Descrição do autor

Administrador

Posted by REDE Sustentabilidade on Sunday, July 16, 2017

Nomeação foi publicada nesta semana no Diário Oficial do Município de Natal — Foto: Reprodução/DOM

G1 RN – A Prefeitura de Natal tornou sem efeito a nomeação de Abdon Augusto Maynard Júnior para o cargo de chefe da assessoria técnica da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov). A decisão foi informada no início da tarde desta sexta-feira (16), logo após o G1 noticiar que Abdon tem problemas com a Justiça.

Nota

Sobre a nomeação do sr. Abdon Augusto Maynard para exercer uma função na Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov), o Município esclarece que a medida atendeu a critérios eminentemente técnicos, tendo em vista a formação dele na área de Engenharia. Porém, em função da situação jurídica exposta, a Administração informa que vai tornar sem efeito o ato de nomeação, até que o caso seja melhor esclarecido.

A Administração ressalta ainda que esta decisão não implica, de sua parte, em qualquer julgamento prévio do Sr. Abdon Augusto Maynard, que está tratando do assunto no âmbito do Judiciário e que, nesta esfera, terá totais condições de, apresentando sua defesa, esclarecer a questão.

Por fim, é preciso enfatizar que o processo em que o engenheiro se insere não possui nenhuma relação com a gestão do Município do Natal.

Uma moradora do Loteamento Esperança entrou em contato conosco para informar que fazem 8 dias que não chega  água nas residências dessa comunidade em Macaíba. A moradora informou que a Caern está sabendo da situação, mas até agora nada foi feito para resolver o problema.

Vale lembrar que no loteamento Esperança está instalada uma das caixas d’água da empresa.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e terno

Divulgação/Randolfe Rodrigues

Após o término das eleições deste ano, o senador reeleito Randolfe Rodrigues (Rede/AP) e o senador eleito Cid Gomes (PDT/CE) estiveram reunidos em Brasília para discutir a formação da nova oposição a partir de 2019. Os parlamentes buscam formar uma bancada com PDT, Rede, PSB, PPS e outros partidos, mas não pretendem ter dentro desse grupo o PT.

 

Nesta última terça-feira (13), a Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte registrou a captura de dois condenados da Justiça nos Municípios de Macaíba e Extremoz.

Por volta das 11 horas, os militares do 11º BPM durante o patrulhamento no Centro de Macaíba suspeitaram de Josiel Rocha, 21 anos. Ao realizarem a consulta no Banco Nacional de Mandados de Prisão, foi verificado um mandado de prisão em desfavor do mesmo.

Já em Extremoz, por volta das 14 horas, mais uma vez policiais do 11° BPM capturaram um foragido da Justiça. Francisco Carlos, 33 anos, foi capturado por constar um mandado de prisão em seu desfavor por descumprir livramento condicional.

Os foragidos capturados foram reconduzidos ao sistema prisional do Estado para o cumprimento de suas respectivas penas privativas de liberdade.

Informações da Polícia Militar 

Os governadores eleitos e reeleitos no Nordeste fizeram o correto ao mandarem um representante ao encontro de governadores promovido pelo governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), com o presidente eleito Bolsonaro. Os governadores do Nordeste decidiram em conjunto que todos irão se encontrar com o presidente eleito Bolsonaro (PSL) na próxima semana, onde irão tratar dos interesses da região.

Alguns veículos da imprensa tentaram passar que a decisão do bloco seria uma  forma de confrontar o presidente eleito, mas quem acompanha o cenário político nacional sabe que isso já foi feito com a ex-presidente Dilma e também com o presidente Michel Temer.

Agência Brasil – Secretários municipais de Saúde e prefeitos reagiram ontem (14) à interrupção da cooperação técnica entre a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o governo de Cuba, que possibilitava o trabalho de cerca de 8,5 mil profissionais cubanos no programa Mais Médicos. Em nota conjunta, o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) apelam para a manutenção dos profissionais cubanos no Brasil sob risco de faltar atendimento à população.

Segundo as entidades, com a decisão do Ministério da Saúde de Cuba de rescindir a parceria, mais de 29 milhões de brasileiros poderão ficar desassistidos da atenção básica de saúde. Eles pediram que o presidente eleito Jair Bolsonaro reveja a decisão de aplicar novas exigências para a permanência dos cubanos no país.

