Descrição do autor

Administrador

Tendo em vista a sanção e a regulamentação pelo Presidente da República da Lei 14.017, datada de 29/06/2020, nomeada de Lei Aldir Blanc, que prevê o pagamento de auxílio emergencial a artistas, produtores, técnicos e espaços culturais como forma de auxiliar um os setores mais afetados pela pandemia de COVID-19, a Prefeitura de Macaíba, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, lançou um cadastro digital para artistas, produtores culturais e afins do cenário local, sendo este o primeiro passo para a devida efetivação da Lei.

As etapas seguintes serão amplamente divulgadas para a sociedade em geral nas mídias oficiais desta Prefeitura em tempo hábil e oportuno.

O nome da lei remete ao compositor Aldir Blanc (1946-2020), falecido no mês de maio, vítima exatamente de complicações do COVID-19. Essa Lei prevê a distribuição de mais de R$ 3 bilhões por parte do Governo Federal a Estados, Municípios e ao Distrito Federal.

Vale destacar que o novo auxílio, que pode variar de R$600 reais para agentes culturais até R$10 mil para proprietários ou gestores de espaços e fundações culturais, não será concedido a quem já recebe outros benefícios (exceto Bolsa Família), ou a quem tiver recebido o Auxílio Emergencial.

Segundo o secretário Marcelo Augusto, os interessados devem acessar o site oficial da Prefeitura de Macaíba até o dia 24 de julho e preencher o formulário disponível mediante um clique no Pop-up que estará em destaque. O link para acesso é o seguinte: <https://cutt.ly/Vpa7i1l>. Para mais informações ou esclarecimentos de dúvidas, o contato telefônico é 3271-6562.

Assecom-PMM

Comunico aos leitores e amigos, que Lindoarte Lima (Diretor do Informativo Atitude) encontra-se bem. No início da manhã de ontem ele passou mal e foi para UPA de Macaíba, onde foi atendido e permaneceu em observação na sala vermelha, pois estava com arritmia cardíaca. No final da tarde foi liberado para ir a uma consulta no Hospital do Coração, onde foi encaminhado para novos exames. Na manhã de hoje realizou um Eco transesofágico, onde foi detectado um trombo. Ele se encontra bem, já iniciou o tratamento e necessita de repouso. Agradecemos a todos que se preocuparam e estão em oração por sua melhora!

Nathália Viana (Esposa de Lindoarte Lima)

Via Informativo Atitude

Instituto Agora Sei registrou pesquisa realizada entre os dias 04 e 05 deste mês em Macaíba. De acordo com dados do portal do Tribunal Superior Eleitoral, o instituto foi contratado pelo Blog Senadinho Macaíba. A pesquisa irá trazer o cenário sobre a disputa a Prefeitura de Macaíba e ao legislativo.

A pesquisa de acordo com o portal do TSE foi registrada nesta quinta (09) e será divulgada dia 15/07.

Nesta semana, mais de 1 mil famílias com crianças e adolescentes inseridos nos programas Criança Feliz e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) receberam kits pedagógicos distribuídos pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas).

O objetivo da ação é educar e ocupar o tempo dos estudantes durante o período da quarentena. Os kits contém lápis de cor, giz de cera, massa de modelar, livrinhos de atividades e histórias, cola branca, borrachas, tesoura média e sem ponta, cartolinas, lapiseira, régua, entre outros materiais. Na oportunidade foram entregues também máscaras para todos os familiares.

Visando minimizar os efeitos gerados pela pandemia da Covid-19 e o isolamento social, a Prefeitura de Macaíba está realizando diversas ações para as famílias acompanhadas pelos dois CRAS e o CREAS do município e inseridas no Programa Criança Feliz e no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, que atende mais de 1 mil famílias com benefícios eventuais emergenciais.

Nos últimos meses também foram atendidas as famílias acompanhadas pela APAE, pela Fundação Lar Celeste, Casa Lar, Fundação OIKOS, povos tradicionais, famílias acompanhadas pelos serviços socioassistenciais e demandas espontâneas que chegam aos CRAS e CREAS. Destaca-se que os benefícios eventuais são solicitados por meio dos CRAS e atendem as famílias em âmbito municipal.

