Arquivo diário: quinta-feira, dezembro 14, 2017

 

A Federação das Indústrias divulgou hoje (14),  pesquisa sobre o pleito de 2018, através da  Consult.  Realizada no período compreendido entre 02 e 07 de dezembro, o levantamento entrevistou 1.700 pessoas e abrangeu todo o Estado do Rio Grande do Norte.

Para o Governo do Estado na estimulada:

Fátima Bezerra  20,29%

Carlos Eduardo 11,41%

Flávio Rocha 6,59%

Robinson Faria 5%

Cláudio Santos 2%

Tião Couto 1,41%

Nenhum 41,24%

Não soube responder 11,71%

 

Instituto Santos Dumont (ISD), Organização Social (OS) que mantém Contrato de Gestão (CG) com o Ministério da Educação (MEC) para desenvolver ações de ensino, pesquisa e extensão, informa que em 28 de novembro de 2017, o Relatório de Avaliação do Ciclo Plurianual 2014 a 2017, elaborado pela Comissão de Acompanhamento e Avaliação do Contrato de Gestão (CAACG), recomendou a renovação do Contrato de Gestão para o período de 2018 a 2022, mantendo as atividades do Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) e do Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (CEPS), unidades geridas pelo ISD.

Por outro lado, em face do ajuste orçamentário do Governo Federal previsto para os próximos exercícios, as atividades dos Centros de Educação Científica (CECs) serão suspensas, por tempo indeterminado, a partir de janeiro de 2018. Essa decisão se aplica às unidades dos CECs localizadas em Natal (RN), Macaíba (RN) – Escolas Alfredo J. Monteverde – e em Serrinha (BA).

O ISD busca fontes alternativas de recursos, que associadas à infraestrutura financiada pelo Poder Público, permitam dar continuidade, no futuro, ao projeto de educação científica para alunos de escolas públicas.

O Instituto Santos Dumont reconhece o apoio do MEC, por meio do aporte de recursos públicos que financiaram as atividades dos CECs durante o primeiro ciclo do Contrato de Gestão (2014-2017). Além disso, o ISD agradece, em nome dos seus três Centros de Educação Científica (CECs), a todos aqueles que contribuíram para a construção dessa história de 10 anos de compromisso com a educação, principalmente aos professores e gestores das escolas parceiras em todos os municípios beneficiados; às secretarias municipais e estaduais de educação; aos educadores e demais profissionais dos CECs; e, muito especialmente, aos alunos, alegria maior e o sentido da nossa prática educadora.

 

JBatista/ Câmara dos Deputados

Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), com sede no Recife, negou hoje (14) seis habeas corpus que a defesa de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) havia protocolado para tentar libertar o ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara dos Deputados, que se encontra preso preventivamente em Natal desde 6 de junho, em um desdobramento da Operação Lava Jato.

No caso que levou à sua prisão, Henrique Eduardo Alves é investigado pelo Ministério Público Federal por suposto envolvimento em irregularidades envolvendo a construção da Arena das Dunas, sede da Copa do Mundo de 2014 em Natal.

O advogado Marcelo Leal, que representa o ex-ministro, afirmou que irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra as decisões. Cada pedido de liberdade formulado pelo defensor tinha argumentações específicas. Em dois deles, se alegava incompetência da Justiça Federal do Rio Grande do Norte para julgar o caso, uma vez que os supostos fatos ilícitos teriam ocorrido em Brasília.

Nos outros habeas corpus, a defesa tentou demonstrar a inépcia das acusações contra Henrique Eduardo Alves que envolvem as construtoras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia, por falta de provas.

Assessoria

O vereador Netinho França criticou duramente a forma de atendimento do Banco do Brasil com os macaibenses, pois é grande o sofrimento por parte dos munícipes, falta dinheiro nos caixas eletrônicos, o atendimento é de péssima qualidade. Para o vereador que é advogado,  tal situação “fere todos os princípios norteados do direito dos consumidores”.

 

Imagem relacionada

Fotos: Via SINTSERP

Recebemos a lamentável informação que à Escola Alfredo J. Monteverde, conhecida popularmente como Escola do Neurociências de Macaíba, vai suspender suas atividades por tempo indeterminado, por falta de recurso federal. Localizada dentro do Campus Macaíba, hoje chamado de Centro de Educação Científica do Instituto Santos Dumont (ISD), teve início no ano de  2007 em Macaíba, levando muito conhecimento aos estudantes da rede municipal de Macaíba.

Através das turmas chamadas de oficinas, os estudantes aprenderam muito sobre arte, biologia, física, informática e entre outras áreas, os alunos aprendiam na prática e não somente na teoria, conforme ocorre nas escolas regulares.

O Instituto de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) e o Centro de Saúde Anita Garibaldi manterão suas atividades normalmente em Macaíba, ambos não foram atingidos pela falta de recurso.

Resultado de imagem para escola de neurociencias unidade macaiba

Foto: Divulgação

O Instituto Santos do Dumont  manifestou-se  através de uma nota sobre o assunto:

Instituto Santos Dumont (ISD), Organização Social (OS) que mantém Contrato de Gestão (CG) com o Ministério da Educação (MEC) para desenvolver ações de ensino, pesquisa e extensão, informa que em 28 de novembro de 2017, o Relatório de Avaliação do Ciclo Plurianual 2014 a 2017, elaborado pela Comissão de Acompanhamento e Avaliação do Contrato de Gestão (CAACG), recomendou a renovação do Contrato de Gestão para o período de 2018 a 2022, mantendo as atividades do Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) e do Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (CEPS), unidades geridas pelo ISD.

Por outro lado, em face do ajuste orçamentário do Governo Federal previsto para os próximos exercícios, as atividades dos Centros de Educação Científica (CECs) serão suspensas, por tempo indeterminado, a partir de janeiro de 2018. Essa decisão se aplica às unidades dos CECs localizadas em Natal (RN), Macaíba (RN) – Escolas Alfredo J. Monteverde – e em Serrinha (BA).

O ISD busca fontes alternativas de recursos, que associadas à infraestrutura financiada pelo Poder Público, permitam dar continuidade, no futuro, ao projeto de educação científica para alunos de escolas públicas.

O Instituto Santos Dumont reconhece o apoio do MEC, por meio do aporte de recursos públicos que financiaram as atividades dos CECs durante o primeiro ciclo do Contrato de Gestão (2014-2017). Além disso, o ISD agradece, em nome dos seus três Centros de Educação Científica (CECs), a todos aqueles que contribuíram para a construção dessa história de 10 anos de compromisso com a educação, principalmente aos professores e gestores das escolas parceiras em todos os municípios beneficiados; às secretarias municipais e estaduais de educação; aos educadores e demais profissionais dos CECs; e, muito especialmente, aos alunos, alegria maior e o sentido da nossa prática educadora.