Descrição do autor

Administrador

DSC 0003 400x265

Estudantes da Escola Agrícola Jundiaí, localizado em Macaíba, marcam presença na Festa do Boi – aberta oficialmente hoje, 12, no Parque de Exposições em Parnamirim. Com um estande no prédio da Anorc, os alunos dos cursos de zootecnia e aquicultura, apresentam para o público dois projetos de baixo custo de recirculação de água para criação de peixes de corte e ornamentais.
O estudante do último ano do curso de zootecnia, Daniel de Anchieta, é responsável pela apresentação do projeto de recirculação de água para peixes ornamentais, com a coordenação do professor Paulo Faria. “Esse é um projeto simples, de baixo custo e com um resultado excelente para ser desenvolvido em comunidades de baixa renda no semi-árido”.

DSC 0001 400x265

Com a utilização de duas caixas d’água, sendo uma com 1.000 litros e uma com 250 litros, encanamento e bomba (também conhecida como soprador), é possível manter o cultivo dos peixes de forma apropriada e realizando a limpeza do reservatório sem muitos custos. “Nossa proposta é com este projeto aumentar o número de produtores, replicar as unidades de cultivo no semi-árido e otimizar a qualidade”, disse.

Os produtores interessados em saber um pouco mais sobre esses projetos de baixo custo podem ter consultoria gratuita na
própria Escola Agrícola Jundiaí. “Nós explicamos tudo como montar a estrutura para a recirculação, inclusive com os cálculos sobre os tamanhos de reservatórios e a quantidade de peixes”.

DSC 0047 400x265

Fotos : Tião Pereira/ Gira Parnamirim

A empresa de telefonia TIM foi condenada a pagar uma indenização de R$ 5 milhões por “danos sociais”, por suspeita de derrubar de propósito ligações de clientes de um plano pré-pago. O valor será dividido entre a Santa Casa e o Hospital do Câncer do município de Jales, no interior paulista.

A companhia também terá de indenizar uma consumidora em R$ 6 mil por danos morais. A decisão foi do juiz Fernando Antonio de Lima, do Juizado Especial Cível e Criminal de Jales.

A TIM informa que vai ingressar com recurso contra a decisão e diz que “não está previsto no ordenamento jurídico brasileiro o pagamento de danos sociais”.

Ligações de plano pré-pago sofriam quedas
A consumidora que entrou com ação contra a TIM em Jales tinha contratado o plano pré-pago Infinity, que oferecia ligações para outros números da mesma operadora a R$ 0,25. Ou seja: a cobrança era feita por ligação, não por minuto de chamada.

Segundo a cliente, no entanto, as ligações sofriam interrupções constantes, o que a obrigava a fazer novas chamadas e pagar novamente a tarifa. Isso não acontecia quando as chamadas eram feitas para outras operadoras (nesse caso, a cobrança era por minuto).

O juiz considerou que a consumidora tem direito a indenização de R$ 6 mil. Além disso, concluiu que a conduta da empresa provocou um dano coletivo.

Por isso, a TIM também foi condenada a pagar uma reparação por dano social no valor de R$ 5 milhões. Esse valor deverá ser repartido entre a Santa Casa (R$ 3,5 milhões) e o Hospital do Câncer do município de Jales (R$ 1,5 milhão).

Publicidade induz consumidor a erro, diz juiz
A decisão do Juizado Especial Cível e Criminal de Jales foi tomada no último dia 10.

No texto, o juiz Fernando Antonio de Lima afirmou que “a publicidade sobre o plano é falsa, induz o consumidor a erro, omite sobre a qualidade e preço do serviço. O consumidor acaba pagando várias tarifas de R$ 0,25, quando quer entabular uma conversa. Em vez de pagar uma só tarifa, é obrigado a refazer, várias vezes, a ligação, e, assim, acaba despendendo o valor de mais de uma tarifa”.