Com estas ações, a Prefeitura, por meio da Semtas, busca ampliar a proteção às famílias, da zona urbana e zona rural, em situação de vulnerabilidade, que foi ampliada devido à pandemia.

Assecom-PMM

Agência PRF

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu, no início da tarde desta quarta-feira (08), no km 250 da BR 304, no município de Santa Maria/RN, 200 pares de calçados com indícios de falsificação e sem documento fiscal e prendeu três homens.

A carga estava sendo transportada em um fundo falso, dentro de um caminhão-baú. O condutor de 27 anos foi preso e se recusou a informar de quem pegou e para quem entregaria a mercadoria.

Ainda foi encontrado no interior do caminhão a quantia de R$ 18.543,00 (dezoito mil, quinhentos e quarenta e três reais).

Foi constatado que um automóvel tipo Mobi fazia o serviço de “batedor” para o caminhão, sendo detidos o condutor de 27 e o passageiro de 28 anos.

O passageiro do automóvel ainda estava de posse de 10 aves abatidas da espécie “rolinha”, sendo autuado também por crime ambiental.

A ocorrência foi encaminhada para a Central de Flagrantes da Polícia Civil em Natal/RN.

O polo fabril da Penitenciária João Chaves, na Zona Norte de Natal, está em  pleno funcionamento. As internas já produziram 25 mil máscaras de tecido para prevenção do coronavírus que foram doadas à população carente e, agora, o projeto de ressocialização através do trabalho avança agora para a confecção de camisas branca e shorts azuis: o uniforme dos internos do sistema prisional do Rio Grande do Norte. Serão produzidos 5 mil kits nessa etapa. O sistema prisional também produzirá fardamento para os alunos da rede estadual de ensino.

A Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) deu início ao projeto de costura industrial na João Chaves no final do mês de abril. Vinte e cinco internas se revezam em turnos e já deram grande contribuição social com a produção das máscaras de tecido para ajudar na prevenção e combate ao novo Coronavírus (Covid-19). As máscaras foram distribuídas à população em várias regiões da Grande Natal pelo programa RN Mais Protegido. A comunidade de Hortigranjeira, em Nísia Floresta, onde estão instaladas a Penitenciária de Alcaçuz e o Presídio Rogério Coutinho Madruga, por exemplo, foi beneficiada com a entrega de 10 mil unidades no dia 18 de junho.

O titular da Seap, Pedro Florêncio Filho, explica que foram instaladas 10 máquinas industriais na João Chaves Feminina, através de parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), e que os insumos principais para a fabricação das máscaras foram doados pela indústria têxtil do RN. Já os uniformes são confeccionados com insumos adquiridos com recursos do Fundo Penitenciário Nacional, através de repasse obrigatório aos estados, e atende a decisão judicial, ainda do ano de 2016, sobre a oferta de fardamento as pessoas privadas de liberdade.

Para Pedro Florêncio, essa segunda etapa é um marco na história do sistema prisional do RN. “Avançamos muito em disponibilizar fardamento para os internos. Numa próxima etapa vamos confeccionar fardamento para as escolas estaduais”, disse.

Todo trabalho no polo fabril é acompanhado por policiais penais e tem assistência do Departamento de Promoção à Cidadania da Seap (DPC). As internas, disse o secretário, foram capacitadas no primeiro semestre em curso de costura industrial com o Senai. “É uma oportunidade que nos foi dada e estamos abraçamos com todas as forças”, disse a interna Marta Figueiredo.

As pessoas privadas da liberdade que trabalham tem o benefício de um dia de pena remido a cada três dias trabalhados, de acordo com a Lei de Execuções Penais (LEP). Participam do projeto as internas com bom compartamento e aptas ao trabalho.

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Ministério Público Federal no RN (MPF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT/RN) ingressaram com uma ação civil pública (ACP) contrária à retomada das atividades econômicas adotada pela Prefeitura do Natal no último dia 30 de junho e ampliada em 7 de julho. Na capital potiguar, já foi permitida a reabertura de vários setores não essenciais, mesmo com sistema de saúde lotado e sem perspectivas quanto ao fim da pandemia.

