Educação Arquivo

Com um indício de queda nas curvas de mortes e casos por covid-19, um dos principais temas nos processos de reabertura econômica e flexibilização do isolamento nos estados tem sido a situação das aulas nas redes de ensino. Até o momento a maioria dos estados segue sem aulas presenciais.

As atividades pedagógicas presenciais reiniciaram primeiramente no estado do Amazonas, em agosto. Lá, a preocupação agora é com o monitoramento dos profissionais de educação e alunos, que vem ensejando uma disputa judicial entre professores e o governo estadual. A contenda também ocorre no Rio de Janeiro, em relação às aulas na rede privada.

No Rio Grande do Sul o calendário iniciou em setembro pela educação infantil, com previsão de término para novembro. No Pará, o governo autorizou aulas presenciais nas regiões classificadas nas bandeiras Amarela, Verde e Azul.

Rondônia adiou o início das aulas até o dia 3 de novembro. O Rio Grande do Norte suspendeu as aulas até o fim do ano. Em outros estados não há definição de data de retorno. Estão neste grupo Distrito Federal, Goiás, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Maranhão, Bahia, Paraná, Mato Grosso, Acre e Roraima.

Contudo, em alguns estados foi decretado o retorno das atividades pedagógicas remotas. O governo de Mato Grosso havia determinado a volta nessa modalidade para a educação básica no início de agosto, mesma situação do Amapá. No estado, as aulas em casa foram permitidas também para os alunos da Universidade Estadual (Ueap).

No Tocantins, o ensino remoto foi definido para os alunos do ensino fundamental da rede estadual no dia 10 de setembro. Em Alagoas, a retomada por meio de aulas remotas ocorreu no dia 17 de setembro. Em Minas Gerais, foi autorizado o retorno das aulas práticas dos cursos de saúde apenas, que passaram a ser consideradas serviço essencial.

No Rio de Janeiro, a volta às aulas na rede particular está em disputa judicial, enquanto a região metropolitana teve piora nos indicadores de risco para covid-19 e pode retroceder na classificação.

Agência Brasil

A Coordenação de Acesso Discente – CADIS, ligada à Pró-Reitoria de Ensino, divulgou nesta terça (15.09) o resultado final do Edital nº 18/2020 – PROEN/IFRN, referente ao processo de seleção para preenchimento de vagas remanescentes para os cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) – na modalidade Educação a Distância – integrantes do Programa Novos Caminhos.

Matrícula

A matrícula deverá ser realizada de forma online, entre 17 e 21 de setembro, anexando toda documentação exigida pelo Edital nº18/2020, através do endereço eletrônico https://sso.acesso.gov.br/login. Após o cadastro do candidato, deve ser realizado o preenchimento dos dados solicitados e o envio da seguinte documentação (digitalizada e legível):

  • Foto 3×4 (foto utilizada para a emissão de documentos, na posição vertical e preferencialmente com um fundo branco ou claro);
  • Carteira de identidade;
  • Cadastro de Pessoa Física – CPF;
  • Certificado de Alistamento Militar, de Dispensa de Incorporação ou de Reservista, no caso dos maiores de 18 anos e menores de 45 anos, do sexo masculino;
  • Certidão de Nascimento ou Casamento;
  • Título de Eleitor e comprovante de quitação eleitoral referente à última eleição ou certidão de quitação eleitoral;
  • Declaração/certidão/certificado/diploma ou histórico de conclusão da Ensino Fundamental II (6º a 9º ano) ou declaração de capacidade de aproveitamento, conforme modelo disponibilizado pelo Campus Natal Zona Leste;

De acordo com o edital, o candidato que não anexar todos os documentos necessários para a realização da matrícula, não terá sua matrícula efetivada, e caso não envie a documentação no prazo solicitado, será desclassificado, e o candidato subsequente será convocado.

Para obter mais informações e/ou esclarecimentos sobre como efetuar a matrícula, é possível entrar em contato com a Equipe Novos Caminhos, através do e-mail novoscaminhos@ifrn.edu.br ou pelo WhatsApp (84 3092-8923).

Acesse:

Edital nº18/2020 – PROEN/IFRN – Programa Novos Caminhos – Vagas remanescentes

Resultado final – Edital nº18/2020

Cadastro e matrícula

Saiba como se matricular – orientações

Setembro é o mês de prevenção ao suicídio. Durante todo mês, diversas campanhas alertam a população para a atenção com as pessoas com comportamentos suicidas. O cuidado e a busca por um profissional competente estão entre algumas medidas que podem ajudar a pessoa com algum transtorno psicológico a lutar contra esse mal.

