Educação Arquivo

Diretor geral reeleito divulga Carta de Agradecimento

Foto: Wenderval Gomes

Com uma comunidade acadêmica espalhada em 18 municípios do estado, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) realizou nesta quarta (4), o processo de escolha de seu reitor e de diretores-gerais (DG) de campi. O processo eleitoral, iniciado ainda em outubro, culminou com a eleição do professor José Arnóbio de Araújo Filho ao cargo máximo do Instituto. Arnóbio teve 48,25% dos votos válidos. O 2º colocado, o professor Wyllys Abel Farkatt Tabosa, atual reitor do IFRN, teve 42,26%.

A totalização dos votos a reitor ficou assim:

Candidato Percentual de votos válidos Situação
Chapa 1 – Ambrósio Silva de Araújo  2,77%  4º lugar
Chapa 2 – Wyllys Farkatt Tabosa  42,26%  2º lugar
Chapa 3 – José Arnóbio de Araújo Filho  48,25%  1º lugar – reitor eleito
Chapa 4 – José Ribeiro de Souza Filho  3,22%  3º lugar

Escolha

Conduzido pela Comissão Eleitoral Central, na Reitoria, e pelas Comissões Eleitorais Locais em cada Campus, o processo de escolha dos gestores do IFRN tinha 29.589 eleitores aptos a votar, entre docentes, estudantes e técnicos-administrativos. O Campus Caicó e a Reitoria, com quatro servidores em disputa, foram as unidades com maior número de candidatos aos cargos. 12 campi tiveram candidatura única; o Campus Avançado Lajes não teve candidato ao pleito.

Com o fim da apuração, nesta quinta-feira (5) as comissões recebem os eventuais pedidos de recurso, que deverão ser interpostos através de requerimento protocolado no Suap, dirigido à Comissão Eleitoral Central. Durante a reunião do Conselho Superior do IFRN, na segunda-feira (9), acontece a homologação dos resultados oficiais da Consulta.

Na apuração, a proporcionalidade estabelecida para a votação do reitor e do diretor-geral de campus é feita atribuindo-se o peso de um terço para a manifestação dos professores, de um terço para a manifestação dos técnicos-administrativos e de um terço para a manifestação dos estudantes, sendo indicado para reitor ou DG quem atingir o maior percentual dos votos válidos. A totalização dos votos – competência da Comissão Eleitoral Central – obedece a uma equação, definida na Resolução 38/2019, do Conselho Superior do IFRN.

Resultado preliminar

O resultado das urnas para os campi, antes do prazo dos recursos e suas análises, é o seguinte:

Campus Nome Votação (%)
 Apodi Francisco Damião Freire Rodrigues  89,53
Caicó Alexandro Diógenes Barreto  38,79
Giancarlos Costa Barbosa  10,99
Ítalo Batista da Silva  4,34
Max Miller da Silveira  44,98
Canguaretama Flávio Rodrigo Freire Ferreira  90,38
Ceará-Mirim Alan Paulo Oliveira da Silva  51,92
Jorge dos Santos Lima  47,98
Currais Novos Andreilson Oliveira da Silva  90,37
Ipanguaçu José Geraldo Bezerra Galvão Júnior  88,52
João Câmara Matheus Augusto Avelino Tavares  92,11
Lajes Sem candidato ao pleito
Macau Arthur Luis de Oliveira Torquato  44,30
Jerdmiler Gomes de Paiva  55,70
Mossoró Hélio Henrique Cunha Pinheiro  70,00
Michele Asley Alencar Lima  27,69
Natal-Central Jonas Eduardo Gonzales Lemos  48,76
Luzimar Barbalho da Silva  21,45
Márcio Adriano de Azevedo  27,28
Natal-Cidade Alta Ayres Charles de Oliveira Nóbrega  38,76
Mary Land Pereira de Brito  26,53
Natal-Zona Leste José Roberto Oliveira dos Santos  91,18
Natal-Zona Norte Edmilson Barbalho Campos Neto  95,09
Nova Cruz Allan Nilson de Sousa Dantas  82,19
Parelhas Ramon Viana de Sousa  78,65
Parnamirim Álvaro Hermano da Silva  33,89
Paulo Vitor Silva  66,05
Pau dos Ferros Emanuel Neto Alves de Oliveira  94,47
Santa Cruz Samira Fernandes Delgado  96,25
São Gonçalo do Amarante Luisa de Marilac de Castro Silva  65,15
São Paulo do Potengi Anderson Luiz Pinheiro de Oliveira  22,23
Renato Dantas Rocha da Silva  77,56

