Arquivo Mensal:: setembro 2018

O juiz do Tribunal Regional Eleitoral(TRE), Almiro Lemos, concedeu nesta sexta-feira (28/9), novo direito de resposta ao candidato da coligação 100%RN, ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo, dentro do programa do governador Robinson Faria(PSD). A veiculação de 1 minuto ocorrerá na Intertv Cabugi (Globo).

É o quarto direito de resposta ganho por Carlos Eduardo contra a propaganda de Robinson em dois dias. Ontem, o juiz Ricardo Tinoco de Goes determinou uso pelo ex-prefeito de Natal de espaço de Robinson Faria na TV Band, nas redes sociais da internet e no Jornal Agora RN.

Na decisão desta sexta-feira, o juiz Almiro Lemos puniu o guia eleitoral de Robinson Faria por veicular deliberadamente informação errada afirmando que o ex-prefeito de Natal não cobrou na Justiça, dívidas de empresas de transporte coletivo. No TJ, existem 129 ações judiciais do Município contra empresas de ônibus, uma delas com ganho de causa em processo de R$ 12,2 milhões.

Trincheira da BR-101 próximo à avenida Maria Lacerda, na Grande Natal, será liberada no próximo sábado (29) — Foto: Dnit/Divulgação

Divulgação/DNIT

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes  liberou neste sábado (29) toda obra da avenida Maria Lacerda em Nova Parnamirim, na BR-101. No primeiro momento o DNIT iria liberar apenas o tráfego na passagem inferior, mas acabou liberando para que os veículos possam fazer o retorno na parte superior também. Com esta obra foram eliminados todos os semáforos que causavam engarrafamento na rodovia.

Acessos

Os motoristas que tiverem como destino Nova Parnamirim que estejam vindo de Natal poderão ir pelo acesso da passagem superior. Os motoristas que estejam vindo sentido Parnamirim/Natal poderão fazer o retorno pela passagem superior.

 

 

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

O candidato a governador Freitas Júnior esteve neste sábado (29), cumprindo agenda na cidade de Acari, ao lado do candidato a senador João Napoleão e do candidato a deputado prof. Geraldo Júnior.  Freitas Júnior também esteve em Santa Cruz conversando com estudantes na cidade de Santa Cruz, falando de suas propostas para educação.

Ato de mulheres "#EleNão" contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro, em Brasília

Manifestação reúne mulheres em Brasília – Antonio Cruz/ Agência Brasil

Pelo menos 30 mil pessoas – de acordo com as organizadoras – participaram ontem (29), em Brasília, do ato convocado pelo coletivo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro”. Na última atualização da Polícia Militar (PM), a mobilização tinha 7 mil pessoas. O protesto foi pacífico. Além da capital federal, a manifestação ocorreu em várias cidades brasileiras e no exterior. Houve atos também em várias cidades a favor do candidato.

As manifestantes ocuparam três das cinco faixas da pista norte do Eixo Monumental, saindo da altura da Rodoviária do Plano Piloto em direção ao complexto cultural da Funarte, próximo à Torre de TV, zona central da capital do país.

A assistente administrativa Socorro Paiva vestia uma camiseta colorida, com frases contra o machismo. Para ela, o ato é uma forma de evitar que o país mergulhe no que considera um retrocesso histórico.

“Não podemos compactuar com a intolerância. Quero que meus filhos e netos cresçam em um país sem machismo e homofobia”, afirmou.

As amigas Luciene de Souza  e Mônica Carvalho disseram estar no ato em defesa da democracia. “Estamos lutando pela nossa democracia, mas também em defesa do respeito, da paz e do amor”, afirmou Luciene.

“Esse ato também nos ajuda a ter coragem de sair e se juntar contra a intolerância. Se tem 10 mil pessoas aqui, sabemos que pelo menos outras 10 mil não vieram porque ainda estão com medo da violência, do machismo”, disse Mônica.