A ação inclui um pedido liminar e cobra que se retomem as medidas de isolamento social vigentes até 29 de junho, só devendo a prefeitura adotar o chamado Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica quando forem observados os seguintes critérios: ocupação abaixo de 70% dos leitos de UTI dedicados ao tratamento da covid e taxa de transmissibilidade (média de pessoas infectadas por quem possui o vírus) inferior a 1 e se mantendo em queda sustentada. Essa redução deve ser atestada pelos comitês da Fiocruz, Consórcio Nordeste e Mosaic UFRN.

A liminar requer a apresentação, no prazo de 24 horas, da justificativa técnica – “embasada em evidências científicas e análises sobre as informações estratégicas em saúde” – que subsidiou a decisão de retomada das atividades econômicas no último dia 30 e sua ampliação no dia 7. A cobrança, destaca o Ministério Público, leva em conta o direito da população à informação.

Testagem e horários – Outro objetivo da ACP é que a Prefeitura do Natal estabeleça um protocolo adequado de testagens, priorizando os trabalhadores da área da saúde e das atividades essenciais, além dos informais e grupos de risco, com os resultados devidamente acompanhados e publicados.

MPF, MP/RN e MPT/RN exigem ainda a adoção de normas que levem as empresas, quando da reabertura, a promoverem a chamada “busca ativa de casos”, com o afastamento das atividades daqueles empregados com suspeita ou confirmação da doença e a notificação à Vigilância Epidemiológica do Estado e da Prefeitura, para o devido monitoramento.

Por último, a ACP inclui um pedido para que, quando houver condições de retomada das atividades, sejam estipulados horários distintos, “além de outras regras para reduzir a quantidade de pessoas nos transportes coletivos, como (…) critérios de aberturas de atividades comerciais por bairros”.

Situação – As condicionantes cobradas pelo Ministério Público (situação dos leitos e taxa de transmissibilidade) integram um decreto do Governo do Estado, de 4 de junho, e não foram observadas quando da reabertura de parte do comércio da capital potiguar. Desde 30 de junho a ocupação dos leitos de UTI na Região Metropolitana se manteve acima dos 90% e a taxa próxima ou acima de 1.

Em 24 de junho, quando havia informações do possível início da reabertura, os ministérios públicos Federal, Estadual e do Trabalho expediram recomendação cobrando do Governo do Estado o respeito às condicionantes do decreto e, dos prefeitos, que não adotassem normas flexibilizando as medidas de distanciamento social.

O Governo do Estado adiou para 1º de julho o início do cronograma de reabertura das atividades econômicas, mas diante da alta ocupação dos leitos decidiu suspender a segunda etapa, prevista para 8 de julho. Já o Município de Natal, que autorizou a primeira etapa em 30 de junho, manteve a segunda, que passou a vigorar no último dia 7.

Dados – Para os representantes do Ministério Público, essa ampliação demonstra uma total “dissonância com as recomendações sanitárias e com o mundo dos fatos”. Em sua nota à população, a Prefeitura do Natal justificou a medida, entre outros pontos, com base na aprovação de um comitê científico municipal, cujos possíveis dados e detalhes sequer integram a nota.

O documento da prefeitura aponta que a taxa de isolamento social teria permanecido acima dos 50%, porém com base tão somente “no último final de semana”. Durante os dias úteis, essa taxa tem girado em torno de 40%. A nota cita ainda um protocolo preventivo de enfrentamento à covid-19 do Conselho Regional de Medicina, sendo que tal protocolo não recomenda a retomada gradual do comércio, limitando-se apenas a fornecer orientações de manejo e tratamento dos pacientes.

Questionado quanto aos dados que basearam o aval desse comitê, o Município do Natal se limitou a alegar que, por não ter participado da fixação das condicionantes, não seria obrigado a cumpri-las. “(…) tal entendimento permitiria a qualquer município desatender regulamentações provenientes do governo estadual, federal e até mesmo de organismos internacionais”, lamenta o Ministério Público.