A Coordenação de Políticas Estudantis (COPE) e o Serviço de Psicologia da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN) estão realizando uma série de ações ligadas ao tema, desde o início do mês. Devido ao período de pandemia, essas ações estão acontecendo de forma remota, através das redes sociais da escola na internet, com publicações informativas e educativas sobre o tema.

Outra produção importante, também sobre essa temática, é um podcast, que foi veiculado por meio da Web Rádio Formigão FM⏤ que faz parte de um projeto de extensão da EAJ. O programa foi veiculado na última sexta-feira (11), através do endereço eletrônico formigaofm.webradiosite.com e contou com a participação da psicóloga da Escola Agrícola, Clariana Morais. Dentro das ações, a Psicóloga também realizará, juntamente com a estudante de medicina da EMCM/UFRN e presidente da Liga Acadêmica de Psiquiatria do Seridó (LAPS), Lauanda Rocha, a palestra intitulada “Saúde mental hoje e amanhã: o suicídio no diferentes campos de formação”. A ação acontecerá amanhã (16), às 09h, através da plataforma Google Meet. A palestra será aberta à comunidade e o endereço para participar estará disponível a partir das 07h, no perfil da Escola Agrícola de Jundiaí no Instagram.

Clariana lembra que o período de distanciamentos expõe ainda mais a vulnerabilidade humana diante dessa questão e afeta as relações, sobretudo no que diz respeito a tratamentos médicos. “Sofremos hoje o isolamento social, o qual, de maneira contraditória nos preserva e nos expõe a perigos. Nos preserva da contaminação pelo COVID-19 e nos expõe a antigos e novos fantasmas da mente que podem, potencialmente, nos aproximar dos pensamentos suicidas, além de tornar os tratamentos médicos e psicólogos mais difíceis de acontecerem, disse.

A psicóloga lembra também a importância desse mês como um marco para discussões sobre a preservação da vida e destaca os dados da Organização Mundial de Saúde, que revelam que a cada quarenta segundos uma pessoa comete suicídio no mundo. “Apesar do desafio, o setembro amarelo de 2020 não pode passar em branco e com a colaboração de todos, comunidade, serviços e especialistas vamos debater e construir novas pontes em prol da vida”, finalizou.

Comunicação EAJ

A Prefeitura de Parnamirim, por meio de decreto do prefeito Rosano Taveira, as aulas presenciais estarão autorizadas a voltar a partir desta terça-feira (15), conforme estabelece decreto que será publicado no Diário Oficial do Município.

A cidade será a segunda do RN a autorizar a volta das aulas na rede privada. Até agora, apenas a Prefeitura de Natal havia tomado a mesma medida.

O Governo do RN mantém a previsão de retorno das escolas particulares para o dia 5 de outubro, desde que seja liberado o retorno pelo comitê científico e que as instituições tenham o chamado selo de biossegurança.

A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) da UFRN divulgou o resultado parcial do processo seletivo simplificado dos residentes que poderão retornar às residências universitárias de Natal durante a retomada das atividades remotas. A lista com o nome dos alunos deferidos e indeferidos pode ser consultada neste link. Os alunos com inscrições indeferidas podem submeter recursos até esta sexta-feira, 11 de setembro, encaminhando email para assuntos_estudantis@reitoria.ufrn.br.

Para consultar o motivo do indeferimento (solicitações tipo 4), os alunos devem acessar o Sigaa, no caminho Outros > Consultar processos do aluno > Acessar o processo. Veja os procedimentos necessários para entrar com o recurso no anexo 1 do edital do resultado parcial.

Os alunos que tiveram a inscrição deferida para retorno às residências universitárias devem participar de reunião virtual a ser realizada com a Divisão de Atenção à Saúde do Estudante (Dase), da Proae, para orientações de Protocolo de Biossegurança da UFRN. Veja o cronograma de reuniões no edital com resultado parcial. Para isso, eles precisam entrar em contato com os conselheiros, que irão fornecer o link da reunião (fornecido pela Dase) que vai acontecer por meio do Google Meet.