Acesse

Normas eleitorais – Resolução nº 38/2019 – Consup/IFRN

Resultado geral preliminar do Processo Eleitoral

A imagem pode conter: 1 pessoa

Arquivo Pessoal

Neste sábado (07), às 16h, o jovem macaibense José Firmino Rodrigues participará do programa Caldeirão do Huck, da TV Globo. Ex-aluno da Escola Alfredo J. Monteverde, do Instituto Santos Dumont, atualmente aluno do Mestrado em Neuroengenharia no Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra, localizado no distrito de Jundiaí, em Macaíba.

 

 

 

Foto: UFRN

Agência Brasil – As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) poderão ser feitas de 21 a 24 de janeiro de 2020. O calendário do processo seletivo do primeiro semestre do ano que vem foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) no Diário Oficial da União.

O resultado da seleção será divulgado no dia 28 de janeiro e a matrícula dos selecionados deverá ser feita de 29 de janeiro a 4 de fevereiro. Aqueles que não forem selecionados poderão participar da lista de espera também entre os dias 29 de janeiro e 4 de fevereiro.

O Sisu oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. A seleção é feita com base no desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para participar é preciso ter obtido nota acima de zero na redação do exame.

Para o primeiro semestre de 2020 valerão as notas do Enem 2019. Os resultados das provas, que foram aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro serão divulgados em janeiro na Página do Participante e no aplicativo do Enem. Para acessar, é preciso informar CPF e senha. Ao todo, 3,9 milhões de candidatos participaram de pelo menos um dia de prova do Enem.

As regras e a quantidade de vagas que serão oferecidas no ano que vem pelo Sisu ainda não foram divulgadas. No primeiro semestre deste ano, foram ofertadas 235,5 mil vagas em 129 instituições públicas de todo o país.

Foi lançado o Edital do processo seletivo específico para alunos egressos do Curso Técnico em Informática da EAJ-UFRN ingressarem no Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas em 2020.1.

Esse processo seletivo é baseado no desempenho acadêmico no Curso Técnico em Informática dos alunos pleiteantes.

São ofertadas 3 vagas para os alunos egressos a partir do ano de 2013.

A inscrição será realizada no período de 02 a 10 de dezembro de 2019 das 08hs às 12hs e das 14hs às 17hs, na Secretaria do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Escola Agrícola de Jundiaí-UFRN.

O edital encontra-se disponível no site da PROGRAD, na aba “Documentos”.

http://www.prograd.ufrn.br/documento.php?id=334102670

O Projeto de Extensão tem como principal objetivo estimular a produção de ovos e carnes de galinha caipira como renda extra para os produtores familiares. A atividade está sendo implantada na Comunidade Quilombola Capoeiras, localizada no município de Macaíba-RN. Imediatamente, a ação está beneficiando dez famílias da comunidade, que serão propagadoras do projeto para as demais, gerando uma rede. Essa comunidade se caracteriza por trabalho familiar, agricultura de subsistência e baixa adoção de tecnologias.

Pretende-se levar novas técnicas de produção e gestão de galinhas caipiras, de forma a proporcionar uma alimentação saudável. O excedente da produção será comercializado por meio de feira livre, comércio em geral e pelo programa governamental Venda Direta, resultando, também, no incremento da renda familiar.

