Arquivo diário: quarta-feira, março 10, 2021

 

Na madrugada desta quarta-feira (10), policiais militares de Macaíba tomaram conhecimento de que indivíduos num automóvel de cor branca estariam furtando fios da rede de telefonia na região do Centro Industrial Avançado.

De posse dessas informações, os policiais, que já se encontravam patrulhando nas proximidades, imediatamente se deslocaram ao local, ocasião em que acabaram se deparando com os suspeitos. Esses, porém, ao perceberem a aproximação da viatura, conseguiram se evadir por uma região de mata, deixando para trás um veículo do tipo Fiat de cor branca, além de uma grande quantidade de fios retirados da rede de telefone.

Logo em seguida, como de praxe, fizeram uma busca no interior do automóvel deixado pelos infratores. Instante em que localizaram diversos objetos, materiais e mantimentos alimentícios, de origem duvidosa.

Em face disso, diligenciaram e acabaram descobrindo que aqueles objetos de fato haviam sido furtados de um restaurante localizado nas margens da BR-304.

Sendo assim, a guarnição se deslocou à Delegacia de Macaiba, onde apresentou todo o material apreendido para os devidos procedimentos.

11° BPM (Via Instagram)

Foto: Reprodução

Em audiência de conciliação em andamento na tarde desta quarta-feira, 10, mediada pelo desembargador do TJRN, Dilermando Motta, que reúne o prefeito de Natal, Álvaro Dias e a governadora do Estado, Fátima Bezerra, o clima de tensão se estabeleceu no momento de discutir o toque de recolher.

Enquanto o prefeito de Natal trouxe a proposta de conciliar no horário de 21h às 06h, Fátima Bezerra não trouxe proposta e apenas tentou impor a continuidade até o dia 17 do horário de 20h às 06h.

“A senhora não trouxe proposta, está apenas defendendo seu decreto, apenas uma hora de diferença não teria essa repercussão”, disse o desembargador.

Dilermando tentou ainda esforço de conciliar mas Fátima se manteve intrasigente e o ponto não foi conciliado.

Justiça Potiguar

Via Blog do BG

Coronavac

Foto: Governo de SP/Divulgação

A CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac e que está sendo aplicada no Brasil, é eficaz contra as três variantes do novo coronavírus que circulam no país: a britânica (B.1.1.7), a sul-africana (B.1.351) e a brasileira (B.1.1.28), da qual são derivadas as chamadas P.1 (de Manaus) e a P.2 (do Rio de Janeiro). A informação foi dada nesta quarta-feira (10) pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Ainda preliminares, esses estudos, realizados pelo Butantan em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), incluíram amostras de 35 participantes vacinados na Fase 3. O estudo completo inclui um número maior de amostras, que também já estão em análise. Os resultados completos ainda serão divulgados.

“Temos que avaliar se as vacinas produzem anticorpos contra essas variantes. E foi o que fizemos. Já sabíamos que os anticorpos produzidos pela vacina do Instituto Butantan tinham eficiência contra as variantes do Reino Unido e da África do Sul. E agora o estudo feito em associação com a USP mostra que a vacina tem eficiência também com as variantes P.1 e P.2. Portanto, estamos diante de uma vacina que é efetiva em proteção contra as variantes que estão circulando neste momento”, disse Covas.

Vírus inativado

As vacinas compostas de vírus inativado, como a produzida pelo Instituto Butantan, têm todas as partes do vírus, destaca o centro de pesquisa biológica. Isso pode gerar uma resposta imune mais abrangente em relação ao que ocorre com outras vacinas que usam somente uma parte da Spike, a proteína utilizada pelo coronavírus para infectar as células.

Outra característica da vacina inativada do Butantan é que ela consegue ter uma proteína Spike completa. As vacinas que têm fragmentos menores dessa proteína podem apresentar menos chances de eficácia contra as novas variantes.

Os testes feitos pelo Butantan usam soro das pessoas vacinadas, que é colhido por meio de exame de sangue. As amostras são colocadas em um cultivo de células e, posteriormente, infectadas com as variantes. A neutralização consiste em testar se os anticorpos gerados em decorrência da vacina vão neutralizar (combater) o vírus nesse cultivo.

As variantes

“As variantes são novas formas do mesmo vírus. E algumas variantes têm características extremamente preocupantes”, afirmou o diretor do Instituto Butantan.

No Brasil, circulam principalmente três variantes do novo coronavírus. a britânica (B.1.1.7), a sul-africana (B.1.351) e a brasileira (B.1.1.28). Da brasileira surgiram a P.1 (de Manaus), considerada a mais agressiva, e a P.2 (do Rio de Janeiro). Estudos vêm demonstrando que as variantes podem ser mais transmissíveis e, algumas vezes, até mais graves.