A solicitação tipo 4 é para retorno de residentes às residências, com pedido de alimentação temporária ou a alimentação em espécie. Veja o edital que rege o processo seletivo neste link.

Foto: Arquivo

A governadora Fátima Bezerra anunciou na manhã desta terça-feira, 08, a continuidade da suspensão das aulas presenciais na rede pública estadual de ensino até o final de 2020 em função da continuidade da pandemia da Covid-19.

Para tomar a decisão a Governadora citou a posição do Comitê setorial da Educação no RN, a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), a opinião expressa pela população em recente pesquisa do Ibope que atesta que mais de 70% dos brasileiros querem a volta das aulas presencias só após a disponibilidade de vacina e enquetes feitas pela Secretaria Estadual de Educação e por veículos de comunicação.

“Diante destes fatos e considerações informo que as atividades presenciais da Educação no RN só serão retomadas em 2021. Isto estará normatizado no próximo decreto que vamos publicar nos próximos dia para a rede de educação pública do Estado”, afirmou a chefe do Executivo.

A Pró-Reitoria de Ensino do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), usando das atribuições que lhe confere a Portaria n° 834/2020-RE/IFRN, divulgou nesta sexta-feira (4), o Edital Nº 18/2020-Proen/IFRN para cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) na modalidade de Ensino a Distância (EaD), com a oferta de 877 vagas remanescentes do Programa Novos caminhos do  Edital N°17/2020/Proen, vinculada à Rede e-Tec Brasil no IFRN.

Cursos e vagas 

Os cursos e vagas oferecidos são para Assistente Administrativo – uma vaga, com carga horária de 160h, Assistente de Secretaria Escolar – 450 vagas, com carga horária de 180h, Programador de Sistemas – 151 vagas, com carga horária de 200h e Programador Web – 275 vagas, com carga horária de 200h.

Para ingresso nos cursos é necessário possuir Ensino Fundamental II (6º a 9º ano) completo, ter idade igual ou superior a 16 anos no ato da matrícula, estar classificado dentro do número de vagas ofertadas, declarar que não está matriculado simultaneamente em outro curso FIC do Programa Novos Caminhos.

Inscrições 

A inscrição será feita exclusivamente via Internet, na Área do Candidato, a partir das 8h do dia 9 de setembro (quarta-feira)  e se prolonga até as 23h59 do dia 14 do mesmo mês. No ato da inscrição será obrigatório informar o número de documento oficial de identificação e do CPF do próprio candidato, tendo o direito a apenas uma única inscrição.

A classificação e o preenchimento das vagas acontecerá por meio de sorteio realizado por um programa habilitado pela equipe técnica do IFRN, sendo que as primeiras inscrições sorteadas serão classificadas para as vagas oferecidas nos cursos. Quem não preencher os requisitos, terá sua inscrição desclassificada do processo seletivo;  automaticamente será convocado outro inscrito conforme a ordem de sorteio.A matrícula deverá ser feita online, anexando toda documentação exigida pelo edital.

Acesse

Inscrições

Edital – Vagas Remanescentes 

 

O secretário de Estado da Educação, Getúlio Marques anunciou nesta quinta-feira (03), uma data de referência do Governo do Estado no que se refere ao retorno das aulas presenciais, 5 de outubro, nas redes pública e particular. O anúncio da possível data foi feito durante coletiva de imprensa para atualizar os dados no tocante à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“A possível retomada das aulas, em 5 de outubro, fica prevista em duas semanas a mais do que está descrito no atual decreto, que previa uma possibilidade do retorno das atividades escolares de forma presencial para 18 de setembro”, disse o titular da Educação. Um novo decreto estadual atualizando a data irá sair na próxima semana. O Comitê Cientifico definirá os protocolos de retomada que as redes de ensino deverão seguir.

A retomada depende do cumprimento, por parte dos estabelecimentos escolares, de protocolos sanitários definidos pelas secretarias estaduais de Saúde e de Educação. E a prioridade de retorno será para alunos de séries finais (9º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio) e limitada 30% dos alunos totais de um estabelecimento escolar.

Na ocasião, o secretário da Saúde Pública, Cipriano Maia, reforçou que a retomada das aulas presenciais se dará embasado por protocolos de biossegurança e de preparação de todo o sistema escolar. “Há todo um trabalho de qualificação a ser feito com as autoridades escolares dos municípios”, falou Cipriano. Os municípios serão responsáveis pelo rastreio de contato para casos possíveis de contaminação com a Covid-19 entre o alunado e as equipes pedagógicas.