Além de palavras de ordem contra Jair Bolsonaro, que ressaltavam a postura do candidato em relação às mulheres, à população negra e ao movimento LGBT, centenas de manifestantes portavam cartazes, camisetas e bandeiras com frases sobre a  luta anti-homofobia e antirracismo.

A servidora pública Nara Kohlsdorf levou os filhos, um de 11 e outro de 9 anos. “Quero que eles vivenciem a história”, afirmou. Para ela, o ato não se centra apenas em uma postura relacionada às eleições, mas expressa um movimento por direitos das mulheres. “Quando a gente se une em torno de uma agenda de igualdade, a gente é mais forte”.

São Paulo

Na capital paulista, a concentração começou às 15h no Largo da Batata, na zona oeste. A organização do ato estimou o número de participantes em 200 mil. A Polícia Militar não fez estimativa e informou que não foram registradas ocorrências relevantes.

 Manifestação Mulheres contra Bolsonaro no Largo da Batata, região oeste de São Paulo

Rovena Rosa/Agência Brasil

Participaram da manifestação representantes de partidos políticos, movimentos sociais e ativistas de diversas áreas. Estiveram presentes também alas das torcidas do Corinthians e Palmeiras.

Por volta das 17h30, a passeata começou a se movimentar pela Avenida Faria Lima, em direção à Avenida Paulista. Um grupo de mulheres entoava palavras de ordem contra o candidato do PSL.

Ana Silveira, 26 anos, era uma das responsáveis pela batucada. “Faço parte do coletivo que pretende ocupar os espaços da cidades e estamos hoje pedindo liberdade e felicidade. “Ele não”, disse ela.

Joana Brandão, 38 anos, também se manifestava. “Pelos direitos das minorias, por isso protestamos”, afirmou.

Rio de Janeiro

Atividades culturais marcaram o início da concentração, às 15h, na Cinelândia, no centro do Rio. A mobilização contou a presença de homens e mulheres. No carro de som, a organização foi liderada por elas. Músicas e palavras de ordem falavam de machismo no comportamento do candidato Jair Bolsonaro e lembravam o mote o ato: “Ele não”.

Da Cinelândia, as manifestantes se dirigiram para a Praça XV, também no centro da capital fluminense, onde um palco foi preparado para apresentações teatrais e shows. A analista de contas Consuelo Lardosa estava lá com a filha. “As palavras que têm sido ditas são de muita violência contra as mulheres e agridem a todas as mães que lutam e batalham por um pouco dignidade para seus filhos, em país tão difícil como o nosso. Estamos aqui, assim como outras famílias, pais com suas crianças, afinal é um movimento de paz e não de ódio”, afirmou.

Mulheres protestam contra o presidenciável Jair Bolsonaro no centro do Rio.

Tomaz Silva/Agência Brasil

Na tarde deste sábado (29), milhares de pessoas participaram do ato”EleNão” em Natal. A manifestação teve como objetivo reunir pessoas contra a candidatura de Jair Bolsonaro, principalmente mulheres. O cruzamento da avenida Salgado Filho com a Bernardo Vieira foi interditado no final da tarde até o início da noite, quando os manifestantes começaram a se dispersar.

Muitas pessoas estavam com cartazes quando falavam  contra o machismo, homofobia e o ódio. Também registramos a presença de pessoas com adesivos de candidatos como Hadadd (PT), Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (PSOL).

A respeito da diligência executada na data de de ontem (28) em uma das sedes do Partido dos Trabalhadores (PT) e em outros endereços inerentes às candidaturas da coligação formada pelo partido, a assessoria jurídica da candidata Fátima Bezerra vem esclarecer ao público:

– A medida foi requerida e executada com o intuito de localizar materiais de propaganda que apresentassem o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a Presidente da República, devido a sua substituição pelo candidato Fernando Haddad ocorrida no último dia 11 de setembro.