O juiz afirmou, ainda, que os danos aos consumidores não são apenas materiais. “Quando se age sem transparência, engana-se o outro. E, quando se engana o outro, produz-se-lhe não apenas um dano material. Também um dano moral.”

Além disso, ele considerou que a prática prejudicou outros consumidores, por isso era passível de indenização por dano social. “Nestes tempos de globalização, é comum às grandes corporações econômicas repetir condutas ilícitas que alcançam grupos sociais ou mesmo toda a coletividade.”

Anatel falou sobre assunto em relatório
A questão chegou a ser tratada, no ano passado, em relatório de fiscalização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Na época, a Anatel concluiu que a TIM derrubava “de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity”.

Em maio deste ano, a TIM recebeu um parecer final da Anatel que indicava a inexistência de indícios de queda proposital das chamadas.

UOL

Ex-Prefeita Marília Dias e o Ex-presidente do TCE Valério Mesquita 

Este repórter acaba de ser informado por uma fonte de patente alta que o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Valério Mesquita, se filiou ao PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro). A fonte disse a este repórter que Valério filiou-se no intuito de somar, e não com pretensões de ser candidato a nada.  O partido deve encaminhar a lista de filiados à Justiça Eleitoral hoje (14).

Carlos Santos

A população que reside em Macaíba tem que abrir os olhos com políticos, principalmente com aqueles que estão usando  a mídia ( TV ou rádio) para aparecer e tenta convencer ao eleitorado de Macaíba que ele está atento aos fatos que ocorre na cidade e está trabalhando para mudar esse cenário de insegurança. Não é de hoje que políticos do Rio Grande do Norte tem microfone aberto dentro de alguns emissoras para falar e aparecer como defensor do povo, isso seria muito bom se não acontecesse quando falta menos de um ano para pleito eleitoral.

Em reunião que durou mais de cinco horas no Palácio da Alvorada e da qual participou a presidente Dilma Rousseff e seu núcleo político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu ontem que o PT antecipe a tática de isolar o PSB, de Eduardo Campos, nos Estados.

Lula quer evitar que petistas e outros partidos governistas se aliem ao partido de Campos, agora com seu projeto presidencial reforçado pela ex-senadora Marina Silva.

Também participaram do encontro o presidente do PT, Rui Falcão, o marqueteiro João Santana, o ex-ministro Franklin Martins e o ministro Aloizio Mercadante (Educação).

Lula acreditava que o governador de Pernambuco pudesse recuar de sua pré-candidatura ao Planalto caso não decolasse nas pesquisas. Por isso, chegou a pedir que o PT mantivesse o diálogo com ele mesmo depois que o PSB entregou os cargos no governo, no final de setembro.

Segundo interlocutores, após a filiação de Marina, o ex-presidente passou a considerar o PSB como oposição.

O ex-presidente aponta como prioridade a consolidação de alianças regionais com outros partidos da base de Dilma, como PMDB, PR e PTB.

O objetivo é montar o maior número de palanques distante do PSB e “fechar os espaços de Campos”, nas palavras de um aliado do ex-presidente.

Ao deixar o encontro, Mercadante procurou enfatizar que o governo não está preocupado com o “quadro dos outros concorrentes” e elogiou o vigor da base governista.

“Temos leque de alianças muito sólido. Mesmo com a saída do PSB, parte importante do PSB não acompanhou a saída. Uma militância representativa ficou no governo, como é o caso do governador Cid Gomes [Ceará]”, disse.

Ele reconheceu a aproximação de Campos com Marina como “novidade política”.

TRINCHEIRAS

O plano traçado com aval de Lula prevê que o PT estimule o lançamento de candidaturas próprias de partidos aliados em redutos socialistas, como o Espírito Santo.

Antes do rompimento de Campos com o governo federal, petistas pretendiam apoiar a reeleição de Renato Casagrande (PSB), indicando seu vice, com o apoio a Paulo Hartung (PMDB) para o Senado. Agora o PT já admite apoiar Hartung ao governo para isolar o PSB.