Dados epidemiológicos

Em relação aos dados epidemiológicos da doença no estado, a Subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Alessandra Lucchesi, disse que até a data de hoje foram infectadas pelo novo coronavírus 62.855 pessoas. Em relação ao número de óbitos em virtude da doença há, até o momento, 2278 mortes confirmadas, sendo 3 nas últimas 24h.

Alessandra demonstrou preocupação em relação à taxa de transmissibilidade da doença, que está em 1,08, sendo sua maior incidência na região Alto Oeste. “A pandemia não acabou. As medidas de prevenção da doença, como o uso de máscara, ainda precisam ser mantidas”, disse a coordenadora fazendo um apelo à população. Hoje, a taxa de ocupação de leitos está em 41%, tendo 246 pacientes internados com a doença, sendo 149 em leitos clínicos e 97 em leitos críticos.

 

O estudante Miller Matheus Lima Anacleto Rocha, do 2º ano do curso técnico de Informática, foi aprovado na primeira fase da Olimpíada Brasileira de Informática. Nesta etapa, chamada de fase escolar, em que são classificados 15% das maiores notas. Com a classificação, Miller segue para a etapa estadual da competição, representando a Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN).

É a segunda vez que ele participa da competição e considera muito divertido todo o processo de participação e a pressão na hora da prova. E foi isso que o fez querer participar outra vez da Olimpíada. A preparação contou com o auxílio do professor Adelino Avelino, seja resolvendo questões de anos anteriores ou questões avulsas. “A estratégia agora é aprender novas ferramentas com o professor e como aplicá-las”, disse Miller.

Sobre os seus anseios para o futuro na área, o estudante afirma: “Eu quero continuar aprendendo cada vez mais sobre programação, pois é uma área com diversos assuntos que me interessam bastante. Eu não me vejo trabalhando com algo que não envolva programação no futuro, mesmo que talvez eu não siga na área de TI”.

O professor Adelino considera um passo muito importante a conquista de Miller para a segunda fase da Olimpíada e espera que isso motive outros estudantes. “É um mérito importante e serve para motivar mais alunos a participarem. Por meio de olimpíadas, muitas empresas como Google, Microsoft, Facebook, Oracle, entre outras procuram profissionais promissores na área”. Adelino destaca ainda que a partir de Setembro, todas as terças-feiras, às 14h, os professores estarão realizando treinamento para os alunos que desejam participar da Olimpíada no ano que vem. O treinamento será feito via Google meet, em parceria com o Prof. Clayton Maciel, do IFRN de Mossoró.

Competição

A Olimpíada Brasileira de Informática tem o objetivo de despertar nos alunos o interesse por uma ciência importante na formação básica hoje em dia, através de uma atividade que envolve desafio engenhosidade e uma saudável dose de competição. A OBI é dividida em duas modalidades, Iniciação ou Programação. Na primeira, as tarefas das provas são sobre problemas de lógica e problemas computação, sem fazer o uso do computador. Já na modalidade de Programação, o estudante precisa resolver problemas de programação, com o uso do computador.

 

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ-UFRN) divulgou, no último dia 19, o resultado do processo seletivo de concessão para Auxílio Instrumental na unidade. Ao todo, 184 estudantes do ensino técnico, tanto integrado quanto subsequente, receberão o valor de R$ 1.200 para aquisição de equipamentos de Tecnologia da Informação (TI).

Segundo o diretor da EAJ, o professor Ivan Max, os recursos utilizados nesse edital, em específico, estão sob gestão da escola. “No planejamento de atendimento fizemos os cálculos juntamente com a Coordenação de Políticas Estudantis (Cope) para atender na totalidade os nossos estudantes carentes, tanto com o auxílio digital quanto no auxílio instrumental. Como sabíamos de antemão o total de estudantes carentes, então já fizemos a previsão orçamentária necessária para atender as demandas”, afirmou.

Em relação ao Auxílio de Inclusão Digital, o número de estudantes contemplados com o benefício é de 191. No período de agosto a dezembro, eles receberão o valor mensal de R$ 150,00. O dinheiro poderá ser utilizado na contratação de pacotes de internet.