“A do Reino Unido tem a transmissibilidade entre pessoas aumentada de 30% a 50% e aumento de gravidade dos casos superior a 30%. Tem também a variante da África do Sul, que determina aumento da carga viral das pessoas infectadas e transmissão aumentada, além de ser resistente à neutralização dos anticorpos produzidos por algumas vacinas e até pela infecção natural”, explicou Dimas Covas.

Entre as variantes do Brasil, a que predomina é a chamada P.2, que surgiu no fim do ano passado e tem mutação comum à da África do Sul. “Mas mais importante é a P.1, de Manaus, que concentra as mutações observadas nas variantes do Reino Unido e da África do Sul. Portanto, essa é uma variante que preocupa e que explica, em parte, o momento grave da pandemia”, alertou.

Recordes

Ontem (9), o estado de São Paulo bateu recorde no número de mortes provocadas pelo novo coronavírus em um único dia, com o registro de 517 mortes. O estado vem batendo também recorde no número de pessoas internadas. Hoje (10) o estado tem 20.314 pessoas internadas, das quais 8.972. em estado grave. A ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) no estado já chegou a 82%.

“No pico máximo da internação, em julho do ano passado, tínhamos 6.250 pacientes internados em UTIs. Portanto, aceleramos, e aceleramos muito, o número de pessoas sendo comprometidas de uma única vez. Há exatas duas semanas, tínhamos 6.650 pacientes internados em UTIs”, ressaltou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn.

De acordo com Gorinchteyn, a cada dois minutos, há três admissões nos hospitais paulistas, seja para unidades de terapia intensiva, seja para enfermaria.

Nesta semana epidemiológica, que se encerra no sábado (12), o estado vem apresentando novo aumento no número de casos, de mortes e de novas internações por covid-19.

Para conter o avanço do novo coronavírus, todo o estado foi incluído na Fase 1-Vermelha do Plano São Paulo, na qual podem funcionar somente serviços considerados essenciais. Além disso, o governo vem ampliando o número de leitos de UTIs disponíveis no estado para o tratamento da covid-19.

Até o mês de abril, o governo espera ter 9,2 mil leitos só para atendimentos de pacientes graves.

Agência Brasil

Os funcionários da empresa terceirizada TCL Limpeza Urbana, responsável pela limpeza urbana de Macaíba, paralisaram suas atividades na manhã dessa quarta-feira (10) e realizaram um protesto na Praça Holanda Paz, no centro da cidade, para denunciar diversas irregularidades e cobrar mudanças na empresa terceirizada.

Salários atrasados, falta de repasse do FGTS, atrasos no pagamento do vale transporte e das férias são apenas algumas das irregularidades denunciadas pelos trabalhadores da TCL. “Eu trabalho faz 4 anos na empresa, não tem um real de FGTS na minha conta”. “Mas a gente assina lá um contracheque como se tá sendo pago em dia, só que o pagamento [do vale transporte] não sai na data certa, sai quase no final do mês”, denunciavam os trabalhadores.

Outro problema recorrente, segundo os trabalhadores, é com o pagamento das férias. “Eu entrei de férias mês retrasado e só recebi depois que voltei”. “Isso já tá de costume deles. O pessoal voltar e só receber as férias não sei quantos dias depois”. “Tem muita gente com mais de dois anos de férias acumuladas”. “A gente só tira uma quando vence duas”, afirmaram os trabalhadores.

Em reunião com os trabalhadores, a prefeitura de Macaíba deixou claro que não tem pagamentos em atraso com a TCL e que o débito está entre a empresa junto aos seus funcionários. Ainda nesta quarta-feira, o poder executivo municipal firmou o compromisso de antecipar para hoje o pagamento do final deste mês para a empresa prestadora de serviço.

O prefeito Emídio Jr foi aplaudido ao comparecer à presença dos funcionários terceirizados. “Temos que ter o respeito pelos trabalhadores. Asseguro a todos eles que vamos acompanhar de perto esses pagamentos para que eles possam ter a garantia de receber seu salário em dia. Estamos sempre à disposição para fazermos uma Macaíba melhor e mais justa para todos”, concluiu Emídio.

Assecom – PMM

Foto: Edeilson Morais

Durante esta quarta-feira (10/03), a Prefeitura de Macaíba realiza a antecipação do pagamento correspondente aos serviços executados pela empresa terceirizada TCL Limpeza Urbana até a data de 21/02. Por lei, Consolidação das Leis do Trabalho – CLT e normas correlatas, essa quitação do referido pagamento poderia acontecer até o dia 25/03.

