Arquivo diário: segunda-feira, março 4, 2019

Morador de Macaíba, o jovem Edjael Valentin que estava desaparecido foi encontrado em um posto de combustível em Parnamirim.

Morador de Macaíba está desaparecido

ASSECOM/Demis Roussos

Grande apreciadora dos carnavais em Natal, a governadora Fátima Bezerra mais uma vez foi ao polo do Centro Histórico para curtir o tradicional Desfile das Kengas, que há 36 anos movimenta o domingo de momo na capital. Após o desfile das 45 candidatas, ela assistiu parte do show do cantor Sidney Magal, grande atração de hoje (03) na Cidade Alta. Mais uma vez, a chefe do Executivo estadual circulou pelo público e atestou a importância do evento, que é um verdadeiro espetáculo de criatividade.

Idealizado pelo produtor cultural Lula Belmont, o desfile é apresentado desde 1989 por Jarita Night and Day, que estava acompanhada da Divina Shakira. “Eu amo as kengas por tudo o que elas e esse bloco expressam para cultura da cidade, para o carnaval e principalmente para a diversidade. Como é lindo ver o carinho do público, a empolgação, as torcidas. Mais uma vez, o carnaval em Natal está surpreendendo”, declarou Fátima. Durante a tarde de domingo, ela foi para a Banda do Siri, bloco tradicional da praia da Redinha.

Somadas a essas boas notícias, de tranquilidade e paz no carnaval de rua em Natal, hoje a prefeitura de Areia Branca informou o sucesso que tem sido o resgate do tradicional carnaval na cidade situada na Costa Branca do litoral potiguar. O sábado de carnaval, de acordo com estimativa da Polícia Militar, atraiu um público de cerca de 20 mil pessoas durante a apresentação da Banda Grafith, e nenhuma ocorrência policial foi registrada durante os dois primeiros dias de folia.

Residente em Macaíba, o jovem Edjael Valentin está desaparecido. Da cidade de Equador, a família não sabe para onde Edjael saiu, desde então a família procura por seu paradeiro.

Quem souber de qualquer informação informar o Ciosp através do 190.

 

 

Duas mulheres foram atendidas com urgência no Hospital Regional de Caicó neste último sábado (03). De acordo com Sidney Silva, as duas mulheres foram feridas com seringas, no hospital passaram por exames e tomaram o chamado  coquetel usado para combater doenças como ISTs e Aids.

As duas mulheres estavam no corredor da folia quando foram atacadas. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Na tarde deste domingo (04), uma motocicleta foi furtada no distrito de Traíras, em Macaíba. O proprietário que estava acompanhando um bloco carnavalesco, deixou sua motocicleta estacionada nas imediações do ginásio de esporte onde o bloco estava concentrado, ao retornar para ir embora a moto não se encontrava no local.

O presidente Jair Bolsonaro durante encontro com o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, no Palácio do Planalto

Antonio Cruz/Agência Brasil

Agência Brasil – O presidente Jair Bolsonaro reafirmou hoje (04), em sua conta pessoal no Twitter, que há “fortes” indícios de que recursos públicos destinados à educação são usados para objetivos que não interessam ao país. Bolsonaro disse que sua equipe anunciará medidas para solucionar o problema nos próximos dias.

“O Brasil gasta mais em educação em relação ao PIB [Produto Interno Bruto]  do que a média de países desenvolvidos. Em 2003, o MEC [Ministério da Educação] gastava cerca de R$  30 bilhões em educação e em 2016, gastando quatro vezes mais, chegando a cerca de R$ 130 bilhões, ocupa as últimas posições no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa)”, lamentou Bolsonaro.

Há quase um mês, o governo anunciou o início da operação Lava-Jato da Educação para investigar possíveis desvios como favorecimentos indevidos no Programa Universidade para Todos (ProUni), desvios no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), envolvendo o sistema S, concessão ilegal de bolsas de ensino a distância e irregularidades em universidades federais.

“Há algo de muito errado acontecendo: as prioridades a serem ensinadas e os recursos aplicados. Para investigar isso, o Ministério da Educação junto com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia e Controladoria Geral da União, criaram a Lava-Jato da Educação”, afirmou o presidente.

Bolsonaro admitiu que a tentativa de alguns segmentos em manter estas práticas pode resultar em greves e movimentos coordenados, prejudicando a população de forma geral.

Na primeira quinzena de fevereiro, o Ministério da Educação firmou acordo com o Ministério da Justiça para investigar estes indícios de corrupção e desvios na pasta e suas autarquias nas gestões anteriores. Bolsonaro acrescentou que a Polícia Federal (PF), a Controladoria-Geral da União (CGU) e a Advocacia-Geral da União (AGU) também farão parte da iniciativa.