– A eventual existência de materiais de propaganda contendo menção ao ex-Presidente Lula como o candidato do Partido dos Trabalhadores a Presidente da República deve-se justamente ao período em que a candidatura estava oficializada perante a Justiça Eleitoral.

– O Partido dos Trabalhadores, inclusive através da propaganda eleitoral da candidata Fátima Bezerra, já anunciou de forma massiva a candidatura de Fernando Haddad, inexistindo divulgação atual da candidatura do ex-Presidente Lula.

– Não há nenhuma irregularidade na campanha da candidata Fátima Bezerra, que respeita mas lamenta a atuação do Ministério Público e da Justiça Eleitoral, por lançarem mão de medida desproporcional e desnecessária em virtude de situação que já estava sendo administrada em outro processo com toda transparência.

– A assessoria jurídica da candidata Fátima Bezerra reitera o atendimento à todas as normas que regem o processo eleitoral, afirma que nenhuma conduta irregular fora praticada e externa sua confiança na Justiça.

Agência Brasil – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou hoje (28) que vai manter a cobrança extra na conta de luz no patamar mais alto em outubro.

Desde junho, as contas de luz estão na bandeira vermelha, patamar 2, o que acarreta cobrança extra de R$ 5 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Segundo a agência, a cobrança será mantida porque ainda são desfavoráveis as condições hidrológicas e por causa da queda no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN).

De acordo com a Aneel, apesar da queda do Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), o cenário hidrológico foi desfavorável e não se vislumbrou melhora significativa do risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês). “O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada”, informou a agência.

Nos quatro primeiros meses do ano, vigorou a bandeira verde, sem cobrança extra na conta de luz. Em maio, vigorou a bandeira tarifária amarela, em que há adicional de R$ 1 na conta de energia do consumidor a cada 100 kWh consumidos.

Em junho, quando decidiu adotar a bandeira vermelha no patamar 2, a Aneel disse que a decisão foi tomada em razão do fim do período chuvoso e da redução no volume dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

O comitê de campanha da senadora Fátima Bezerra foi alvo de busca e apreensão na tarde desta sexta-feira (28).

A ação, no bairro de Candelária, foi resultado de sucessivas reclamações à Justiça sobre a utilização de material de campanha em que consta Lula como candidato a presidente.

A busca e apreensão tem participação do Ministério Público Eleitoral.

A assessoria da senadora confirmou a ação, informou se tratar apenas de material de campanha e informou que enviará nota a respeito do episódio.

Ao longo da semana, a campanha do ex-prefeito Carlos Eduardo já havia conseguido liminar para que a utilização do material fosse interrompida.

Depois, pediu busca e apreensão, mas a demanda foi negada.

Informações e foto do Blog do BG

Neste sábado (29), acontece em todo o país a manifestação “EleNão”, movimento que cresceu na internet contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL), liderado por mulheres. Em Natal, um ato pretende reunir tanto mulheres quanto homens no cruzamento da avenida Salgado Filho e a Bernardo Vieira, a partir das 15h.

No Facebook, o evento já tem mais de 5 mil pessoas confirmadas e mais de 9 mil com interesse em participar.

A Vila Olímpica de Macaíba será sede dos jogos esportivos do Programa Forças do Esporte (PROFESP). Mais de 1.200 alunos participarão dos jogos no local em atividades físicas como handebol, futebol de campo, cabo de guerra, vôlei e queimada. As competições serão realizadas no dia 8 de outubro.

A Vila Olímpica de Macaíba recebe por semana um quantitativo de 2.500 pessoas em diversas atividades como ginástica rítmica, ginástica artística, futsal, futebol society, atletismo, handebol, luta olímpica, jiu-jitsu, vôlei de areia e futebol de areia.