Desta forma, a Prefeitura reitera que, além de estar rigorosamente em dia com seus compromissos financeiros com a empresa TCL, que presta serviços no município, também realiza excepcionalmente o pagamento antecipado do período acima mencionado.

A decisão da gestão municipal em antecipar esse pagamento se deu devido à situação relatada pelos colaboradores da empresa, que foram ouvidos pessoalmente pelo prefeito Emídio Jr e pelo secretário municipal de Meio Ambiente e Urbanismo, Billy Jean, na manhã de hoje.

“A gestão atual tem demonstrado bastante preocupação com a situação de desrespeito dos Direitos Trabalhistas dos colaboradores da TCL. Além do atraso salarial que jamais deveria acontecer por parte da empresa contratada, tomamos conhecimento do atraso de repasses de verbas trabalhistas essenciais, como é o caso do FGTS e do INSS.”, explicou o secretário Billy Jean.

“Com isso, a Prefeitura esclarece que está estudando as medidas necessárias que serão adotadas para a resolução do problema. Destacamos que temos todo o respeito e total apreço por estes trabalhadores, pais e mãe de família, que diariamente desenvolvem um trabalho essencial de limpeza urbana do município, ajudando, desta forma, na organização, saúde pública e no bem-estar social de todos.”, declarou Billy Jean.

Assecom-PMM

Presidente Jair Bolsonaro discursa após cerimônia de posse do Ministro de Estado da Cidadania, Joao Roma, e do Ministro de Estado Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onix Lorenzoni e sanção da Lei da Autonomia do Banco Central

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aparece na liderança das intenções de voto em pesquisa realizada pela parceria CNN/Instituto Real Time Big Data sobre as eleições presidenciais de 2022.

O levantamento indica Bolsonaro com 31% dos votos, dez pontos percentuais a mais que o segundo colocado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP). A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Pesquisa realizada pela parceria CNN/Instituto Real Time Big Data

Este é o primeiro levantamento após a decisão do ministro Edson Fachin de anular as condenações de Lula na operação Lava Jato, o que o torna elegível para as próximas eleições.

Pesquisa realizada pela parceria CNN/Instituto Real Time Big Data

A pesquisa traz como possível cenário para a eleição presidencial uma disputa entre oito candidatos. Atrás de Bolsonaro e Lula, há um empate técnico no terceiro lugar entre quatro candidatos: Sergio Moro (10%), Ciro Gomes (9%), Luciano Huck (7%) e João Doria (4%).

Os possíveis candidatos João Amoêdo e Marina Silva também empatariam tecnicamente, segundo a pesquisa. Amoedo registou 2% das intenções de voto e Marina Silva somou 1%.

Votos brancos e nulos somam 12%, enquanto 3% disseram que ainda não sabem como irão votar ou não responderam.

Segundo turno

Considerando o cenário de um segundo turno entre os candidatos que lideram a pesquisa, Bolsonaro e Lula, a pesquisa estimulada registrou 43% das intenções de votos para o atual presidente, e 39% para o ex-presidente Lula.

Levando em conta a margem de erro de três pontos percentuais, eles estão tecnicamente empatados no segundo turno.

Pesquisa realizada pela parceria CNN/Instituto Real Time Big Data

Ainda considerando um possível segundo turno em 2022, a pesquisa aponta que votos brancos e nulos somam 15%. Já 3% dos entrevistados não sabem ou não responderam essa etapa da pesquisa.

No cenário de segundo turno entre Bolsonaro e Ciro Gomes, o presidente atinge 43%, enquanto o pedetista soma 36%. Brancos e nulos somam 16%. Não sabem ou não responderam 5%.

Já no cenário contra Sergio Moro, Bolsonaro atinge 41% ante 38% do ex-juiz. Branco e nulos somam 17%. Não sabem e não opinaram 4%.

Quando a disputa é contra Luciano Huck, Bolsonaro registra 46% das intenções e voto, enquanto o apresentador soma 31%. Brancos e nulos somam 16%. Já 7% dos entrevistados não sabem ou não responderam essa etapa da pesquisa.

Informações da CNN Brasil

 

Foto: Reprodução

Dois homens foram assassinados na manhã desta quarta-feira (10) em Macaíba. Um homicídio foi registrado na rua da Caixa D’Água no bairro Alfredo Mesquita, onde a vítima identificada por Antônio Márcio, de 34 anos, foi assassinado a tiros por dois homens em uma motocicleta.

O segundo homicídio ocorreu na rua Olímpio Maciel, a vítima identificada pelo nome de Arthur também foi morta a tiros. A Polícia Militar se encontra nos locais dos crimes e aguarda a Polícia Civil e a perícia do Instituto Técnico-Científico de Perícia.

