Arquivo diário: quinta-feira, outubro 11, 2018

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) vem a público reiterar sua postura de defesa da pluralidade de pensamento e de respeito às liberdades políticas e individuais, ao mesmo tempo em que repudia veementemente todo ato de violência a qualquer cidadão brasileiro. Entende-se que a existência da Universidade, pilar do desenvolvimento científico e tecnológico nacional, depende do exercício da liberdade de opinião, caracterizando-se como um espaço incompatível com qualquer forma de intolerância ou opressão.

A UFRN externa sua preocupação e lamenta profundamente a disseminação de atos de constrangimento e violência física e moral, ocorridos em todo o país por motivação político-eleitoral, inclusive os que atingem membros da sua comunidade universitária.

Caminho para construir um país justo, inclusivo e democrático, a UFRN, como instituição federal de ensino superior pública, gratuita, autônoma e de qualidade, adotará todas as medidas legais cabíveis para coibir que atos de violência se repitam no âmbito da Instituição, da mesma forma em que manterá sua postura incondicional de defesa da Democracia e contra todo tipo de preconceito e discriminação em nosso país.

Reitora Ângela Maria Paiva Cruz

Vice-Reitor José Daniel Diniz Melo

Resultado de imagem para psol rn

A crise política de ordem tanto econômica quanto representativa que acomete o Brasil se expressou abertamente no primeiro turno das eleições. Com uma votação alarmante, a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) chega ao segundo turno em um cenário acirrado de polarização, sob os escombros de uma campanha que esconde o caráter fascista que o seu programa carrega.

O PSOL, em aliança com o PCB e os movimentos sociais, apresentou a candidatura de Guilherme Boulos e Sonia Guajajara, que cumpriu um papel importante e necessário denunciando os privilégios da casta política (a qual está incluso o próprio Bolsonaro) em detrimento da profunda desigualdade social que atinge nosso país.
No Rio Grande do Norte, nossa chapa ao governo composta pelo Professor Carlos Alberto e Cida Dantas foi uma alternativa às oligarquias do estado, que defendeu um novo modelo de desenvolvimento para o RN, fundamentalmente popular e democrático. Saímos orgulhosos pois, além de preservamos nossa independência à velha política, conseguimos eleger o primeiro Deputado Estadual da história do PSOL/RN, Sandro Pimentel, trabalhador vigilante e morador de um dos bairros mais periféricos da capital potiguar.

No segundo turno, seguiremos a orientação nacional proposta pela Executiva Nacional do PSOL de apoiar candidaturas que façam frente ao que Bolsonaro representa. No RN, nos somaremos a campanha de Fátima Bezerra (PT), única candidata mulher no Brasil com chances reais de se tornar governadora. Mesmo mantendo largas divergências com o projeto petista, entendemos que o momento histórico exige de nós uma frente ampla de combate ao fascismo. Do outro lado da disputa está Carlos Eduardo Alves (PDT), continuidade da oligarquia Alves na política potiguar, que já sinalizou pleitear o apoio de Bolsonaro à sua candidatura e esteve a frente de uma gestão que atacou os servidores municipais em Natal.

Salientamos que o apoio a candidatura de Fátima Bezerra não está condicionado de forma alguma a uma eventual composição de seu governo, caso eleita. O PSOL nunca negociou seus princípios em troca de loteamento de cargos, ao contrário, sempre preservamos nossa independência, a exemplo de termos sido oposição de esquerda durante os 13 anos de governo do PT no Brasil. Além disso, também faremos exigências de tom programático, que reflitam o acúmulo do PSOL nas eleições.

Por fim, tomaremos como principal tarefa o enfrentamento ao projeto anti-democrático e de retirada de direitos sociais encabeçado por Jair Bolsonaro. Seguiremos na luta construindo a resistência nas ruas e ecoando #EleNão por todos os rincões do RN.

Diretório Estadual do PSOL/RN
Natal, 10 de outubro de 2018

Resultado de imagem para terezinha maia em macaiba

A ex-prefeita Marília Dias (MDB) a cada eleição estadual mostra que vem perdendo força política em Macaíba. Em 2014, Marília Dias resolveu apoiar o então deputado Agnelo Alves (PDT), que obteve 4,50% dos votos no município, neste ano Marília apoiou a primeira-dama de São Gonçalo, Terezinha Maia (PR), que obteve apenas 2,86% dos votos.

A candidata Terezinha Maia ficou na quinta posição entre os candidatos  a deputado estadual em Macaíba, perdendo até para o candidato Kleber Rodrigues, ao qual não teve apoio de nenhuma liderança com base eleitoral como de quem já ocupou o cargo de prefeito.

Para os observadores da política local, hoje Marília Dias já não tem mais condições de liderar o grupo da oposição, espaço esse que os vereadores da bancada de oposição tentam ocupar.

 

Divulgação/PM

Na tarde desta última quarta-feira (10), uma adolescente foi baleada em Macaíba. O fato aconteceu no bairro Campo da Santa Cruz,  quando quatro adolescentes estavam em um táxi e uma dupla surgiu em uma motocicleta e atirou diversas vezes contra o veículo.

No veículo estavam dois adolescentes que tinham acabado de sair da delegacia de Polícia Civil, onde foram prestar depoimento. Adolescente baleada era namorada de um deles, que acabou sendo atingida durante o atentado. A vítima foi socorrida para Unidade de Pronto Atendimento, passou por uma pequena cirurgia e foi liberada.