Arquivo diário: sábado, agosto 8, 2020

Em sua conta no Facebook, o presidente Jair Bolsonaro disse que não pretende se envolver na disputa em primeiro turno das eleições municipais. “Não pretendo participar das eleições municipais no 1º turno”, afirmou.

Na manhã deste sábado (08) Policiais Militares da 1aCIA/11oBPM (empregados no serviço extra) após informação repassada via COPOM, logram êxito em recuperar uma moto roubada, num estabelecimento comercial, na região de Mangabeira, Macaíba.

A moto foi encaminhada a Central de Flagrantes para adoção dos procedimentos cabíveis.

11º BPM/Via Instagram

Policiais civis da Delegacia Municipal de Macaíba, com apoio do 11º Batalhão da Polícia Militar (BPM), deflagraram, na manhã desta sexta-feira (07), uma Operação nos municípios de Macaíba e Parnamirim. A ação teve como objetivo combater o tráfico de drogas e prender foragidos da Justiça.

As diligências foram iniciadas após o recebimento de informações que um grupo de criminosos que residia na rua Mar da Galileia, localizada no município de Parnamirim, teria sido expulso por integrantes de uma facção criminosa rival. De acordo com as investigações, os criminosos teriam se refugiado na região da Baixa, em Macaíba, onde outros integrantes da mesma facção residiam. Além disso, havia suspeita de que eles estavam planejando possíveis conflitos nas regiões de Parnamirim e Macaíba.

Durante a ação, os policiais civis e militares prenderam na região da Baixa, no centro de Macaíba, um homem de 34 anos. Segundo investigações, ele é integrante de uma facção criminosa e estava foragido da Justiça.

Uma mulher de 28 anos autuada em flagrante por posse de droga para consumo pessoal. De acordo com investigações, recentemente o companheiro dela foi morto no conflito entre facções. Com ela, os policiais apreenderam porções de maconha. A suspeita foi conduzida até a delegacia, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), e, em seguida, foi liberada.

Além das prisões, os policiais recuperaram uma motocicleta YAMAHA XTZ 150 CROSSER Z, de cor azul. O veículo havia sido roubado por quatro homens que portavam armas de fogo, no dia 02 de agosto de 2020, no bairro Passagem de Areia, na Zona Rural de Parnamirim.  A motocicleta foi localizada nesta sexta-feira (07), em uma casa abandonada no Beco do Angelim, na região da Baixa.

PC/Assecom

Carro perseguido pela policial capotou na BR-101 Norte em Extremoz, na Grande Natal — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Um criminoso morreu e um cabo da Polícia Militar foi baleado em um confronto que aconteceu no final da noite desta sexta-feira (7) na BR-101 Norte, em Extremoz, na região metropolitana de Natal. O policial fraturou o tornozelo, mas, segundo a corporação, já passou por cirurgia e não corre risco de morte.

Segundo a PM, uma equipe da Força Tática fazia patrulhamento quando se deparou com um carro modelo Classic branco que tinha sido roubado de um motorista de transporte de passageiros por aplicativo. Ao ver a aproximação da viatura, o motorista acelerou e tentou fugir, dando início a uma perseguição policial.

Ainda de acordo com o relatório policial, na altura da rotatória próxima à fábica da Ambev, o motorista do carro perdeu o controle e capotou. Os criminosos, então, teriam dado início ao confronto, atirando contra os policiais, que revidaram.

Um criminoso morreu e um cabo da Polícia Militar foi baleado em um confronto que aconteceu no final da noite desta sexta-feira (7) na BR-101 Norte, em Extremoz, na região metropolitana de Natal. O policial fraturou o tornozelo, mas, segundo a corporação, já passou por cirurgia e não corre risco de morte.

Segundo a PM, uma equipe da Força Tática fazia patrulhamento quando se deparou com um carro modelo Classic branco que tinha sido roubado de um motorista de transporte de passageiros por aplicativo. Ao ver a aproximação da viatura, o motorista acelerou e tentou fugir, dando início a uma perseguição policial.

Ainda de acordo com o relatório policial, na altura da rotatória próxima à fábica da Ambev, o motorista do carro perdeu o controle e capotou. Os criminosos, então, teriam dado início ao confronto, atirando contra os policiais, que revidaram.

G1 RN

O Boletim InfoGripe, produzido semanalmente pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgado nesta sexta-feira (7), mostra que apenas Natal e mais cinco capitais brasileiras estão em situação de “queda” em número de casos da covid-19. Além da capital potiguar, aparecem Curitiba, João Pessoa, Salvador, Teresina e Vitória. Os dados são da semana epidemiológica 31, entre os dias 26 de julho e 1° de agosto.