Na ação, além dos agricultores familiares da comunidade, estão envolvidos professores e alunos da UFRN. Na primeira etapa, será ministrado um curso de criação e gestão da produção de galinhas caipiras e, em um segundo momento, será iniciada a criação das aves, pintinhas de um dia de idade. A comunidade escolhida enfrenta problemas comuns a essas comunidades e, por conseguinte, carece de assistência técnica e ações governamentais de diversas ordens. Esse projeto dará, portanto, uma pequena contribuição no que se refere à assistência técnica para a implantação, gestão e criação das aves, de forma que os agricultores participantes obtenham uma renda extra, que auxiliará na manutenção da família.

As famílias foram selecionadas e três alunos do Curso Técnico em Agropecuária da EAJ-UFRN estão diretamente envolvidos com o projeto. Eles serão propagadores/multiplicadores da ação. “A ideia também é estimular a vinda de outros moradores da comunidade para estudar na EAJ-UFRN”, nos conta Jorge dos Santos Cavalcanti, professor do Curso Técnico em Agropecuária e coordenador do projeto.

A iniciativa surgiu da necessidade de fazer a UFRN aproximar-se ainda mais do pequeno produtor, aquele que pratica a agricultura familiar, que geralmente é desassistido e não tem acesso a novas tecnologias nem a crédito. É também uma oportunidade para os alunos verem de perto a realidade do agricultor local e, desse modo, desempenharem uma função social, com impactos positivos na economia e geração de renda da comunidade macaibense.

Júnior Dias e Hailton Mangabeira

A chapa formada pelos professores Júnior Dias  e Hailton Mangabeira  venceu a eleição para diretor e vice-diretor da Escola Estadual Dr. Severiano. A chapa obteve 55,5% dos votos válidos.

A imagem pode conter: 14 pessoas, incluindo Rômulo Estânrley e Radma Almeida, pessoas sorrindo, atividades ao ar livre

Nesta sexta-feira (29), foi realizada a eleição para diretor e vice-diretor da Escola Estadual em Tempo Integral Alfredo Mesquita Filho. Com chapa única, o diretor Rômulo Estânrley foi reeleito tendo como vice a professora Chiara Leocádio.

Ao todo votaram 214 pessoas, entre professores, alunos e pais,  a chapa vencedora obteve 202 votos, 2 votos foram brancos e 10 votaram nulo. O mandato é de três anos.

Nesta sexta-feira (29), a Rede Estadual de Educação realiza as Eleições Gerais para os cargos de diretor (a) e vice-diretor (a) para o triênio 2020-2022. Cerca de 581 unidades de ensino estão envolvidas no processo eleitoral. Alunos, professores, equipe gestora e pais de alunos ou responsáveis estão aptos a votar, somando cerca de 250 mil pessoas.

Para esta eleição, a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do RN mobilizou técnicos e gestores do Órgão Central e das 16 Diretorias Regionais de Educação e Cultura com o intuito de preparar as escolas para o momento da escolha. “Trata-se da primeira eleição em que toda a rede será mobilizada. Um desafio novo que, com os esforços de toda a comissão eleitoral, estamos realizando. As escolas que participarão do processo foram acolhidas e tiveram suas dúvidas atendidas. Pelo voto, renovamos nossa crença na democracia em nossas escolas”, frisa a Secretária Adjunta de Educação, Márcia Gurgel. A educadora é presidente da Comissão Eleitoral Central de Gestão Democrática, coletivo responsável por todo o processo eleitoral, regido pela Lei Complementar Nº 585/2016.

Com a eleição deste ano, os gestores ganharão mais um ano para atuarem nas escolas. A partir da posse dos novos diretores, o mandato destes será ampliado de dois para três anos de gestão. De acordo com o vice-presidente da comissão eleitoral, Edmilson Simplício, essa medida permite que os novos gestores possam desenvolver melhor suas atividades. “Cada diretor terá três anos para desenvolver o plano pedagógico de sua escola, permitindo a gestão planejar e executar suas ações com mais tranquilidade. Acreditamos que um período como esse, que pode ser estendido em caso de reeleição, é um bom prazo para que as equipes gestoras apresentem resultados positivos na aprendizagem dos alunos”, destacou.