O PT também vê rompimento iminente com o PSB do Piauí, que se aproximou dos tucanos. Petistas buscarão palanque alternativo no Estado, a exemplo do que deve ocorrer em Pernambuco.

Lula defende que o PT pernambucano deixe o governo estadual e embarque na campanha do senador Armando Monteiro (PTB).

No Amapá, onde o PT também apoia um governador do PSB, o partido admite a possibilidade da manutenção da aliança, mas petistas relatam que Lula trabalha com a hipótese de convencer José Sarney (PMDB) a se candidatar ao Senado, abrindo espaço em seu palanque para Dilma.

A ameaça de afastamento pressionaria governadores pessebistas. Ao temer isolamento, Casagrande e Camilo Capiberibe, do Amapá, podem aceitar o apoio do PT e, em troca, adotar postura “neutra” na campanha nacional.

DEFESA

O PSB também traça seus cenários a partir da perspectiva de rompimento total com os petistas. Internamente, a cúpula socialista admite que o apoio do PT é importante no Espírito Santo e no Amapá.

O partido, contudo, prepara palanques opcionais onde for necessário. No Acre, Estado de Marina, o vice-governador César Messias (PSB) pode ser candidato ao governo caso a sigla se distancie do PT.

REFORMA

Na reunião de ontem, reconheceu-se que ainda não foi possível fazer a reforma política que o Planalto havia proposto, com plebiscito.

O governo ficou satisfeito em ter aprovado projeto que inibe a criação de partidos. “Não tivemos a reforma política, mas o Congresso votou mudança na criação de partidos. Nós temos tido pulverização de partidos, uma fragmentação, partidos só de deputados”, disse Mercadante.

Autor: Marina Dias, Bruno Boghossian e Tai Nalon | Fonte: Folha de São Paulo

Na noite deste sábado (12), o encontro realizado pelo grupo Baobarte, 1º Encontro de Graffiti de Macaíba/RN realizado nos dias 12 e 13 de Outubro, que reúne grafiteiros de outros estados e artistas da cidade, tiveram muitos problemas em seu primeiro dia, um dos organizadores do evento , o jovem Leandro Estevam, informou ao Janela da C.M. que foram esquecidos pela prefeitura, secretaria de cultura e alguns vereadores que prometeram apoio.  Um ofício foi feito para o vereador Gerson, o mesmo recebeu e disse que iria ajudar, dois dias depois não ligou nem deu satisfação aos organizadores do evento, os jovens estavam contando com o apoio para comprar as tintas que seriam usadas na grafitagem.

O organizador Kefren comentou que foram feitos pedidos de Som, Iluminação, Alimentação, tendas e Palco. Nenhum desses itens foram disponibilizados para os mesmos. O som que foi mandado pela prefeitura foram somente duas caixas de som e um microfone, a tenda que estava no local foi alugada pelo organizador.

Um dos cantores que iriam se apresentar relatou que e impossível se apresentar somente com duas caixas e um microfone, isso foi um total desrespeito com os artistas da cidade. A única atração deste sábado foi o Dj Tapuia que se virou nos trintas com sua criatividade e conseguiu salvar o dia junto com os grafiteiros que deixaram o muro da balustrada muito bonito.

Fica o alerta a população de Macaíba, a forma como são tratados os artistas e produtores por parte da secretaria de cultura.

Por Maxson Savelle

Tecnólogo em Produção Cultural

Ficheiro:African.field.cricket.arp.jpg

Os grilos já tomou de conta da cidade, todas as noites estes insetos aparecem nas casas para não deixar os moradores de Macaíba  dormir, com seus  cantos. veja as carateristas dos grilos.