Por outro lado, a recomendação mais recente do Comitê de Especialistas da Secretaria de Saúde do Estado (Sesap/RN), de 30 de junho, registra que a taxa de reprodução do vírus se mantinha superior a 1, com possibilidade de uma “segunda onda de casos ou uma reativação da primeira, ao se promover um relaxamento das medidas que restringem a circulação das pessoas”. A conclusão é semelhante à do comitê científico do chamado Consórcio Nordeste.

Riscos – Para o Ministério Público, a prefeitura cedeu à pressão para relaxar as ações de isolamento social – “na contramão do que recomendam os especialistas da área da saúde” -, mesmo diante dos riscos à população com a possível aceleração da curva ascendente de casos, do aumento do número de óbitos e também do fato de que o prolongamento da pandemia pode resultar em prejuízos econômicos ainda maiores.

Ao menos 270 pessoas já morreram com covid na fila de internação no Rio Grande do Norte, esperando por um leito de UTI. “Autorizar essa abertura, nesse momento, é estimular a morte, o sofrimento e o contágio da população, além de sobrecarregar os profissionais da saúde que estão dando seu suor e sua própria vida para enfrentar uma doença ainda sem cura”

Para os procuradores e promotores, “uma decisão sensata de reabertura exige a certeza quanto à estabilidade dos números relevantes para os critérios científicos indicativos, e, ainda, a previsão de um plano concreto e efetivo de testagens e medidas de vigilância epidemiológica.”

A ACP é assinada pelos procuradores da República Cibele Benevides, Caroline Maciel, Fernando Rocha, Maria Clara Lucena, Rodrigo Telles e Márcio Albuquerque; pelo procurador-geral de Justiça Eudo Rodrigues; e ainda pelo procurador Regional do Trabalho, Xisto de Medeiros Neto, e pelos procuradores do Trabalho Lilian Vilar, Luiz Fabiano Pereira e Antônio Gleydson Gadelha. Irá tramitar na 4ª Vara da Justiça Federal sob o número 0804411-96.2020.4.05.8400.

Candidatos

A eleição para presidente da Câmara Municipal de Macaíba aconteceu nesta quinta-feira (09), sem fortes emoções. O que chamou atenção foi o alto número de candidatos, ao todo seis nomes. Se candidataram Dr. Antônio, Ana Catarina, Netinho França, Ismarleide Duarte, Dadaia Ribeiro e Igor Targino.

Ao iniciar a sessão, o presidente interino vereador Dr. Antônio informou que quatro vereadores retiraram suas candidaturas, sendo eles, o próprio Dr. Antônio, Netinho França, Ana Catarina e Ismarleide Duarte. Logo em seguida o vereador Igor Targino também retirou sua candidatura, restando apenas como candidata a vereadora Dadaia Ribeiro.

VEREADORA DADAIA RIBEIRO PARTICIPA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA DO PRÓ ...

Hora do voto

Diferente da última sessão conturbada, a sessão de hoje foi tranquila. A vereadora Dadaia Ribeiro foi eleita com oito votos, dos quatorze edis presentes na sessão realizada por videoconferência.

Votaram em Dadaia 

Dadaia Ribeiro (PL)

Denilson Gadelha (Cidadania)

Igor Targino (MDB)

Socorro Nogueira (PL)

Zeca Cunha (PL)

Rita de Cássia (PL)

Silvan de Freitas (PL)

Emídio Júnior (PL)

Se abstiveram de votar

Netinho França (PSB)

Dr. Antônio (PSB)

Ismarleide Duarte (PSB)

Edma Maia (PSB)

Ana Catarina (PSDB)

Jefferson Stanley (MDB)

Ausente

Por motivo de saúde, o vereador João de Damião (PSB) não participou da sessão, pois encontra-se internado em um hospital da capital.

Composição da mesa diretora após a eleição

Presidente Dadaia

Vice-presidente  Dr. Antônio

Primeira-secretária Socorro Nogueira

Segundo-secretário João de Damião

Mediante o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), equipes dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de Macaíba estão distribuindo cestas básicas para famílias carentes nas comunidades urbanas e rurais, assim como nos assentamentos.

