Arquivo diário: sábado, outubro 19, 2019

Resultado de imagem para lixo bairro campinas macaiba

Diversas ruas do bairro Campinas estão com lixo (podas, entulhos) há mais de 15 dias sem ser recolhido. Moradores reclamam da demora por parte da empresa TCL e pedem que a secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) tome as providências necessárias para limpeza.

 

Resultado de imagem para majorolimpio e bolsonaro

Major Olímpio publicou no Twitter um vídeo em que diz não ter rompido com Jair Bolsonaro.

Para o senador, os responsáveis pela crise no PSL são os filhos do presidente e “advogados inescrupulosos”.

“Ninguém do PSL está contra o presidente. Nós nos posicionamos contrários a uma armadilha que foi colocada para o presidente por filhos, por advogados inescrupulosos, e isso não vamos concordar de forma nenhuma. Sei das minhas convicções.”

Com informações do O Antagonista.

Policiais civis da Delegacia Municipal de Macaíba, com apoio da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV) e do 2º Distrito de Polícia de Parnamirim, apreenderam, nesta sexta-feira (18), material ilícito encontrado em um imóvel, situado no distrito Canabrava, no município de Macaíba.

No local, que servia de esconderijo para suspeitos de roubo a granjas na região metropolitana de Natal, foram encontradas porções de maconha e munições de calibre 12 e .30, além de casacos camuflados. No momento da ação, o grupo criminoso conseguiu fugir do imóvel.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

A imagem pode conter: 21 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

Na noite desta última sexta-feira (18/10) o Cruzeiro de Macaíba venceu a Seleção de Pedro Velho pelo placar de 3 a 0. Os gols foram marcados pelos atletas Darllan (2) e Kelson Batgol (1). Com a vitória, o Cruzeiro termina a primeira fase do Campeonato Estadual Adulto classificado para a semifinal, onde enfrentará a forte equipe do Mossoró Esporte Clube.

Manchas de óleo em corais e sedimentos marinhos foram encontradas nos parrachos de Pirangi do Sul, litoral leste do Rio Grande do Norte, durante trabalho de campo realizado pelo grupo do Laboratório de Geologia e Geofísica Marítima e Monitoramento Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que esteve no local na última quarta-feira, 16. A avaliação aconteceu em no ambiente recifal e suas adjacências estendendo-se cinco quilômetros costa afora entre o estuário do Rio Pium e o mar, onde foram coletadas 30 amostras de sedimentos do fundo marinho para estudos posteriores, que servirão para diagnosticar os impactos causados nas condições ambientais que suportam a vida marinha.

A presença de óleo foi identificada em corais a três metros de profundidade. “Esse é um alerta importante, pois aparentemente o óleo não está mais, apenas na superfície. É necessário um estudo mais detalhado para verificar se o produto está em profundidades e dimensões maiores”, destaca a coordenadora do laboratório, Helenice Vital, ao adicionar que as preocupações dos órgãos ambientais devem ser concentradas também na região marinha e não apenas na linha de costa do Nordeste, de onde já foram recolhidas quase 200 toneladas de resíduos de óleo, segundo a Petrobras.

Sobre o óleo encontrado nos corais, ainda não é possível afirmar que seja o mesmo da costa, pois sua procedência ainda deve ser verificada por análises químicas, como a refletância de vitrinita. No entanto, segundo os pesquisadores,  a presença do material é recente, visto que não foi identificado em amostras coletadas há menos de um ano pela mesma equipe. O trabalho de campo da última quarta-feira foi conduzido pela pesquisadora visitante do Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica  e Geofísica (PPGG/UFRN) Patrícia Eichler, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Juntamente com alunos de mestrado e doutorado do (PPGG/UFRN), a docente observou in loco que também apareceram manchas escuras nos sedimentos – material de areia, lama e fragmentos de organismos vivos localizados na superfície do fundo do mar. A presença do óleo foi observada tanto na camada superficial como interna, situação que pode impedir trocas gasosas e provocar alterações no pH essencial para a vida dos seus habitantes da superfície, chamada de epifauna, e do interior do sedimento, a infauna. Entre eles estão os foraminíferos, microrganismos utilizados para prospecção de petróleo e como parâmetro de avaliação dos impactos ambientais, cuja mortalidade provoca um desequilíbrio geral na vida marinha.

“O fim da infauna acarreta a perda completa daquele ecossistema como um todo. Lá estão os consumidores primários da cadeia alimentar e sem eles não temos os consumidores secundários, e por aí vai. Quando há um problema na base, teremos em toda a cadeia ecológica, que vai chegar ao homem”, ressalta Patrícia Eichler. Os foraminíferos também estão presentes nos corais, onde o óleo absorvido compromete as trocas gasosas e a alimentação e, consequentemente, provoca a morte desse organismo, que abriga uma diversidade de espécies marinhas.

A qualidade ambiental poderá ser avaliada a partir das assembleias  de foraminíferos encontrados nas amostras coletadas, em que também estão fragmentos de corais. Coordenador do projeto Ciências do Mar II, responsável pelo trabalho de campo, o professor Moab Praxedes explica que, por meio do estudo, será possível entender a real sensibilidade do ambiente e o impacto do óleo já identificado nas 30 amostras levadas para a UFRN. Para o docente, isso significa que o produto pode estar presente em uma área muito maior. “Há urgência para identificar a magnitude do impacto e, dessa forma, ser elaborado um planejamento de medidas mitigadoras tanto para remoção quanto para o monitoramento e recuperação do ambiente”, orienta.

Portal UFRN

Resultado de imagem para delegacia de macaiba

Reprodução

A Delegacia Municipal de Macaíba realizou, na manhã desta sexta-feira (18), o 1º Mutirão de Combate à Violência Doméstica. Para a ação, foram expedidos 17 mandados de intimação, destinados a vítimas, testemunhas e investigados. Participaram da ação, um delegado e três escrivães.

Ao longo da manhã, aproximadamente, 12 pessoas foram ouvidas pela equipe. Ao total, foram concluídos 18 inquéritos policiais e duas requisições ministeriais, referentes ao ano de 2019. “O objetivo do mutirão ação é dar mais celeridade aos procedimentos policiais, para que sejam concluídos o quanto antes, evitando, assim, desistências pelas vítimas e que o prazo prescricional atinja os crimes, o que impediria a punição do agressão”, ressaltou o delegado titular, Cidorgeton Pinheiro.

Agência Brasil – O Ministério da Educação anunciou ontem (18) o descontingenciamento do orçamento das universidades federais, que foi possível a partir de um remanejamento do orçamento do MEC. “Cem por cento de todo o orçamento para o custeio das universidades federais e institutos estão sendo descontingenciados neste momento”, disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em entrevista à imprensa.

Segundo ele, o contingenciamento não chegou a prejudicar nenhuma das ações da pasta. “Foi feita uma boa gestão. Administramos a crise na boca do caixa. Vamos terminar o ano com tudo rodando bem”, acrescentou.

De acordo com o secretário executivo do ministério, Paulo Vogel, estão sendo liberados R$ 1,1 bilhão dos R$ 19,6 bilhões que já estavam previstos para as despesas discricionárias do MEC. Vogel disse que o valor está sendo realocado de outras despesas ministeriais.

Enem

Na entrevista, Weintraub disse ainda que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cujas provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro, ocorre tranquilamente este ano. “As provas já foram impressas. Os alunos que se preparem”.