Somente os grilos machos produzem sons e o fazem para atrair as fêmeas para a reprodução. Para tanto, os machos possuem uma série de pelos nas bordas de suas asas, alinhados como pentes, e produzem os sons roçando uma asa contra a outra.
Assim cada espécie produz um canto peculiar que varia com a época do ano, e que é mais intenso para atrair a fêmea e mais suave quando ela já está presente e se inicia a fase do cortejo.
A fêmea possui um longo órgão ovopositor característico. Estes insetos são onívoros terrestres e noturnos. Cavam no solo orifícios com até meio metro de profundidade que terminam numa habitação circular. A entrada da toca é mantida sempre limpa porque aí se constitui a zona de canto do macho.
Existem cerca de 900 espécies de grilos ao redor do mundo e muitas vezes estes são confundidos com os gafanhotos, dos quais são bem diferentes, embora aparentados. Os grilos têm a anatomia parecida com a do escorpião.
O canto do grilo, serve para atrair a fêmea para que tais copulem.
Sua principal alimentação é de folhas.

Foto: Por favor, compartilhem!
Desaparecida a 96 horas ou seja 4 dias, quem tiver informações por favor avisar, ela trabalha na Farmácia universitária (UNP-SALGADO FILHO)
O nome dela é: Renata Miguel 
Galera, vamos continuar a orar, tds pedindo a Deus q proteja a nossa Amiga..
e quem tiver alguma infor nos avise, por favor...

Por favor, compartilhem!
Desaparecida a 96 horas ou seja 4 dias, quem tiver informações por favor avisar, ela trabalha na Farmácia universitária (UNP-SALGADO FILHO)
O nome dela é: Renata Miguel
Galera, vamos continuar a orar, todos pedindo a Deus que proteja a nossa Amiga
e quem tiver alguma informação nos avise, por favor.

Pesquisa Data folha realizada nesta sexta (11) mostra que a presidente Dilma Rousseff seria reeleita no primeiro turno se disputasse a eleição contra os dois candidatos mais prováveis do PSDB e do PSB, o tucano Aécio Neves e o socialista Eduardo Campos.
Nessa simulação, Dilma tem 42% das intenções de voto; Aécio, 21%; Campos,15%. Brancos, nulos ou nenhum somam 16%. Outros 7% não sabem em quem votar.
O instituto testou quatro cenários para a eleição presidencial de 2014, alternando os nomes de Campos e Marina Silva, pelo PSB, e os de Aécio e José Serra, pelo PSDB.
Editoria de Arte/Folhapress
Nas outras três combinações, Dilma não teria uma quantidade suficiente de votos para garantir vitória no primeiro turno.
No simulação em que a disputa aparece mais apertada, a petista alcança 37% das intenções de voto, Marina marca 28%, Serra alcança 20%.
Trata-se, porém, justamente do cenário mais improvável da eleição, já que os principais líderes do PSB e do PSDB trabalham pelas candidaturas de seus presidentes nacionais, Campos e Aécio.
Nesta rodada, o Datafolha fez 2.517 entrevistas em 154 municípios, o que resulta numa margem de erro de 2 pontos para mais ou para menos.
As simulações do atual levantamento não podem ser diretamente comparadas com as de pesquisas anteriores do instituto porque não há coincidência de cenários.
No quadro que era tido como o mais provável da pesquisa anterior, no início de agosto, Dilma tinha 35%; Marina marcava 26%; Aécio alcançava 13%; Campos, 8%.
Marina filiou-se ao PSB. Com isso, não há mais como ela e Eduardo Campos disputarem o mesmo cargo.
Os números de ontem sugerem que o espólio eleitoral de Marina foi dividido de forma quase idêntica entre Dilma, Aécio e Campos. A petista teria herdado 7 pontos; o tucano, 8; o socialista agora apoiado por Marina, 7.
O levantamento de ontem também confirma que Marina seria a adversária mais competitiva da presidente Dilma Rousseff em 2014. Ela atinge 29% em seu melhor cenário, quase o dobro da melhor situação de Campos.
Dilma vence em todas as simulações de segundo turno. Contra Marina, ganha por 47% a 41%. Contra Serra, por 51% a 33%. Contra Aécio, 54% a 31%. Contra Campos, 54% a 28%.
Folha de SP

Eu moro em Macaíba há 49 anos e nunca vi na minha vida uma cidade onde o prefeito não mora aqui e vem para uma audiência pública falar de calçamento justificando a violência vivida no dia a dia do nosso povo.