“As entidades pedem a revisão do posicionamento do novo Governo, que sinalizou mudanças drásticas nas regras do programa, o que foi determinante para a decisão do governo de Cuba. Em caráter emergencial, sugerem a manutenção das condições atuais de contratação, repactuadas em 2016, pelo governo Michel Temer, e confirmadas pelo Supremo Tribunal Federal, em 2017”, diz a nota.

Cubanos

Os profissionais de nacionalidade cubana representam, atualmente, mais da metade dos médicos do programa, o que poderá acarretar em “um cenário desastroso” para pelo menos 3.243 municípios. “Dos 5.570 municípios do país, 3.228 (79,5%) só têm médico pelo programa e 90% dos atendimentos da população indígena são feitos por profissionais de Cuba”, informa a nota.

O Conasems e a FNP lembram ainda que o Mais Médicos é amplamente aprovado pelos usuários, com 85% de satisfação em relação à melhoria na assistência em saúde após a implantação do programa.

“Cabe destacar que o programa é uma conquista dos municípios brasileiros em resposta à campanha ‘Cadê o Médico?’, liderada pela FNP, em 2013. Na ocasião, prefeitas e prefeitos evidenciaram a dificuldade de contratar e fixar profissionais no interior do país e na periferia das grandes cidades”, afirmam prefeitos e secretários de saúde na nota.

Segundo as entidades, a cooperação com o governo de Cuba impactará negativamente no sistema de saúde, aumentando as demandas por atendimentos nas redes de média e alta complexidade, além de agravar as desigualdades regionais, já que a maioria dos médicos está espalhada no interior das regiões Norte e Nordeste.

“O cancelamento abrupto dos contratos em vigor representará perda cruel para toda a população, especialmente para os mais pobres. Não podemos abrir mão do princípio constitucional da universalização do direito à saúde, nem compactuar com esse retrocesso”, encerra a nota.

O presidente eleito afirmou mais cedo que pretende manter o programa, mas substituir os mais 8 mil profissionais cubanos por brasileiros ou estrangeiros de outros países. Ele afirmou que os cubanos que quiserem atuar no país devem revalidar os diplomas e se adequarem a novas regras.

Abertura de 10 mil vagas

À Agência Brasil, o presidente do Conasems, Mauro Junqueira, afirmou que pediu ao ministro da Saúde, Gilberto Occhi, que o próximo edital de reposição de vagas no Mais Médicos, que previa a contratação de 1,6 mil profissionais, seja ampliado para 10 mil vagas, a fim de minimizar o impacto da saída dos cubanos. O edital poderá sair já na semana que vem.

“Minha impressão é de que os médicos cubanos devem ir embora até o fim de dezembro. Temos que ter agilidade do ministério de fazer esse chamamento”, afirmou Mauro Junqueira.

O presidente do Conasems lembra que os atuais editais do programa priorizam médicos brasileiros formados no país, seguido de médicos brasileiros formado no exterior, estrangeiros e só em último lugar a contratação de cubanos. Mesmo assim, uma demanda emergencial de tantos profissionais pode dificultar a reposição das vagas.

“A partir de segunda, vamos ter 10 mil vagas. Será que vamos ter 10 mil médicos para colocar no lugar?”, questionou.

José Aldenir / Agora RN

A saída de Cuba do programa Mais Médicos do Brasil, anunciada nesta quarta-feira pelo governo do país caribenho, deixará 67 municípios do Rio Grande do Norte desassistidos, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

O Rio Grande do Norte tem, atualmente, 142 médicos cubanos distribuídos em 101 dos 167 municípios. Segundo a coordenadora da Comissão do Mais Médicos no Estado, Ivana Maria Queiroz, a saída dos profissionais caribenhos elevará de forma significativa o déficit de médicos existente.

As cidades mais afastadas da capital, Natal, devem sofrer as maiores consequências. Ivana Queiroz assinala que o Estado tem dificuldade de contratar médicos, sobretudo para atuar em localidades distantes.

Os municípios de maior porte também enfrentam problemas para fixar esses profissionais da saúde, já que a maioria opta em diluir a carga horária em regime de plantões nos serviços de urgência e emergência ou que não exijam o cumprimento de 40 horas semanais.