Em cada escola estão aptos a votar os alunos, professores efetivos, professores temporários com, no mínimo, quatro meses de atuação na escola, equipe técnica da escola, atuais gestores, servidores efetivos da escola e pais ou responsáveis dos estudantes. “Cerca de 70% das equipes gestoras serão renovadas com as eleições gerais”, lembra Edmilson. Os professores que têm sua carga horária cumprida em mais de uma escola poderão votar em cada pleito das respectivas escolas. Os pais que tenham filhos matriculados em distintas escolas, também votarão mais de uma vez, sendo uma votação por escola.

O titular da SEEC, professor Getúlio Marques, comemora o ambiente democrático que as eleições proporcionam às escolas. “Sem dúvidas, teremos uma eleição tranquila e participativa. Cada escola escolherá os gestores que mais se identifiquem com ela, dentro de um processo totalmente democrático. A eleição de gestores é um momento importante para o planejamento estratégico do próximo ano letivo”, argumenta Getúlio Marques.

Posse e formação

O resultado da eleição será conhecido logo após o encerramento das urnas. Os eleitos tomarão posse no dia 11 de dezembro, data que marcará o início do Seminário de Gestão, com duração de dois dias.

Observando o que orienta o Plano Estadual de Educação do RN 2015-2025, a SEEC ofertará aos novos gestores, durante o seminário, espaços para reflexão sobre a organização do trabalho pedagógico e seus respectivos desdobramentos, como aspectos políticos, administrativos, financeiros, pedagógicos, entre outros. “A formação tocará em temas que estão em consonância com os fundamentos e princípios da educação e da gestão escolar. Nosso objetivo é construir concepções a partir do desenvolvimento referencial de fundamentos legais e conceituais que ajudem o trabalho dos novos gestores”, destaca Márcia Gurgel, Secretária Adjunta de Educação do RN.

Por meio do Projeto “Incentivo ao reflorestamento em cenários de mudanças climáticas” são desenvolvidas iniciativas de reflorestamento, arborização e educação ambiental, utilizando principalmente espécies florestais importantes no extrativismo e que geram renda nos ambientes de ocorrência natural. Com o objetivo de gerar tecnologias para a produção de mudas e reflorestamento de espécies alvo do extrativismo intensivo no semiárido potiguar (espécies como: a carnaúba (Copernicia prunifera), jurema-preta (Mimosa tenuiflora), oiticica (Licania rigida), maçaranduba (Manilkara salzmannii) e umbu (Spondias tuberosa)), a proposta está alinhada com um dos objetivos de desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 proposta pela ONU, que prevê tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos.

O Projeto é uma parceria com o Horto Florestal da UFRN, para onde são destinadas cerca de cem mudas para o programa de arborização do campus central da UFRN, em Natal. Essas mudas são destinadas para recuperação de áreas degradadas em regiões do semiárido. Além disso, estão sendo iniciados projetos de educação ambiental e arborização em escolas públicas por meio das equipes formadas por professores e estudantes do curso de Engenharia Florestal e do Mestrado em Ciências Florestais.

“Destaco a importância da EAJ e UFRN na capacitação dos nossos alunos para a extensão universitária. Os trabalhos de educação ambiental que estamos realizando nas escolas têm como foco crianças e os jovens, que recebem orientação sobre a prática de defesa e preservação das espécies de plantas utilizadas na agricultura local. O cenário de mudança climática para este século é alarmante, pois há potencial para elevação nas temperaturas médias globais de cerca de 4,3 °C até o ano de 2100, com implicações significativas nos ecossistemas florestais e microclima urbano”, nos conta o Professor Fábio de Almeida Vieira, que atua no curso de graduação em Engenharia Florestal, no Mestrado em Ciências Florestais e está à frente do Projeto.

O bioma Caatinga é uma das regiões ecologicamente sensíveis com respostas ampliadas à variabilidade climática no mundo, possuindo mais de 60% de áreas susceptíveis à desertificação no Brasil. O Estado do Rio Grande do Norte possui 143 municípios com áreas susceptíveis à desertificação. Nestes ambientes, há diversas espécies florestais de alta relevância econômica, social e cultural, onde os recursos florestais (cera, folhas, frutos e sementes) representam fonte de renda para as comunidades extrativistas, mas que estão ameaçadas pela mudança climática.