Veja a situação nas capitais:

Possível queda Aracaju e Rio Branco
Retomada de crescimento Macapá e Maceió
Estabilização Manaus, Palmas e Porto Alegre
Oscilação Belém
Crescimento Porto Velho
Queda, com possível estabilização Boa Vista
Queda Curitiba, João Pessoa, Natal, Salvador, Teresina e Vitória
Estabilização para possível início de queda Belo Horizonte e Florianópolis
Possível retomada de queda São Paulo
Possível retomada de crescimento Fortaleza, Rio de Janeiro e São Luís
Queda lenta Recife

O boletim da Fiocruz indica uma possível nova fase de queda leve no número de novos casos semanais de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no país, após a retomada do crescimento observado em junho. Amapá, Ceará e Rio de Janeiro mantêm o sinal de retomada do crescimento (uma segunda onda).

O estado do Maranhão teve a possível retomada do crescimento alterada para possível estabilização. Os casos de covid-19 ainda estão muito altos e a capital, São Luís, indica possível retomada do crescimento de casos da doença.

No Amapá, a capital Macapá apresenta sinal de estabilização do número de casos da doença. Já as capitais Fortaleza e Rio de Janeiro mostram possível retomada do crescimento. O estado do Rio registrou até ontem (6) 13.941 óbitos, sendo que somente na capital são 8.540 mortes de covid-19 desde o início da pandemia no país.

De acordo com o coordenador do InfoGripe, o pesquisador Marcelo Gomes, apesar de sinal de leve queda, os valores semanais de casos e de óbitos (que também continuam em nível acima do muito alto) no país estão muito acima do nível de casos considerado muito alto. “Todas as regiões do apresentam ocorrência de casos muito alta e na zona de risco”, avaliou.

Situação no país

Em relação às unidades da federação que apresentavam manutenção do sinal de crescimento ou platô, observou-se possível início de queda em Tocantins, Sergipe, Paraná e em Santa Catarina. Segundo o pesquisador, nesses estados, as capitais Palmas e Florianópolis ainda apresentam sinal de estabilização, enquanto Aracaju e Curitiba apresentam sinal de queda.

Os estados da Bahia, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Minas Gerais e Rio Grande do Sul apresentaram um possível início de queda nos casos, mas este sinal é ainda considerado fraco. As respectivas capitais, Salvador, Campo Grande e Belo Horizonte apresentam queda, enquanto Porto Alegre mostra estabilização. Brasília ainda registra sinal de crescimento do número de casos da doença.

Marcelo Gomes esclarece que o estado de São Paulo mostra um sinal de possível redução em relação às semanas anteriores, mas o perfil ainda é compatível com a oscilação que vem sendo observada desde maio. A capital paulista apresenta tendência de queda após período de oscilação em novo platô abaixo do pico observado em maio”.

Segundo a análise, no Pará, embora se mantenha com sinal de possível estabilização, Belém mostra retomada do crescimento. Nas demais unidades não foram observadas alterações em relação às tendências anteriores.

Macrorregiões

Esta nova edição apresenta também estimativas das macrorregiões de saúde de cada estado e de casos recentes para o país, grandes regiões e capitais. Entre as ocorrências com resultado positivo para os vírus respiratórios, 96,7% dos casos e 99,1% dos óbitos se deram em decorrência do novo coronavirus.

A divulgação das análises para macrorregiões de saúde permite avaliar tanto o processo de interiorização como possíveis diferenças dentro de um mesmo estado. Por exemplo, para o Rio de Janeiro o estudo aponta para uma possível retomada do crescimento, que aparenta ser reflexo dos casos na macrorregião que inclui a capital. Nas demais, o sinal é de queda ou de estabilização.

Em contrapartida, em Pernambuco, na macrorregião Metropolitana o sinal é de queda, enquanto nas demais três macrorregiões do estado a tendência ainda é de crescimento, sem ter atingido ainda um pico em nenhuma dessas regiões.

Em São Paulo, há uma variabilidade enorme, observando macrorregiões dando os primeiros sinais de início de queda e outras mantendo sinal de queda por várias semanas consecutivas. A macrorregião associada à capital mostra sinais de uma possível estabilização, mas ainda em valores muito elevados e outras estão com sinais de retomada do crescimento.

Fonte: Portal Grande Ponto