Arquivo diário: domingo, junho 9, 2019

Agência PRF

Quatro homens suspeitos de cometerem assaltos em série em Mossoró foram presos, na noite deste sábado (8), na BR-304, saída do bairro Abolição I em Mossoró, durante uma abordagem feita pela PRF.

A equipe estava realizando um Comando Operacional pela região, quando se deparou com um HB20 que não atendeu a ordem de parada e evadiu-se da fiscalização.

Houve acompanhamento tático aos suspeitos e eles arremessaram vários aparelhos celulares pela janela do veículo.

Após busca no interior do veículo foram encontrados relógios de luxo, carteiras, 21 aparelhos celulares, R$ 607,00, pequena quantidade de uma substância com características de maconha.

O quarteto foi levado para a Delegacia de Plantão de Mossoró.

Várias pessoas que haviam sido assaltadas compareceram à Delegacia para realizar o reconhecimento.

Henrique Eduardo Alves (MDB-RN), ex-ministro, ex-deputado e ex-presidente da Câmara — Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Arquivo

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Arquivo

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, rejeitou uma denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal contra o ex-ministro e ex-deputado Henrique Eduardo Alves (MDB-RN).

De acordo com a denúncia, oferecida em 2017, Henrique Alves usou contas em paraísos fiscais para tentar “encobrir” recebimento de propina relacionada às obras do Porto Maravilha (RJ). O crime apontado foi lavagem de dinheiro.

Desde o início das investigações, a defesa de Henrique Alves nega a acusação.

Nesta sexta-feira (7), a assessoria do advogado dele, Marcelo Leal, divulgou a seguinte nota: “A decisão confirma o caráter persecutório das denúncias ofertadas contra Henrique Eduardo Alves. A defesa tem convicção de que outras absolvições virão.”

G1

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Agência Brasil – O presidente Jair Bolsonaro disse nesse sábado (8) que, sem a aprovação pelo Congresso Nacional do projeto de crédito suplementar de R$ 248,9 bilhões (PLN 4/19), o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), destinado a idosos de baixa renda e pessoas com deficiência, terá que ser suspenso dia 25 deste mês.

“Sem aprovação do PLN 4 pelo Congresso, teremos que suspender o pagamento de benefícios a idosos e pessoas com deficiência já no próximo dia 25. Nos meses seguintes faltarão recursos para aposentadorias, Bolsa Família, Pronaf [Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar], Plano Safra…”, escreveu na sua conta no Twitter.

Bolsonaro acrescentou que acredita “na costumeira responsabilidade e patriotismo dos deputados e senadores na aprovação urgente da matéria”.

Na última quarta-feira (5), depois de fracassar a tentativa para um acordo sobre o parecer do deputado Hildo Rocha (MDB-MA) ao projeto de crédito suplementar, o presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO), senador Marcelo Castro (MDB-PI), suspendeu até a próxima terça-feira (11) a discussão do assunto no colegiado.

Segundo a equipe econômica do  governo, a autorização do Congresso para esse crédito extra é fundamental para garantir o pagamento de subsídios e benefícios assistenciais sem descumprir a chamada regra de ouro, que impede a emissão de dívida para pagar despesas correntes, como salários.

O governo tem pressa para ver a proposta aprovada. A expectativa do secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, é de que o Congresso vote a matéria até o dia 15 de junho, caso contrário o Plano Safra 2019/2020 também será afetado, uma vez que, sem crédito garantido, não pode sequer ser anunciado.