Alunos da E. M. José Pinheiro Borges

Nesta última sexta-feira (22), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) publicou a lista de aprovados do exame de seleção de 2020. Os estudantes aprovados irão estudar o ensino médio integrado ao curso técnico no qual escolheram no ato da inscrição. Na primeira chamada foram aprovados 12 alunos da Rede Municipal de Ensino de Macaíba, oriundos de escolas tanto da zona urbana quanto da zona rural.

Foram aprovados os alunos das referidas escolas:

Escola Municipal José Pinheiro Borges

Maria da Conceição dos Santos Lopes – 1°lugar em Informática – IFRN -São Gonçalo

Maria Clara Araújo  da Silva – 2° lugar em Informática – IFRN  São Gonçalo

Iranildo Mateus Sales da Silva – 4° lugar em  Edificações  – IFRN  São Gonçalo

Escola Municipal Santa Luzia (Cajazeiras)

Renata Suzano de Oliveira (Aluna da EJA) – 2º lugar em Geologia – IFRN Central

Escola  Municipal Pedro Gomes

Maria Beatriz da Silva – 10° lugar geral em Logística – IFRN  São Gonçalo

Centro de Educação Rural Alfredo Mesquita (CERU)

Janderson Silvestre Alves – 1° lugar em Edificações – IFRN  São Gonçalo

Escola Municipal Waldemar Diógenes

Melissa Nunes das chagas – 2º lugar em Informática – IFRN São Gonçalo

Educandário Venera Dantas

Gustavo Henrique da Silva – 1º lugar em Mecânica – IFRN Central

Italo Nunes de Lima – 2º lugar em Mecânica – IFRN Central

Maria Eduarda Santos Morais – 3º lugar em Edificações – IFRN São Gonçalo

Escola Municipal Auta de Souza

Sabrina Yohana da Silva – 3º lugar em Informática – IFRN São Gonçalo

Davi Dantas Peixoto – 18º geral em  Mecânica – IFRN Central

 

 

Desenvolvida e coordenada desde 2017 por Aldair Rodrigues, Professor de Artes da Escola Agrícola de Jundiaí, a atividade aborda os conteúdos estudados durante o ano e se relaciona com outras disciplinas. Agora em 2019, a atividade pedagógica contou com a disciplina de Língua Portuguesa.

O desenvolvimento da atividade acontece ao longo de todo o ano letivo. No segundo bimestre foram elaborados textos dramáticos tendo como base autores regionais, nacionais e estrangeiros, e cenas com pequenos grupos também foram montadas. No terceiro bimestre foram feita cenas com textos literários e temas relacionados aos respectivos cursos das turmas. Já no quarto bimestre alguns critérios são estabelecidos pelo coordenador e a avaliação consiste em fazer a apresentação teatral utilizando os conhecimentos adquiridos durante o ano, especialmente no que se refere aos elementos da linguagem teatral.

Segundo Aldair Rodrigues, a atividade é importante devido às variadas formas de conhecimento trabalhadas. “Desenvolve, entre outras competências, a socialização, a criatividade, o trabalho em equipe, expressão corporal e vocal, desafiar suas potencialidades e fragilidades, sensibilização do olhar, poder de síntese, estabelecer ideias, criticidade, alteridade, entre outros”, comenta.

A peça conta com um processo de criação onde os alunos fazem um roteiro, elaboram os diálogos e criam os personagens. Isso se dá por meio da escolha e estudo de alguma obra da literatura. A partir disso, os estudantes farão a apresentação, podendo ser uma reinterpretação ou uma adaptação – até mesmo para os dias atuais – e fazer uma interseção com outros autores e outros tempos literários.