Ambos os auxílios foram destinados a estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, inscritos no Cadastro Único da UFRN como alunos prioritários e que estavam matriculados no semestre letivo 2020.1. Já para os estudantes da graduação, tanto os valor do Auxílio Digital como o Instrumental, seguirão as regras do edital geral da UFRN.

O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre, promulgou hoje (26) a Emenda Constitucional (EC) 108/20 que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A medida amplia de 10% para 23% a participação da União no financiamento da educação básica e altera a forma de distribuição dos recursos entre os entes federados.

Para Alcolumbre, a emenda é uma das contribuições mais relevantes e de maior impacto social que o Congresso Nacional incorporou nos últimos tempos no patrimônio jurídico brasileiro. “Apenas um olhar especial para os nosso jovens e crianças poderá nos redimir como sociedade e nos justificar como nação”, disse.

Ele destacou a conciliação e comprometimento de deputados e senadores para assegurar a tramitação e aprovação da matéria. O texto foi aprovado na Câmara dos Deputados em julho e, ontem (25), foi apreciada no Senado em primeiro e segundo turno, e aprovado por unanimidade. “Hoje nós asseguramos na Constituição a perenidade da educação. A educação, que aguardava a décadas esse gesto do Parlamento brasileiro”, disse o senador durante sessão solene virtual.

Agência Brasil

Coordenado pelo Professor Valdi de Lima Júnior e com colaboração do Professor Henrique Rocha, o projeto de extensão “Diagnóstico situacional dos criadores de leite de cabra do litoral e agreste potiguar” tem como objetivo diagnosticar a situação da cadeia produtiva de leite caprino de agricultores da região Litoral e Agreste do Rio Grande do Norte (RN), a fim de inseri-los na cadeia produtiva da caprinocultura leiteira, buscando a qualidade da matéria prima e dos produtos derivados e sustentabilidade socioeconômica e ambiental.

Segundo o Professor Valdi de Lima, o diagnóstico, que será realizado nos municípios de Macaíba, Monte Alegre, Vera Cruz e São Gonçalo do Amarante, visa a análise da situação desses criadores no período de pandemia. “A gente sabe que nessa pandemia houve mudanças de mercado e que houve um aumento ou uma diminuição do consumo de alguns produtos. A gente quer saber se os produtos de origem animal, no caso, o leite caprino, também passaram por esse aumento ou diminuição de consumo, se houve também um incremento nos custos de produção, principalmente relacionados à ingredientes da ração do animal”, comenta. A partir do diagnóstico, será possível saber a situação desses criadores e quais as dificuldades enfrentadas por eles atualmente, fazendo com que ocorra a atuação de outros projetos de extensão que visam solucionar os problemas apresentados pelo diagnóstico realizado.

O projeto terá participação de discentes que auxiliarão na aplicação dos questionários e a partir deles, identificar o perfil dos criadores, analisando se são pequenos, médios ou grandes criadores; identificando tamanho do rebanho; qual a forma de comercialização; se há o uso de tecnologias, como inseminação artificial; e saber qual o grau de instrução dos criadores. O questionário seria aplicado presencialmente, mas devido ao isolamento social, será apresentado através da plataforma Google Docs, mas para os criadores que não utilizam a ferramenta, os membros do projeto irão entrar em contato para aplicar as perguntas. “Queremos ter o maior número de questionários para que seja representativo, e assim a gente saiba de que forma atuar com outro projeto de extensão para solucionar os problemas que serão levantados através desse diagnóstico”, explica Valdi.

Lívia Ribeiro, discente membro da equipe, acredita que o trabalho irá possibilitar novos horizontes para os produtores e vai mostrar a situação em que esses produtores se encontram atualmente, fazendo com que o projeto auxilie na melhoria da produtividade e no crescimento dessas atividades. Além disso, a estudante fala sobre a importância de fazer parte do projeto e da expectativa quanto ao trabalho que será realizado. “O projeto me dá a oportunidade de conhecer produtores, adquirir e gerar conhecimentos, além de poder colocar em prática o que na maioria das vezes só vemos em teorias dentro da sala de aula. Além de ser gratificante poder fazer algo pela pecuária da nossa região”, conta. “Espero aprender bastante sobre a cadeia produtiva do leite caprino da nossa região, poder ter uma troca de conhecimento com os produtores e auxiliar eles no que precisarem”, finaliza.