Reprodução

A Prefeitura de Macaíba informa que não está devendo absolutamente nada a empresa TCL, prestadora do serviço de limpeza urbana ao município. Todos os pagamentos da administração à referida empresa terceirizada estão dentro do prazo legal.

O débito é da empresa junto aos seus funcionários. A administração está dialogando com a TCL no sentido de fazer a empresa pagar os profissionais o mais rápido possível, pois sem atrasos de pagamento da Prefeitura, não há motivos para os trabalhadores não receberem seus vencimentos.

Vale lembrar que os garis são funcionários direto da TCL.

Assecom

Plenário da Câmara dos Deputados - Sessão Extraordinária Deliberativa

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (9), por 366 a 118 e duas abstenções, a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/19, a PEC Emergencial. A proposta autoriza o governo federal a pagar um auxílio emergencial em 2021 com R$ 44 bilhões fora do teto de gastos e impõe mais rigidez na aplicação de medidas de contenção fiscal, controle de despesas com pessoal e redução de incentivos tributários.

A expectativa do presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), é votar a proposta, em dois turnos, nesta quarta-feira (10). Por se tratar de PEC, o texto dependerá dos votos pelo menos 308 dos 513 deputados para ser aprovado.

A proposta cria mecanismos de ajuste fiscal, caso as operações de crédito da União excedam as despesas. Entre as medidas, estão barreiras para que a União, os estados e os municípios criem despesas obrigatórias ou benefícios tributários.

A PEC também possibilita o pagamento do auxílio emergencial com créditos extraordinários sem ferir o teto de gastos públicos. Para garantir o pagamento do auxílio por mais alguns meses, o texto mantém os chamados gatilhos, medidas acionadas automaticamente quando as despesas atingirem um certo nível de descontrole.

Entre essas medidas, estão barreiras para que União, estados ou municípios criem despesas obrigatórias ou benefícios tributários. Além disso, também estarão proibidos de fazer concursos públicos ou conceder reajustes a servidores.

No Senado, o texto sofreu mudanças. O relatório do senador Márcio Bittar (MDB-AC) teve que ceder à resistência de vários colegas e foi retirado o trecho mais polêmico do seu parecer, o fim da vinculação obrigatória de parte do Orçamento a investimentos com saúde e educação. Bittar também retirou a redução de salário e jornada de trabalho dos servidores públicos, como expediente de ajuste fiscal e equilíbrio das contas públicas.

Bittar adicionou uma “trava” a mais para evitar um gasto excessivo com o auxílio emergencial. O governo estima retornar com o auxílio emergencial em forma de quatro parcelas de até R$ 250 ainda este mês.

Agência Brasil

Vacinação drive thru na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), zona norte do Rio. A cidade do Rio de Janeiro retoma hoje (25) sua campanha de aplicação da primeira dose da vacina contra a covid-19 em idosos da população em geral.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Ministério da Saúde informou o início da distribuição de mais 2,6 milhões de doses da vacina contra a covid-19 CoronaVac, produzida em parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac.

Segundo a pasta, a distribuição a estados e ao Distrito Federal ainda depende “da real entrega dos quantitativos de doses pelos laboratórios fornecedores dos imunizantes”. Em nota sobre o assunto, o Ministério da Saúde acrescentou que em razão de obstáculos na obtenção dos insumos ainda não há um “fluxo regular de produção da vacina”.

Este lote será destinado à vacinação de trabalhadores em saúde e idosos da faixa etária entre 75 e 84 anos. Ele compreende as duas doses, o que significa que será usado para imunizar 1,3 milhões de pessoas.

A entrega deve ser concluída nesta quarta-feira (10) de forma proporcional a cada estado e ao Distrito Federal.

Até o momento, foram distribuídas 20 milhões de doses aos estados e municípios e aplicadas 9,8 milhões de doses, sendo que 7,49 milhões (3,5% da população) receberam a primeira dose e 2,3 milhões (pouco mais de 1% dos brasileiros) receberam as duas doses.

Para março, a previsão inicial era a distribuição de 46 milhões de doses, mas caiu para 30 milhões, sendo 23,3 milhões do Instituto Butantan, 3,8 milhões da vacina Oxford/AstraZeneca e 2,9 milhões do consórcio Covax Facility.

Sinopharm

O Ministério da Saúde solicitou ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, apoio para conseguir avançar na compra de vacinas da farmacêutica estatal chinesa Sinopharm. O documento da pasta solicitou a ação do embaixador para obter 30 milhões de doses do imunizante, se possível para o 1º semestre de 2021.