O professor de Língua Portuguesa e participante a atividade, Welson Lima, fala sobre a participação dos alunos nas atividades realizadas. “Num trabalho como esse, o professor se afasta um pouco do seu protagonismo e repassa esse protagonismo para os alunos. O aluno passa a ser sujeito. Ele passa a interseccionar os saberes aprendidos em sala de aula com os saberes que ele já domina e ele não só apresenta aquilo que ele aprendeu em sala de aula, mas ele intersecciona com aquilo que ele detém enquanto sujeito. A gente tem alunos que dançam, tocam, cantam e também temos aqueles alunos mais tímidos que vêem o desafio de estar à frente de um trabalho e conseguem superar determinadas limitações a partir do momento em que eles se percebem responsáveis não só como indivíduos, mas responsáveis em relação ao outro”, comenta. “Faz com que o aluno se torne protagonista do seu aprendizado. E você vê a importância do trabalho porque para chegar ao produto final o aluno precisa estudar com mais afinco, precisa fazer estudos interdisciplinares. Ele não decora, ele aprende! Ele domina [o assunto] para chegar ao produto final. Ele tem que se aprofundar nos diversos saberes que estão inter-relacionados”, explica.

As apresentações foram feitas pelos estudantes do Ensino Médio Integrado ao Curso Técnico. Os alunos do 2º ano de Aquicultura desenvolveram a atividade a partir da obra de Aluísio Azevedo, o livro “O cortiço”, onde fizeram uma releitura. Na sinopse elaborada pela turma, “João Romão era apenas um homem que, assim como todos os outros, desejava uma vida boa e cheia de dinheiro. E, para que conseguisse o que queria, resolveu abrir um bar em uma favela abandonada. Com o dinheiro arrecadado, Romão levantou a favela do cortiço e deu abrigo a muitas pessoas, incluindo uma refugiada venezuelana, Bertoleza. No entanto, o rico Miranda está disposto a atrapalhar os planos de João Romão de criar uma grande favela. Intrigas, traições e toda a sujeira da raça humana expressas em uma única obra. ‘O cortiço’ é uma releitura da clássica obra de Aluísio Azevedo”, diz a descrição da peça realizada pelos alunos.

A Fundação de Apoio ao IFRN (Funcern) divulgou na manhã de hoje (22) a lista dos aprovados para os Cursos Técnicos de Nível Médio na forma integrada. O processo seletivo, gerenciado pela Coordenação de Acesso Discente da Pró-Reitoria de Ensino (Proen), foi realizado pela Funcern. Foram ofertadas 3.172 vagas para 87 cursos distribuídos por 20 campi do Instituto.

MATRÍCULAS

Os candidatos aprovados deverão realizar sua pré-matrícula na diretoria acadêmica responsável pelo curso, no período de 8 a 10 de janeiro de 2020, nos horários informados  no Anexo VI do Edital.

 A matrícula poderá ser realizada pelo próprio candidato, quando maior de 18 anos; por responsável legal, para candidatos menores de 18 anos; ou por representante legal munido de procuração com firma reconhecida.

No ato da pré-matrícula todos os candidatos aprovados deverão apresentar a seguinte documentação:

a) 2 fotos 3×4 (recentes e iguais);

b) Carteira de identidade (cópia acompanhada do original);

c) Cadastro de Pessoa Física (CPF) (cópia acompanhada do original);

d) Cópia da Certidão de Casamento ou Nascimento;

e) Título de Eleitor, no caso dos maiores de 18 anos (cópia acompanhada do original);

f) Certificado de Alistamento Militar, de Dispensa de Incorporação ou de Reservista, no caso dos maiores de 18 anos do sexo masculino (cópia acompanhada do original);

g) Certificado de conclusão do Ensino Fundamental (cópia acompanhada do original); e,

h) Parecer de equivalência de estudos da Secretaria Estadual de Educação, para os aprovados que realizaram estudos equivalentes ao Ensino Fundamental, no todo ou em parte, no exterior.

O candidato beneficiado pelo Sistema de Reserva de Vagas que declarou ter cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas deverá entregar, no momento da matrícula, além dos documentos exigidos no item 62, o Histórico Escolar do Ensino Fundamental (cópia acompanhada do original.