O professor fala ainda sobre a atuação da residência agrícola após a realização do diagnóstico. “Na sequência, no projeto de residência agrícola, no qual também iremos atuar nessas propriedades, os residentes trabalharão exatamente onde foi feito o diagnóstico”, diz. Caso o problema seja a comercialização dos produtos, serão feitas orientações para a melhoria dessa comercialização. Caso seja o custo da ração, haverá um balanceamento de um custo mínimo para obter uma ração mais barata, diminuindo os custos de produção do leite. “Essas são algumas das situações que a partir do diagnóstico que iremos fazer agora, teremos embasamento para ajudá-los nos principais problemas que têm enfrentado neste período de pandemia”, explica.

Através dos problemas vistos, a ideia também é trabalhar com tecnologias para que haja uma melhora na produção, e a partir disso, melhorar a eficiência produtiva. E quando ocorre a melhora na eficiência produtiva, há diminuição do custo e aumento do lucro.

Espera-se também que o projeto contribua para o desenvolvimento de uma caprinocultura eficiente e competitiva, que permitam garantir a rentabilidade, a geração de emprego e de renda de forma sustentável e crescente, representando impacto social e econômico. Além disso, promover uma melhoria de vida para os criadores e fazer com que estes permaneçam nessa atividade.

Por Matheus Henrique dos Santos – Comunicação EAJ

Foto: Cícero Oliveira

O Ranking de Shanghai posicionou a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) como a melhor instituição de ensino do Nordeste e entre as 15 melhores do país. No cenário global, o Academic Ranking of World Universities 2020 listou a UFRN entre as mil melhores do mundo, de um total de mais de 2 mil instituições avaliadas.

Quatro universidades do Nordeste conseguiram entrar na lista das melhores instituições do mundo. A UFRN aparece na liderança do ranking nordestino ao lado da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e, em seguida, são listadas também as Universidades Federais da Bahia (UFBA) e do Ceará (UFC).

No cenário nacional, de um total de 22 universidades brasileiras que entraram no ranking, todas são instituições públicas de ensino superior. A melhor avaliada do país foi a Universidade de São Paulo (USP), seguida pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). As lideranças globais ficaram com a Universidade de Harvard, Universidade de Stanford e Universidade de Cambridge.

Ranking

O Ranking de Shanghai utiliza vários indicadores para classificar as universidades, como o desempenho acadêmico ou de pesquisa, ex-alunos e funcionários com prêmio Nobel, pesquisadores altamente citados, artigos publicados em revistas de alto impacto científico, artigos indexados nos principais índices de citação, entre outros critérios. Confira o ranking.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) adia a retomada do período letivo 2020.1 para o dia 8 de setembro. O adiamento foi necessário porque o programa de pacote de dados da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP)/Ministério da Educação (MEC) não estará implementado na data prevista para o início das aulas da Universidade. Nesse sentido, além do auxílio instrumental para aquisição de equipamentos, a UFRN vai também disponibilizar apoio financeiro para custear a contratação de internet dos estudantes prioritários da assistência estudantil.

Com base na segurança à saúde, formação de qualidade, flexibilidade e inclusão, a retomada do 2020.1, no formato remoto, havia sido planejada para 24 de agosto. Diante da situação, a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) prorrogou até esta quinta-feira, 20 de agosto, o período de rematrícula para o 2020.1 (2020.6) e a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) lançou edital de Auxílio de Inclusão Digital, para contratação de pacote de dados de internet – direcionado aos estudantes da graduação presencial em situação de vulnerabilidade socioeconômica e que participam, como alunos prioritários, do Cadastro Único da Assistência Estudantil. A divulgação do processo seletivo estará disponível no Portal da UFRN.

Planejamento do ensino remoto

Como medidas de planejamento para o ensino remoto no contexto da pandemia da covid-19, a UFRN vem desenvolvendo diversas ações, como a discussão descentralizada sobre o tema, envolvendo as representações de todos os segmentos (técnicos, professores e estudantes); capacitações sobre a temática para docentes e discentes; criação de comissões de monitoramento da covid-19 na comunidade universitária; publicação do Protocolo de Biossegurança e do Guia para Estudantes sobre a retomada do 2020.1; aprovação de novas resoluções de assistência estudantil; aprimoramento do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa); questionário sobre o Período Letivo Suplementar Excepcional (PLSE), para aperfeiçoar a experiência da retomada do 2020.1; além de realizar avaliações de desempenho e de adesão às atividades acadêmicas remotas.