Podem participar do PAIF famílias em situação de vulnerabilidade social, que estão sendo beneficiadas nesta importante ação da gestão municipal em proporcionar um subsídio para essa população carente diante da grave crise sanitária e econômica ocasionada pela pandemia de COVID-19.

Nesta semana, a distribuição ocorre na comunidade quilombola de Capoeiras, distante há aproximadamente 35km do centro da cidade.

Além de Capoeiras, Cajazeiras, As Marias, Mangabeira, Morada da Fé e Campo das Mangueiras são exemplos de localidades que já foram contempladas, totalizando centenas de cestas básicas já entregues até a presente data.

Assecom-PMM

A pandemia causada pela Covid-19 trouxe dificuldades para diversos setores produtivos da sociedade. Alguns deles, já vivenciavam situações complicadas, antes mesmo da chegada do vírus no país. É o caso de produtores da agricultura familiar de assentamentos na região metropolitana de Natal.

Pensando em melhorar e garantir o escoamento da produção de alimentos desses agricultores, o professor da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), Tarcísio Gonçalves Júnior, juntamente com Gabriela Sales, líder do movimento Banquetaço, resolveram criar a ação ‘Feira Solidária’. O projeto, que iniciou atendendo inicialmente o assentamento Quilombo dos Palmares, em Macaíba, já conta com a participação de outros três assentamentos: Eldorado dos Carajás, Leonardo Silva e Rosário.

O professor recorda que, antes da situação de saúde pública que o país está vivenciando, a feira acontecia na própria EAJ. Apesar de não estar sendo realizada, ele manteve contato com os pequenos produtores. “Deflagrada a situação de pandemia o contato com os produtores foi mantido, com relatos de muitas dificuldades crescentes para escoar a produção. Foi aí que tive a ideia do projeto”, disse.

A ação consiste na arrecadação de doações, no valor de R$ 20, que são utilizados na compra dos alimentos junto aos produtores dos assentamentos. O destino final desses alimentos são famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Em cada edição são selecionados os assentamentos e também os projetos e comunidades que receberão as doações.

Na primeira edição, 1,5 toneladas de alimentos foram comprados dos produtores e doados no bairro Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte de Natal. A ação atendeu 180 famílias do bairro. Na segunda edição, o número de alimentos comprados e doados, mais que dobrou. Dessa vez, 3,5 toneladas foram escoadas dos agricultores e 400 cestas de alimentos foram distribuídas nos bairros Pium, em Parnamirim, e Vila de Ponta Negra, em Natal.

No último dia 23 de junho, outras 3,5 toneladas de alimentos foram distribuídas em projetos sociais na Redinha, Felipe Camarão e Cidade da Esperança, atendendo a 400 famílias. Essa terceira edição também destinou 350kg de alimentos a moradores de rua, que antes da pandemia eram atendidos por cozinhas comunitárias em João Pessoa, na Paraíba. Isso aconteceu porque a EAJ-UFRN estabeleceu uma parceria com Departamento de Gastronomia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), através da professora Ingrid Guerra. A parceria firmada nessa edição possibilitou a entrega de um e-book. O livro virtual intitulado Gastronomia Solidária conta com receitas de chefs do Brasil inteiro e será distribuído entre os doadores da terceira edição da feira.

Depois da realização da primeira edição, o projeto recebeu ainda mais apoio da direção da EAJ. Outro apoio importante foi o do movimento social Banquetaço e da professora Julie Cavignac, do Departamento de Antropologia da UFRN. Também foram firmadas parcerias com Central de Comercialização de Alimentos da Agricultura Familiar (Cecafes) e com a empresa privada Veritas.

A próxima edição da ‘Feira Solidária’ já está sendo preparada e contará com novidades.

Além da Feira Solidária, a EAJ também vem desenvolvendo uma outra ação, que consiste no escoamento dos produtos da própria escola, que são produzidos durante as atividades pedagógicas.

Com as atividades suspensas, esses produtos, que antes iam para o Restaurante Universitário, passaram a ficar excedentes. Daí a necessidade de dar uma destinação.

A produção passou a ser destinada a comunidades em situação de vulnerabilidade social no entorno da Escola. Uma cesta com produtos alimentícios e de higiene vem sendo distribuída às famílias.