O candidato aprovado nas listas L2, L6, L10 ou L14 deverá apresentar autodeclaração de pertencimento à etnia preta, parda ou indígena conforme formulário disponível no Anexo IV deste Edital, assinada pelo candidato ou responsável, no caso de menores de 18 anos.

Acesse:

Lista de aprovados | Exame de Seleção 2020

Página | Exame de Seleção 2020

A Escola Agrícola de Jundiaí, Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias da UFRN, atende desde 2017 alunos com deficiências ou necessidades especiais utilizando a terapia complementar com uso do cavalo, a Equoterapia. O atendimento dá-se por meio da ação de extensão “Projeto Equoterapia UFRN”, realizado em parceria com o Instituto de Ensino e Pesquisa Alberto Santos Dumont – ISD.

A prática é terapêutica e científica, utilizando- se do cavalo como instrumento numa abordagem multiprofissional e interdisciplinar. “No Brasil é normatizada pela Associação Nacional de Equoterapia – Ande-Brasil. O método é reconhecido pelo conselho federal de medicina (CFM) e pelo conselho de fisioterapia e terapia ocupacional (COFITO). O método pode ser utilizada como terapia na saúde e na educação, auxilia no crescimento e desenvolvimento biológico, psicológico e social, potencializando as habilidades e minimizando o comprometimento consequente às deficiências” diz o Professor Mário Cardoso, responsável pelo projeto. Mário não mede esforços para promover o acesso ao maior número de possível pessoas mostrando a eficácia da Equoterapia como recurso terapêutico para o tratamento desses indivíduos.

“Em nossa ação de extensão, atendemos crianças com transtornos do espectro do autismo (TEA). Tais transtornos são um grupo de desordens complexas, caracterizadas pelos prejuízos e déficits sociais, de comunicação e pelos comportamentos repetitivos e restritivos que levam a dificuldades adaptativas importantes dos sujeitos” complementa o Professor. Além disso, padroniza os trabalhos para que os resultados sejam evidenciados e comprovados.

Atualmente, 20 crianças atendidas pela rede do Sistema Único de Saúde que receberam diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista e prévio parecer favorável em avaliação médica, psicológica e fisioterápica realizam a prática da Equoterapia. Os atendimentos são feitos pela equipe multiprofissional, habilitada e certificada, composta de fisioterapeuta, fonoaudióloga, psicóloga, equoterapeutas e auxiliada pelos demais colaboradores alunos bolsistas e voluntários. Todos são familiarizados com as normas técnicas, principalmente as de segurança. Não existe nenhum custo aos familiares dos praticantes e os resultados são motivadores, principalmente em relação a motricidade, auto estima e sociabilidade destas crianças.

O atendimento equoterápico individual acontece no campus da Escola Agrícola de Jundiaí uma vez por semana, em dois turnos com duração de 50 minutos cada, onde são desenvolvidas as atividades previamente planejadas, apropriando-se dos vários estímulos motores e cognitivos, buscando a reabilitação física e/ou mental através do passo do cavalo e seus encantos.

A EAJ-UFRN tem como um de seus fundamentos o compromisso de intervenção em sua região, identificando problemas, criando e transferindo soluções técnicas e tecnológicas para o desenvolvimento regional com inclusão social. A estimulação das habilidades motoras é fundamental e proporciona, além da melhora dos aspectos motores, a possibilidade de maior participação em outras atividades cotidianas, de lazer e na interação social dos indivíduos com autismo.

O projeto da Escola Agrícola de Jundiaí já realizou, desde janeiro de 2017, em torno de 600 sessões individuais de Equoterapia. O acompanhamento da evolução dos praticantes torna visíveis os ganhos particulares nas áreas do autocuidado, onde são mensuradas habilidades de alimentação, cuidado pessoal, vestir, banho e uso de toalete, além do incremento das funções físicas tais como a coordenação motora ampla e fina, equilíbrio, força, agilidade, alterações nos padrões de marcha e tônus muscular. As sessões também apresentam resultados positivos com relação à adequação no humor, melhora do contato visual, linguagem expressiva/conversa, cuidados com os animais, melhora nos comportamentos sociais, aumento da volição e interesse por novas tarefas.