O que o prefeito esqueceu é que em Macaíba apenas a repressão não resolve os problemas do nosso município. A segurança pública passa pela falta de políticas públicas, onde a educação de qualidade faz parte do conjunto dessas políticas públicas, que, por exemplo: o são joão, o carnaval de rua, os festivais de teatro, as colônias de férias e as gincanas estudantis. Tudo isso faz parte de conjunto de medidas como também o programa de primeiro emprego que não existe em nossa cidade.

Desses 78 homicídios em Macaíba, 90 por cento é de jovens que não frequentou o primeiro emprego. Então tá na hora de Macaíba parar e fazer uma reflexão, que em uma cidade, todos nós precisamos ser bem tratados pelo Poder Público e pela Câmara de vereadores.

Espero que nossa Macaíba tenha dias melhores!

Por Nerivaldo Monteiro

Grupo politico tenta tirar das mãos da Ex-prefeita Marília Dias o comando do diretório bacurau de Macaíba, mais parece que não vão conseguir, pois o apoio de Marília é fundamental no cenário politico em Macaíba. Em 2010  Marília apoio Ezequiel Ferreira que teve a maioria dos votos para deputado estadual em Macaíba, só que o apoio ao deputado Ezequiel não vai voltar acontecer em 2014, pois no ano passado o deputado seguiu o diretório do PTB municipal e teve que fica no lado  opositor a Marília, tudo caminha para que a Ex-Prefeita faça  campanha para o filho de Garibaldi Alves, o deputado estadual Walter Alves que lhe apoiou em 2012.

Do Valor Econômico

Vaiada pelo público do Estádio Nacional de Brasília minutos antes da estreia da Seleção Brasileira na Copa das Confederações, em junho, a presidente Dilma Rousseff consolou, na quarta-feira da semana passada, a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), que mal pôde discursar durante a inauguração de uma escola técnica, por conta das vaias. “Fique tranquila, essas coisas são assim mesmo”, disse a presidente.

Mas não foi apenas com palavras que Dilma conquistou a simpatia da governadora do único Estado comandado pelo DEM. Bem recebida em Brasília, Rosalba tem conseguido atrair recursos federais para obras e elogia com entusiasmo a presidente petista. Nesse ínterim, a governadora caminha para apoiar a reeleição de Dilma em 2014, apesar de pertencer a um dos principais partidos de oposição ao governo federal.

O aceno à presidente acontece em um momento delicado da administração Rosalba. Nos últimos meses, ela teve que enfrentar greves e atrasos nos salários de servidores, manifestações em frente à sua casa, e debandada de partidos aliados, caso do PMDB, comandado localmente pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e pelo ministro da Previdência, Garibaldi Alves.

Em sua defesa, a governadora diz que teve que tomar medidas impopulares para colocar em ordem finanças estaduais. Prova disso, ela argumenta, é o empréstimo de R$ 540 milhões assinado na sexta-feira da semana passada com o Banco Mundial. Trata-se da maior operação já feita por um governo potiguar, uma prova, segundo Rosalba, de que o fôlego financeiro do Estado foi recuperado.

Ainda assim, a governadora vem perdendo apoio político e diz estar muito decepcionada com os que lhe viram as costas no momento de dificuldade. A falta de apoio compromete sensivelmente sua reeleição, ao ponto de a própria governadora ainda não confirmar oficialmente se será candidata. O aceno à Dilma tem irritado os caciques do DEM, o que levantou suspeitas de que a governadora trocaria de partido.

Em entrevista ao Valor, ela contou que foi convidada pelo governador do Ceará, Cid Gomes, a ingressar no recém-criado Partido Republicano da Ordem Social (Pros), mas disse que ficará no DEM até o dia em que se tornar um problema para o partido. A seguir, os principais trechos da entrevista.

