ângela Paiva, afirmou que com o corte no orçamento a instituição deverá demitir 1.545 servidores terceirizados e suspender parcial ou totalmente suas atividades ainda em setembro deste ano.

O IFRN também terá dificuldade de manter a estrutura dos campi. De acordo com o professor Márcio Azevedo, pró-reitor de Pesquisa e Inovação que está respondendo pela instituição, diz que uma das áreas afetadas é a manutenção das unidades.

G1 RN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), torna público o Processo Seletivo para formação de novas turmas dos cursos Técnicos Subsequentes em Agroindústria, Agropecuária e Aquicultura, de acordo com as condições definidas neste Edital.

Acesse o Edital

Resultado de imagem para porta voz Otávio Rêgo Barros

 

Nessa segunda-feira (06), o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou  que o presidente Jair Bolsonaro não cortará recursos de colégios militares, apesar do contingenciamento no Ministério da Educação (MEC) de 30% de instituições federais de ensino. Os colégios militares estão vinculadas ao orçamento do Ministério da Defesa, por meio do Exército Brasileiro.