Ao todo 11 estudantes do Rio Grande do Norte foram classificados como finalistas na Etapa Regional da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa – Escrevendo o Futuro, concurso nacional que envolve alunos de escolas públicas de todos os estados brasileiros. Dos 11 finalistas, nove são estudantes da rede estadual de ensino do RN e representarão o estado na última fase da olimpíada, a Etapa Nacional, que acontece no dia 9 de dezembro na cidade de São Paulo.

Realizada anualmente, a olimpíada tem por objetivo apoiar os professores no desenvolvimento das práticas de ensino da escrita e leitura, ao mesmo tempo em que estimula nos estudantes o interesse por essas áreas. Nesta edição, o tema para a produção textual dos alunos foi “O lugar onde vivo”, por meio do qual os estudantes foram instigados a aprofundar o olhar e a análise crítica sobre a realidade na qual estão inseridos.

A partir dessa temática os estudantes desenvolveram trabalhos distribuídos em seis categorias: Poema, voltada aos alunos do 5º ano do ensino fundamental; Memórias Literárias, destinada aos estudantes 6º e 7º anos; Crônica, contemplando os 8º e 9º anos; Documentário, para alunos do o 1º e 2º ano do ensino médio;  e por último Artigo de Opinião, voltado aos concluintes do 3º ano do ensino médio.

Na Etapa Nacional, serão revelados os nomes dos vencedores em cada categoria.

Etapas de seleção

A Olimpíada é dividida em três principais fases, sendo a primeira a Etapa Escolar, que é realizada a nível municipal, quando as escolas promovem oficinas formativas com seus alunos. “Os professores fazem oficinas com os alunos dentro do gênero que foi escolhido a ser trabalhado, que é dentro da etapa escolar”, explica a técnica de avaliação da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC), Verônica Costa.

A partir das oficinas as escolas orientam a produção dos trabalhos dos alunos, a fim de selecionam aqueles considerados os melhores. “O aluno que sai da etapa escolar vai concorrer com outros alunos de outras escolas na etapa municipal”, ressalta Verônica.

Em sequência, as secretarias estaduais de educação selecionam, por meio de Comissões Julgadoras Estaduais, os melhores trabalhos e enviam as produções que representarão o estado na Etapa Regional, quando os estados se organizam em grupos definidos pelas regiões.

Por último, encaminha-se para a Etapa Nacional, onde, por meio de um encontro que envolve todos os finalistas nacionais, será realizada a premiação do vencedor de cada gênero. Além dos alunos, os professores orientadores também concorrem em uma categoria específica, que é a de Relato de Prática, na qual o docente descreve o trabalho de orientação dedicado aos alunos.

Conheça os finalistas potiguares da rede estadual de ensino:

Categoria Crônica

Aluno: Francisco Felipe da Silva

Escola Estadual Professora Maria das Graças Silva (Jucurutu)

Aluno: Thiago Moreira de Abrantes

Escola Estadual 26 de Março (Paraná)

Categoria Memórias Literárias

Aluno: Rayssa Damárys Fontes de Araújo

Escola Estadual Vicente de Fontes (José da Penha)

Categoria Poema

Aluno: Davi Henrique Teófilo de Azevedo Lima

Escola Estadual Natália Fonseca (Bom Jesus)

Categoria Documentário

Alunos: João Vyctor de Paula, Nathália Rocha e Raphael Dias

Centro Estadual de Educação Profissional Ruy Pereira dos Santos (São Gonçalo do Amarante)

Categoria Artigo de Opinião

Aluno: Antônia Edlâne de Souza Lins

Escola Estadual Desembargador Licurgo Nunes (Marcelino Vieira)

Aluno: Arysnágilo Waldoniêr Pinheiro Vieira

Escola Estadual Vicente de Fontes (José da Penha)