“Com a saída dos médicos cubanos, a Sesap vai se articular com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN para discutir que estratégias serão criadas para cobrir esses vazios, justamente agora em que o Estado começa a entrar no período de mudanças climáticas, colocando os municípios potiguares em risco sanitário, diante do surgimento de doenças sazonais como dengue, gripe e outras que fragilizam a saúde das pessoas”, afirma a coordenadora potiguar do Mais Médicos.

Informações do Agora RN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), torna público o Processo Seletivo Complementar para formação de turmas de alunos para os cursos Técnicos em Agroindústria e Agropecuária na modalidade Subsequente, de acordo com as condições definidas no Edital N° 07/2018.

 

EAJ/UFRN

Uma estrutura inovadora com estética contemporânea, assim é a Gridshell Dunas, uma construção desenvolvida no Laboratório de Estudos da Madeira (LABEM) da Universidade Federal do RIo Grande do Norte (UFRN) que utiliza a madeira pinus e parafusos rosqueados em seu método construtivo. Gridshell Dunas é considerada a primeira iniciativa do modelo para pesquisa no Nordeste brasileiro.

 Desenvolvida no âmbito de mestrado da aluna Isabela Souza, junto ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil com foco em Materiais e Processos Construtivos, o projeto tem orientação da professora Edna Moura Pinto e co-orientação do professor Alfredo Manuel Dias (Universidade de Coimbra/Portugal).

 Montada no estacionamento do Núcleo Tecnológico da UFRN, ao lado do LABEM, a Gridshell Dunas segue o modelo de casca reticulada, comumente utilizada na Itália e na Espanha. “Essas estruturas podem ser projetadas em diferentes materiais, e aqui escolhemos a madeira. As principais características do método dizem respeito a ausência de necessidade do uso de pilares intermediários e o baixo consumo de material em relação a superfície de cobertura da estrutura. Por esse motivo o método se adequa satisfatoriamente a construção de ambientes de convivência, por exemplo, como pavilhões de feiras”, explica a professora Edna Moura Pinto.

 “A materialização dessa pesquisa envolveu o apoio de diferentes agentes e a participação dos alunos da pós graduação da Engenharia civil, graduação em Arquitetura, o Centro de Tecnologia, Superintendência de Infraestrutura, Laboratório de Estudos da Madeira/ UFRN, a Escola Agrícola de Jundiaí, bem como o envolvimento da iniciativa privada e terceiro setor, parceiros tais como o Estúdio Oito Engenharia e o Instituto de Inovação e Sustentabilidade”, comenta a mestranda Isabela Souza.

 A Gridshell Dunas vem sendo planejada desde 2017. Foram feitas pesquisas, desenvolvimento de estrutura virtual em autocad e maquete até chegar à etapa de construção da grid, que cobre uma área de 20 metros quadrados.

 Em fala, o Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Fagner Alexandre Nunes de França, destaca o quanto o trabalho desenvolvido representa inovação. “É muito pertinente e interessante o trabalho desenvolvido com a Dunas Shell no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil. É algo que não se tem em

Natal, que poderia ser muito bem aplicada em restaurantes da cidade sem muito custo para o investidor”.

 Para o Prof. João Inácio da Silva Filho, vice-diretor interino da Escola Agrícola de Jundiaí, colaborar com o projeto é motivo de muita felicidade. É muito bom ver a universidade desenvolvendo projetos inovadores para o estado unindo o terceiro setor e a academia. Temos vários departamentos unidos no desenvolvimento deste projeto que é o primeiro do nordeste. Esta inovação deve ser valorizada e incentivada para sua ampliação”, aponta o Prof. João Inácio da Silva Filho.

 Em nova etapa do projeto, a estrutura montada na UFRN receberá uma fundação com eucalipto para ser estruturada uma área de convivência que vai contar com jardineiras. Será uma área de convivência e visitação para outras universidades que tenham interesse em pesquisar o método.

Circula pelos grupos de whatsap que a governadora eleita Fátima Bezerra (PT) tenha escolhido o especialista em segurança pública Ivenio Hermes para ser secretário de Segurança Pública, a informação não procede. Pois até este momento  Fátima Bezerra apenas escolheu nomes para equipe de transição e nenhum nome para o secretariado foi escolhido.

 

 

Agência Brasil – O governo de Cuba informou hoje (14) que deixará de fazer parte do programa Mais Médicos. A justificativa do Ministério da Saúde cubano é que as exigências feitas pelo governo eleito são “inaceitáveis” e “violam” acordos anteriores. O presidente eleito Jair Bolsonaro disse, na sua conta do Twitter, que a permanência dos cubanos está condicionada à realização do Revalida pelos profissionais, que é o exame aplicado aos médicos que se formam no exterior e querem atuar no Brasil.

“Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou”, disse o presidente eleito, na rede social. “Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos”, publicou mais tarde.

Para as autoridades cubanas, o governo eleito questiona a preparação dos médicos ao exigir que eles se submetam à revalidação do título para serem contratados. Em documento enviado pelo Ministério da Saúde de Cuba, as autoridades cubanas ressaltam que o acordo do Mais Médicos foi ratificado em 2016. No comunicado, afirmam que questionar a capacidade dos profissionais do país é indigno. “Não é aceitável questionar a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos.”

No período eleitoral, Bolsonaro disse que pretendia manter o programa, mas sem viés ideológico e comprovando capacidade técnica para o trabalho a ser desempenhado. Segundo ele, o conceito do programa social vai além da questão de saúde.

Histórico

O programa foi criado em 2013, na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, para levar médicos a regiões distantes e periferias do país. A vinda dos médicos cubanos foi acertada por meio de convênio firmado entre os governos brasileiro e de Cuba, por meio da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), e que dispensava a validação do diploma dos profissionais. Na ocasião, o acordo foi questionado por entidades médicas brasileiras.

Em abril deste ano, o Ministério da Saúde confirmou a suspensão do envio de 710 profissionais cubanos ao Brasil para trabalhar no programa Mais Médicos. Na ocasião, o então ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse que a iniciativa não prejudicaria o país. Segundo Barros, o governo cubano tinha a previsão de reduzir de 11,4 mil para 7,4 mil médicos de Cuba no período de três anos. De acordo com ele, as substituições serão feitas por médicos brasileiros que estão no cadastro anterior. Anteriormente, a previsão era de o Brasil receber de 3 mil a 4 mil profissionais cubanos este ano.

Atualmente, conforme dados do ministério, o programa tem 18.240 médicos trabalhando em 4.058 municípios e 34 distritos sanitários especiais indígenas.

À Agência Brasil, a Opas informou apenas que encaminhou o comunicado do governo cubano ao Ministério da Saúde do Brasil.

Países

O Ministério da Saúde de Cuba informou que há médicos cubanos em atuação em 67 países. Em 55 anos, o órgão destacou foram 600 mil missões internacionais, em 64 países, envolvendo mais de 400 mil profissionais de saúde cubanos.

O órgão informou que os profissionais da área trabalharam no combate ao ebola na África, à cólera no Haiti e em missões de desastres e epidemias no Paquistão,na Indonésia, no México, Equador, Peru, Chile e na Venezuela.

NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Os governadores eleitos e reeleitos do Nordeste decidiram, em fórum próprio, que o governador do Piauí, Wellington Dias, representará os estados da região durante a reunião que ocorrerá nesta quarta-feira (13) com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, e o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes. O chefe do executivo piauiense solicitará, na ocasião, uma nova audiência para que os representantes dos estados nordestinos possam tratar e apresentar as demandas e defender os interesses da região.

A governadora eleita do Rio Grande do Norte, senadora Fátima Bezerra, participará na próxima semana do Fórum dos Governadores eleitos e reeleitos do Nordeste, ocasião em que se desenhará uma pauta em comum a ser apresentada ao presidente da República eleito e equipe.

Fátima Bezerra reafirma a total disposição em dialogar com o futuro Governo da República e defender, como sempre fez, os interesses do povo potiguar.

Veja nota dos governadores do NE:

Governadores do Nordeste Unidos e prontos para trabalhar pelo Brasil.

“Quando os governadores eleitos pelo DF, SP e RJ tiveram a importante iniciativa deste encontro, nós do Nordeste, conforme fazemos desde 2004, tínhamos agendado para 21/11 agenda preparatória da região e pedido agenda ao Presidente Eleito para pauta comum. Até 20/11 os governadores organizaram suas agendas de transição e missões internacionais. Por isto é que coube a mim apresentar neste encontro e ao Presidente eleito Jair Bolsonaro a memória da pauta do Fórum dos Governadores e pedido de agenda sobre Pauta, priorizando no primeiro encontro Fomento ao Crescimento Econômico para Geração de Emprego e também a prioridade para Plano Nacional de Segurança”.