A Prefeitura do Natal editou nesta quarta-feira (8) um novo decreto sobre o processo de retomada das atividades na capital potiguar. O Município levou em consideração a baixa taxa de transmissibilidade do coronavírus, a tendência de queda na solicitação de leitos críticos para Covid e o parecer do Comitê Científico de Natal que orienta o enfrentamento da pandemia. As medidas foram publicadas no Diário Oficial do Município (DOM).

Nesta nova fase, estão liberadas as atividades religiosas. Igrejas e templos, por exemplo, podem abrir suas portas, desde que regulem a presença simultânea de até 20 pessoas no local, com distanciamento de 1,5 metro entre os fiéis e atendimentos individualizados marcados previamente. Além disso, caberá à administração da igreja ou templo religioso a higienização do local e o controle de acesso de pessoas, sendo proibido o acesso ou permanência de pessoas no local sem a utilização de máscara de proteção e prévia higienização das mãos com álcool 70º INPM – que deverá ser disponibilizado na porta de acesso e em locais de circulação de pessoas, entre outros.

Também estão liberados serviços de alimentação de até 300m² (restaurantes, lanchonetes e food parks), bem como estabelecimentos com até 600 m² e com “porta para a rua” de ramos como:  comércio de móveis, eletrodomésticos e colchões; lojas de departamento e magazines não localizados dentro de shopping centers ou centros comerciais; agências de turismo; comércio de calçados; comércio de brinquedos, artigos esportivos e de caça e pesca; comércio de instrumentos musicais e acessórios; de equipamentos de áudio e vídeo; de eletrônicos/informática; de equipamentos de telefonia e comunicação; joalherias, relojoarias, bijuterias e artesanatos, além de comércio de cosméticos e perfumaria.

No entanto, além do protocolo geral, os estabelecimentos e serviços autorizados a funcionar deverão cumprir protocolos específicos, sob pena de interdição. Dentre as exigências publicadas no DOM destaca-se que a área da loja de até 600 m² deve ter porta para rua e lotação máxima de uma pessoa por 5 m² como padrão mínimo (supermercados obedecem ao protocolo da Abras, em qualquer das fases ou frações). A entrada de clientes só deve ser liberada se estiverem usando máscaras e as medidas de higiene devem ser observadas. A Guarda Municipal e a Semurb farão a fiscalização e observarão inconformidades.

Os serviços de alimentação precisam ficar atentos às normas do Decreto. No caso de food parks, os estabelecimentos não podem ultrapassar 300 m² e precisam funcionar em ambientes abertos, com no máximo de quatro pessoas por mesa, distância mínima de 2 metros, entre as mesas e de 1 metro entre pessoas. Está proibida a venda e consumo de bebida alcoólica e todos devem ter temperatura aferida e usar máscaras. O cliente só pode retirar a máscara para as refeições. Está liberada música ao vivo que envolva no máximo um(a) cantor(a) e um músico, este último com o uso de máscara, vedada a interação do público.

Para os serviços de alimentação em sistema de self-service, o restaurante deve delimitar a área de fila, impedindo que o cliente possa se aproximar do buffet sem antes ter passado pelo processo de higienização das mãos. Além das medidas protocolares de higienização, os alimentos no buffet devem ser cobertos com protetores salivares com fechamento traseiro e lateral.

Shoppings
O Decreto autoriza o funcionamento dos shopping centers no âmbito do Município do Natal, mas unicamente para vendas por meio eletrônico ou telefone, com entrega do produto e pagamento em guichê localizado na área de estacionamento. O acesso dos clientes deverá ser permitido unicamente em veículos automotores com todos os ocupantes utilizando máscara de proteção, sendo proibido o desembarque do condutor ou dos demais ocupantes do veículo, bem como o ingresso a pé no estabelecimento.

Agência Brasil – O Brasil atingiu hoje a marca de um milhão de casos recuperados de covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. De acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde, divulgados hoje (8), o país acumula 1.713.160 de casos confirmados e 67.964 mortes.