O PROFESP é uma vertente do programa Segundo Tempo do Governo Federal desenvolvido pelo Ministério da Defesa, com o apoio da Marinha, Exército e Aeronáutica.

livros didáticos

Arquivo/Valter Campanato/Agência Brasil

Agência Brasil – Estudantes da rede pública receberão livros de literatura em 2019, além do material didático, de acordo com o novo formato do Programa Nacional do Livro e do Material Didático Literário (PNLD). A escolha das obras pelas escolas credenciadas teve início no último dia 25 e irá até o dia 8 de outubro.

De acordo com o Ministério da Educação, a escolha será feita pelas escolas, a partir de uma lista, e levará em conta a opinião dos professores e diretores de escola. No catálogo para o ensino médio, estão livros como a biografia da paquistanesa Malala – a mais jovem a receber um Prêmio Nobel da Paz; o clássico de ficção Admirável Mundo Novo, de Aldous Juxley; e poemas de Cecília Meireles.

Até este ano, o programa destinava as obras literárias apenas para as bibliotecas e para serem usadas em salas de aula. A previsão é que os estudantes recebam os dois livros literários.

Para a assessora de projetos da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Andressa Pellanda, é importante o aspecto individual da leitura, mas o papel didático da biblioteca não se deve ser esquecido. Ela defende que a escolha dos livros deve ser a mais democrática possível, envolvendo não só os professores, como prevê o programa, e que os alunos também sejam consultados.

“Sempre falamos da necessidade sobre o processo de gestão democrática dentro da escola. Então, a escolha dos livros didáticos também tem que passar por isso, existe todo um trabalho que é feito e pensado para que as escolas possam ter de fato gestão democrática”, disse. “Se os professores, os diretores, os coordenadores pedagógicos puderem discutir com os estudantes a escolha dos livros de literatura e também os livros didáticos, isso sempre é muito mais frutífero porque uma gestão democrática gera apropriação de cultura, então gera educação e aprendizado”, acrescentou.

Na avaliação de Cândido Grangeiro, sócio de uma pequena editora que teve livros escolhidos para o catálogo literário do programa, houve conquistas com o novo modelo. “Isso é uma conquista enorme [o livro ficar com o estudante] porque o aluno tem um acesso maior à literatura”, disse, ressaltando ser mais um incentivo para publicações no mercado editorial.

Os professores terão acesso a um guia com resenhas das obras selecionadas pelo programa e a escolha será feita após uma reunião de professores e diretoria da escola. Ainda de acordo com as regras, uma mesma editora não poderá ter dois livros escolhidos. As obras serão devolvidas às escolas depois do período de um ano para reutilização. Cada editora pode inscrever quatro obras para serem selecionadas para o catálogo.

O PNLD não permite que as editoras, com obras selecionadas para o catálogo, façam ações promocionais, distribuam brindes ou visitem as escolas. Grangeiro alerta para um disputa desigual entre as grandes e pequenas editoras. “Essas editoras [grandes] trazem toda uma tradição de chegada, um poder comercial mesmo, tem distribuidor, tem dinheiro, enfim, de chegar nas escolas e conseguir concentrar todas as adoções [de livros]. As editoras pequenas não dominam esse universo comercial, nem tem recursos financeiros para esses estudos. A disputa é extremamente desigual”, disse.

 *Colaborou Nelson Lin, da Rádio Nacional

Claudimar Jefferson tinha 17 anos — Foto: Reprodução/Facebook

Do G1 RN – O corpo encontrado carbonizado na zona rural de Parelhas na terça-feira (25) é mesmo o do adolescente Claudimar Jefferson da Silva Melo, de 17 anos. A identificação foi confirmada pela família do adolescente na noite desta quinta (27) após a conclusão dos exames de arcada dentária feitos no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), em Natal.

Claudimar morava com a família. Todos são de Parelhas, cidade da região Seridó potiguar. O estudante, que cursava Informática no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), foi visto pela última vez com vida no dia 22, quando saiu de casa sem dizer para onde iria. Ele estava de moto quando desapareceu.