Valor: Em meio às vaias, a senhora tentava dizer que o tempo é senhor da razão. O que queria dizer?

Rosalba Ciarlini: Na realidade, quando assumi o governo, encontrei a casa arrasada. Um governo desacreditado, com débitos demais. Só com fornecedores, devia mais de R$ 850 milhões, o que é muito para o Rio Grande do Norte. Também encontrei planos de carreira aprovados sem previsão orçamentária. Tive que tomar medidas dolorosas, que contrariaram interesses, sobretudo políticos. A gente deu um freio muito grande para arrumar a casa, modernizamos a tributação, mas não foi suficiente.

Valor: As dificuldades financeiras estão na origem das dificuldades políticas?

Rosalba: Na hora em que você diz muito ‘não’, deixa de ser bonzinho, de atender pedidos de políticos gratificar A ou B, você desagrada.

Valor: Quais os principais ajustes realizados?

Rosalba: Estamos, segundo o Ministério da Fazenda, entre os melhores ajustes fiscais do país, o que nos deu condições para recuperar a capacidade de pagamento e de endividamento. Tanto que pudemos começar programas fundamentais, como um de universalização do saneamento. Consegui esses recursos pelo PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] e outros financiamentos que foram possíveis. Estamos agora com R$ 540 milhões do Banco Mundial.

Valor: Mas os policiais civis estão em greve e os salários de servidores, atrasados.

Rosalba: Desde o semestre passado está havendo frustração de receitas do FPE [Fundo de Participação dos Estados], e isso desorganizou minha expectativa. Apesar do crescimento do ICMS, não foi possível suprir a queda do FPE. O próprio ICMS está crescendo menos, reflexo da seca, que mexe com toda a cadeia econômica. Agosto já veio com a queda grande e em setembro deu para pagar 93% [do total de servidores]. Dos 104 mil servidores, 6,6 mil vão receber até o dia 10. Pedi o sacrifício porque não dava pra tirar de outra fonte.

Valor: E os policiais?

Rosalba: A greve deles não é por salário. Eles querem que a gente chame os 300 aprovados no concurso e estamos chamando de acordo com a necessidade. Mas já estamos no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Eles também cobram a retirada dos presos da delegacia, o que já estamos fazendo desde antes da greve. Também querem plano de saúde, mas não posso dar se não for para todos os servidores.

Valor: Então, o que explica as vaias?

Rosalba: É bom estar na democracia para isso poder acontecer. Mas, infelizmente, sabemos que existem aqueles que reclamam se eu andar no carro com a presidente. Há uma deputada do PT, por exemplo, que ficou indignada.

Valor: O governo federal tem liberado recursos. Isso lhe aproximou da presidente?

Rosalba: Logo que a presidente assumiu, ela disse: “Tragam bons projetos.” Passei um ano na luta para fazer projetos. Tivemos que montar uma equipe para isso. A presidente não tem a mínima discriminação por eu ser de um partido que não a apoiou. Uma identidade surgiu entre a gente.

Valor: Mas a senhora pretende apoiá-la em 2014.

Rosalba: Estou passando por tanta dificuldade que resolvi só falar de política em 2014. Agora, eu sou muito independente nas minhas escolhas. Respeito a posição do partido, mas as minhas decisões pessoais são minhas.

Valor: A senhora permanece no DEM?

Rosalba: Não tenho tido tempo de pensar nessa questão. Mas não estou pensando em sair.

Valor: Qual a sua avaliação sobre a situação atual do Democratas?

Rosalba: Temos duas capitais: Salvador e Aracaju. Tínhamos dois governadores, mas o Raimundo [Colombo, de Santa Catarina] saiu e o grupo do [Jorge] Bornhausen está saindo, então fiquei só. Por ser de oposição, o partido tem tido baixas, mas teve lutas decisivas na história, na redemocratização.