Nas últimas 24 horas, foram adicionadas 1.223 mortes aos registros oficiais. Há ainda 4.105 óbitos em investigação. O painel do órgão também trouxe 44.571 novos casos diagnosticados de ontem (7) para hoje. Estão em acompanhamento no país 624.695 pacientes infectados pelo novo coronavírus.

No balanço de terça-feira, o país contabilizava 66.741 mortes e 1.668.589 casos acumulados de covid-19, desde o início dos registros.

Em entrevista coletiva realizada hoje em Brasília, a equipe do Ministério da Saúde apresentou a evolução da pandemia no país, destacando uma estabilidade na curva do número de mortes e um aumento na curva dos casos confirmados.

Estados

Os estados com mais mortes são São Paulo (16.788), Rio de Janeiro (10.970), Ceará (6.665), Pernambuco (5.323) e Pará (5.169). As unidades da Federação com menos falecimentos pela pandemia são Mato Grosso do Sul (134), Tocantins (233), Roraima (386), Acre (404) e Santa Catarina (432).

Agradou o segmento evangélico… | Macaíba no Ar

Indicação

O vereador Jefferson Stanley conseguiu indicar seu primeiro assessor na Câmara Municipal de Macaíba. Mesmo após tomar posse, Jefferson não havia conseguido nomear pessoas de sua confiança para trabalhar no seu gabinete devido o impasse na presidência da mesa diretora.

No diário oficial desta última segunda-feira (06) foi publicada portaria com a nomeação de Raimundo Adriano Almeida, no cargo de chefe de gabinete.  Cada vereador tem direito a dois assessores, Jefferson ainda poderá indicar mais um.

 

Única mulher eleita governadora, Fátima Bezerra vence no RN - Bem ...

Só promessa 

O Governo do Estado não abriu os 10 leitos de UTIs prometidos do Hospital Regional de Macaíba. A não concretização da promessa deixou aliados da governadora Fátima na mão, pois teve até quem gravou vídeo e divulgou nas redes sociais que nesta quarta-feira (08) os leitos de terapia intensiva seriam abertos.

BLOG DO JOEL REI: PREFEITURA DE MACAÍBA DISPONIBILIZA LINK PARA ...

Reagindo forte 

Em referência à entrevista concedida nesta quarta-feira, 8 de julho, ao programa Bom Dia RN, da InterTV Cabugi, pelo vice-governador do estado do Rio Grande do Norte, Senhor Antenor Roberto de Medeiros, a respeito da não abertura das 10 Unidades de Terapia Intensiva, no Hospital Regional Dr. Alfredo Mesquita Filho, a Prefeitura de Macaíba esclarece:

  1. O Hospital Regional de Macaíba pertence ao Estado sendo, portanto, de responsabilidade do Governo do Estado.
  2. Ao contrário do que afirmou o Vice-governador, as 10 UTIs não foram abertas por irresponsabilidade do Governo do Estado, nunca por causa da Prefeitura, conforme tentou insinuar na entrevista.

Pesquisa Cientifica - Saiba Mais!!! | Unilogos

Pesquisa

Alguns grupos políticos da cidade resolveram contratar pesquisas para consumo interno. Neste último sábado (04), um instituto que faz bastante pesquisa no Seridó estava no centro de Macaíba. De acordo com um leitor que foi entrevistado, diversas perguntas foram realizadas, tanto espontânea sem mostrar os nomes dos pré-candidatos quanto estimulada.

A pesquisa tinha como objetivo saber as intenções de votos tanto para o Palácio Auta de Souza quanto para o legislativo. Até o início de agosto outras pesquisas virão, umas serão para consumo interno, outras serão registradas na justiça eleitoral.

 

Nota

Em referência à entrevista concedida nesta quarta-feira, 8 de julho, ao programa Bom Dia RN, da InterTV Cabugi, pelo vice-governador do estado do Rio Grande do Norte, Senhor Antenor Roberto de Medeiros, a respeito da não abertura das 10 Unidades de Terapia Intensiva, no Hospital Regional Dr. Alfredo Mesquita Filho, a Prefeitura de Macaíba esclarece:

O Hospital Regional de Macaíba pertence ao Estado sendo, portanto, de responsabilidade do Governo do Estado.