Parentes, amigos e a polícia passaram três dias mobilizados à procura do rapaz, até encontrarem um corpo carbonizado em uma região de difícil acesso chamada de Areias. Desde então, a angústia da família era para saber se o corpo era mesmo o de Claudimar.

“Agora, por um lado temos o alívio de acabar com a dúvida e por outro a dor de ter a certeza que ele foi assassinado”, disse Cleiton Melo, tio do garoto.

Investigação

Em contato com o G1, o delegado Alex Wagner, titular da DP de Parelhas, disse que ainda não há uma linha de investigação definida. Embora não descarte a possibilidade de latrocínio (roubo seguido de morte), uma vez que a motocicleta do estudante não foi encontrada, também existe a possibilidade de Claudimar ter sido vítima de traficantes.

Confira agenda dos candidatos ao Governo do Rio Grande do Norte para esta sexta-feira (28).

Brenno Queiroga (Solidariedade)

5h30- Caminhada na Ceasa/ RN;
8h30- Caminhada pelo Alecrim;
18h- Entrevista em São Gonçalo do Amarante.

Carlos Alberto (PSOL)

9h- Caravana 50 em Parnamirim;
15h- Caravana 50 em Extremóz;
19h- Caravana 50 em Ceará-Mirim.

Carlos Eduardo Alves (PDT)

9h- Gravação Programa Eleitora;
Caravana 12 Região Central e Oeste;
17h- Assu;
20h- Apodi.

Dário Barbosa (PSTU)

Candidato não encaminhou agenda.

Fátima Bezerra (PT)

9h-Gravação de programa eleitoral;
15h- Caravana Fátima pelo RN, Natal, Parnamirim, São José de Mipibu e Canguaretama – Concentração: Praça dos Taxistas em Neópolis.

Freitas Júnior (Rede)

8h- Vistas em Jaçanã;
16h- Visitas em Santa Cruz;
20h- Visitas em Acari.

Heró Bezerra (PRTB)

15h- Reunião com Assessoria de Campanha;
19h- Lançamento de Turnê 28 RN.

Robinson Faria (PSD)

10h50- Faz visita à empresa Simsal, em Areia Branca;
16h- Faz Visita à empresa AeC, no centro de Mossoró;
17h- Participa da Cravana da Verdade em Serra do Mel;
19h- Parrticipa da carreata da verdade em Baraúnas.

José Aldenir / Agora RN

O governador Robinson Faria (PSD) acredita que o ex-ministro Henrique Alves (MDB) voltará simbolicamente ao poder no Rio Grande do Norte caso seu primo, o candidato Carlos Eduardo Alves (PDT), ganhe as eleições deste ano ao governo. Em entrevista à 98 FM, Robinson demonstrou preocupação com a situação do RN, caso os Alves voltem a ser um nome dominante na administração do Executivo Estadual.

“O prefeito de Natal Álvaro Dias foi indicação de Henrique Alves. Eu não tenho nada contra Álvaro, mas é certo que Henrique Alves vai voltar ao poder se seu primo vencer [as eleições para o Governo do RN]”, afirmou.

Embora tenha prometido que não retornaria à política após deixar a Academia de Polícia, onde ficou preso entre 6 de junho de 2017 e 4 de maio de 2018, fontes próximas afirmar que o ex-presidente da Câmara dos Deputados tem ajudado a articular a campanha de Carlos Eduardo.

Ainda durante a entrevista na rádio, Robinson afirmou que tem sido sucessivamente “sabotado” em Brasília porque venceu Henrique Alves nas eleições ao Governo do RN em 2014. “Eu derrotei as oligarquias. Quem derrota um Alves no RN fica sentenciado. Enquanto não se destruir a pessoa que derrotou um Alves, eles não se conformam. Eles têm televisão e jornal, e diariamente, por quatro anos, fizeram matérias negativas contra mim”, criticou.

Do Agora RN