Valor: Mas o DEM reúne condições de seguir competitivo?

Rosalba: Tem condição e vai continuar. O Brasil é imenso, não se pode confundir as questões locais. Não é que o partido muda a ideologia, mas a questão local é muito forte.

Valor: Como estão as condições políticas para sua reeleição?

Rosalba: O PMDB disse que a saída da base foi uma decisão política, não administrativa. Não haverá retaliação na Assembleia Legislativa. É importante unir a bancada em favor do Rio Grande do Norte e que cada um cuide das questões eleitorais no momento adequado. Ser ou não ser candidata será avaliado no momento certo. Pode ficar certo de que meu objetivo maior é mostrar o trabalho.

Valor: A senhora não diz que é candidata à reeleição?

Rosalba: Nem que não sou.

Valor: O próprio vice-governador do Estado, Robinson Faria (PSD), é candidato à sua cadeira. Como se deu esse rompimento?

Rosalba: Logo no começo do governo, ele mudou para o PSD e começou a se lançar candidato. Eu disse que não podia, e isso foi nos afastando.

Valor: A senhora convive no Nordeste com o governador Eduardo Campos. Como avalia a postulação dele à Presidência?

Rosalba: É uma novidade. Sou adversária do PSB aqui, mas acho que ele fez um estrago [na base do governo federal]. Quem imaginaria que isso ia acontecer. Uma pessoa com espaço tão privilegiado… Acompanhei a primeira eleição dele ao governo, quando era apenas mais um. Ele tem carisma, ele é bom de debate. Mas claro que Dilma é forte, é fortíssima.

Valor: E quanto ao senador Aécio Neves?

Rosalba: Conheço melhor o Eduardo. Aécio deve capitalizar Minas, Goiás… O Sul e o Centro-Oeste… Vai ser uma eleição equilibrada.

Valor: O senador José Agripino (presidente nacional do DEM) não tem demonstrado entusiasmo em apoiá-la.

Rosalba: Minha relação com Agripino sempre foi franca e aberta. Quando eu construí minha candidatura ao governo, ele não veio comigo fazer a construção. Eleição você vai ter o momento da definição. Vou sair daqui, como tudo que fiz na vida, de cabeça erguida e mãos limpas. Na hora que ele não me quiser, vou tomar meu rumo. Durante a história da minha presença no Democratas – a não ser que agora seja diferente -, o partido não me deixou. E sei que o partido cresceu muito em função da minha presença. Sou a única governadora, fui a primeira senadora do Rio Grande do Norte.

Valor: O governador Cid Gomes convidou a senhora a se filiar ao Pros?

Rosalba: Foi uma ligação rápida, eu estava em Mossoró. Ele ligou dizendo que estava tomando essa decisão e perguntou do meu interesse.

Valor: E o que a senhora respondeu?
Rosalba: Que se eu tivesse interesse, a gente conversaria.

De um lado Fernando e Rosalba que podem reafirmar a aliança em 2014 caso a governadora saia candidata a reeleição, mais nem tudo são flores, o prefeito em seu inicio de seu terceiro mandato vem sofrendo desgaste por não está  cumprindo com suas promessas de campanha e por não ter colocado seus apoiadores dentro da prefeitura, já a governadora tem um desgaste ainda maior, pois é o terceiro ano de gestão e as crises dentro de vários setores públicos em plicam na grande reprovação de seu governo. Hoje o deputado Ezequiel Ferreira é filiado ao PMDB.

Aqui a situação também não é boa, Marília ex prefeita da cidade de Macaíba, que depois de ter perdido a campanha acuminou deixando o município de Macaíba no deus dará, e isso fez com que ela saísse  pior do que estava, pois a população não gostou do jeito que ela começou a tratar a cidade de uma forma vingativa por ter perdido a eleição, o vice governador Robinson não está encontrando um caminho que lhe dê a certeza que ele será o candidato da oposição.