Ao contrário do que afirmou o Vice-governador, as 10 UTIs não foram abertas por irresponsabilidade do Governo do Estado, nunca por causa da Prefeitura, conforme tentou insinuar na entrevista.

Em 2018, quando o Governo do Estado, na época sob a administração do governador Robinson Faria, resolveu construir 130 novos leitos de UTI no Estado, a administração da Prefeitura de Macaíba sensibilizou o Governo a construir 10 leitos no Hospital Regional, em função da cidade ser porta de entrada da capital, ser a sede do SAMU estadual e uma das cinco cidades que possuem Unidade de Pronto Atendimento – UPA, no Rio Grande do Norte, atendendo todos os municípios circunvizinhos.

Desde o início da gestão da governadora Fátima Bezerra, que a Prefeitura de Macaíba vem solicitando a abertura dos leitos de UTI, no Hospital Regional, o que facilitaria a regulação de pacientes graves; entretanto, no dia 28 de março deste ano, o Governo retirou diversos equipamentos das UTIs para o município de Mossoró.

Em nota, o Governo alegou que se tratava de alinhamento para o combate ao coronavírus, mas que os equipamentos estariam sendo repostos em uma semana, o que não aconteceu.

No dia 7 de maio, o Governo de Estado afirmou que as UTIs seriam abertas em 30 dias. No mesmo mês, contratou a Organização Social Avante que, sob a alegação de falta de recursos, não conseguiu abrir os leitos prometidos.

O Governo do Estado adiantou R$ 1,75 milhão para a Avante Social, que se comprometeu a abrir as UTIs – 20 no Hospital João Machado, em Natal, e 10 no Hospital Alfredo Mesquita, em Macaíba – até o dia 30 de junho, o que não ocorreu até agora.

Portanto, querer responsabilizar a Prefeitura de Macaíba pela não abertura das Unidades de Terapia Intensiva, transferindo a inoperância do Governo do Estado pelas diversas falhas ocorridas nesses tempos de pandemia é, no mínimo, uma atitude inoportuna e leviana por parte do Vice-governador, que não deveria faltar com a verdade.

Macaíba (RN), 08 de julho de 2020.

Assecom-PMM

 

Agência Brasil – O volume de vendas no comércio varejista nacional teve crescimento de 13,9% em maio deste ano, na comparação com abril. A alta veio depois de dois meses de queda devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). Em abril deste ano, por exemplo, a queda havia sido de 16,3%. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada hoje (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No acumulado de 12 meses, o comércio varejista mantém estabilidade. Nos demais tipos de comparação, no entanto, foram registradas quedas: média móvel trimestral (-2,6%), comparação com maio de 2019 (-7,2%) e acumulado do ano (-3,9%).

Na passagem de abril para maio, foram registradas altas em todas as oito atividades pesquisadas pelo IBGE: tecidos, vestuário e calçados (100,6%), móveis e eletrodomésticos (47,5%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (45,2%), livros, jornais, revistas e papelaria (18,5%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (16,6%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (10,3%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (7,1%) e combustíveis e lubrificantes (5,9%).

O varejo ampliado, que também considera os setores de materiais de construção e de veículos e peças, teve crescimento de 19,6% na comparação com abril. Os veículos, motos, partes e peças cresceram 51,7%, enquanto os materiais de construção tiveram alta de 22,2%.

Nas outras comparações, no entanto, foram registradas quedas: média móvel trimestral (-5,9%), comparação com maio de 2019 (-14,9%), acumulado do ano (-8,6%) e acumulado de 12 meses (-1%).

Receita nominal

A receita nominal do varejo cresceu 9,9% na comparação com abril deste ano e 2,7% no acumulado de 12 meses. No entanto, teve quedas de 3,4% na média móvel trimestral, de 5,2% na comparação com maio do ano passado e de 0,6% no acumulado do ano.

Já a receita do varejo ampliado teve altas de 15,1% na comparação com abril deste ano e de 1,4% no acumulado de 12 meses. Registrou, no entanto, quedas de 5,8% na média móvel trimestral, de 12,1% na comparação com maio de 2019 e de 5,4% no acumulado do ano.